Atillla
Musicbox, Lisboa
13- Fev 2015
O mote era V, óptimo disco que, como o título indica, é o quinto de ∆TILLL∆, nome pelo qual Miguel Béco de Almeida é mais conhecido. Perante um Musicbox em que estavam sobretudo amigos e conhecidos, o músico portuense desfilou os temas do álbum que o tornou um household name no que à electrónica negra e pesada diz respeito: com um toque de improviso aqui e ali, decerto, mas conseguiríamos reconhecer estes temas em qualquer lado. Os abismos atraem-se, ao que parece.

 © Rita Sousa Vieira

Começa-se então em câmara lenta, à espera do abutre que venha devorar a carne ainda mal putrefacta; drone fincado até entrar o ritmo, que se vai alterando consoante o estado de espírito, a densidade a aumentar, a gravidade da sala a impelir-nos para o chão. Se em disco é assombroso, ao vivo ∆TILLL∆ transfigura-se: ora corremos as veias com a ponta dos dedos à procura de uma abertura/libertação ora entregamo-nos à ginga nos momentos mais EBM (não, não é com "D"). É verdade que para a experiência ser completa só faltou a voz que dá vida ao "Homem", mas não se pode pedir muito mais. Durante quarenta minutos, a capital ficou a conhecer o peso da Nortada.

 © Rita Sousa Vieira
· 16 Fev 2015 · 23:50 ·
Paulo Cecílio
pauloandrececilio@gmail.com

Parceiros