DISCOS
Ras
Rhythmic Altered State
· 04 Jan 2003 · 08:00 ·
Ras
Rhythmic Altered State
2002
Sonar Kollektiv


Sítios oficiais:
- Ras
- Sonar Kollektiv
Ras
Rhythmic Altered State
2002
Sonar Kollektiv


Sítios oficiais:
- Ras
- Sonar Kollektiv
Há uma verdade indesmentível e sintomática sempre que surge o título deste disco: a quebra de fronteiras e barreiras através da música. E não falo de barreiras "reais", falo de uma certa curiosidade/movimentação que os músicos europeus, habituados a estar fechados no velho continente, têm tido por outras culturas, línguas e músicas. O relacionamento de ambos os universos já se diz gasto por alguns, mas a verdade é que o termo "fusão" é hoje utilizado para classificar grande parte da música que se faz por aí. De tanto utilizado, muitos começam a vê-lo como terreno perigoso, e quando a palavra "popular" se esboça no horizonte, há um certo tipo de público e crítica que se afasta para não ser confundida com o termo. Rhytmic Altered State" de Ras é um disco de fusão. Fusão de África com Europa, de jazz com reagge/dub, de funk com hip hop. O resultado é notável, e poucas foram as vezes que vimos estes ambientes misturados de forma tão genuína, leal e única. Ras pode não ter o termo "popular" arrastado a si, mas com este disco vai ser difícil não se dar por Robert Gallic (basta olhar para as tabelas dos melhores discos de 2002 para o perceber).

Ao vivo são cerca de dez músicos, e isso chega para perceber que os concertos devem ser muito "electrizantes" para quem se encontra fora do palco. Se isso não chegar, o termo "Rhytmic Altered State" (primeiro adoptado como nome do disco e depois reduzido também para nome do projecto), serve para explicar muitas outras coisas. O que é o ritmo se não uma linguagem universal onde tudo vale? "A golden key to infinity", adoptando as palavras do jornalista musical Felix Fast quando questionado sobre o que seria a música sem ele.
Além da Alemanha (de onde é Robert Gallic) e África, uma cidade tem de surgir quando se fala do álbum: Nova York. É da grande metrópole americana que provêm dois nomes importantes que ajudaram a tornar este disco naquilo que é. Wunni escreveu e cantou o arrasador "Do Your Dance", um dos pedaços mais importantes do disco, e Salim Ajanku, participou nas percussões e cantou o tema hip hop "This is Hours". Nas participações podemos juntar ainda Vido Jelashe, nas vozes do dub "Areas of Perception", e Weird MC nas vozes de "P.A.C.".

O que mais surpreende durante a audição do disco é a multiplicidade de "coisas" e estilos por que passamos. Essa multiplicidade tem, no entanto, um denominador comum: a dança. Despertando todos os sentidos, acordando emoções escondidas, rebolando por entre uma "electro-orgânica de corpo e alma" que torna "Rhythmic Altered State" num álbum imperdível. Seja na utilização de uma corrente mais jazzy em "P.A.C.", seja na reinvenção do Hip Hop em "This Is Ours", seja na utilização da dança "normal" em diversos outros temas.

Os sons contagiam pela positiva, fazem apetecer dançar e abanar o corpo. Mudam-se algumas fórmulas, repetem-se alguns conceitos, cruzam-se influências e estilos e desbravam-se fronteiras. Fica um disco para a história, "Rhythmic Altered State" e um nome a não esquecer: Ras.
Tiago Gonçalves
tgoncalves@bodyspace.net
ÚLTIMOS DISCOS
Postcards
The Good Soldier
· POR Paulo Cecílio ·
Globalização.
ÚLTIMAS

Parceiros