bodyspace.net


Animal Collective Merriweather Post Pavilion

2009
Domino


Contrariando a ideia quase unânime de que Strawberry Jam constituía o culminar da depuração pop levada a cabo pelos Animal Collective iniciada em Sung Tongs, a constatação levada a cabo por este escriba foi a de que este não constituía mais do que o primeiro acesso de marasmo numa banda até esse momento incólume nas suas ambições e desvios tomados. Depois de um par de ep`s pouco mais do que interessantes e ainda a ressacar dos balanços de 2008, conclui-se sem ponta de pudor que Merriweather Post Pavilion é superior ao seu predecessor. Ponto.

Embora longe das obras-primas de outrora, arranca sem grande esforço meia dúzia de óptimas canções ao longo de uns exagerados cinquenta e cinco minutos (exige-se alguma aprendizagem com o vinil), e apesar de alguns momentos desnecessários ainda consegue soar refrescante sem cair no onirismo caricatural em piloto-automático que sabotou experiências passadas recentes. Após uma "Flowers" meramente aprazível no modo início-de-disco-em-crescendo, chega-se àquela que é a melhor canção do (por ora) trio desde "Loch Raven". Uma "My Girls" próxima do encanto de Person Pitch, sem medo de ser descaradamente pop e de refrão apaixonado para bater de palmas em devoção e encher pulmões de felicidade. Magnífica. A desinteressante "Also Frightened" poderia constituir o âmago da banda fosse esta nascida em terras de Sua Majestade, enquanto "Guy`s Eyes" é o delírio psicadélico para piano vaudeville que Kevin Barnes não rejeitaria, tecida com os melhores rendilhados vocais, que tanta falta fizeram a Strawberry Jam. Tangencialmente, "Bluish" leva os Kinks numa carrinha escolar a passear por praias caribenhas, e "Daily Routine" passa de cantilena encantada à volta da fogueira para envolvência aquática sem cair no enxerto forçado, com belíssimos resultados. Para o final fica a festa de final de Verão de "Brothersport", cujo bom gosto de qualquer pseudo-dj de parque aquático impelia a passagem obrigatória.

Obedecesse a um maior rastreio qualitativo e Merriweather Post Pavilion poderia ombrear com Feels por um lugar no pódio (Here Comes The Indian e Sung Tongs são intocáveis), como está é "apenas" o reavivar da certeza de que quando os necessários balanços de final desta década forem feitos, os Animal Collective sairão claramente em vantagem sobre a concorrência enquanto estetas dos caminhos enviesados por onde se tem movido a pop. Sem resvalar para o aborrecimento e momentaneamente brilhante. E se é inquestionável uma enorme falta de maior rigor formal nesta resenha, é sinal que o entusiasmo em volta da melhor criação de Baltimore dos últimos anos (de sempre?) regressou.


Bruno Silva
celasdeathsquad@gmail.com
05/01/2009