DISCOS
Kanye West
Late Registration
· 21 Nov 2005 · 08:00 ·
Kanye West
Late Registration
2005
Roc-A-Fella


Sítios oficiais:
- Kanye West
- Roc-A-Fella
Kanye West
Late Registration
2005
Roc-A-Fella


Sítios oficiais:
- Kanye West
- Roc-A-Fella

INSCRIÇÃO TARDIA

Argumento para curta-metragem de Rodrigo Nogueira, numa livre adaptação de um disco de Kanye West.

CENA 01 | EXT. CAMPUS UNIVERSITÁRIO – DIA

   Um JOVEM NEGRO, careca e com cara de miúdo, está a sair do campus.

   JOVEM NEGRO (virando-se para trás)
   Não preciso desta merda, vou-me embora.

   Volta a sair do campus, enquanto se ouve "College", dos Animal Collective, onde se canta "You don't have to go to college".

   CORTA PARA:

CENA 02 | INT. ESTÚDIO DE GRAVAÇÃO – DIA

   O JOVEM NEGRO está sentado numa CADEIRA em frente a uma MESA DE MISTURA. Ouvimos umas batidas de hip-hop. A sua cara está diferente, o seu maxilar está afectado e a sua cara parece mais velha. Na parede há um RELÓGIO que marca 3 horas. Batem à porta. Entra um TIPO BRANCO, com cabelo desgrenhado e com ar de trintão.

   TIPO BRANCO
   Posso entrar, Kanye West?

   KANYE WEST
   Sim, Jon Brion, entra, por favor.

   JON BRION
   O que é que se passa, meu?

   KANYE WEST
   Estou a concentrar-me no meu novo trabalho, Jon.

   JON BRION
   Mas porquê, Kanye? Se lançaste o teu primeiro, o College Dropout, no ano passado...

   KANYE WEST
   Não percebes? Sabes, Jon, é que o meu ego cresceu brutalmente neste último ano. Para além disso, tenho novas ideias musicais para escoar e um disco do Common não é o suficiente. Também quero fazer coisas diferentes. Queres trabalhar comigo ou estás a fazer alguma banda-sonora agora?

   JON BRION

   Claro que sim, desde que me pagues imenso.

   KANYE WEST
   Por alguma razão eu sou o Louis Vuitton Don...e não é por ser francês...OK, vamos trabalhar juntos. Tens aí o número do Just Blaze?

   JON BRION
   Não, porque é que havia de ter?

   KANYE WEST
   Afinal tenho eu. Vou-lhe telefonar...[tira um TELEMÓVEL do bolso] Estou? Just? 'tá-se, meu? Queres participar no meu novo disco? Em quanto tempo é que te podes pôr cá? Claro que te pago...muito.

   CORTA PARA:

CENA 03 | INT. ESTÚDIO DE GRAVAÇÃO – DIA

   Há uma CAIXA DE PIZZA vazia por cima da MESA e o relógio marca 5 horas. Batem a porta. Entra um JOVEM NEGRO com um blusão e um chapéu de basebol.

   JOVEM NEGRO
   Então, malta? 'mé'qu'ié? Kanye, Jon!

   KANYE WEST
   Ei, Just Blaze! Manda aí uma batida.

   JUST BLAZE
   Pá, 'tava aqui a pensar...e se pegássemos no "Move On Up" do Curtis Mayfield?

   KANYE WEST
   Isso seria como...tocar no céu. Já sei, vou escrever uma malha chamada "Touch the Sky". Boa, Just.

   JUST BLAZE
   Bem, agora tenho de me ir embora.

   Just Blaze sai de cena. Batem à porta. Aparece um JOVEM BRANCO vestido com uma camisa.

   JOVEM BRANCO (com uma voz irritante e aguda)
   Kanye! Adorava trabalhar contigo. Posso?

   KANYE WEST
   Claro, Adam Levine. Será um exercício difícil, mas se fiz com que o John Mayer não fosse uma merda no Be do Common, conseguirei fazer com que o vocalista dos Maroon 5 não seja uma trampa. Ouvi dizer...já sei, vamos chamar ao nosso tema "Heard'em Say".

   ADAM LEVINE
   "Nothing lasts forever but be honest, babe" Uau, não estou a ser uma merda. Obrigado, Kanye West.

   Adam Levine sai de cena. Batem à porta. Entra um HOMEM NEGRO e careca, com ar de trintão.

   HOMEM NEGRO
   Kanye! Como estás?

   KANYE WEST
   Jamie Foxx, parabéns pelo Óscar! Importavas-te de fazer de Ray Charles outra vez?

   JAMIE FOXX
   Não, nada. Bute, 'bora. Canto uma cena a cappella, pode ser?

   KANYE WEST
   Iá, e eu mando umas rimas sobre aquelas gajas que só casam pra ganhar dinheiro.

   JAMIE FOXX
   Pode ser, mas alguns parvos achar-te-ão misógino. Bom, vou-me embora.

