bodyspace.net


Norberto Lobo & Jo√£o Lobo
Teatro Maria Matos
15/02/2012


O fabuloso dedilhar de Noberto tem sido bem documentado por uma s√≥lida discografia. Mudar de Bina, Pata Lenta e Fala Mansa s√£o essenciais ao registo o encontro entre Norberto e uma guitarra, monumentos de tradi√ß√£o, eleg√Ęncia e reinven√ß√£o. Mas a m√ļsica de Norberto √© mais lata, vai mais al√©m, e o m√ļsico j√° revelou vontade de explorar terrenos mais amplos, sendo a sua aventura com o trio Tigrala (com Guilherme Canh√£o e Ian Carlo Mendoza) a sua mais vis√≠vel express√£o. Apesar das naturais diferen√ßas, esta parceria com o baterista Jo√£o Lobo (Tetterapedequ, Enrico Rava, Carlos Bica, etc.), revelada ao vivo no Teatro Maria Matos, acaba por surgir no sequ√™ncia natural do trabalho com os Tigrala, continuando pistas que j√° haviam sido levantadas nesse projecto.



O espect√°culo arrancou com o encontro entre a guitarra el√©ctrica diab√≥lica de Norberto e percuss√£o en√©rgica de Jo√£o, no esp√≠rito de rock virgem/ing√©nuo early-70¬īs. Norberto mudou-se depois para a guitarra ac√ļstica, num registo mais pr√≥ximo daquilo que lhe √© conhecido, com a percuss√£o de Jo√£o Lobo a acrescentar uma subtil textura r√≠tmica - cordas lentamente polvilhadas, percuss√£o sussurada (o arco a ro√ßar nos pratos). Este concerto foi marcado pela diversidade de ambientes distintos entre si, ora alternando entre a alta pulsa√ß√£o (eletricidade) e a ternura de temas mais et√©reos (fingerpickin¬ī), por vezes quase-mantras.



Mas a noite do Maria Matos n√£o se ficou por aqui: Norberto surpreendou ao passar pelos teclados e a inclus√£o de duas convidadas - Cristina Alfaiate (voz) e Mariana Ricardo (voz e baixo el√©ctrico) ‚Äď serviu para dar novas camadas aos temas da dupla, por vezes pr√≥ximos de refer√™ncias ‚Äúworld‚ÄĚ. O final chegou com um encore curtinho, perfeito: regresso √† electricidade rock, num cl√≠max de energia. A estreia discogr√°fica do duo Norberto/Jo√£o est√° prometida pra breve (Mar√ßo), com um √°lbum denominado Mogul de Jade. Este concerto deixou o p√ļblico a salivar pela sua edi√ß√£o.

Nuno Catarino
nunocatarino@gmail.com
22/02/2012