Noites Ritual Rock 2004
Porto
27-28 Ago 2004

28/08

Para o segundo e último dia das Noites Ritual Rock 2004, o Palco Ritual trocou os "cantautores" pelo hip-hop e o palco principal recebeu os X-Wife, a banda de João Vieira, autores de Feeding The Machine, álbum de estreia. Guitarras estridentes, caixas de ritmos, ruidosas linhas de baixo, teclados musculados e falsetes. A música dos X-Wife é barulhenta e repleta de glamour. “New Old City”, “Fall”, “Second Best”, “Clinic” e a inevitável “Rockin' Rio” foram alguns tos temas apresentados por João Vieira, Rui Maia e Fernando Sousa. Comparam-nos a bandas como os Rapture, os Rádio 4 ou os Liars, mas é à new wave e ao pós-punk que mais influências se notam. Os X-Wife sabem o querem e nada parece impedir que o consigam. O culto aumenta de dia para dia e com ele, os pins, as roupas de cores vivas e fluorescentes e a devoção ao amarelo e preto (presença constante nos flyers, nos pins e nas capas dos discos dos X-Wife). O próximo álbum está prometido para breve – durante a actuação apresentaram inclusive uma nova canção intitulada “Hot Shot” - e há que alimentar a máquina.
NBC, Matozoo
Mal acabara a actuação dos X-Wife e NBC já disparava algumas batidas de hip-hop e rimas destemidas. O autor de Afro-Disíaco remexeu as entranhas, pôs uma grande porção da plateia a mexer e avisou que embora se pense que o hip-hop é coisa para putos, ele próprio vai celebrar trinta anos em breve. Gritou pelo Porto, gritou por Lisboa e prometeu voltar aqui em breve para um concerto mais longo e dedicado. Alguns temas dos Blunder depois – incluindo a inenarrável versão de “Blister In The Sun”, um original dos Violent Femmes -, e de volta ao palco “emprestado” ao hip-hop, os Matozoo preparavam-se para uma infelizmente curta actuação. Martinez comandou o quinteto de MCs por temas como “Formula” – que às tantas, no seu refrão, viu a palavra “fórmula” ser repetidamente substituída por “caralho” – e a fantástica “Cancelem o Apocalipse” (“Cancelem o apocalipse, ele não vos merece / Tu é o vírus que o esmorece / E Tu? / Eu não, eu falo com Deus na boa / Trato-o sempre na primeira pessoa”) atravessada por beats fortes e rudes e ambiências de consternação. Perto do palco, três jovens faziam coreografias break dance na terra; quem corre por gosto não cansa. Martinez acabou por soltar um sonoro “caralho” ao comercialismo e, ao que parece, Matosinhos esteve representado em peso nas Noites Ritual Rock – pena a curta duração da actuação.
É certo e sabido que não é fácil ser o front man de uma banda quando nela reside o fantasma da presença de outro vocalista – muito menos de um vocalista com a presença em palco de Rui Silva. Independentemente disso, João Fino, a nova voz e alma dos Zen, é um front man à altura da atitude destes novos Zen. De The Privilege Of Making The Wrong Choice, o primeiro álbum que data de 1998, sobrevivem ainda canções como “Step On” – o tema que abriu a actuação - e “Not Gonna Give Up”, mas de "U.N.L.O." não restam quaisquer sinais de vida. Agora é tempo de assistir ao abrir do novo livro, que é como quem diz, de Rules, Jewels, Fools, o segundo álbum de originais dos Zen editado no decorrer de 2004. E dele saltaram temas como “Play It Fast”, “Harvey Keitel”, “Takin' Outside”, “Rules, Jewels, Fools” e ainda “The Old Great Billy Boy”, que contou com André Indiana na harmónica. Menos funk e mais rock numa actuação que conseguiu quase sempre conquistar a plateia.