   Jamie Foxx sai de cena. Batem à porta. Entra uma RAPARIGA NEGRA, com ar jovem e doce.

   RAPARIGA NEGRA
   Olá, eu sou a Brandy. Há uns anos tive um êxito chamado "The Boy is Mine" com uma tipa chamada Monica. Posso fazer parte do teu novo disco? Pago para entrar.

   KANYE WEST
   Pá...nem eu tenho o toque de Midas para fazer com que a Brandy não soe mal...mas se me pagares, é na boa. Tenho de pagar ao Bernie Mac para fazer aqueles skits sem piada e ele custa dinheiro. E ter um tema horrível dentro de uma hora e tal de disco não é assim tão mau. "Bring me Down", vá.

   BRANDY
   Obrigado, Kanye West, espero que isto reavive a minha carreira.

   A carreira de Brandy não é reavivada. Esta sai de cena. Batem à porta. Entra um HOMEM NEGRO, com uma aparência cuidada, uma boina, barba, uma camisa branca, uma gravata e um colete pullover verde.

   KANYE WEST
   Common, meu! Sempre a representar a Chi-City? Já não te via desde o Be. Pá, manda aí umas rimas, vou pegar num sample de um tipo a cantar "Home is where the hatred is" e cenas parecidas e só te vou dar 1 minuto e 43 para uma das melhores faixas deste disco, nem sei porquê.

   COMMON
   Por mim está na boa, vamos lá a isso.

   Common faz o seu trabalho. Sai de cena. Batem à porta. Entra um HOMEM BRANCO.

   HOMEM BRANCO
   Olá, eu sou o Paul Wall e sou o novo menino bonito do Dirty South.

   KANYE WEST
   Paul Wall, ficas com “Drive Slow”, homie, pode ser? Vai ser uma óptima malha.

   Paul Wall sai de cena. Toca um telemóvel. Kanye West tira o seu telemóvel do bolso.

   KANYE WEST
   O quê? A minha avó? No hospital? Vou já.

   CORTA PARA:

CENA 04 | INT. HOSPITAL – DIA

   Kanye West está em pé, a falar com uma ENFERMEIRA que está por detrás de uma secretária.

   KANYE WEST
   A minha avó está aqui, onde está a Mrs. West?

   ENFERMEIRA
   Tu és o Kanye West! Podes-me dar um autógrafo?

   KANYE WEST
   Puta, estiveste a fumar erva?

   CORTA PARA

CENA 05 | INT. ESTÚDIO – NOITE

   Jon Brion está a dirigir uma ORQUESTRA. Kanye West entra.

   KANYE WEST
   Ei, Jon. Tive uma ideia para um tema. Esses tipos da orquestra sabem cantar? Aconteceu-me algo muito mau no hospital...vai ser “Roses”. Espero é que a infeliz tirada que tive no hospital não seja tomada como misógina, mas aquela enfermeira merecia...

   JON BRION
   OK, malta, cantem em coro.

   A malta canta em coro. Batem à porta. Entram um HOMEM NEGRO e outro HOMEM NEGRO.

   KANYE WEST
   Olha o Nas e o Really Doe! Fogo...tenho aqui uns samples óptimos de uns metais...arranjo aqui uma voz cheia de soul e temos um tema sobre a faculdade. ‘bora?

   NAS, REALLY DOE (em coro)
   ‘bora!

   Nas e Really Doe saem de cena.

   CORTA PARA:

CENA 06 | INT. CORREDOR – NOITE

   Nas fecha a porta. Aparece um NEGRO CARECA.

   NAS
   Olá, Jay-Z.

   JAY-Z
   Olá, Nas. Esta cena de nos odiarmos é muito estúpida, não é? Eu tenho a Beyoncé, tu tens a Kelis, não podíamos estar mais felizes, concordas?

   NAS
   Acho que sim...ainda para mais, ambos odiamos o 50 Cent...

   JAY-Z
   Pá, daqui a uns tempos vou dar um concerto em Nova Iorque, declarar guerra ao 50. Gostavas de vir? Peço desculpa pelo “Takeover”, mas tens de perceber, o meu sonho era fazer um Illmatic.

   NAS
   Eu percebo...claro que apareço, tens é de me pagar. Quem é que vai mais?

   JAY-Z
   A malta da Roc-A-Fella, o próprio Kanye, o P. Diddy, etc. Vai ser uma cena à antiga.

   NAS
   O 50 Cent ‘tá fodido. Também vais participar no disco do Kanye?

   JAY-Z
   Claro, por alguma razão sou patrão dele...vou entrar. Fica bem, meu.

   Jay-Z abre a porta e entra no estúdio.

   CORTA PARA:

CENA 07 | INT. ESTÚDIO – NOITE

   KANYE WEST
   Jon, e se pegássemos no tema-título do Diamonds are Forever do 007? Aquele com a Shirley Bassey? Lembrei-me agora destes diamantes que tenho ao pescoço. Vêm de Sierra Leone. São putos que os “fazem”. Oh, meu Deus, é só contradições...o que é que eu faço, o que é que eu faço?

