Anthony Strong / Cl√°udia Franco
Centro Cultural de Belém, Lisboa
27- Mar 2015
O grande auditório do CCB encheu-se para acolher o cantor/pianista/entertainer Anthony Strong, a granjear uma enorme fama por estes lados. Na primeira parte actuava a cantora Cláudia Franco, apresentando o seu disco de estreia, Soul Dance, ainda fresco. Apoiado pela Smooth FM, dificilmente se poderia esperar concerto mais “smooth” do que este.

O espectáculo arrancou com Cláudia a interpretar um belíssimo tema de Tom Jobim, “É preciso dizer adeus”. Contudo, problemas técnicos (ligados à amplificação da voz) levaram a que o espectáculo fosse interrompido logo após essa primeira música. A pausa demorou mais de meia hora, deixando o público desconfortável, ficando mesmo na dúvida se o concerto iria continuar. Ultrapassado o problema, a jovem cantora portuguesa regressou ao palco e afirmou-se como uma boa revelação. Aliada a uma voz bonita e sedutora, Cláudia mostrou uma interpretação capaz.

A cantora esteve acompanhada com alguns dos melhores músicos da cena jazz nacional: Rui Caetano no piano, João Custódio no contrabaixo e Pedro Felgar na bateria. A estes juntaram-se dois convidados especiais: Bruno Santos com a sua guitarra acetinada e Ricardo Toscano com o seu saxofone enérgico. A cantora passou por standards como “The boy next door”, “Night and day” ou “Day in, day out” e, apesar das dificuldades técnicas que perturbaram a actuação, Cláudia Franco deixou boas indicações no ar.

Chegou depois a vez de Anthony Strong e assim que o inglês entrou em palco percebeu-se que a plateia já estava conquistada à partida. Strong atacou “They can’t take that away from me” e a partir daí foi desfilando êxito atrás de êxito. Apesar de irem surgindo alguns originais, a maior parte do repertório estava assente em clássicos como “DeLovely”, “Cheek to cheek” ou “When I fall in love”. Com a sua voz impecável e a dominar o piano com grande à vontade, Strong foi controlando a sala tranquilamente, com o seu estilo/pose à là Barney Stinson.

Anthony Strong e Cláudia Franco

Pelo meio do espectáculo Strong chamou a cantora portuguesa ao palco. Se Cláudia já partilhado o palco com o cantor/entertainer Alexander Stewart no festival Caldas Nice Jazz 2014 (a primeira vez que a vimos), voltou no CCB a fazê-lo, cantando em duo com Anthony Strong a balada “But not for me”, tema popularizado por Chet Baker. Strong guardou para o final os seus temas mais fortes – como “Witchcraft” e “Too darn hot” (aquela música que faz referência ao histórico “Kinsey report”) – e voltou ainda para os encores. Profissionalismo impecável, quase a fazer esquecer todo o marketing ao redor.
· 30 Mar 2015 · 23:56 ·
Nuno Catarino
nunocatarino@gmail.com

Parceiros