DISCOS
Casiotone for the Painfully Alone
Vs. Children
· 04 Mai 2009 · 18:26 ·
Casiotone for the Painfully Alone
Vs. Children
2009
Tomlab / Flur


Sítios oficiais:
- Casiotone for the Painfully Alone
- Tomlab
- Flur
Casiotone for the Painfully Alone
Vs. Children
2009
Tomlab / Flur


Sítios oficiais:
- Casiotone for the Painfully Alone
- Tomlab
- Flur
Owen Ashworth cumpre a lei miserável das suas canções, num disco que romantiza o risco dos que assaltam para se sentirem jovens.
É evidente o compromisso num nome como Casiotone for the Painfully Alone. Se, por esta altura, o capitão-neura Owen Ashworth adoptasse a alegria como palete para as suas canções, ficava atraiçoada uma reputação. Que sinfonias de bolso fariam então companhia aos dolorosamente sós? Sem enganar, Vs. Children retém todo o carisma miserável que importa encontrar numa desventura de Casiotone for the Painfully Alone. Uma vez mais (a quinta), Owen Ashworth decora a sua toca com os adereços habituais: em parte bem visível, lá está o tom de voz normalmente reservado a telefonemas dirigidos a familiares que preferiríamos evitar. A tapeçaria, por sua vez, faz-se com as malhas de um tédio, que pertence às tardes de Domingo e aos piores episódios das séries favoritas. Os instrumentos ressentem-se do torpor instalado e o que escutamos são os beats arrastados e os teclados, que cortaram por último a meta de uma corrida vencida pelo adversário mais enérgico e optimista. Ou seja, a triste sina repete-se, e Vs. Children é mais um disco de quem está nas lonas para quem está nas lonas.

Contudo, Vs. Children não é apenas mais um disco - nem que seja pelo conceito que o isola. Desta vez, Owen Ashworth decidiu conceber um reino teatral, em que os bandidos capazes das maiores golpadas são geralmente os mais desastrosos no seu amadurecimento ou na protecção de crianças metafóricas (interiorizadas ou ainda por nascer). Não é preciso procurar muito para encontrar nestas canções alguns dos “falhados”, que reconheceríamos imediatamente num filme dos irmãos Coen. Com as suas histórias calibradas pela soma que une “crime” e “bebés”, Vs. Children pode até ser o Arizona Junior de Casiotone for the Painfully Alone. Falta-lhe o bigode de Nicolas Cage.

A verdade é que um ladrão “falhado” necessita apenas de um incentivo menor para vestir as luvas. Sensível a isso, Vs. Children move os seus protagonistas com lengalengas melódicas e marchas clássicas (“When The Saints Go Marching In”), ou, se preferirmos, com canções-padroeiras para gente à margem da lei (ou dos encargos adultos). Owen Ashworth sente-se cúmplice. Também ele está condenado a mais quatro ou cinco álbuns deste porte pelo crime de ser igual a si próprio. Como o escorpião nas fábulas, Casiotone for the Painfully Alone termina por obedecer à sua natureza. A moral é a do escorpião:Se sabias à partida que seria miserável e estupidamente melancólico, Vs. Children é o veneno que te reservo. Au.
Miguel Arsénio
migarsenio@yahoo.com
RELACIONADO / Casiotone for the Painfully Alone
Entrevistas
Sair da toca em quatro tempos
29 Mai 2006
ÚLTIMOS DISCOS
2 Chamadas Não Atendidas
2 Chamadas Não Atendidas
· POR Paulo Cecílio ·
'Tou sim?
ÚLTIMAS

Parceiros