   Jay-Z entra no estúdio.

   JON BRION
   Podes fazer duas versões de um tema samplando a Shirley, pá. Olha, faz um remix que fale sobre o problema dos diamantes e depois convida o Jay-Z para rimar no final.

   KANYE WEST
   Boa, boa, vai ser do caraças.

   JAY-Z
   Obrigado por me terem consultado, malta. Mas ‘bora lá. Porque, acima de tudo, “I’m not a bussinessman, I’m a bussiness, man!”.

   KANYE WEST
   E se eu fizesse um tema para a minha mãe? É o maior cliché do mundo, mas vai ter uma particularidade: vai ser fixe. “Hey Mama”.

   JAY-Z
   Boa, nisso é que não me meto. A Beyoncé ainda a convida lá para casa para jantar e estou tramado...já quando a pus no Black Album não tive descanso durante imenso tempo.

   KANYE WEST
   OK.

   JAY-Z
   Bom, vou-me. Depois quero ver o dinheirinho na minha conta.

   KANYE WEST
   Adeus, meu. Fica bem. Um dia quero trabalhar com a tua dama.

Jay-Z vai-se embora.

   KANYE WEST
   Bom, isto já está quase...só falta “Crack Music”, vou convidar o The Game para uma cena sobre a música negra, o Consequence e o Cam’Ron para uma cena com um sample do Otis Redding em “Gone”, um sample de uma tipa a cantar o “My Funny Valentine” em “Addiction” e uma faixa escondida chamada “Late”. Pronto. É a minha inscrição fora do tempo.

   CORTA PARA:

CENA 08 | INT. SALA DE ESTAR – DIA

   Na sala de estar há uma TELEVISÃO. A câmara foca-a. Na televisão vemos Kanye West e um HOMEM BRANCO com cara de parvo e um corte de cabelo ridículo.

   HOMEM BRANCO
   Olá, eu sou o Mike Myers e estou a ler o teleponto. Blá, blá, blá, umas cenas sobre o Furacão Katrina.

   KANYE WEST
   O George Bush odeia negros.

   A cara de parvo de MIKE MYERS intensifica-se.

   CORTA PARA:

CENA 09 | INT. VARANDA – NOITE

   Um RAPAZ ENTRONCADO está sentado numa CADEIRA em frente ao COMPUTADOR, a escrever. Tem barba por fazer, cabelo curto e óculos. É focado o ecrã do computador, onde aparece algum texto.

   RAPAZ ENTRONCADO
   Late Registration é o segundo disco, a confirmação de um produtor-transformado-em-MC que, apesar das suas limitações técnicas (tem um mau flow e recicla rimas), não deixa de ser especial. É um desafio ouvir Late Registration superficialmente duas ou três vezes e não ficar com aquilo no ouvido, tal é a sensibilidade pop de Kanye West. Tudo aqui soa fresco e requintado, com vozes soul, coros e arranjos de cordas de Jon Brion. Claro, claro, tem um ego do tamanho do mundo, mas com a música que faz quase que o desculpamos. Anda a parecer misógino por vezes, se bem que “Drive Slow” seja feito de ironia, aproximando-se cada vez mais dos padrões normais do hip-hop mainstream, mas ainda assim não tem medo de falar contra a homofobia no hip-hop, pelo que devia ter juízo no que concerne ao sexo oposto. Ainda é cedo para saber se suplanta The College Dropout, aquele disco magnífico, um dos melhores discos de estreia dos últimos anos, mesmo fora do espectro do hip-hop. Ainda assim, é difícil, não há aqui um “Slow Jamz”, apesar de este ser um disco mais virado para as garinas. “Gold Digger” é, sem dúvida, um dos singles do ano, e, com o seu vídeo, está prestes a fazer de Kanye West uma estrela a sério na Europa, onde ainda não é um nome com créditos verdadeiramente firmados, especialmente em Portugal. “Diamonds”, qualquer uma das versões, ou a normal sobre a malta da Roc-A-Fella ou a sobre os diamantes sujos de Sierra Leone, é uma experiência arrebatadora, muito mais do que a soma das partes (“Diamonds are Forever”+rap). Ainda não conseguiu escapar das garras e da voz de Bernie Mac para as brincadeiras estúpidas que acabam por irritar muito, mas mesmo assim os skits são em menor número e menos parvos. Com 70 minutos e pouco, ao todo, e só com um tema dispensável (“Bring me Down”), Late Registration confirma Kanye West como uma força a ter em conta. Só há uma coisa a fazer: “Get down, girl / go ahead’n’get down”, como se diz em “Gold Digger”. Porque vocês sabem o que isto é: “It’s a celebration, bitches!”

Rodrigo Nogueira
rodrigo.nogueira@bodyspace.net
RELACIONADO / Kanye West
ÚLTIMOS DISCOS
2 Chamadas Não Atendidas
2 Chamadas Não Atendidas
· POR Paulo Cecílio ·
'Tou sim?
ÚLTIMAS

Parceiros