Março 2015
Orion Rigel Dommisse estará entre nós
· POR Paulo Cecílio · 31 Mar 2015 · 15:31 ·


Para quem não sabe: é das vozes mais fofinhas que alguma vez se escutou na terra. Em 2007, a cantora norte-americana editou um belíssimo álbum intitulado What I Want From You Is Sweet, que lhe valeu boas críticas e comparações a Joanna Newsom. No próximo mês de Abril, Orion Rigel Dommisse actuará um pouco por todo o lado, sendo que com ela virão não só as canções desse magnífico álbum que um dia a FNAC achou por bem vender a 3€ (abençoados sejam) mas também os temas de Omicron, disco editado o ano passado. São estas as datas. Podendo, é ir.



7/4 @ Setúbal, Casa da Avenida (21h30)
9/4 @ Leiria, O Nariz (21h30)
10/4 @ Coimbra, Mercearia de Arte Alves & Silvestre (21h30)
11/4 @ Lisboa, O Salão (18h30)
Festival Santos da Casa em Abril
· POR Alexandra João Martins · 31 Mar 2015 · 11:32 ·


O reconhecido programa da RUC - Rádio Universitária de Coimbra já conta com 23 primaveras e o festival homónimo está a caminho. A 17ª edição do Festival Santos da Casa acontece entre os dias 20 e 15 Abril, com concertos espalhados por toda a cidade de Coimbra; Fnac, Salão Brazil, RUC, etc. Ana Cláudia, Coelho Radioactivo e Best Youth preenchem o cartaz de um festival que teima em dar a conhecer novos talentos.

Rodrigo Amarante e Benjamin Clementine no Super Bock Super Rock
· POR André Gomes · 31 Mar 2015 · 10:56 ·


São os dois nomes mais recentes confirmados no cartaz do Super Bock Super Rock, que celebra este ano a sua 21ª edição: o brasileiro Rodrigo Amarante e Benjamin Clementine, um jovem inglês que até há pouco tempo cantava no Metro de Paris (entre outros locais de menos destaque) e que agora é uma das sensações do momento. Este ano o festival acontece no Parque das Nações entre os dias 16 e 18 de Julho.

O passe de três dias custa 95 euros, a entrada diária está a 50 euros. O cartaz completo pode ser consultado ali em baixo, logo depois do vídeo que mostra o episódio que gravamos com o músico brasileiro na cidade do Porto para a Videoteca Bodyspace.



Dia 16
Palco Super Bock - Sting, Noel Gallagher’s High Flying Birds, The Vaccines, Milky Chance
Palco EDP - SBTRKT, Little Dragon, Perfume Genius, Kate Tempest
Palco Carlsberg - Toro Y Moi

Dia 17
Palco Super Bock - Blur, dEUS, The Drums
Palco EDP - Bombay Bicycle Club, Savages, Kindness, Sinkane
Palco Carlsberg - Gramatik

Dia 18
Palco Super Bock - Florence + the Machine, FFS (Franz Ferdinand & Sparks), Crystal Fighters, Rodrigo Amarante
Palco EDP - Banda do Mar, Palma Violets, Benjamin Clementine, Modernos
Westway LAB em Guimarães
· POR Alexandra João Martins · 31 Mar 2015 · 00:15 ·
© Vera Marmelo

O Westway LAB Festival regressa a Guimarães entre os dias 10 e 18 de abril, com um programa repleto de conferências, showcases, concertos e residências artísticas. Esta é a 2ª edição do projecto que leva criações inéditas ao palco do Café Concerto do Centro Cultural Vila Flor. De lá da fronteira chegam Young Karin, Kid Simius e Fabrizio Cammarata, que se irão juntar a músicos portugueses de bandas como peixe : avião, Primitive Reason, entre outros.

Destacam-se ainda as conferências de Keith Harris, Jeff Thompson e Markus Lindes, nomes grandes da indústria musical, entre 17 e 18 de abril. No último dia do festival, o CCVF abre todas as salas para receber concertos de Sensible Soccers, Noisev, Blaudzun e Mr. Herbert Quain.

Son Lux lançam Bones em Junho
· POR André Gomes · 30 Mar 2015 · 21:57 ·


Chega no dia 22 de Junho com o selo da Glassnote Records. Chama-se Bones. Falamos do quarto e novo disco dos Son Lux. E quando falamos do novo disco dos Son Lux temos de falar - e deixar-vos ouvir - o primeiro single desse registo, "Change Is Everything". Este novo disco é apresentado como uma chamada para a acção, um documento de rebelião pessoal e colectiva.

Este é também um disco que documenta a nova formação da banda: a entrada de do guitarrista e compositor Rafiq Bhatia e do baterista Ian Chang, que é como quem diz que os Son Lux são agora um trio. Ryan Lott já não está sozinho nesta aventura. Ouçam "Change Is Everything" aqui em baixo.

Stornoway: novo disco chega em Abril
· POR André Gomes · 30 Mar 2015 · 21:45 ·


A pop perfeitinha é mesmo a vossa cena? Precisam de material novo para celebrar em estilo a entrada na Primavera? Então os Stornoway podem ser muito bem aquilo que vocês procuram para os próximos meses. Isto porque os britânicos lançam um novo disco já no próximo dia 13 de Abril.

O terceiro disco da carreira da banda chama-se Bonxie e tem no single "Get Low" uma das suas caras. Podem ouvir esse mesmo tema aqui em baixo. A ver pelo press release do disco, vem aí um conjunto de canções inspirado pelas aves e por imagens do inevitável David Attenborough. Em Abril vão ter oportunidade de ver e ouvir este pássaro levantar voo.

Moullinex lança novo disco em Maio
· POR André Gomes · 30 Mar 2015 · 17:33 ·


Chega-nos hoje a notícia que Moullinex se prepara para lançar um novo disco. E é já possível ouvir o primeiro single desse registo. Chama-se "Take a Chance" e foi estreado hoje no site The Fader. Podem ouvir o novo tema - e conhecer o alinhamento do disco - ali em baixo. O disco propriamente dito, intitulado Elsewhere, chega até nós no dia 18 de Maio.

Luis Clara Gomes, um dos fundadores da Discotexas, apresenta este novo disco em dois concertos: a 28 de Maio, no Lux, em Lisboa, e no dia 19 de Junho, no Hard Club, no Porto. O disco terá o selo da Discotexas, e terá a distribuição assegurada pela Universal Music Portugal.



1. Trip Advisor
2. Take a Chance 
3. Things We Do 
4. Elsewhere
5. Don’t You Feel
6. Anxiety
7. Lies pt I 
8. Lies pt II 
9. Can’t Stop 
10. Widening Circle
11. Sing My Heart Asleep
Amon Düül II e mais cinco nomes no Reverence Valada
· POR André Gomes · 30 Mar 2015 · 15:41 ·


É a revista Blitz que dá a notícia em primeira mão: os alemães Amon Düül II acabam de ser confirmados para o Reverence Valada. Mas não é só (como se isto já não fosse suficiente): Joel Gion & The Primary Colours, Echo Lake, The Act-Ups, Ghost Hunt e Acid Acid juntam-se igualmente ao cartaz do festival ribatejano que acontece nos dias 27, 28 e 29 de Agosto.

O passe de três dias para o festival custa 58 euros até ao dia 30 de Junho. Depois disso terão de largar 65 euros. Se quiserem ir apenas dar uma espreitadela  na quinta-feira paga 10 euros, nos dias dias seguintes pagará 35. Mas despachem-se porque nos dias a coisa sobe um pouco mais. Querem conhecer o restante cartaz? Cliquem aqui.

Tinham saudades de SBTRKT?
· POR Paulo Cecílio · 30 Mar 2015 · 11:33 ·


Podem agora matá-las escutando as três novas malhas que o produtor britânico disponibilizou no Soundcloud. "FLAREtWO", "Roulette" e "nO less" apontam muito mais às pistas de dança do que o nevoeiro drogado de Wonder Where We Land, o segundo disco do músico, editado o ano passado, mostrando o seu lado mais groovey (com uma boa dose de experimentação, que não incomoda). É só clicar aí em baixo. Melhor aquecimento para o concerto do Super Bock Super Rock não há.





Clocks and Clouds no Desterro
· POR Nuno Catarino · 30 Mar 2015 · 11:12 ·


O quarteto Clocks and Clouds vai actuar no Desterro, no próximo dia 3 de Abril. O grupo reúne dois membros do RED Trio (Rodrigo Pinheiro no piano e Hernâni Faustino no contrabaixo), aos quais se juntam Luís Vicente no trompete e Marco Franco na bateria. O quarteto improvisador, que parte de uma matriz jazz, tem chamado atenções dentro e fora e portas, apresentando-se agora ao vivo em Lisboa. O concerto tem início marcado para as 21h30 e a entrada tem o valor de 5€.

O Desterro é um novo espaço cultural sito na Calçada do Desterro nº 7, em Lisboa. A entrada no Desterro é exclusiva a sócios da DARC (Desterrense Associação Recreativa e Cultural), pelo que para os não sócios acrescem os 3€ da quota anual.

