Lightning Bolt - Festival Sinsal
Auditório M.A.R.C.O., Vigo
24 Nov 2008
A sala não estava cheia mas aqueles que marcaram presença no auditório do M.A.R.C.O. – o Museu de Arte Contemporânea de Vigo – contribuíram para um estranho sentimento antes mesmo dos Lightning Bolt não-subirem a palco – que com eles não há cá palco nem meio palco (estrado). Esse sentimento era de uma clara inquietação, um quase-medo e nervosismo que foi aumentando à medida que Brian Chippendale e Brian Gibson iam ligando os pedais e as máquinas, preparando para aquilo que se sabia ser um ataque à larga escala. Mas até que medida e com que força é que esse ataque se consubstanciaria, era a dúvida de todos. Tanto daqueles que se iam preparando com algodão e tampões para os ouvidos, como aqueles que se preparavam heroicamente para levarem com o som todo como gente grande.

E depois eis que a brutalidade começa de repente, pondo fim a uma ansiedade colectiva. Não há barulho por barulho. Há malabarismos sónicos, contorções sonoras, descargas absurdas e ganchos inimagináveis. Os Lightning Bolt não são meia bola em força porque são bola em força inteira. Mas com técnica e know-how - imagine-se que eles até citam Philip Glass e Sun Ra como influências na composição. Brian Chippendale e Brian Gibson na brutalidade e na confusão são excelentes músicos e lançam desafios aos ouvidos de cada um: ao público e entre eles. Não é raro o entendimento entre um e outro Brian: a comunicação – nem que se faça através do olhar – é o torna tudo coeso, tudo tenso e escorreito. Tudo aquilo que nos venderam como sendo verdade no DVD The Power of Salad & Milkshakes é realmente a mais pura das verdades.

Não houve “Ride the Sky”, é certo. Mas houve “Dracula Mountain” e espancamentos vários de Brian Chippendale na bateria e fúria na voz; houve todo o poder que se esperava no baixo do outro Brian, o Gibson. Houve músculo e nervo, houve reviravoltas espantosas, exagero decibélico, drama, emoção e violência. Houve tudo aquilo que devia haver num concerto rock. Houve noise mas também punk, espasmos hardcore, rock ‘n’ roll. E houve, sem dúvida, um duo capaz de colocar Vigo, naquele momento, no topo das cidades mais perigosas da Península Ibérica. Um concerto de Lightning Bolt é tudo aquilo que se espera e deseja de um concerto dos Lightning Bolt: uma explosão sonora incomparável e inconfundível.
· 25 Nov 2008 · 23:21 ·
André Gomes
andregomes@bodyspace.net

Parceiros