Dirty Beaches
Galeria Zé dos Bois, Lisboa
27- Jul 2013
Há dois anos, em Julho de 2011, Dirty Beaches mostrava-se ao mundo com dois singles estranhamente bem sucedidos e um álbum fresquinho. “True Blue” e “Lord Knows Best” ganhavam visualizações no Youtube, o disco Badlands tinha acabado de sair do forno. Alex Zhang Hungtai apresentava-se sozinho no palco da ZDB e no dia seguinte seguiria até Barcelos, para actuar num palco secundário do Milhões de Festa. Dois anos passados o panorama mudou ligeiramente. Drifters/Love Is The Devil é o novo álbum fresquinho e além da Zé dos Bois Hungtai passou pelo Milhões, mas desta vez o disco é mais ambicioso e a apresentação ao vivo já não é a solo, mas em trio.

© Vera Marmelo

O duplo álbum Drifters/Love Is The Devil acabou por concentrar a maior parte da atenção, como se previa, e Alex foi apresentando temas que já tiveram tempo para ganhar alguma rodagem. Alex Zhang Hungtai já não é apenas o rei do karaoke de Elvis com mais estilo, já tem bem definido o seu próprio caminho. Agora já não precisa de fazer tudo ao mesmo tempo (microfone, guitarra, samples), deixa a maquinaria electrónica para os seus novos sócios - Bernadino Femminielli e Shubayan Roy. Sobra espaço para uma performance mais intensa, para uma expressividade mais física.

© Vera Marmelo

Não faltaram as canções dilaceradas do disco novo e pelo aquário passaram “I dream in neon”, “Casino Lisboa” (ponto alto do disco, com enganador título relativo ao casino macaense), “Au Revoir Mon Visage” e “Mirage Hall”. O arranque soou algo morno, mas a actuação evoluiu num crescendo. O concerto acabou por soar curto (cerca de uma hora). Mas as novidades bastaram para deixar o povo feliz e Hungtai só pôde abandonar o palco depois do obrigatório encore.

Na primeira parte actuaram os espanhóis Siesta!, que fizeram um interessante aquecimento com o seu pós-kraut à valenciana.
· 01 Ago 2013 · 08:59 ·
Nuno Catarino
nunocatarino@gmail.com

Parceiros