CAN«’ES
"Black Hole"
The Legendary Tigerman
∑ 12 Abr 2018 ∑ 23:54 ∑


Um gajo ouve a malta dizer que o rock está morto e nem parece que o Tigerman lançou um disco novo este ano. Ah, espera: lançou mesmo. Misfit não tem colhido grandes críticas por parte das gentes interessadas (a mais acerba foi, como é seu apanágio, a d'O Gato Mariano), e talvez seja esse um sintoma de cansaço (o disco foi anunciado e apresentado o ano passado, houve snippets no Spotify, etc. etc.), mas a verdade é que, quer isso doa a alguns ou não, é provavelmente o melhor álbum do Homem-Tigre desde Masquerade, de 2006 (ainda hoje a sua obra-prima, e até vou meter mais uns parêntesis (Femina era aborrecidíssimo e True apenas ligeiramente melhor)).

Para isso em muito contribui esta mesma "Black Hole", uma rockalhada à antiga que parece estar constantemente no fio da navalha, um blues de libertação agonizante em que o Homem (não-Tigre, Homem de Humanidade) parece estar num diálogo aceso com o seu Criador, em busca de um qualquer sentido que nos valha pachorra para sobreviver mais um dia que seja neste planeta infecto.

Sabemos ao que vamos quando o volume é máximo logo ao primeiro segundo, só amenizando ligeiramente apenas para poder regressar em força logo a seguir. É enormíssima, pois claro. O rock o quê? Sabem lá vocês do que falam.

Paulo Cecílio
pauloandrececilio@gmail.com

Parceiros