CAN«’ES
"Losing you"
Solange
∑ 03 Out 2012 ∑ 16:09 ∑


Desde sempre o elo mais excêntrico da família Knowles, a Solange sempre aparentou estar muito pouco preocupada em seguir na sombra da irmã Beyoncé, traçando um caminho bem singular, imune a quaisquer pressões de sangue que se pudessem intrometer. Pode-se pensar nela como o elemento indie da família, que por entre versões de Dirty Projectors e malhas que samplavam Boards of Canada, nunca chegou a ser aquela indie darling que isso poderia implicar – acabando, ao mesmo tempo, por se alienar de quaisquer pretensões mainstream em grande escala. Até porque, e apesar dessas conotações, sempre persistiu um lado bem classicista em canções como “Sandcastle Disco” que nunca enjeitariam àqueles para quem o R&B pouco vai além do futurismo de alguém como a Kelis circa Kaleidoscope. Tendo em conta o fracasso comercial de Sol-Angel and the Hadley St. Dreams o aparecimento de “Losing You” poderia ser algo surpreendente, não fosse o caso do R&B estar a viver uma fase de crescente independência das grandes editoras – pense-se em casos recentes como o Miguel ou a Dawn Richard -, permitindo aos artistas irem criando o seu próprio buzz sem grandes pressões externas, em contracorrente com um género que já teve melhor vida nos topes. Produzida pelo Dev Hynes de “Everything is Embarassing” e ex-Test Icicles, “Losing You” traz alguns flashbacks dos anos 80, sem fazer disso uma arma de arremesso. A entrada da voz sobre aquele sintetizador planante tem qualquer coisa do breakdown da “Like a Prayer” da Madonna, mas na generalidade persiste o aroma vagamente tropical de uma batida que não segue a via do postal turístico, nem da aculturação brute force. É uma canção linear, sem desvios nem surpresas, mas que se sustenta imaculada nessa mesma condição. É algo para rodar muitas vezes e que com audições repetidas poderá vir a perder esse encanto. Mas por ora, deixa no ar a ideia de que o anunciado álbum da Solange em colaboração com o Hynes pode ser melhor do que a sugestão óbvia. E é óbvio que se torna difícil não gostar desta canção – e da Solange – com um vídeo onde ela não tem quaisquer receios em parecer ridícula a dançar. Adorável, em todos os sentidos.

Bruno Silva
celasdeathsquad@gmail.com

Parceiros