Um Dia a Caixa Vem Abaixo
Caixa Económica Operária, Lisboa
27-28 Jan 2006
O segundo dia já estava mais composto, talvez pelo hype gerado à volta dos CAVEIRA, pelos níveis de histeria colectiva cibernética que os Linda Martini provocaram ou pelo culto já sólido à volta dos Loosers (talvez não assim tanto desta vez). Os dois pisos da Caixa Económica Operária não encheram, mas estavam com gente suficiente, a cerveja a preço razoável saía bem (bem, mais ou menos, era Tagus…) e havia espaço para ver os concertos do piso de cima, do bar, sem ter de se perder dos muito na descida exterior para o segundo piso. Não se compreende porque é que o espaço não tem uma programação mais regular e/ou apelativa, dado ter condições e estar subaproveitado, mas pronto.

Caveira

O trio de free-rock totalmente improvisado CAVEIRA parecia estar em piloto automático. Muitas repetições, para um grupo que se pauta pela não-repetição dos elementos orelhudos do seu som (que existem, a espaços, e escapam algures entre a massa de barulho, sendo essa mistura um dos grandes trunfos do grupo) e alguma coisa do mesmo fizeram a noite. Mas um concerto de CAVEIRA é sempre diferente dos outros, seja por elementos diferentes inseridos no som, como o riff de guitarra quase límpida na Aula Magna, antes de Devendra Banhart, ou como os delírios quase Black Dice, com melodias fodidas (tradução de "fucked-up") de guitarra desta vez. E, pelos níveis de destruição em massa da banda, das duas guitarras de Pedro Gomes e Rita Vozone, sempre diferentes uma da outra, à portentosa e possuída bateria de Joaquim Albergaria (aqui o elemento que estava melhor, com bigode e tudo), vale sempre a pena. Mesmo antes de se subir as escadas que vão dar à Caixa Económica Operária, sentimos o puro poder que há ali, o rock, o anti-rock, o sei lá o quê, os riffs quase catchy, os anti-riffs, tudo.

Linda Martini

A nova coqueluche indie portuguesa confirma o hype ao vivo: três guitarras, baixo e bateria, vindos directamente do hardcore, saem à procura do pós-rock dos Isis e dos Mogwai, mas também da canção em português. E não só. Começaram um pouco de repente, quando pareciam estar apenas a afinar os instrumentos, mas cedo entraram nos eixos e conseguiram, com resultados variáveis (mas positivos), mostrar o som. Tal como mostra a sua maqueta de quatro temas, disponibilizada gratuitamente online, há, nos Linda Martini, um balanço entre temas instrumentais e canções, mas, nesta noites, problemas técnicos afectaram o concerto. Ou era a voz que estava demasiado baixa, o que fazia com que as palavras fossem imperceptíveis, ou eram problemas nas guitarras. Em "Amor Combate", aquele que é o "êxito" da banda - passa na rádio e tudo, e tem a frase poderosa feita à medida para nicknames do Messenger "O chão que pisas sou eu" -, Pedro Geraldes, um dos guitarristas, sentou-se no chão e começou a abanar a cabeça de um lado para o outro a cantar a letra e a bater palminhas. Ainda assim, deu para perceber que as comparações aos Ornatos Violeta não podem ser tanto da forma como André Henriques canta, que não tem muito a ver com a de Manuel Cruz, mas sim com a preocupação que este tem em criar frases fortes que fiquem na cabeça, como a frase atrás citada. "Cronófago", a penúltima canção tocada neste concerto, começa como uma canção rock normal (talvez a mais típica dentro do repertório da banda) e vai-se desenvolvendo, tanto com baixo quase funky como com as três guitarras intensas, fugindo tanto à canção em português como aos rótulos do pós-rock. E, logo depois, a acabar, há "Severa", talvez o melhor tema do grupo, com uma maior proeminência do baixo e com direito a melódica (tocada pelo baterista Hélio Morais) e a freakout brutal de guitarras no fim, mas, ao contrário de CAVEIRA, com tudo estruturado ("primeiro a parte normal, depois o barulho, depois entra a parte normal" ou não entra ou assim). Aguarda-se o disco e a confirmação do imenso talento.

