ENTREVISTAS
League
Transatlanticismo
∑ 12 Jul 2012 ∑ 00:47 ∑
Primeiro foi o EP Golden Maps em Novembro do ano passado, depois o EP How do I know de Abril deste ano. Entre Londres, Portugal e a Calif√≥rnia, os League foram-se apresentando, conquistando terreno, apurando a est√©tica e apontando baterias para chegar a cada vez mais ouvidos. A colabora√ß√£o transatl√Ęntica entre Jorge Ribeiro e Jos√© Tornada explora o lo-fi em can√ß√Ķes que remetem obrigatoriamente para o Ver√£o e para outras d√©cadas. Ainda em 2012, contam lan√ßar um terceiro EP que servir√° de aperitivo para um disco que dever√° chegar em 2013 e que deve tirar a limpo a capacidade destes League de atingir voos mais altos. A prop√≥sito do concerto que dar√£o no Milh√Ķes de Festa, e de temas v√°rios, fomos falar com os League naquela que √©, a acreditar nos mesmos, a primeira entrevista escrita em Portugal que a dupla deu at√© hoje.
A vossa história é bem porreira. Foi preciso irem para Londres para se fazerem ouvir em Portugal? Contem-nos tudo…

Jorge Ribeiro: De certa forma ajudou, mas na altura em que viemos a Portugal nem sequer mencionamos o facto de estarmos a viver em Londres, lembro-me que repararam em nos pela sonoridade, pelo som em si ser t√£o internacional.

O que é que andam a fazer em Londres mais propriamente?

Jos√© Tornada: Agora n√£o estamos sempre em Londres, repartimos o tempo entre Londres, Portugal e a Calif√≥rnia. Estamos a preparar o pr√≥ximo EP, o terceiro, e estamos em fase de grava√ß√Ķes essencialmente e team building nos USA. Todo o resto do tempo √© passado em reuni√Ķes chatas e a experimentar todos os fish and chips de Londres quando la estamos, √© um objectivo nosso!

O que é que esperam que Londres faça pelos League?

Jorge Ribeiro: Nada! A quest√£o √© o que e¬ī que os League v√£o fazer por Londres, carago!


Falem-nos do EP How Do I Know. O que é que precisamos de saber sobre ele?

Jos√© Tornada: Esse foi o nosso segundo EP no Bandcamp: o EP nacional pela Optimus Discos re√ļne os temas do How do I know e do nosso primeiro EP, Golden Maps. E chama-se mesmo Golden Maps.

Foi mais fácil sacar cá para fora este EP em comparação com o primeiro? Ou foi simplesmente diferente?

Jorge Ribeiro: Sim, completamente, este foi feito de uma forma muito mais natural e intuitiva. No primeiro ainda perdemos algum tempo a tentar encontrar uma certa f√≥rmula para a est√©tica sonora, houve varias pr√©-vers√Ķes das m√ļsicas que foram evoluindo ate chegar a sonoridade de musicas como a "Golden maps".

Est√° para breve o disco de estreia ou ainda demasiado cedo?

José Tornada: Estamos à espera do lançamento físico, nos Estados Unidos e Austrália, de um terceiro EP ainda este ano. O álbum será para 2013, e irá reunir provavelmente musicas novas e musicas dos três EPs.

Parece que o SXSW reparou em vocês. A partir de agora o céu é o limite?

Jorge Ribeiro: Não. O SXSW não repara em bandas. Licenciaram-nos um tema para um vídeo promo deles. Para uma banda ter buzz ou hype no SXSW é preciso muito trabalho, team building, dedicação, etc. Estamos a trabalhar.

J√° deram muitas entrevistas?

José Tornada: De emprego sim, já entrevistamos vários técnicos de som, vários baixistas e bateristas e contratamos um ou outro. [risos] Também já fomos a muitas entrevistas de emprego na Adecco. Agora a sério, demos algumas entrevistas para rádios locais enquanto estávamos em Londres, e algumas para blogues. Em Portugal estamos a começar a dar algumas também, principalmente rádios. O Bodyspace é a nossa primeira entrevista escrita em Portugal!


J√° repararam como √© imposs√≠vel dizer palavr√Ķes em portugu√™s no metro de Londres sem que algum portugu√™s se acuse?

Jorge Ribeiro: Já!! Aconteceu-nos pelo menos três vezes desde que estamos aqui, numa dela estávamos a dizer coisas não muito simpáticas sobre o senhor que no fim se despediu de nos com um "então boa tarde"...

J√° alguma vez foram ao Milh√Ķes de Festa ou esta vai ser a vossa estreia?

José Tornada: Estreia. E também nunca fomos a nenhum festival como espectadores, só ao festival de marisco de Olhão, a Fatasil de Silves, feira de gado bovino...

Qual é a vossa liga favorita?

Jorge Ribeiro: Qualquer uma que esteja nas pernas de uma mulher bonita.
André Gomes
andregomes@bodyspace.net

Parceiros