Egberto Gismonti
Casa da Música, Porto
06- Mar 2014
Egberto Gismonti, uma das figuras centrais da música brasileira das últimas décadas, regressou a Portugal para encontrar, pelo menos no Porto, uma casa bem cheia. O que prova que o brasileiro está longe de estar ausente da memória do público português, mesmo sem ter editado um disco em tempos recentes (o último foi Saudações, em 2009). A ver pela calorosa recepção na Casa da Música, parece ser seguro dizer que esta não é a última página a ser virada em território português.

© João Messias/Casa da Música

O concerto de Egberto Gismonti dividiu-se em duas partes bastante distintas: na primeira o brasileiro concentrou-se na música escrita e interpretada para a guitarra, na segunda entregou-se às criações no piano. Em ambas, muito para além da técnica, impressiona a beleza das suas composições, o seu perfume brasileiro, a sua intemporalidade. E depois, claro está, impressiona o seu virtuosismo.

© João Messias/Casa da Música

Apesar de ser mais conhecido enquanto guitarrista, Egberto Gismonti assinou uma interessantíssima segunda parte ao piano, com o mesmo número de momentos altos. Na guitarra ou no piano, Egberto Gismonti é o mesmo compositor, o mesmo intérprete, o mesmo criador. A resgatar clássicos do passado ou a mostrar temas mais recentes, anulando amuitas vezes as distancias entre alguns momentos da sua longa carreira, Egberto Gismonti foi notável.
· 12 Mar 2014 · 00:58 ·
André Gomes
andregomes@bodyspace.net

Parceiros