Cícero e A Praia: já é possível ouvir o terceiro disco do brasileiro
· POR André Gomes · 27 Mar 2015 · 11:47 ·


Primeiro foi Canções de Apartamento, em 2011. Depois foi a vez de Sábado, lançado em 2013. Agora, em 2015, chega A Praia. É o terceiro disco de originais do brasileiro Cícero. Podem descarregar o disco gratuitamente aqui. A partir da semana que vem o disco ficará disponível em streaming e no itunes. Em breve chega o CD e o vinil.

As dez faixas de A Praia foram produzidas, tal como aconteceu nos dois discos anteriores, em parceria com Bruno Schulz. No que toca à parte musical, Cícero contou com a colaboração de Gabriel Ventura, Felipe Pacheco, Cairê Rêgo e Gabriel Vaz. Ou muito nos enganamos ou Cícerto deverá vir a Portugal em breve para apresentar estas novas canções ao vivo. É esperar.

Mogwai confirmados no Alive
· POR André Gomes · 26 Mar 2015 · 16:02 ·


Ontem foram os Chromeo, hoje são os escoceses Mogwai que são confirmados na edição deste ano do NOS Alive. A banda actuará no festival no dia 11 de Julho, no Palco Heineken. Os senhores de Glasgow apresentam certamente o mais recente disco, Rave Tapes, lançado no ano passado.

Os Mogwai juntam-se assim a um cartaz que já contava com nomes como The Jesus and Mary Chain Metronomy, Muse, James Blake, The Prodigy, Mumford & Sons, alt-J, Stromae, Jessie Ware, Young Fathers, entre muitos outros. O NOS Alive 2015 terá lugar no Passeio Marítimo de Algés nos dias 9, 10 e 11 de Julho e os bilhetes já estão à venda nos locais habituais, com os diários a rondarem os 55 euros e os passes de três dias a custarem 109 euros.

Chromeo confirmados no NOS Alive
· POR João Morais · 25 Mar 2015 · 17:29 ·


Pode ser que seja desta. Depois do cancelamento do ano passado e da substituição (de luxo) feita pelos Parov Stelar Band, eis que vemos a confirmação de Chromeo na edição deste ano do NOS Alive. A dupla electrofunk que une David Macklovitch (Dave 1) e Patrick Gemayel (P-Thugg) tem passagem pelo Palco Heineken do Passeio Marítimo de Algés marcada para o dia 11 de Julho, terceiro dia do certame, num concerto de apresentação de White Women, delicioso e aclamado quarto disco da sua discografia.

Os Chromeo juntam-se assim a um cartel que já conta com nomes como The Jesus and Mary Chain (com quem partilharão o palco secundário do Alive no dia 11), Metronomy, Muse, James Blake, The Prodigy, Mumford & Sons, alt-J, Stromae, Jessie Ware, Young Fathers, entre muitos outros. O NOS Alive 2015 terá lugar no Passeio Marítimo de Algés nos dias 9, 10 e 11 de Julho e os bilhetes já estão à venda nos locais habituais, com os diários a rondarem os 55 euros e os passes de três dias a custarem 109 euros.

Stephan Mathieu reescreverá os Mão Morta em Braga
· POR Paulo Cecílio · 25 Mar 2015 · 15:03 ·


O alemão passará pelo bonito Mosteiro de Tibães para reinterpretar a música dos Mão Morta, que assinalam trinta anos de existência e fizeram deste mundo um lugar melhor. Mathieu, sound artist que conta no seu currículo com colaborações com gente como David Sylvian, Hans-Joachim Roedelius e Jozef van Wissem, bem como uma longa discografia a solo, actua no próximo dia 27 de Março, sexta-feira, com os bilhetes a valer 7€. Numa altura em que já está a passear-se por Braga, perguntamos-lhe o que há a esperar deste espectáculo.

Que o fez escolher a música dos Mão Morta? Sendo-se português, é fácil perceber o seu apelo, mas como é que este se traduz para alguém que não é um falante nativo da língua? Quais são os seus discos ou canções dos Mão Morta predilectos?

Na verdade, foi o Luís Fernandes, do GNRation, quem me propôs trabalhar com a música dos Mão Morta. Apesar de estar familiarizado com o nome, não tinha ouvido ainda a sua música. O conteúdo lírico permanece para mim um mistério. Lendo acerca da história da banda, das suas motivações, e tendo ouvido realmente a música, deixa-me com uma impressão forte - algo que, para mim, serve de base ao meu trabalho. Não ouvi ainda as canções [contudo], mas tenho, desde o início do ano, passado um tempo intenso a escutar as pistas individuais dos seus três últimos discos. Tinha todos os ficheiros originais das suas sessões de gravação, das guitarras, dos teclados, do baixo e dos vocais, e fiz uma selecção a partir daí. Esta tornou-se o material com o qual estou a trabalhar.

Deveremos encarar este espectáculo como um retrabalhar de algo já existente, enquanto uma remistura da música dos Mão Morta, ou enquanto algo inteiramente diferente e/ou novo?

Não esperem, por favor, uma remistura clássica. Tenho-me dedicado a retrabalhar a música de vários artistas desde finais dos anos noventa, e o meu método é sempre criar um trabalho acerca destes artistas, uma espécie de meta-música, ou aquilo que encaro como um retrato sónico. Basicamente, procuro uma essência da sua sonoridade, aquilo que recebo como sendo a sua essência. Daí que o meu trabalho para os Mão Morta seja muito mais uma peça sobre a sua sonoridade mais do que sobre a sua música ou as suas canções; é mais um reflexo do que uma interpretação.

Que podemos esperar deste concerto, sonora e visualmente? Funciona como que numa peça de teatro, na qual é um actor vestindo a pele de outrém?

É uma ideia interessante. Contudo, não sinto vontade de vestir a pele dos Mão Morta; usarei, isso sim, as suas palavras para falar a minha própria língua. Para o concerto usarei igualmente os amplificadores de guitarra e baixo da banda, algo com o qual estou bastante satisfeito. Tocarei numa sala maravilhosa no Mosteiro de Tibães, sendo que o espaço em si é tão importante quanto o som - torna-se parte do meu instrumento e, juntamente com a sonoridade dos Mão Morta, será a estrela do serão.

Como têm decorrido os ensaios? Os Mão Morta são uma banda que é tão importante musicalmente como liricamente. Sendo que a sua música se baseia em paisagens electrónicas, como traduzirá a parte lírica?

À data de hoje ainda não tenho 100% de certezas de que incorporarei a voz do Adolfo de uma forma que se torne claramente perceptível. É quarta-feira, e a peça é um trabalho em curso que só terminarei ao vivo, na sexta.

Não é a primeira vez que toca em Braga. Que pensa da cidade?

Amo a vossa cidade, muito bonita, e carregada de história. Estou satisfeito por poder passar aqui algum tempo.
Joy to the world
· POR Paulo Cecílio · 25 Mar 2015 · 15:00 ·


As No Joy estão a preparar aquele que será o terceiro disco da sua carreira, intitulado More Faithful, gravado com Jorge Elbrecht (Haunted Graffiti) entre Brooklyn e a Costa Rica. E já há surfaria para ouvir: "Everything New" está disponível no Youtube e é uma cançoneta doce (sem o ruído costumeiro das No Joy, daí o título) para ir aproveitando o sol que bate na janela. Ou esquecer que o vento também o tem feito. Enfim. More Faithful sai a 9 de Junho e tem o selo da Mexican Summer.

Novo de Föllakzoid, para ouvir
· POR Paulo Cecílio · 24 Mar 2015 · 16:59 ·


Está aí o sucessor de II, que se chama III, o que prova que a banda chilena é, sobretudo, original. Mas divagamos. O novo disco dos Föllakzoid mantém a toada psicadélica que deles conhecemos e está já disponível para escuta, no Soundcloud, sendo que a edição física tem a data de lançamento prevista para dia 31 de março com o selo da Sacred Bones. Podem ir picando as quatro canções que dele fazem parte aí em baixo.

Acharam a festa d'O Salgado incrível? Ó p'ra isto
· POR Paulo Cecílio · 24 Mar 2015 · 16:09 ·


No dia 18 de abril o Coliseu do Porto vai acolher a segunda melhor festa das vossas vidas: o FLIC, acrónimo para Festa Lotação Ilimitada Coliseu, permitirá que as gentes dessa formosa cidade e outros tantos turistas que por lá passem tenham acesso a espaços que regra geral não visitam, como o Salão Ático, o Salão Jardim e a Sala Principal do Coliseu. No que toca a música, aguardem concertos de Legendary Tigerman, B Fachada e Black Bombaim, entre muitos outros, bem como os DJ sets que interessam - de acordo com um dos tipos que por lá vai andar a dar tudo em tronco nu enquanto passa eurodance, e que por acaso até faz anos hoje, «vai ser incrivel! Espero muita putaria, nudez e gin». Também nós, amigo. Também nós.



Garden Saloon
21h30 – Crazy Coconuts
22h30 – Black Bombaim
23h30 – Throes + The Shine
00h00 – FanfaNash (DJset)
 
Salão Ático
21h00 – Memória de Peixe
22h00 – B Fachada
23h00 – LASERS (DJset)
 
Sala Praça
22h30 – Mind Da Gap
23h45 – Dealema
01h00 – Legendary Tiger Man
02h00 – Gin Party Sound System (DJset)
 
Monumental Foyer
20h30 – Nitronious (DJset)
The Pop Group no Serralves em Festa
· POR João Morais · 24 Mar 2015 · 16:02 ·
© Chiara Meattelli/Dominic Lee

Por esta altura já é dispensável fazer qualquer tipo de apresentações a Serralves, pérola reluzente da cidade onde (quase) tudo é melhor, ou a Serralves em Festa, evento que, todos os anos, faz questão de ser, durante 40 horas seguidas, o “coração” da arte e cultura da cidade do Porto. Mas nunca é demais lembrar que a edição de 2015 está aí ao virar da esquina e que os contornos da mesma já se começam a revelar.

