bodyspace.net


O Manipulador Doppler

2020
Saliva Diva


Seria de esperar que um tipo que se apresenta ao mundo como O Manipulador nos entregasse um disco repleto de vari√°veis geom√©tricas, ritm√≠cas abstrusas e abstractas e camadas fe√©ricas de ru√≠do industrial, numa esp√©cie de cruzamento entre a matem√°tica obscura e as tonalidades f√≠sicas de um qualquer Author & Punisher dos pobres. Mas n√£o: Doppler √© um √°lbum que explora, sobretudo, o psicadelismo na sua vertente rock. Ou seja, O Manipulador manipulou-nos as expectativas que t√≠nhamos, pelo que se calhar o nome at√© faz sentido. Mas continuando. O facto de termos sido surpreendidos de uma forma que n√£o a que esper√°vamos n√£o comprometeu o que se pudesse pensar de Doppler que, em √ļltima an√°lise e no m√≠nimo dos m√≠nimos, √© um √≥ptimo √°lbum para matar saudades das guitarradas e daquele g√©nero de ecos que nos implanta ideias no c√©rebro. E que at√© d√° para adaptar aos tempos modernos: "If You Ruled The World" parece ter sido escrita a pensar nos idiotas que enchem caixas de coment√°rios de jornais. And all would be so clean..., como as m√£os t√™m que estar. (Lavem-nas, porra.)

Só não dá para seguir os conselhos de "Downtown", porque em pandemia os passeios pela baixa estão fora de questão - mesmo que estejamos cansados de nos masturbarmos o que, convenhamos, é uma enorme mentira durante essa mesma pandemia e em especial se viverem sozinhos. A surpresa sonora maior reside em "Baby, I Don't Feel So Well" e na sua melodia elástica, ao passo que o restante disco vai crescendo em nós consoante as escutas - e o volume em que estiver, para fazer um ligeiro pandã com o efeito que lhe faz nome. Altamente recomendável.


Paulo Cecílio
pauloandrececilio@gmail.com
30/03/2020