DISCOS
Suburban Dinosaur
Every Cannonball Is A Wish That Wasn't Granted / Songs From Home
· 08 Jan 2018 · 19:03 ·
Suburban Dinosaur
Every Cannonball Is A Wish That Wasn't Granted / Songs From Home
2017
Ed. de Autor
Suburban Dinosaur
Every Cannonball Is A Wish That Wasn't Granted / Songs From Home
2017
Ed. de Autor
Contra os canhões.
Suburban Dinosaur é o moniker com o qual o Gonçalo Trindade, português radicado em Berlim e dono de um não-muito-saudável apreço pelos Mogwai, assina a sua música. Após anos e anos a escrever para aqui e acolá sobre discos de que gostava, o bom do Trindade decidiu pegar na sua própria guitarra e dispor-se a fazer música de que gostasse e, podendo, de que os outros gostassem. Assim, sem medos, no seu próprio quarto e, visto que ele está em Berlim, provavelmente a olhar para a neve e o frio e a lamentar-se porque caralho saiu de um país com um clima como o seu.

Mas falava do moniker, quer dizer, da música, que deu em dois EPs lançados com dois meses de diferença, ambos disponíveis no Bandcamp do moço de forma gratuita. A música, essa, é uma folk acústica que por vezes resvala para o feedback eléctrico, como em "Things By The Sea", que é uma frase bonita mais ou menos até final, quando dá lugar, de forma abrupta, ao estrondo. Frase musical, isto é; não esperem que o Trindade cante, que ele ainda não chegou lá.

Tanto num como noutro EP, que juntos pouco passam dos 40 minutos, o que temos é a contemplação do artista - quer dizer, do Trindade - perante as coisas ou as pessoas que o marcaram ao longo da vida, como a Renata, a ausência de uma máquina de lavar (que acaba de uma forma meio Jandekiana, repentina e silenciosa), ou os seus pais - a quem são dedicadas as oito canções de Songs From Home.

Gravados sem grandes rodeios, os EPs são a primeira porta de entrada para a música de um gajo que deverá estar-se bem a cagar para se gostamos disto ou não: as canções são simples, quase stream of conciousness, para já um esboço daquilo que poderá vir a ser algo mais a sério. Dito por poucas palavras, tem coisas giras e outras não tanto. Dito por palavras que ele irá perceber, é como andar a treinar no Mt. Moon para derrubar o cabrão do Starmie da Misty. Dito por um músico com mais cavalgada... não sei, mas eis a vossa oportunidade: está aqui um gajo que deixou de ser "crítico" para passar a ser "artista". Podem vingar-se de todas as vezes que ele falou mal das vossas cenas.
Paulo Cecílio
pauloandrececilio@gmail.com
ÚLTIMOS DISCOS
Jeff Rosenstock
POST-
· POR João Morais ·
A ressaca dum ano de Trump.
ÚLTIMAS

Parceiros