E se estavam convencidos que a primeira confirmação estaria reservada para um qualquer performer nórdico de nome impronunciável, desenganem-se, pois o primeiro anúncio trouxe-nos The Pop Group, mítico grupo do post-punk britânico. O quarteto, que decidiu renascer das cinzas em 2010 e que lançou em Fevereiro último o seu primeiro disco em 25 anos, Citizen Zombie, tem concerto marcado para a noite do dia 30 de Maio.

De relembrar que esta edição do Serralves terá lugar entre as oito da manhã do dia 30 de Maio e a meia-noite do dia 31, e terá a frase “Um Entre Muitos” como tema base de todas as exposições, actuações e workshops. Agora tratem de marcar as férias adequadamente, enquanto ouvem esta "She Is Beyond Good and Evil", clássico dissonante dos The Pop Group de 1979.

Z G A apresenta EP
· POR Paulo Cecílio · 24 Mar 2015 · 14:32 ·


Garganta Arranhada é o nome do primeiro EP do produtor nacional cuja música - diz-nos ele - pode ser descrita como whatever-it-is-tronica, o que nos parece um rótulo indicado como qualquer outro. Partindo de canções de outros artistas ligados à TOSSE, como os Ermo ou o Coelho Radioactivo, Z G A apresenta algo que pode ser apelidado de "remistura" mas que não é bem uma remistura, ou está bem para além disso. Podem ouvir os resultados aí em baixo.

Super Bock Super Rock anuncia mais quatro nomes
· POR André Gomes · 24 Mar 2015 · 10:29 ·


Bombay Bicycle club, Savages, The Drums e Palma Violets. São os quatro nomes confirmados hoje para a próxima edição do Super Bock Super Rock. Este ano o festival acontece no Parque das Nações entre os dias 16 e 18 de Julho Os bilhetes estão à venda nos locais habituais e custam 95 euros (passe geral) e 50 euros (bilhete para um dia).

Estes nomes juntam-se a um cartaz onde constam já Blur, SBTRKT, Sinkane, Toro Y Moi, Gramatik, Sting, Milky Chance, Noel Gallagher's High Flying Birds, The Vaccines, Perfume Genius, Little Dragon, Kate Tempest, dEUS, Kindness, Florence + The Machine, Crystal Fighters, Banda do Mar e Modernos.

Novo disco de Daughn Gibson em Junho
· POR André Gomes · 23 Mar 2015 · 18:44 ·
© Sarah Cass

Corações ao alto. Aqui está uma notícia para alegrar o dia de muito boa gente. A Sub Pop prepara-se para editar o novo disco do cantautor norte-americano Daughn Gibson no dia 1 de Junho. Carnation é o sucessor de Me Moan, editado em 2013, e foi co-produzido pelo próprio e por Randall Dunn (Earth, Sunn O))), Tim Hecker).

O primeiro single chama-se “Shatter You Through” e pode ser ouvido ali em baixo em toda a sua glória. É tempo bem gasto, podemos assegurar. Podem ainda ver o alinhamento do disco depois. O disco conta com as colaborações do compositor/violinista Eyvind Kang (nos arranjos de cordas), o baterista Matt Chamberlain e Jim Elkington.



1. Bled to Death
2. Heaven You Better Come In
3. Shatter You Through
4. For Every Bite
5. Daddy I Cut My Hair
6. A Rope Ain’t Enough
7. I Let Him Deal
8. Shine of the Night
9. Runaway and the Pyro
10. It Wants Everything
11. Back With the Family
Rita Braga vai mostrar as suas novas canções em Lisboa e no Porto
· POR André Gomes · 23 Mar 2015 · 12:37 ·


Gringo in São Paulo
. É o nome do novo EP de Rita Braga, sucessor do seu disco de estreia Cherries That Went To The Police, que chegou até nós em 2011. Os concertos de lançamento acontecem na Galeria Zé dos Bois, em Lisboa, na próxima quinta-feira, e no dia seguinte no Passos Manuel, no Porto.

Este EP conta com a participação de vários músicos de São Paulo, como Mancha Leonel (bateria), Bernard Simon Barbosa (guitarra eléctrica e baixo), Pedro Falcão (cuíca e pandeiro), José Vieira (piano), Peri Pane (violoncelo), Matheus Zingano (guitarra acústica). Gringo in São Paulo conta ainda com a colaboração do norte-americano Chris Carlone. O primeiro single desde novo registo pode ser ouvido aqui em baixo.

Tanques, lágrimas, fábricas, punhais
· POR Paulo Cecílio · 23 Mar 2015 · 11:53 ·


Lembram-se de quando passávamos os dias a noticiar bandas italianas? Eram tempos fixes, não eram? O que vocês não sabem é que só o fazemos porque temos a esperança de, um dia, alguma delas nos convidar para lá ir beber uns copos, pagando as nossas viagens e apresentando-nos a gatinhas que falem a língua da Asia Argento. E porque, convenhamos, são bandas porreiras.

Olhem estes: os Tanks and Tears têm um disco intitulado Know Yourself, acabadinho de sair, pós-punk como manda a tradição. E têm uma canção chamada "Crappy Monday", por isso faz todo o sentido que lhes demos destaque, hoje.

Feira Morta volta em Março
· POR Paulo Cecílio · 23 Mar 2015 · 10:42 ·


Desta feita a festa será na Parede, mais concretamente na Sociedade Musical de União Paredense, no próximo fim-de-semana. Para além das editoras DIY, das dezenas de artistas e comprinhas boas e d'O Gato Mariano a pagar copos à malta, contem com concertos de Sallim, MMMOOONNNOOO e Rabu Mazda no sábado (17h, 18h e 19h respectivamente) e Yan-Gant Y-Tan, Who Framed Dalai Lama e DJ set de unDJ MMMNNNRRRG no domingo (idem). Saibam mais aqui.

Agendas ao alto, eis os próximos meses da ZdB
· POR João Morais · 20 Mar 2015 · 14:25 ·


Ahhh, o início da Primavera. As flores começam a florir, os pássaros chilreiam alegremente e a ZdB anuncia o ciclo dos meses vindouros, que começa já amanhã, dia 21, com os norte-americanos Useless Eaters e o nosso bem conhecido Duquesa. Mas o destaque vai certamente para o alemão Michael Rother, recém-anunciado para o Milhões de Festa e que vai aproveitar o embalo para dar um saltinho à capital e tocar algumas das canções de Neu!, Harmonia e do seu repertório a solo no dia 27 de Julho.

Para além disso, os norte-americanos Shabazz Palaces (23 de Abril), a francesa Coleen com o seu novo disco Captain of None (8 de Maio), a noite “dois em um” com Jed Fair e Normann Blake (20 de Maio) e o mítico Thurston Moore com Debbie Googe dos My Bloody Valentine e James Sedwards (7 de Junho) e muitos outros nomes prometem abrilhantar ainda mais a época solarenga. As informações de horários e preços estão todas aqui, mas se estiverem a pensar em ir ver Grouper no Teatro Maria Matos e Devendra Banhart & Andy Cabic na Sociedade de Geografia de Lisboa podem tirar o cavalinho da chuva, que ambos os concertos já estão esgotados.

Vetiver: já se pode ouvir o novo disco
· POR Paulo Cecílio · 19 Mar 2015 · 18:10 ·


Andy Cabic passará por cá com o amigo Devendra em Maio (para dois concertos em Espinho e Lisboa com a lotação esgotada), mas até lá podemos ir ouvindo o seu novo disco. Complete Strangers, o sétimo álbum dos Vetiver, sucedendo a The Errant Charm, de 2011, está já disponível para escuta no Soundcloud da Easy Sound, que o edita. A data de lançamento concreta será no próximo dia 24 de março. Tudo aqui.

Moreno Veloso traz a sua Coisa Boa a Portugal
· POR João Morais · 19 Mar 2015 · 16:45 ·


Os últimos dias têm sido bons para os fãs do clã Veloso cá do bugo; primeiro a confirmação do concerto do “papá” Caetano, juntamente com o amigo Gilberto Gil, no EDP Cool Jazz em Julho, e agora o anúncio da passagem do filho Moreno por terras lusas. O brasileiro vem apresentar o aclamado Coisa Boa, lançado em 2014, em duas datas no mês de Maio: 8 de Maio, na Sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge (Lisboa), e 9 de Maio, no Teatro Micaelense (Ponta Delgada).

Os bilhetes já estão à venda nos locais habituais, com custos entre os 10 (concerto de Ponta Delgada) e os 15 euros (concerto de Lisboa). Até lá vale a pena ir aquecendo as gargantas com esta “Coisa Boa”, faixa homónima do disco e um dos três temas de Moreno integrados na (magnífica) banda sonora de Boyhood, filme de Richard Linklater.

