Maio 2020
We Bless This Mess encontraram monstros alegres no armário
· POR Fernando Gonçalves · 24 Mai 2020 · 23:07 ·


Enquanto andavam em busca de inspiração para um novo álbum, os We Bless This Mess encontraram monstros felizes dentro do armário. Esses monstros viraram canção, “Happy Monsters In My Closet”, e o álbum, Enlightened Fool, forma. Enquanto o single é para consumo imediato, o novo disco dos portuenses We Bless This Mess chegará lá para Outubro.

“Happy Monsters In My Closet”:

Thunderbird inaugura Obra de protesto
· POR Fernando Gonçalves · 24 Mai 2020 · 23:02 ·

© André Peniche
O Brasil é um imenso incêndio com um comandante dos bombeiros de lança-chamas a tiracolo. Mas, como sempre, há sempre alguém que resiste, há sempre alguém que diz não. Entre aqueles que o fazem está o projecto solo Thunderbird. Liderada por Luiz Thunderbird, esta guerrilha sonora prepara-se para dar à luz o rebelde Pequena Minoria de Vândalos, disco ácido e energético para balançar consciências neste 2020 distópico.

A primeira amostra chama-se “A Obra” e bate assim:

Foxes ama-te, só que não
· POR Fernando Gonçalves · 24 Mai 2020 · 22:27 ·
© Hollie Fernando

Três anos depois de aclamações e prémios, Foxes (Louisa Rose Allen) está de regresso com o single “Love Not Loving You”, tema em que a artista, como ela própria explica, faz uma espécie de declaração de amor a si mesma.

Dinâmico e ousado, eis o regresso de Foxes com “Love Not Loving You”

IDLES: não lhes falta motivação, nem novo single, nem álbum
· POR Fernando Gonçalves · 20 Mai 2020 · 14:34 ·


“…manos arriba y abajo/Arriba y abajo/Arriba, abajo/Arriba y abajo/Todo el mundo una mano arriba/Solo una mano arriba/Nos vamos a la izquierda, a la derecha/Izquierda, derecha/Izquierda, derecha (vamonos)/Izquierda, derecha/Izquierda, derecha (sigame, sigame)…”, assim seguem os SBS que, hoje, encontram nos IDLES motivadores à altura, não nas aulas de zumba, mas como um ariete de positividade no meio da depressão generalizada que se abateu sobre o mundo.

Esta é a base de “Mr. Motivator”, single de apresentação do novo álbum dos IDLES, ainda sem nome, que deverá ser editado este ano. Para conhecer mais em pormenor este “Mr. Motivator”, passamos a palavra ao vocalista, Joe Talbot: “Queríamos começar esta viagem (do novo álbum) com um tema que, não só encapsulasse o sentimento do álbum, como também encorajasse a nossa audiência a dançar como se ninguém os estivesse a ver de modo com uma catana de dois tons feita canção e com a mais bela comunidade de sacanas que jamais se reuniu. Vamos lá. Tudo é amor”.

Belo, sem dúvida. Fiquem com os IDLES e este ”Mr. Motivator”:

Fools lança álbum de estreia
· POR Fernando Gonçalves · 19 Mai 2020 · 14:57 ·


Assim, no singular. O homem que dá vida à bateria de Grizzly Bear achou-se sozinho durante o Verão passado e o resultado é Fools’ Harp Vol. 1, LP acabadinho de sair sem aviso prévio que nos mostra Christopher Bear aka Fools em dança sensual com uma plêiade infindável de instrumentos em “alcatifa” ambiente.

Muita exploração instrumental, uma forte pitada de intuição e um descontraído “vamos ver no que tudo isto dá” resultou em Fools’ Harp Vol. 1, álbum para ouvir na integra a partir de agora:

No Age servem novo single em prato de reverb
· POR Fernando Gonçalves · 19 Mai 2020 · 14:34 ·


Estão mais rápidos, furiosos e misteriosos. O colectivo dreamy californiano No Age regressa aos discos no próximo dia 5 de Junho com Goones Be Gone, mas hoje, 19 de Maio do ano sem lá grande graça de 2020, atira com mais um single do novo trabalho para a fogueira.

O tema chama-se “Head Sport Full Face” e está recheado de reverbs e feedbacks, estes últimos que dão a ideia de uma persistente sirene da polícia ao longo de toda a faixa:

Lavender Diamond: um certo olhar
· POR Fernando Gonçalves · 19 Mai 2020 · 14:13 ·


Depois dos oito anos de silêncio que se seguiram ao lançamento de Incorruptible Heart, o trio (Becky Stark, Steve Gregoropoulos e Ron Regé, Jr.) de art-pop orquestral está de volta, mas em formato mais indie. Os Lavender Diamond acabam de lançar o single “Look Through The Window”, canção que reflecte sobre o isolamento profundo, a depressão e o renascimento e que soa assim:

MOMO: amor em tempos de mudança de estação
· POR Fernando Gonçalves · 19 Mai 2020 · 13:45 ·


Com o Inverno a aproximar-se a passos largos do hemisfério sul, o brasileiro MOMO saca uma história de amor em tempos de mudança de estação que serve de antecipação a um novo EP que deverá sair lá para Agosto.

