√öLTIMAS
O feitiço de Weyes Blood, no Lounge, é uma borla irrecusável
· 29 Out 2010 · 14:56 ·
O pr√≥ximo dia 3 de Novembro (quarta-feira) marca o regresso da m√©dium Weyes Blood a Lisboa, depois de uma passagem pela segunda edi√ß√£o da m√≠tica Avenida, no 211 da Av. da Liberdade. Desta vez, o projecto de Natalie Hering (ex-membro dos vari√°veis Jackie-O-Motherfucker) invoca esp√≠ritos no Lounge, de Lisboa, e a entrada √© totalmente gratuita. O altamente recomend√°vel The Outside Room, colosso prestes a sair na Not Not Fun (e j√° em escuta na redac√ß√£o do Bodyspace), justifica a recente aus√™ncia de Natalie, com can√ß√Ķes cuidadosamente elaboradas a partir da conjuga√ß√£o cerimoniosa de voz, teclado, guitarra, found sounds e instrumentos criados pela pr√≥pria. Em momentos de n√≠vel, como ‚ÄúStorms that Breed‚ÄĚ e ‚ÄúRomneydale‚ÄĚ, Weyes Blood parece reter no mesmo copo o esp√≠rito de Nico (a musa de Andy Warhol) e a miragem de uns Beach House. Logo a√≠ imp√Ķe aquele tipo de respeito que falta a anedotas do dia como a witch house e entulho da mesma estirpe.

Natalie Mering chega ao Lounge, de Lisboa, quase na recta final de um ano, que a tem encontrado em diversas salas americanas, com duas velas acesas sobre o teclado. A oportunidade √© de valor para quem quiser comprovar, em tempo real, o excelente momento vivido por mais um dos nomes a sair da escola Not Not Fun (que, nos √ļltimos anos, revelou casos de sucesso como Ducktails, Sun Araw e Pocahaunted). Aqui fica um pedacinho de concerto perfeito para a noite de Halloween:

Miguel Arsénio
migarsenio@yahoo.com

Parceiros