Casa da Música: Tricky no NOS Club de Abril
· POR André Gomes · 19 Mar 2015 · 15:06 ·


Em Abril, mais precisamente no dia 11, celebra-se mais uma edição do NOS Club, na Casa da Música, Porto. E com um cartaz bastante amplo, como é apanágio do evento. O grande destaque vai naturalmente para o regresso de Tricky a Portugal (em cima da mesa estará o recentemente editado Adrian Thaws). Mas há mais. Muito mais.

Há Ana Cláudia, Cut Slack, Álvaro Costa às voltas com Lou Reed, Capicua, Best Yotuh e os DJ Sets de Peter Kruder, Branko (dos Buraka Som Sistema) e Miguel Sá. A entrada para o concerto de Tricky na Sala Suggia custa 12 euros; pelo menos preço podem ver Capicua e Best Yoth na Sala 2.

MEDEIROS/LUCAS vão trazer os Açores ao continente
· POR André Gomes · 19 Mar 2015 · 12:54 ·


Arranca já hoje a apresentação em Portugal continental do disco de estreia de MEDEIROS/LUCAS, Mar Aberto. O primeiro concerto acontece esta noite no Musicbox, em Lisboa. Em Abril a dupla apresenta este disco no Teatro de Vila Real (dia 2), Maus Hábitos, Porto (dia 3) e Salão Brazil, Coimbra (dia 4). É de colocar na agenda, certamente.

Se a curiosidade chegou aí até esse lado, e se sentirem a necessidade de resolver isso desde já, tratem de ler a crítica ao disco, publicada hoje mesmo, e o conto que a radialista Inês Maria Meneses imaginou a partir de um dos temas da dupla - para ouvir aqui em baixo.

God Is An Astronaut em Portugal
· POR Alexandra João Martins · 18 Mar 2015 · 15:38 ·


São um dos nomes maiores do post-rock do século XXI, são irlandeses, são os God Is An Astronaut e vão estar em Portugal no próximo mês de Maio. Os concertos acontecem dia 3 e 4, em Porto e Lisboa, respectivamente, e a banda regressa assim, dois anos depois, ao Hard Club e ao Armazém F. Não coincidente, dois anos depois de lançarem o seu último álbum, Origins. A norte, a abertura da noite cabe aos Quelle Dead Gazelle; a sul, cabe aos Katabatic.

Até 31 de Março os bilhetes custam 18 euros, depois disso, 20 euros, e podem ser adquiridos na Amplistore (on-line), e nas lojas Hard Club, Louie Louie, Matéria Prima, Piranha e Bunker Store (concerto do Porto) e Carbono Amadora, Carbono Lisboa, Glam-O-Rama, Flur e Vinil Experience (concerto de Lisboa). Os bilhetes podem também ser reservados através de reservasgiaa@gmail.com.

Afonso Pais edita em duos
· POR Alexandra João Martins · 18 Mar 2015 · 11:36 ·


Terra Concreta
é o nome do projecto e do álbum de Afonso Pais, a ser editado a 13 de Abril. Os companheiros desta viagem às raízes da música, ou seja, à natureza, são Albert Sanz, Beatriz Nunes, Rita Martins, Luísa Sobral e João Firmino. E a metáfora da viagem tornou-se também literal.

A produção deste disco acontece fora de espaços fechados ou estúdios e as composições acústicas foram gravadas em plena floresta e em Parques Naturais. Alguns destes episódios já estão disponíveis online, entre eles este, intitulado "Lisboa Antiga".

A$AP Rocky, entre outros, no Sónar Barcelona 2015
· POR Alexandra João Martins · 18 Mar 2015 · 10:53 ·


O festival Sónar continua a juntar convidados a um painel musical de luxo. Recentemente foram anunciados mais de 30 nomes de artistas, que assim se juntam aos, anteriormente, confirmados The Chemichal Brothers, Skrillex, Die Antwoord ou Flying Lotus. O destaque vai para A$AP Rocky, mas também para nomes chave da música electrónica como Squarepusher, Seth Troxler, Scuba, RL Grime,Mumdance & Novelist, Bomba Estereo, Tiga, Double Vision e Atom™ + Robin Fox.

Também já é possível aceder à programação dos concertos por dia. O festival decorre entre 18 e 20 de Junho, em Barcelona, e o preço dos bilhetes oscila entre os 60 e 195 euros.

The War On Drugs em Paredes de Coura
· POR André Gomes · 18 Mar 2015 · 10:15 ·


The War On Drugs são a mais recente confiormação do Festival Paredes de Coura. Actuam a 21 de Agosto, dia dos já anunciados Charles Bradley, Iceage, Waxahatchee, Allah-Las e Steve Gunn. No cartaz estão ainda os Tame Impala, Pond, Father Jonh Misty, Fuzz e os Temples. A banda norte-americana regressa a Portugal para apresentar (ainda) o mais recente disco de originais, o muito aclamado Lost in the Dream.

A 23.ª edição do Vodafone Paredes de Coura acontece nos dias 19, 20, 21 e 22 de Agosto. Já faltou muito mais, portanto. Os bilhetes encontram-se à venda nos locais habituais.

II de Metz a 4 de Maio
· POR Alexandra João Martins · 18 Mar 2015 · 10:02 ·


II é um título honesto para o nome álbum dos Metz que será lançado a 4 e 5 de Maio pela Sub Pop Records. Estes três meninos-homens, que ainda há bem pouco tempo (ou já foi mesmo há dois anos?) estiveram em Portugal, lançaram-se num trabalho de estúdio em Ontario, no Canadá, que resultou num disco com dez canções - destrutivas, apostamos nós.

II já pode ser encomendado através da Sub Pop Mega Mart, do iTunes, da Amazon ou do Band Camp. O single "Acetate" já pode ser ouvido aqui e confirma as nossas profecias. O alinhamento pode ser consultado logo depois.



1. Acetate
2. The Swimmer
3. Spit You Out
4. Zzyzx
5. IOU
6. Landfill
7. Nervous System
8. Wait in Line
9. Eyes Peeled
10. Kicking a Can of Worms
O Reverence Valada tem mais quatro nomes
· POR André Gomes · 17 Mar 2015 · 23:41 ·


Depois de terem confirmado nomes como os The Horrors, Sleep, Alcest ou Samsara Blues Experiment, entre outros, d de nos terem deixado com vontade de invedir o Ribatejo, o Reverence Valada anunciou mais quatro nomes para a sua segunda edição. São eles os Grave Pleasures, Electric Eye, The Altered Hours e One Unique Signal. Que tal?

Depois da estreia em 2014, o Reverence Valada volta a dar música à localidade ribatejana nos dias 27, 28 e 29 de Agosto. A organização promete para este ano, e para além do alargamento para três dias, "menos bandas e concertos mais longos, maior oferta nos serviços de restauração e melhorias na iluminação do recinto e do parque de campismo". Os bilhetes encontram-se à venda. O passe de três dias custa 58€ de 13 de Fevereiro a 30 de Junho, 65€ de 1 de Julho a 26 de Agosto e 70€ de 27 a 29 de Agosto. Apressem-se.

A estreia de Courtney Barnett já pode ser ouvida
· POR André Gomes · 17 Mar 2015 · 23:24 ·


É exactamente o que o título diz. O disco de estreia da australiana Courtney Barnett, gravado em Melbourne no Verão de 2014, já pode ser ouvido em streaming. Sometimes I Sit And Think, And Sometimes I Just Sit é o primeiro disco propriamente dito depois do lançamento de dois EPs, I've Got a Friend Called Emily Ferris (2011) e How to Carve a Carrot into a Rose (2013), editados depois conjuntamente em The Double EP: A Sea of Split Peas, editado há dois anos.

O disco de que falamos sai no dia 23 de Março com selo da House Anxiety/Marathon Artists e pode então ser ouvido aqui em baixo. É um daqueles discos que, nem que seja por precaução, podemos e devemos colocar na lista provisória de melhores discos de 2015. Só naquela. Tirem as vossas dúvidas.

O fado sensual dos Ermo
· POR João Morais · 17 Mar 2015 · 22:16 ·


Para além das alergias, a Primavera também tem a mania de fazer pulular em nós toda uma série de hormonas, tornando mais comum o fenómeno que muitos apelidam de “amor”. É certo que a música dos Ermo dificilmente poderá ser vista como primaveril, mas a verdade é que o próximo EP da dupla, Amor Vezes Quatro, chega pouco depois das andorinhas no próximo dia 24, pelo que a ligação não será de todo descabida (e até porque as andorinhas, tal como a pop dos Ermo, também se vestem de negro).

“Fado Teu”, lançado hoje, é o single de avanço do registo, e é já a segunda faixa do EP que nos é revelada, depois de “Súcubo” nos ter chegado aos ouvidos em meados de Fevereiro. A canção, essa, é lânguida e tresanda a sexo, e só nos deixa com mais vontade de ouvir o resto do disco que aí vem, entre outras coisas. Para “ouver” este “Fado Teu” e o teledisco respectivo, basta virem por aqui até ao Público.

Michael Rother, Deerhoof e um porradão de nomes para o Milhões de Festa
· POR João Morais · 17 Mar 2015 · 19:11 ·


Okay, talvez não seja um porradão assim tão grande, mas o anúncio de seis novos nomes para o melhor festival de música de Barcelos é, ainda assim, uma maneira e peras de começar a semana. A encabeçar as novidades está Michael Rother, que dispensa apresentações; o veteraníssimo alemão virá a solo nacional tocar Neu!, Harmonia e algum material de nome próprio, num concerto que trará o sabor de mais de 40 anos de história da música popular.