“Till the End of Summer Time” é o seu nome e inspira-se, musicalmente, nos clássicos de jazz de nomes como George Gershwin e Irving Berlin, e em compositores da bossa nova como Tom Jobim. "A letra fala de um amor que não funcionou, deste o primeiro encontro até à última despedida” – explica o músico que reside em Lisboa. O título remete para a canção pop de 1945 "Till the End of Time", gravada por Perry Como, Doris Day e outros artistas e que inspirou um filme com o mesmo título.

Para ouvir “Till the End of Summer Time”:

Um toque de The New Morning
· POR Fernando Gonçalves · 15 Mai 2020 · 13:42 ·


Veículo de simplicidade, os The New Morning nasceram do desejo do músico e engenheiro de som austríaco Thomas Pronai de criar uma banda que fizesse do palco um lugar para um rock sem merdas nem achaques de vedetismo. Depois de um single de estreia, e a meio de uma tournée pelos países vizinhos, os The New Morning fecharam-se durante dois dias em estúdio e criaram o que, em breve, será o seu primeiro álbum de originais.

Deste tomo que me breve verá a luz do dia, escapa-se hoje o single de apresentação “The Touch”, tema escrito há dois anos que, de uma forma quase premonitória, antecipava um mundo em crise. Há falta de um abraço de carne e osso, fiquem com este “The Touch”:

Um momento com Xinobi
· POR Fernando Gonçalves · 13 Mai 2020 · 14:41 ·


Meditação e auto-análise. Estas foram as duas premissas que assistiram o produtor na criação de “The Moment”, pedaço de electrónica instropectiva que contou com a participação de IVY (GrandFather’s House) e nos deixa uma perspectiva daquilo que ajuda o artista a navegar neste período de mudança e incerteza.

Este single antecipa o lançamento, a 12 de Junho, de A Collection of Xinobi Dance Songs, uma compilação de vários temas editados por Xinobi desde 2017. Para já, um momento com Xinobi:

Há turbulência na frequência Mint
· POR Fernando Gonçalves · 13 Mai 2020 · 14:31 ·


A turbulência foi detetada em Grimbsy, no outrora conhecido por Reino Unido, e veio de um grupo de habitantes da cidade conhecidos por Mint. O quarteto vestiu a pele de psiquiatra e teceu uma análise garage-rock, mais ou menos profunda, sobre os altos e baixos da saúde mental num mundo dominado pelo digital. O tema, “Turbulence”, sucede ao recém-editado “Goodbye Beautiful” e soa assim:

Fugly: “Space Migrant” abre as portas a novo disco
· POR Fernando Gonçalves · 12 Mai 2020 · 14:35 ·


Depois de perorarem sobre os males de espírito da geração millennial com Millennial Shit, os energéticos portuenses Fugly anunciam o seu regresso aos álbuns com o single “Space Migrant”, tema onde se fala sobre a inclusão de todos numa sociedade que tem problemas em unir-se.

O novo álbum, ainda sem nome, foi produzido, mais uma vez, por eles próprios no Adega Studios e será editado no final do ano pelo O Cão da Garagem.

Para já, fiquem com “Space Migrant”:

Festivais cancelados até 30 de Setembro
· POR Fernando Gonçalves · 08 Mai 2020 · 00:14 ·


Aquilo que era, de certo modo, uma inevitabilidade esperada acabou por acontecer: os festivais foram cancelados até dia 30 de Setembro. A proposta emanada do Conselho de Ministros de hoje ficando a decisão à espera de aprovação da Assembleia da República.

No comunicado do Governo pode ler-se, igualmente, que quem comprou bilhetes para “espetáculos” — não apenas festivais — agendados para entre 28 de Fevereiro a 30 de Setembro que não se realizarem devido à pandemia, deverá ter direitos protegidos, recebendo um vale compensatório no valor da compra.

“Para o caso de espetáculos cuja data de realização tenha lugar entre o período de 28 de fevereiro de 2020 e 30 de setembro de 2020, e que não sejam realizados por facto imputável ao surto da pandemia da doença COVID-19, prevê-se a emissão de um vale de igual valor ao preço do bilhete de ingresso pago, garantindo-se os direitos dos consumidores”, assinala o comunicado. Esta é, contudo, apenas uma proposta genérica que deverá ser, posteriormente, detalhada em decreto-lei e votada.