Loosers


"Loosers" não é a mesma coisa que "losers". Não percebo como é que ainda quase ninguém percebeu isso. Será que ninguém sabe falar inglês? Será que eles próprios sabem? Decerto que sabem, acaba por ser um trocadilho giro, "mais soltos", mesmo que a palavra seja inexistente em inglês. Mas toda a gente continua a chamar-lhes "losers" e a gritar pelos "losers". É que de perderores os Loosers não têm nada. Famosos por mudarem muito de concerto para concerto (mas não muito dentro dos concertos), os Loosers são verdadeiros vencedores. Têm um grande culto, e talvez fizesse sentido pô-los como cabeças de cartaz da segunda noite, mas, mesmo assim, muitas das pessoas foram-se embora depois da actuação dos Linda Martini. Tudo começou com Tiago Miranda, de hoodie vermelho e com umas tiras de veludo (?) a cobrir-lhe a cara, estilo máscara, a andar pelo meio do público, como que a chamar toda a gente para um happening (terminologia da "cena") forçado ali no meio da Caixa Económica Operária. Nem todos do público estavam para isso, contudo. Desta vez, a formação dos Loosers assentava basicamente em duas guitarras (Tiago Miranda e Rui Dâmaso, normalmente baixista) e bateria (Zé Miguel), tal como os CAVEIRA antes deles, mas com vozes manipuladas, gritadas, não-musicais, para marcar ritmos, percussões diversas e outros efeitos. Mas, claro, as bandas soam a algo totalmente diferente uma da outra, mesmo pertencendo à mesma "cena" e ao mesmo eixo da ZDB. São bons músicos, todos eles, desde as baterias esparsas de Zé Miguel às guitarras quase etéreas dos outros dois, numa massa de som com texturas quase do shoegazing que poderiam certamente ter aquecido o dia seguinte, com a neve que caiu em Lisboa. Num concerto demasiado longo (lá para o fim começou a ser francamente chato), os Loosers fecharam o festival.
· 27 Jan 2006 · 08:00 ·
Rodrigo Nogueira
rodrigo.nogueira@bodyspace.net
RELACIONADO / Bypass
Discos
Bypass
2002
Mighty Sounds Pristine
2006
Entrevistas
Sem prazo de entrega
14 Jun 2006
Discos
Cena Espírita / Quebranto
2006
Entrevistas
Cena Espírita
27 Jan 2006
Ao Vivo
CAVEIRA / Ghost
03 Mai 2007: Lux, Lisboa
Comets On Fire / CAVEIRA
14 Out 2006: Porto Rio, Porto
CAVEIRA / Comets on Fire
13 Out 2006: Galeria Zé dos Bois, Lisboa
Damo Suzuki / CAVEIRA
20 Jan 2006: Galeria Zé dos Bois, Lisboa
CAVEIRA / Devendra Banhart
12 Nov 2005: Aula Magna, Lisboa
Out.Fest 2007
16,17,23 Jun 2007: AMAC, Barreiro
Sexta-feira 13, 13 nomes
13 Jul 2007: Avenida da Liberdade 211, Lisboa
Psychic Ills / CAVEIRA
27 Set 2007: Galeria Zé dos Bois, Lisboa
Discos
Sem Título (EP)
2006
Entrevistas
O Tempo é agora
11 Mar 2006
Discos
Marsupial
2008
Casa Ocupada
2010
Sirumba
2016
Entrevistas
Uma história de metades a sentirem por inteiro
14 Jul 2016
As memórias vão-me devorar
24 Mar 2015
Salvação renovada.
18 Jan 2014
Na catedral do fato-de-treino
27 Jan 2006
Ao Vivo
Festival Naked
06 Abr 2007: Santiago Alquimista, Lisboa
Linda Martini
11 Nov 2006: Tertúlia Castelense, Maia
Linda Martini / The Strugglers / Maquiladora - Kid City
22 Abr 2006: Clube Mercado, Lisboa
Linda Martini
07 Abr 2006: Galeria Zé dos Bois, Lisboa
Linda Martini / The Vicious Five
13 Out 2005: FLUL, Lisboa
Linda Martini
24 Set 2005: Maus Hábitos, Porto
Pelican / Linda Martini / Riding Pânico
31 Mai 2007: Santiago Alquimista, Lisboa
Linda Martini
2- Abr 2016: Coliseu, Lisboa
Linda Martini
3- Mar 2017: Hard Club, Porto
Linda Martini
15- Fev 2018: Lux, Lisboa
Discos
Bully Bones of Belgie
2006
Otha Goat Head / Endlosung
2006
Entrevistas
Uma luz ao fundo do túnel
26 Set 2005
Ao Vivo
Sunburned Hand of the Man / Loosers
19 Set 2006: Galeria Zé dos Bois, Lisboa
Loosers + Mouthus = Mousers
21 Dez 2005: Galeria Zé dos Bois, Lisboa
Frango + Dance Damage + Loosers.
14 Mai 2005: Teatro Passos Manuel, Porto
Loosers
09 Abr 2004: Maus Hábitos, Porto
Liars / Loosers
09 Jun 2008: Santiago Alquimista, Lisboa
Out.Fest 09
22-23 Mai 2009: Barreiro
The Men / Loosers
09 Fev 2012: Galeria Zé dos Bois, Lisboa
Discos
Ölga EP
2004
What is
2005
Entrevistas
Um violento despertar
01 Mai 2005
Ao Vivo
Noites Ritual Rock 2005
26-27 Ago 2005: Jardins do Palácio de Cristal, Porto
Ölga + Logh
08 Abr 2005: Santiago Alquimista, Lisboa
Ölga
08 Abr 2004: O Meu Mercedes é Maior Que o Teu, Porto
ÚLTIMAS REPORTAGENS
ÚLTIMAS

Parceiros