No mesmo lote chega igualmente o anúncio de Deerhoof e Peaking Lights, ambas as bandas vindas da California e com discos frescos para apresentar; os primeiros já deverão ser bem conhecidos de todos e virão com La Isla Bonita, enquanto que os segundos trarão com eles o psicadelismo de Cosmic Logic.

Já o contingente nacional do Milhões viu serem-lhe acrescentados três novos nomes: Live Low, Cave Story e Plus Ultra, todos eles projectos frescos e vibrantes (ainda que do primeiro faça parte o nosso já “velho conhecido” Ghuna X). Estes seis nomes juntam-se assim a um cartaz que já contava com The Bug (ft. Flowdan & Manga), The Cosmic Dead, Cairo Liberation Front e Dreamweapon, entre muitos outros. Não esquecer que o Milhões de Festa 2015 realiza-se entre os dias 23 e 26 de Julho e que os passes, disponíveis nos locais habituais, custam 49,99 euros até ao dia 11 de Maio.

Entremuralhas fecha cartaz
· POR Paulo Cecílio · 13 Mar 2015 · 12:09 ·


O festival de Leiria regressa em força no próximo mês de Agosto e tem dois nomes imperdíveis: Lene Lovich passará por lá para, calculamos, revisitar pérolas como Stateless, ao passo que a banda/obra de arte/nação viva Laibach terá honras de cabeça de cartaz, trazendo consigo o disco que editou em 2014, Spectre (e aquela versão incrível, marcial, de "Life Is Life". Podendo). O festival decorre entre 27 e 29 de Agosto, no Castelo de Leiria, com os passes já à venda pelo preço de 60€ até dia 30 de Abril. Podem obter mais informações no website da Fade In. O cartaz completo é este aqui em baixo.



27/8
- Phantom Vision
- Tying Tiffany
- Lene Lovich Band
 
28/8
- Jordan Reyne
- Keluar
- 6 Comm
- Motorama
- [:SITD:]
- Igorrr
 
29/8
- A Dead Forest Index
- Ash Code
- Art Abscons
- And Also The Trees
- Agent Side Grinder
- Laibach
The Fall revelam novo disco
· POR Paulo Cecílio · 13 Mar 2015 · 11:33 ·


Quase quarenta anos e mais de trinta discos depois, o anúncio de um novo LP dos Fall já não tem aquele certo élan, já não nos arrepiamos por saber que Mark E. Smith y sus amigos vão colocar música nova do mundo. Pelo menos, isso seria o lógico da coisa. O que é certo é que um novo trabalho dos Fall vale sempre a pena, e surge agora a confirmação de que no próximo dia 25 de Maio a banda irá editar Sub-Lingual Tablet pela Cherry Red Records. A tracklist é a que se segue, e o nome da última malha faz-me sentir mal por ter comprado um ainda ontem.



1. 'Venice With The Girls'
2. 'Black Root'
3. 'Dedication Not Medication'
4. 'First One Today'
5. 'Junger Cloth'
6. 'Stout Man'
7. 'Auto Chip 2014-2016'
8. 'Pledge'
9. 'Snazzy'
10. 'Fibre Book Troll'
11. 'Quit iPhone'
Blur confirmados no Super Bock Super Rock
· POR André Gomes · 13 Mar 2015 · 11:29 ·


Os Blur são a mais recente confirmação do festival Super Bock Super Rock. Já devem saber, mas... este ano o festival acontece no Parque das Nações entre os dias 16 e 18 de Julho Os bilhetes estão à venda nos locais habituais e custam 95 euros (passe geral) e 50 euros (bilhete para um dia).

Depois de doze anos de interregno discográfico e de sete anos de “vai-não vai”, os Blur lançam finalmente um novo disco. Chama-se The Magic Whip, foi concebido durante a Primavera de 2013 ao longo de cinco dias que o grupo passou num estúdio em Hong Kong e será lançado no dia 27 de Abril com o selo da Parlophone. 

Castello Branco em Portugal
· POR Paulo Cecílio · 13 Mar 2015 · 11:09 ·


O brasileiro estrear-se-á no nosso país em Maio, com três concertos que encherão as medidas dos fãs, revela a edição de hoje do Jornal Público: a 8 passa pelo Auditório de Espinho, a 9 pelo Aqui Base Tango (Coimbra) e a 10 desce até à Casa Independente (Lisboa). Norte, centro e sul: não há desculpas.

Com Castello Branco virão as canções de Serviço, disco editado há dois anos e que irá agora revelar-se am palco com todo o seu esplendor. Podem sacá-lo no website do músico. Aqui em baixo podem ver o episódio da Videoteca Bodyspace filmado no Rio de Janeiro.

Jaakko Eino Kalevi lança novo disco em Junho
· POR André Gomes · 12 Mar 2015 · 22:34 ·


O finlandês Jaakko Eino Kalevi, que agora trabalha para o mundo a partir de Berlim, prepara-se para lançar um novo disco em Junho, no dia 15 mais precisamente. O disco tem o título igual ao seu estranhamente exótico nome, e é o primeiro a ter o selo da Weird World. A capa é aquela que podem observar ali em cima.

O novo disco do outrora condutor de tram em Helnsiquia tem dez temas e foi misturado em Nova Iorque por Nicolas Vernhes, que trabalhou recentemente com The War On Drugs e Run The Jewels. O primeiro tema a ser conhecido deste registo chama-se "Double Talk" e pode ser ouvida aqui. Pop estranha da boa. O alinhamento do disco vem logo depois deste vídeo registado ao vivo.



1. J.E.K.
2. Double Talk
3. Deeper Shadows
4. Say
5. Mind Like Muscle
6. Night At The Field
7. Don’t Ask Me Why
8. Room
9. Hush Down
10. Ikuinen Purkautumaton Jännite
 
Emicida regressa a Portugal em Abril
· POR André Gomes · 12 Mar 2015 · 11:41 ·


Emicida, que é como quem diz E.M.I.C.I.D.A., que é como quem diz Enquanto Minha Imaginação Compor Insanidades Domino a Arte, tem dois concertos marcados para Portugal em Abril. Os concertos acontecem na Casa da Música, no Porto, no dia 22 de Abril, e no Armazém F, Lisboa, dia 23 de Abril. Os bilhetes estão à venda a partir de hoje nos locais habituais.

Leandro Roque de Oliveira apresenta por cá as canções do seu único disco de estúdio lançado até à data, O Glorioso Retorno de Quem Nunca Esteve Aqui (2013). É de lá que vem a belíssima canção que podem escutar aqui em baixo.

10 000 Russos apresentam disco
· POR Paulo Cecílio · 12 Mar 2015 · 11:32 ·
© Betânia Liberato

O sucessor do EP editado em 2013 está mesmo, mesmo a chegar. Para já, é possível escutar "Karl Burns", que para além de ser um belíssimo tema psych-p'rá-carola é muito provavelmente uma homenagem ao baterista intermitente dos Fall entre 1977 e 1998. E, se não for, o Joca que explique quem é o gajo. O disco sairá em Maio pela editora londrina Fuzz Club, casa de malta igualmente fixe como os Black Angels ou The Wands. Ouçam a canção e vejam o vídeo aí em baixo, realizado pelo André Couto.

Está a chegar a 13ª edição da Festa do Jazz
· POR Nuno Catarino · 12 Mar 2015 · 00:49 ·
Kaja Draksler

A Festa do Jazz está a chegar à sua 13ª edição e volta a ter como casa o São Luiz Teatro Municipal. A festa vai acontecer nos dias 27, 28 e 29 de Março, apresentando muito jazz no centro de Lisboa. Pelos palcos do São Luiz vão passar várias gerações do jazz português e não só. Entre o Jardim de Inverno e a sala principal irão actuar nomes como João Guimarães, Kaja Draksler, Ensemble Super Moderne, André Matos + Tony Malaby, Demian Cabaud Trio, Maria João, André Santos, Lina Nyberg, Gileno Santana, Deux Maisons e Desidério Lázaro, entre outros.

Nas tardes de sábado e domingo, entre as 14h30 e as 19h, actuam os grupos de alunos das escolas de jazz - estas actuações das escolas têm entrada livre. O programa completo está ali e os preços variam entre 15€ (passe 1 dia), 25€ (2 dias) ou 30€ (3 dias) - e há descontos.

Franz Ferdinand e Sparks, casamento com lua-de-mel no Super Bock Super Rock
· POR João Morais · 11 Mar 2015 · 19:01 ·


FFS. O nome não é muito original e é simplesmente a sigla das iniciais de Franz Ferdinand e de Sparks, mas já é entusiasmante o suficiente saber que os indie rockers escoceses e os veteraníssimos psicadélicos norte-americanos vão colaborar num disco. Ainda não há muita informação, mas por enquanto já temos um trailer (que poderão ver mais abaixo) e datas da digressão do supergrupo.

Mas mais entusiasmante que isso tudo é o facto de a dita tournée passar por solo nacional, mais concretamente pelo palco principal do Super Bock Super Rock, onde os Franz Ferdinand e os Sparks actuarão a 18 de Julho, no mesmo dia de Florence and the Machine, Crystal Fighters, Banda do Mar e Modernos. Os bilhetes, já se sabe, estão disponíveis nos locais habituais, e custam entre 50 (diário) e 95 euros (três dias).

