Super Bock em Stock 2010
Lisboa
3-4 Dez 2010
Domingo No Quarto
O segundo dia deveria ter arrancado com a actuação de Márcia na estação de metro do Marquês de Pombal mas, como esta se atrasou, fomos directos para o outro projecto da nova geração da música nacional que actuava uns minutos depois, os Domingo No Quarto. O projecto de Mariana Ricardo e Manuel Dordio apresentou na sala 2 do São Jorge as suas revisitações de clássicos do samba, dando nova vida a temas de Zé Keti ("Diz que fui por aí"), Martinho da Vila ("Disritmia"), Paulinho da Viola ("Argumento", versão muito interessante, com a guitarra de Dordio a improvisar às voltas do tema, enquanto a voz de Mariana se mantinha fiel à melodia) ou Cartola (o compositor mais representado). Como novidades, a dupla apresentou neste concerto a convidada Francisca Cortesão (AKA Minta, que na noite anterior também subiu ao palco com B Fachada) e Manuel Dordio aventurou-se pela primeira vez a cantar - pegou num tema popularizado por Jorge Veiga. Na mesma sala actuaria depois o lendário Marcos Valle, lenda da MPB, mas a sobreposição de horários impediu-nos de lá passar. NC

Domingo no Quarto © Sofia Ferreira

Nuno Prata
Começamos como começámos: com os Ornatos Violeta. Desta feita não em formato cover, mas em formato ex-membro que decidiu aventurar-se a solo. A apresentação de Deve Haver, mais recente trabalho de Nuno Prata, passou pelo Maxime com óptimos resultados; de "Um Dia Não São Dias Não" a "Se Acabou, Acabou" ou "Cala-te E Come", o ainda baixista, acompanhado por bateria e teclados, mostra um vincado sentido pop e uma enorme competência ao vivo. Destaque para "Nada É Tão Mau", que conseguiu arrancar aplausos de um público mais entretido em colocar a conversa em dia que ouvir o concerto em si, e "Alegremente Vamos Cantando E Rindo", espécie de jam Talking Heads. Bonito. PC

Junip
Apresentados como "a banda de José González", os Jupin não são na verdade de mais do que González + banda. Vocalista, guitarrista e figura em destaque, Gonzales, não anda longe daquilo que lhe conhecemos do seu trabalho a solo, indo por um caminho um pouco mais rock (mas não muito, apesar de tudo). A banda acaba de editar Fields, um adiado primeiro disco, e ao vivo na sala principal do São Jorge mostrou a sua folk rendilhada, exposta em bons momentos como "Always" - o aplaudido single. O público ficou convencido e conquistado (com excepção daqueles que não conseguiram entrar devido à lotação da sala). NC

Junip © Sofia Ferreira

Jono McCleery
Conversa de elevador: "então, os senhores vêm ver quem?" (silêncio) "AHAHA, pagam 40€ e nem sabem quem vêm ver?". Quem dizia que um ascensorista não tem sentido de humor? Não menos verdade que McCleery é ainda um desconhecido do público em geral - mas é dono de uma voz belíssima e autor de canções soul calmas, a meio caminho entre Gil Scott-Heron e José González (que até estava a tocar ali a dois passos). Quem teve a trabalheira de subir até ao terraço do Hotel Tivoli (claramente o recinto de mais difícil acesso) não terá ficado desiludido. E a julgar por "Garden", próximo single a ser editado em Fevereiro, não ficaremos desiludidos com ele em 2011. PC

Janelle Monáe © Sofia Ferreira

Janelle Monáe
Já se sabia que era a grande atracção do festival, já se sabia que o disco é incrível e vai trepar os tops, mas não se imaginava que a festa fosse tão grande. Acompanhada por uma verdadeira máquina profissional, a princesa Janelle levou ao Tivoli um fabuloso espectáculo de R&B, soul, funk e groove. As cadeiras só estavam a atrapalhar, durante o concerto ninguém se sentou e o público não hesitou a dançar freneticamente durante aquela hora bem medida de concerto. Não faltaram os temas do disco, mas a cantora também passou por uma bonita versão de "Smile" (original de Chaplin que já viu múltiplas interpretações, até de Michael Jackson), só voz e guitarra. Para o final ficaram guardadas as explosivas "Cold War" e "Tightrope" (nessa altura já perguntávamos, como o outro, "can we get much higher?"), e depois chegou o encore, ainda mais dançante: "Come Alive", com Janelle no meio do povo, final em absoluto êxtase. Parece que depois ainda havia mais qualquer coisa, mas depois de Janelle Monáe mais nada interessava. NC
· 06 Dez 2010 · 21:28 ·
Nuno Catarino e Paulo Cecílio
RELACIONADO / B Fachada
Discos
B Fachada
2009
Há Festa na Moradia
2010
Deus, Pátria e Família
2011
B Fachada
2011
Entrevistas
Gelado de Limão
15 Jun 2009
Ao Vivo
B Fachada / Kurt Vile & The Violators
9 Dez 2009: Frágil, Lisboa
Vashti Bunyan / B Fachada
13 Mai 2010: Lux, Lisboa
B Fachada
19 Set 2010: Clube Ferroviário, Lisboa
B Fachada
4 Abr 2011: Teatro Maria Matos, Lisboa
Etc.
Tradição Oral Contemporânea [DVD]
2008
Entrevistas
Samba no parque
21 Out 2010
Discos
The Electric Lady
2013
Entrevistas
Trágico Comediante
19 Jan 2011
Ao Sabor dos Dias
22 Fev 2006
Ao Vivo
Nuno Prata / Josh Rouse
17 Dez 2004: Fórum Lisboa, Lisboa
Festival New Sounds of Portugal
18 Set 2004: Parque Palmela, Cascais
Ao Vivo
Owen Pallett
10 Mar 2010: Teatro Maria Matos, Lisboa
Discos
Pré-Histórias
1972
Ligação Directa
2006
Ao Vivo
Sérgio Godinho
07 Dez 2006: Casa da Música, Porto
Sérgio Godinho
16 Mai 2007: Teatro Maria Matos, Lisboa
Sérgio Godinho
12- Abr 2014: Teatro São Luiz, Lisboa
Discos
Life Sux EP
2011
Afraid Of Heights
2013
Discos
Versions
2013
Entrevistas
Sinfonia Desconcertante
09 Nov 2009
Ao Vivo
Zola Jesus
3- Nov 2015: Musicbox, Lisboa
Artigos
As dez melhores canções de sempre neste preciso momento #18 - Zola Jesus
25/01/2010
ÚLTIMAS REPORTAGENS
ÚLTIMAS

Parceiros