Zen
Mão Morta
Ao observar os panos brancos que iam sendo colocados no palco principal, tornava-se óbvio que a actuação dos Mão Morta começaria com “Gumes”, o tema de 25 minutos que abre Nus, o último disco de originais da banda do carismático Adolfo Luxúria Canibal. “Gumes” é uma peça composta por vários andamentos que tocam diferentes mundos musicais. Num desses andamentos, Adolfo conta-nos: “Estou farto disto, não posso mais / Todos os dias passam iguais / Como um fantasma com escorbuto / Corro a cidade na busca de um xuto / Speed ou heroa, coca ou morfina / Tudo me serve como vacina / Desde que traga a santa narcotina / Furam-me os ossos, caem-me os dentes / Reflicto ao espelho sinais indigentes / Mas o pavor é da ressaca e da dor”. Ao contrário de alguns dos alinhamentos que os Mão Morta foram apresentando ao longo do ano, os Mão Morta trouxeram – à imagem daquilo que aconteceu em Paredes de Coura – uma setlist que incluiu alguns temas de discos mais antigos: “E Se Depois”, “Oub’lá”, “Budapeste” e “Em Directo (Para a Teelvisão)” – o seu refrão foi, como sempre, entoado em alta voz – apareceram antes de “Gnoma” (que não contou com a voz de Miguel Guedes, como acontece em Nus) e "Vertigem", dois temas incluídos no último disco de originais. “Lisboa”, “Vamos Fugir” e “Anarquista Duval” antecederam um encore que, por motivos de força maior, foi constituído apenas pela demolidora “Cão da Morte”. Não foi com certeza o melhor concerto de sempre dos Mão Morta, mas nem por isso deixou de ser o melhor de um festival que para o ano volta com outros nomes mas com o mesmo ritual.
· 27 Ago 2004 · 08:00 ·
André Gomes
andregomes@bodyspace.net
RELACIONADO / Clã
Discos
Lustro
2000
Ao Vivo
Clã
10 Mai 2004: Queima das Fitas, Coimbra
Discos
Nus
2004
Pesadelo Em Peluche
2010
Entrevistas
Revisitada
28 Fev 2011
Novos cantos do mal
03 Jun 2007
Ao Vivo
Festival Paredes de Coura 2004
17-/20 Ago 2004: Paredes de Coura
Festival Heineken Paredes de Coura 2007
13/14/15 Ago 2007: Paredes de Coura
Mão Morta / Smix Smox Smux
06 Mar 2009: Teatro Sá da Bandeira, Porto
Mão Morta
29 Abr 2010: Coliseu dos Recreios, Lisboa
Mão Morta
1- Nov 2014: Incrível Almadense
Mão Morta
28- Set 2019: Hard Club
Ao Vivo
Noites Ritual Rock 2005
26-27 Ago 2005: Jardins do Palácio de Cristal, Porto
Ao Vivo
Festival Santos da Casa - Nuno, Nico + Ovo
22 Abr 2004: Auditório do IPJ, Coimbra
Ao Vivo
Pluto
09 Dez 2004: Santiago Alquimista, Lisboa
Pluto + Terrakota
07 Out 2004: Universidade Nova, Lisboa
Ao Vivo
The Legendary Tiger Man
25 Dez 2005: Galeria Zé dos Bois, Lisboa
The Legendary Tiger Man
16 Dez 2005: Casa da Música, Porto
The Legendary Tiger Man
22 Set 2005: Blá Blá, Matosinhos
The Legendary Tiger Man / Calvin Johnson
20 Fev 2004: Teatro Académico Gil Vicente, Coimbra
Legendary Tiger Man
30 Set 2003: Teatro Académico Gil Vicente, Coimbra
The Legendary Tiger Man
29- Abr 2015: Sabotage Club, Lisboa
Entrevistas
O Rock veste-se de amarelo e preto
29 Abr 2004
Ao Vivo
X-Wife + Wraygunn
03 Jul 2004: Caldas de São Jorge
ÚLTIMAS REPORTAGENS
ÚLTIMAS

Parceiros