Tame Impala mostram nova canção
· POR André Gomes · 11 Mar 2015 · 17:40 ·


Os australianos Tame Impala acabam de mostrar aquele que será a primeira canção do seu novo disco. Não é o primeiro single mas é a primeira canção. Confusos? Nós também. De qualquer das formas o tema em questão chama-se “Let It Happen” e está disponível para download directo e gratuito. Carreguem então aqui. E assim começa a aventura.

O novo disco, ainda sem nome nem data de edição prevista, deverá ser lançado antes do final do ano. Será o sucessor do muito aclamado Lonerism​, editado em 2012. Recorde-se que a banda regressará a Portugal este ano para um concerto a ter lugar no Festival de Paredes de Coura, que acontece no dia 20 de Agosto. 

Jazzfest de regresso a Portalegre
· POR Nuno Catarino · 11 Mar 2015 · 16:13 ·
Susana Santos Silva & Kaja Draksler © Petra Cvelbar

O Portalegre Jazzfest está de regresso e apresenta para a sua 12ª edição mais um cartaz forte. O festival arranca no dia 19 de Março, com a actuação do grupo CAEP Voices, apresentando "Clássicos do jazz". No dia 20 actua o contrabaixista Michael Formanek, com o seu grupo Cheating Heart, que inclui o saxofonista Tim Berne. A 21 actua o trio de Chris Speedm com Chris Tordini e Dave King (actuam também em Lisboa, no novo Desterro). Nas noites de 20 e 21 de Março as sessões "after-hours" acolhem o Ricardo Toscano Quarteto, que reúne quatro dos mais interessantes músicos da nova geração do jazz nacional: Toscano (saxofone), Diogo Duque (trompete), Romeu Tristão (contrabaixo) e João Pereira (bateria).

O segundo fim-de-semana de concertos arranca com a actuação do André Matos/Tony Malaby Quartet, no dia 27. No dia 28 Susana Santos Silva actua com a pianista Kaja Draksler e com o grupo De Beren Gieren. As "after-hours" de 27 e 28 contam com a actuação do quarteto Deux Maisons: Luís Vicente, Théo Ceccaldi, Valentin Ceccaldi e Marco Franco. Nesta 12ª edição, continuará a parceria entre o CAEP e a editora Clean Feed, através da oferta de CDs na compra de entradas para o festival: oferta de um CD por cada bilhete para o orande gditório; oferta de 4 CDs pelo passe para os quatro dias.

Supersilent no Maria Matos
· POR Nuno Catarino · 11 Mar 2015 · 16:07 ·


Os noruegueses Supersilent vão actuar no Teatro Maria Matos no próximo dia 20 de Março. Com um disco ainda fresco, 12 foi editado em 2014, o grupo de Arve Henriksen, Ståle Storløkken e Helge Sten (AKA Deathprod) apresenta-se ao vivo em Lisboa. Os nórdicos trazem a sua electrónica e jazz atmosférico para um concerto raro em Portugal. O bilhete vale 14€, com desconto fica por 7€, os menores de 30 anos pagam apenas 5€.

Holly Herndon lança novo disco em Maio
· POR André Gomes · 11 Mar 2015 · 12:08 ·


Holly Herndon prepara-se para editar aquele que é o seu disco de estreia com o selo da 4AD. No dia 18 de Maio, a norte-americana publica Platform, onde continua a explorar a fronteira entre a música de dança e a pop. O sucessor de Movement, lançado em 2012, tem dez faixas. Depois de termos ouvido "Chorus" e "Home", é agora altura de conhecer "Interference", o tema que abre este novo disco. Podem tratar disso ali em baixo.

Mais para o cérebro do que para as ancas. É um possível slogan para a música de Holly Herndon. Em Maio vamos poder perceber se Platform é ou não a prova viva desse slogan. O alinhamento do disco pode sr consultado ali em baixo.



1. Interference
2. Chorus
3. Unequal
4. Morning Sun
5. Locker Leak
6. An Exit
7. Lonely At The Top
8. DAO
9. Home
10. New Ways To Love
The Sinclair Sinclair apresentam disco
· POR Paulo Cecílio · 11 Mar 2015 · 10:40 ·


O quarteto The Sinclair Sinclair, oriundo de Tallinn, Estónia, onde segundo consta a vodka é mais barata que um pedaço de pão, chegou-nos aos ouvidos recentemente com o anúncio de um disco a sair em Junho. Breaking The Waves será o seu álbum de estreia e o primeiro single pode ser ouvido no Soundcloud, isto se ainda quiserem ouvir canções com um pé na dream pop e outro na hipnagogia (vá lá, vale sempre a pena). "Cosmos" pode ser escutada aí em baixo e faz bastante jus ao seu título.

Woodkid e Lykke Li juntos? Só pode ser filme
· POR André Gomes · 10 Mar 2015 · 11:50 ·


É mesmo filme. Mas é verdade.  Woodkid e Lykke Li juntaram-se para gravar uma canção para a banda-sonora de Insurgent, um filme que chega aos ecrãs no dia 20 de Março. A canção chama-se "Never Let You Down" e é, muito visivelmente, a soma das duas partes. A banda-sonoroa será editada no dia 17 de Março com o selo da Interscope.

Podem ouvir a canção propriamente dita aqui em baixo. O alinhamento da banda-sonora, que inclui uma colaboração entre os M83 e as HAIM, surge logo depois.



01 M83: "Holes in the Sky" [ft. Haim]
02 Royal Blood: "Blood Hands"
03 Woodkid: "Never Let You Down" [ft. Lykke Li]
04 Anna Calvi: "The Heart of You"
05 Zella Day: "Sacrifice"
06 SOHN: "Carry Me Home"
07 Imagine Dragons: "Warriors"
08 Joseph Trapanese: "Convergence Score from Insurgent"
Santa Maria Summer Fest: últimos nomes anunciados
· POR Paulo Cecílio · 10 Mar 2015 · 11:31 ·


Está fechado o cartaz do festival que durante três dias irá rebentar com Beja. A juntar-se aos anteriormente anunciados, os alemães Warhammer e Blood Atonement, bem como a armada nacional composta por Theriomorphic, Midnight Priest, Vaee Solis, Shoryuken, Cangarra e Mendigo Blues, darão também concertos no evento que ocorre entre 12 e 14 de Junho. O passe geral custa 12€ até dia 31 de Maio e pode desde já ser adquirido - é só irem até ao website do festival.

UM AO Molhe continua na estrada
· POR Paulo Cecílio · 10 Mar 2015 · 11:22 ·


O festival itinerante de one-man bands, que se iniciou em Fevereiro, regressa à estrada já esta semana, após ter já passado pelo Funchal, Porto, Aveiro e Guimarães, só para citar algumas. Antes de não terem tempo de nos safar umas palavras - como bem sabemos, apanhar rede dentro do carro é lixado - fomos falar com os organizadores, Manuel Molarinho e Pedro Pestana, também eles one-man bands de pleno direito: o primeiro como O Manipulador, o segundo enquanto Tren Go! Sound System.

Como surgiu a ideia de fazer um festival itinerante e para one-man bands?

M.M.: Cada um de nós tinha secretamente esta ideia, até que a partilhamos numa noite de copos. Foi o início desta bela viagem. Como somos nós próprios one-man bands, gostamos de tentar acompanhar o que se passa à nossa volta e ambos sentimos que estamos numa altura riquíssima para a música em Portugal, do ponto de vista da criação. Assim que percebemos que tínhamos uma vontade mútua de querer pôr esta nova vaga de malta a fazer música a solo em Portugal a mexer-se e a tocar, começámos a pôr o plano em prática.

P.P.: A ideia de itinerância tem a ver com a procura de uma continuidade temporal dos eventos. A maior parte dos eventos deste cariz são concentrados em um, dois ou três dias e depois até para o ano. Estender esta iniciativa por vários meses e várias cidades é uma forma de sair desse formato e de criar uma espécie de circuito para tentarmos todos tocar o mais possível. E, tocando vários em cada dia, fomenta-se o contacto e a familiaridade entre os vários músicos e atenua-se alguma da solidão habitual de andar pela estrada como one-man band.

Como tem sido a adesão do público até agora?

M.M.: Em bom português, jusqu’ici tout va bien. O público tem sido bastante receptivo e por vezes até efusivo nas suas manifestações de prazer. Notamos que há uma abertura de espírito muito grande por todos os projectos por parte dos aficionados de uma one-man band em particular. É sempre uma experiência bastante interessante observar que no universo das one-man bands existem tantas linguagens diferentes para fazer música.

Para além de serem, obviamente, one-man bands, que mais pesou na escolha de cada qual destes projetos?

P.P.: Os projectos que escolhemos foram, de certa forma, aparecendo. Ora por serem de amigos, ora porque nos mostraram. De repente já eram trinta e tivemos de parar porque já sentíamos dificuldade para arranjar concertos para todos. A base da escolha é o nosso gosto pessoal embora haja muitos outros que gostamos e que não conseguimos incluir, mas esperamos ter vários anos e edições do festival para fazê-lo. Para além disso, nesta primeira edição preocupámo-nos especificamente com dois factores na decisão: quisemos dar abrangência ao termo one-man band, e afastámo-nos das one-man bands mais tradicionais dos multi-instrumentistas - apesar de sermos fãs de muitos deles, achámos mais importante dar ênfase às mil e uma possibilidades de nos apresentarmos a solo hoje em dia. [Além disso] procurámos elencar one-man bands que fossem de certa forma emergentes e precisassem mais da nossa ajuda para dar concertos do que outros com créditos e público mais firmado.

Sentem que o fim a que se destinaram – criar um circuito sólido para o número cada vez maior de músicos portugueses – está a ser cumprido? Que falta ainda melhorar?

M.M.: É uma pergunta difícil de responder porque não chegámos ao fim, nem sequer a metade da primeira edição do UM AO MOLHE. A única coisa sólida na cultura ultimamente têm sido os cortes... Achamos que, para já, podemos dar-nos por satisfeitos com os primeiros trinta dias do festival. Já organizamos 38 ou 39 concertos em doze datas e nove cidades diferentes e temos tido, com uma ou outra excepção, mais público do que esperávamos. E ainda estamos a começar. Mas não cremos que nos tenhamos proposto a criar um circuito sólido, antes ajudar a fazê-lo. Se há coisa que, quase paradoxalmente vamos aprendendo, é que não se faz nada sozinho. Da mesma forma que o público se mostra receptivo, o entusiasmo dos músicos que participam, dos espaços que nos acolhem e dos nossos parceiros (que são mais, a cada dia que passa) é absolutamente essencial. Sem o esforço conjunto de todos, não seria possível que o festival acontecesse.

P.P.: Espaço para melhorar há sempre. Todos os dias nos deparamos com coisas que podemos melhorar no âmbito do festival, desde questões logísticas a organizacionais. Garantir a remuneração condigna dos músicos, por exemplo, é uma das nossas maiores preocupações e dificuldades. As concessionárias das auto-estradas e as gasolineiras andam certamente a fazer mais com o festival do que os músicos. Num país em que quase toda a gente não passa um dia sem ouvir música, é importante inverter a tendência crescente de se pagar cada vez menos aos músicos. Temos objectivos claros de arranjar patrocínios que equilibrem este desajuste e de alertar para a necessidade de se aguçar a curiosidade musical nos concertos locais e não só nos grandes festivais. Os músicos dependem cada vez mais da presença de público nos concertos para poderem ter um mínimo de rentabilidade com a sua actividade, quer porque os pequenos negócios têm dificuldade em fazer o suficiente para sustentar essa remuneração, quer por vivermos numa era em que os impostos que pagamos quase nunca servem para incentivar a criação e a divulgação cultural.

M.M.: Nenhum de nós fez isto a esta escala antes, é o chamado "aprendendo, fazendo". De qualquer forma, estamos a adorar a experiência e também é útil perceber nos vários contextos dos espaços e cidades o que existe e o que se pode fazer.

Já têm mais alguma coisa na calha para quando terminar o festival, em Maio?

P.P.: Gostávamos de terminar o festival com uma grande festa onde se reunisse o maior número possível de one-man bands. Depois, merecemos uns dias de pausa, desfrutar um pouco do verão e dos seus bailaricos nas ruas do Porto. E também nos queremos dedicar aos nossos outros projectos.



O UM AO Molhe passará por Viana do Castelo na próxima sexta-feira, no Kommix, com concertos de Dawn: Bird, Jacketx, O Manipulador e Tren Go! Sound System. Podem consultar as restantes datas e locais na página de Facebook do evento.
Chris Speed no Desterro em dose dupla
· POR Nuno Catarino · 10 Mar 2015 · 11:15 ·


O Desterro vai receber o trio de Chris Speed em dose dupla, no próximo dia 20 de Março. O trio do saxofonista americano irá apresentar uma masterclass durante a tarde e um concerto à noite. O concerto do Chris Speed Trio arranca pelas 21h30 e, a acompanhar o saxofone tenor de Speed, estarão Chris Tordini no contrabaixo e Dave King (The Bad Plus) na bateria.

A masterclass está marcada para as 16h e as inscrições devem ser feitas para o email darclisbon@gmail.com. O preço para a masterclass + concerto é 15€, a masterclass fica em 10€, o concerto vale 7€. A entrada no Desterro é exclusiva a sócios, para os não sócios acrescem os 3€ da quota anual.

Double Bill assinala aniversário em grande
· POR Nuno Catarino · 10 Mar 2015 · 00:12 ·
Nate Wooley © Peter Gannushkin

O ciclo de concertos "Double Bill" vai celebrar o seu quinto aniversário com dois concertos muito especiais. A Casa das Artes da Fundação Bissaya Barreto, em Coimbra, acolhe no dia 25 de Março dois concertos: Nate Wooley e Frame Trio com Théo Ceccaldi e Valentin Ceccaldi. O trompetista americano Wooley apresenta-se em formato solo, actuando na ZDB na noite anterior.

Já o Frame Trio, que reúne os portugueses Luís Vicente (trompete), Marcelo dos Reis (guitarra acústica) e José Miguel Pereira (contrabaixo), junta-se a dois músicos franceses, os irmãos Ceccaldi: Théo no violino e viola d'arco, Valentin no violoncelo. Os concertos têm hora marcada para as 21h30 e a entrada vale 5€.

O Doido e a Morte revelam EP
· POR Paulo Cecílio · 09 Mar 2015 · 22:34 ·


Já havíamos por aqui revelado, em exclusivo, "Dília", a faixa que fecha este EP curtíssimo d'O Doido e a Morte, projecto que regressa agora em 2015 após ter parado algum tempo por razões académicas e profissionais, conforme nos revelou o Gobi Bear há um ano. Costa - é este o nome do EP - tem o selo da Planalto Records e pode ser escutado e sacado directamente do Bandcamp e, para além de "Dília", é composto por "Este" e "Costa". Confiram: não sairão desiludidos.

Brasileiros Dingo Bells lançam disco de estreia
· POR André Gomes · 09 Mar 2015 · 22:27 ·
© Rodrigo Marroni

Os brasileiros Dingo Bells são Felipe Kautz, Rodrigo Fischmann e Diogo Brochmann. São de Porto Alegre. Lançam o disco de estreia em Abril. "Eu Vim Passear", o single de estreia, já está aí para que os possam conhecer - se é que ainda não deram de caras com eles. Podem ouvir a canção propriamente dita clicando neste link.

Maravilhas da Vida Moderna, o disco de estreia da banda gaúcha, chega então no dia 7 de Abril. O registo conta com as participações especiais de músicos dos Apanhador Só, Selton e Mustache & Os Apaches, O disco conta com 11 temas e teve a produção de Marcelo Fruet, responsável pelo disco de estreia dos Apanhador Só, entre outros,

Vem aí o segundo disco dos Evols
· POR André Gomes · 09 Mar 2015 · 16:56 ·


A promessa andava aí no ar já há algum tempo. E agora o novo disco dos Evols está finalmente a chegar. Gravado e misturado pela banda entre 2013 e 2014, o disco - intitulado Evols II - verá a luz do dia na Primavera. Enquanto isso não acontece os Evols aproveitam para mostrar, sem mais demora, o single de avanço deste novo registo, "Shelter".

Os Evols são agora mais do que eram na altura do primeiro: Jorge Queijo (bateria) e João Santos (baixo) fazem agora parte da formação da banda. Estão previstos para breve os concertos de apresentação do disco a editar pela FNAC discos e Wasser Bassin. Ouçam aqui em baixo o single "Shelter", que mostra uns Evols em constante evolução.

Paraguaii editam EP
· POR Paulo Cecílio · 09 Mar 2015 · 16:36 ·


Os Paraguaii são uma banda nova composta por Igor Gonçalves, Zé Pedro Correia e Giliano Boucinha e disponibilizaram hoje, para escuta e download, o seu primeiro EP, homónimo. Paraguaii oscila entre o rock vestido de negro e momentos mais noisey, contendo cinco faixas que podem de uma maneira geral ser rotuladas como pós-punk - apesar da banda ser meio avessa a categorizações, o que é de louvar. O EP pode ser escutado no Soundcloud aí em baixo, e o vídeo para "Black Ships" também aí está.



Fuzz, Allah-las e Steve Gunn em Paredes de Coura
· POR André Gomes · 09 Mar 2015 · 11:36 ·


Fuzz, Allah-las e Steve Gunn. São mais três os nomes apontados para o Vodafone Paredes de Coura de 2015, que acontece no minho entre os dias 19 e 22 de Agosto. E a variedade continua a ser claramente um dos grandes argumentos do festival. Estes nomes juntam-se aos previamente anunciados Tame Impala, Pond, Temples, Father John Misty, Waxahatchee, Iceage e Charles Bradley. O passe geral para os quatro dias do festival custa 85 euros e está à venda nos locais habituais.

Aqui em baixo podem ver o episódio da Videoteca Bodyspace registado com Steve Gunn na cidade do Porto em 2011.

PAPAYA com disco pronto
· POR Paulo Cecílio · 09 Mar 2015 · 10:51 ·


O novo EP da banda composta por Bráulio Amado, Óscar Silva e Ricardo Martins está prontinho a sair - e nós apresentamo-vos o vídeo para "Modern Times". Os PAPAYA, para quem não sabe, são um trio de noise/punk docinho que tanto será capaz de vos levar a cometer os actos mais tresloucados como a safar-vos companhia para uma noite bem passada, bastando para isso que mostrem os vossos melhores moves na pista de dança enquanto roda o disco.

Podem conhecê-los melhor na entrevista que lhes fizemos há uns tempos. Dois/II será lançado na semana que vem, a 16, e a partir de hoje o 7'' está disponível em pré-venda, devendo vocês falar com a malta da Revolve, que é quem editará o disco. Tenham uma óptima segunda-feira.

Fool’s Gold: novo disco, novo single
· POR André Gomes · 06 Mar 2015 · 18:05 ·


Lembram-se daquela canção fabulosa chamada "Surprise Hotel", que fez o Verão de muita gente nos anos que se seguiram? Ou fomos só nós? Pois as notícias que nos chegam são que a banda de Los Angeles se prepara para lançar o terceiro disco da sua carreira. Chama-se Flying Lessons e chega em Abril, como lançamento especial em vinil do Record Store Day, e em Maio noutros formatos. Terá o selo da ORG Music. O sucessor de Leave No Trace, editado em 2011, tem “I’m in Love” como single de estreia.

O disco, diz o líder Luke Top, é “a culminação de inúmeras horas de viagem, concertos, sucesso, falhanço, escuridão, alegria e a insistência teimosa de seguir em frente e criar o melhor trabalho da banda até à data". A ver vamos. Ouçam o referido single aqui em baixo.

Os japoneses Kikagaku Moyo vão andar por cá em Junho
· POR André Gomes · 06 Mar 2015 · 17:45 ·


Junho está a ficar bem quente. Essas agendas começam a ficar sem muito espaço, verdade? Então apontem mais estas duas. Os japoneses Kikagaku Moyo - ou 幾何学模様 - estarão por cá no sexto mês do ano para dois concertos que prometem - e muito. A 12 de Junho há concerto no Maus Hábitos, no Porto, no dia seguinte repete-se a dose na Galeria Zé dos Bois, em Lisboa.

Os japoneses Tomo Katsurada, Daoud Popal, Ryu Kurosawa, Kotsu Guy e Go Kurosawa apresentam em Portugal o seu hipnótico segundo disco de originais, Forest of Lost Children, editado em 2014. Vejam lá como soa aqui em baixo.

Quem quer conhecer Elspeth Anne?
· POR André Gomes · 06 Mar 2015 · 16:05 ·


Chama-se Elspeth Anne, vem de Bristol e tem um disco a ser lançado em breve com o selo da Woodland Recordings. O registo própriamente dito chama-se Thieves Again e duas das canções são já conhecidas. "Happy Clown" pode ser ouvida e vista ali em baixo, "Unmentioned Previously" pode ser ouvida aqui, no Bandcamp da artista. 

Para além do encanto que vem do mistério da imagem que podem ver ali em cima (e da belíssima capa do disco), Elspeth Anne tem outros encantos: uma espécie de folk negra e com arranques de punk - coisa para exorcizar demónios por certo. O disco estará cá fora no dia 8 de Março e podem fazer a vossa encomenda deste já. 


GNRation desvenda cartaz para os próximos meses
· POR Paulo Cecílio · 06 Mar 2015 · 12:30 ·


O espaço bracarense terá uma agenda de luxo para Abril, Maio e Junho. Senão vejamos: começando pelo duo electrónico Matmos, que recentemente colaborou com Björk, Braga acolherá igualmente concertos do duo Shabazz Palaces, Colleen, Sensible Soccers (que estarão em palco com a artista visual Laetitia Morais) e Aki Onda.

Já na próxima semana, o GNRation recebe Panda Bear, para um concerto que tal como em Lisboa está esgotado, e no final de Março o alemão Stephan Mathieu reinterpretará a obra dos filhos da terra Mão Morta, em jeito de homenagem aos trinta anos de carreira destes. Podem obter mais informações sobre datas e bilhetes no website do espaço.

Rui Eduardo Paes apresenta apresenta Bestiário Ilustríssimo II
· POR Nuno Catarino · 06 Mar 2015 · 11:34 ·


O crítico, musicólogo e ensaísta Rui Eduardo Paes acaba de editar um novo livro sobre músicas, Bestiário Ilustríssimo II / Bala - edição Chili com Carne. Em exclusivo para o Bodyspace, Eduardo Paes não só apresenta o novo livro como desvenda pistas para o futuro.

Porquê a edição de uma continuação de Bestiário Ilustríssimo?

Porque senti que o primeiro volume não bastava para esgotar o conceito que apliquei no livro, mesmo que no início não tivesse a intenção de o continuar. Trata-se do que, por ironia, chamo de “anti-enciclopédia”, porque é uma enciclopédia sem organização alfabética dos nomes tratados, capítulo a capítulo. Muitos músicos tinham ficado de fora, músicos que acho demasiado importantes para não estarem referidos. A ideia de Bestiário Ilustríssimo II tive-a quando colaborava no então jornal Blitz, entre finais da década de 1980 e inícios da de 90, e já então a série “enciclopédica” de textos que publiquei com esse mesmo título geral pareceu-me dolorosamente incompleta. Agora sim, com o Bestiário Ilustríssimo II / Bala sinto que o projecto está mais completo. Se bem que, com a imensidade de grandes músicos que há por aí, outros tenham ficado de fora. Seria impossível incluí-los a todos...

Este livro tem como último capítulo uma secção chamada "Bala", que funciona também como livro autónomo. Porque é que escolheste esta estrutura atípica?

Aconteceu porque senti que o 50º e último capítulo do Bestiário Ilustríssimo II, o Bala precisamente, se autonomizou. Explicando... O novo livro começa com a recuperação do primeiro texto do meu livro Stravinsky Morreu, que foi publicado no começo dos anos 2000 e hoje está inacessível porque a minha editora de então, a Hugin, fechou as portas. Muitos leitores meus, e a própria editora com que hoje estou ligado, a Chili Com Carne, foram-me repetidamente pedindo que eu reeditasse os cinco livros lançados pela Hugin. Depois de nove anos (contados até à data do lançamento da primeira edição de Bestiário Ilustríssimo, em 2012) sem ter um novo livro, achei que isso significaria um regresso ao passado e não um prosseguir do meu caminho como autor. Assim, e como já tinha feito antes com a reciclagem de um par de prosas, recuperei para este volume apenas esse texto, adaptei-o e dei-lhe um novo nome porque introduz a temática geral que quis dar a este novo volume: o tempo. Os capítulos que se seguem são como que uma aplicação das considerações temporais que surgem nesse capítulo de abertura, o mais longo e mais teórico do livro. Quando cheguei ao último, retomei as considerações sobre o tempo numa outra perspectiva e foi isso que definiu a sua diferença. Tudo o que vem antes desemboca ali, e tudo o que o Bala é explica também o que está para trás. Pegando na noção de “tempo-de-bala”, a técnica cinematográfica inaugurada pelo filme Matrix, expus a minha impressão de que eu, como crítico ou musicólogo, mas igualmente todos nós como ouvintes, estamos sempre atrasados em relação à música. Mais: os próprios músicos numa situação de performance, e sobretudo os músicos improvisadores, estão em décalage relativamente às deixas propostas pelos seus parceiros no palco. O que acaba por ir ao encontro das presentes teses científicas sobre o tempo, dando uma ainda maior relevância ao coelhinho de Alice no País das Maravilhas, que corre de um lado para o outro agarrado ao relógio a dizer que está atrasado. Por isso é que neste Bestiário Ilustríssimo II / Bala tanto posso destacar uma obra musical surgida há 20 anos como um disco de edição recente. Estamos tão atrasados em relação a um como ao outro. O Bala surge, pois, como uma síntese, com outros nomes e outras músicas, do que está no Bestiário Ilustríssimo II, e é também um outro Bestiário Ilustríssimo. Daí a decisão de publicar um “dois-em-um”, dois livros num só ou um livro que na verdade são dois. Por isso, em vez de ter capa e contracapa, tem duas capas. Quando se chega ao final de um dos livros (é indiferente que se comece pelo Bestiário Ilustríssimo II ou pelo Bala, se bem que este seja, para todos os efeitos, o último capítulo do Bestiário Ilustríssimo II), é só virá-lo ao contrário para ler o resto.

Tens como tema central a música, mas escreves sobre artistas tão diferentes como Maja Ratkje ou Lady Gaga, Vijay Iyer ou Otomo Yoshihide. O que te leva a escolher estes temas e músicos, tão diversos entre si?

Ao longo de todo o meu percurso de escrita sobre música, e já lá vão 31 anos, procurei transmitir a noção de que nenhum idioma musical, nenhum género, tendência ou estilo, é estanque. Muitos dos músicos que retrato e analiso nos dois volumes do Bestiário Ilustríssimo estão presentes em várias “cenas”, e na sua maioria têm práticas musicais que absorvem ou sintetizam diversas linguagens, em termos de vocabulário, estruturação e técnicas utilizadas. As músicas foram-se tornando cada vez mais sincréticas e inclusivistas ao longo do século XX e neste que há 15 anos encetámos e as delimitações entre géneros foram-se dissipando. Quem ainda acha que se deve preservar o jazz, o rock ou seja o que for não percebeu o que se passa à sua volta. Vive certamente noutro planeta que não este. