Efterklang
Hard Club, Porto
30- Abr 2013
A certa altura do concerto no Hard Club, os Efterklang lembram uma espécie de Steve Reich da música pop. Se ainda estão aí, passo a explicar. Há na banda dinamarquesa uma certa erudição na forma como constroem as suas canções que os torna numa banda especial. Os Efterklang são uma banda pop mas não são uma banda pop qualquer. E a classe com que passearam as suas canções na sala pequena do Hard Club foi algo digno de se ver.

© Angela Costa
© Angela Costa
Ajudou certamente terem percorrido quase na totalidade o último disco, o melhor que lançaram até à data. Piramida é ao vivo tão luxurioso quando o é em disco. Em concerto, canções como “Sedna” ou “Hollow Mountain” não só fizeram justiça às suas gravações como ainda conseguiram superar as melhores expectativas. A espaços, o deslumbramento foi a única reacção possível perante a dimensão da beleza produzida em palco.

© Angela Costa
© Angela Costa
Em palco estiveram seis músicos – seis enormes músicos. E durante hora e meia o mundo parou todo para os ver. Nada mais parecia interessar. Nem era preciso terem terminado o concerto longe dos microfones numa inesperada investida ainda mais intimista que o habitual. Os Efterklang estiveram sempre a vencer. Se todas as bandas pop fossem assim a dita cuja não tinha tamanha má fama. O mundo precisa definitivamente de mais bandas como esta.
· 03 Mai 2013 · 01:26 ·
André Gomes
andregomes@bodyspace.net

Parceiros