Ainda no domínio dos bilhetes, fica por esclarecer a natureza deste vale compensatório, previsto para substituir o reembolso de consumidores pelos espectáculos culturais que não se realizaram. E também não detalha se o vale é válido para espectáculos agendados entre 28 de Fevereiro e 30 de Setembro que se realizem à mesma, mas fora desse período temporal.
Gary Olson: um conto de duas cidades
· POR Fernando Gonçalves · 06 Mai 2020 · 17:18 ·

© Åke Strömer

Entre Hayland (Noruega) e Brooklyn (E.U.A.) há um Gary Olson que as une. Durante oito anos, o músico e compositor americano e os irmãos noruegueses Åleskjær (Jorn e Ole), cada um no seu estúdio, criaram e recriaram aquilo que, a 29 de Maio, será Gary Olson, compêndio de onze canções onde o indie-pop dos anos 80 é ornamentado delicadamente pelo trompete de Olson.

Para além de Olsen e dos irmãos Åleskjær, o álbum contou com a participação de Håvard Krogedal (baixo, violoncelo), Emil Nikolaisen (bateria), Joe McGinty (arranjos de cordas, piano e órgão - The Psychedelic Furs, Ryan Adams) e Suzanne Nienaber (coros - Pale Lights).

O primeiro single extraído a Gary Olsen chama-se “Giovanna Please” e soa assim:

Mt. Joy: saúde mental e escatologia de último grau povoam novo single
· POR Fernando Gonçalves · 06 Mai 2020 · 16:48 ·


Saúde mental e mortalidade, estas são as ideias chave por detrás de “Death”, novo single dos nova-iorquinos Mt. Joy que fará parte do próximo álbum da banda, Rearrange Us, a editar no dia 5 de Junho via Dualtone.

Na esperança, como refere o vocalista e guitarrista Matt Quinn, de que a canção relembre as pessoas do quão é importante que nos entreajudemos a superar o degredo e a encontrar a paz, eis “Death”:

O novo cerimonial dos Ghost Hunt
· POR Fernando Gonçalves · 06 Mai 2020 · 00:42 ·

© Inês Almeida

O duo Pedro Chau e Pedro Oliveira tem novo longa-duração na forja e hoje foi o dia de darem a conhecer com que cores se irá pintar. II é o nome do no disco dos Ghost Hunt, chega no dia 28 de Maio via Lovers & Lollypops, e “New Cerimony” essa porta que se abre sobre o segundo álbum de originais da dupla.

Antes de ouvirmos este novo cerimonial dos Ghost Hunt, e no espírito da época, refira-se que o disco será apresentado ao vivo, online, a 5 de Junho, no âmbito da parceria que a Lovers & Lollypops estabeleceu com Circulo Católico de Operários do Porto.

6º Guitarras ao Alto será imaterial, mas terá muito material
· POR Fernando Gonçalves · 05 Mai 2020 · 00:12 ·


Assim é. Imaterial porque decorrerá no espaço digital, YouTube da Antena 3, mas com muito e bom material sonoro. Deste modo, o inusitado encontro entre guitarristas que, normalmente, decorre no interior do combatente Alentejo abre-se ao mundo digital a partir de 7 de Maio pelas 21h30 com o par Tó Trips-Filho da Mãe e assim continuará nas semanas seguintes com Bruno Pernadas-Mário Delgado (14), Peixe-Frankie Chavez (21) e O Gajo-Gwenifer Raymond (28).

Guitarras ao Alto, o nosso coração está em vós:

ReWild respira natureza
· POR Fernando Gonçalves · 04 Mai 2020 · 19:25 ·


Retomar, reactar, reconectar. O que têm em comum estas três palavras? Todas elas levam-nos a algo que, ou já nos pertenceu, ou que deixamos esquecido num qualquer canto da nossa existência e que, agora, queremos voltar a experienciar. Com tudo isto em mente e um par de beats prontos a saírem-lhe das pontas dos dedos, o Dr. Hélder José Martins aka ReWild (ele vai perdoar-nos a parte do Dr.) transformou toda esta metafísica dos costumes numa ode à razão prática que dá pelo nome de “Respira”.

Single de estreia do produtor portuense, o mui chill “Respira” é, nas palavras de ReWild, e apesar dos tempos de isolamento que vivemos, “uma mensagem de interconexão” que nasce da percepção de que uma “ilusória ideia de separação entre Homem e Natureza” se apoderou da espécie humana fazendo-a esquecer-se dos laços ancestrais que a ela nos ligam.

“Agora é tempo de puxarmos a cassete atrás e tentarmos restabelecer os laços perdidos para que possamos construir um melhor futuro para todos”, conclui o produtor português ReWild.

Criado, mixado e masterizado por ReWild, “Respira” conta com a colaboração de Ruben Mauro na guitarra e é o primeiro single de um EP que verá a luz do dia daqui por uns meses. Sem mais delongas, eis a estreia de ReWild com “Respira”:

ARQUIVO

Parceiros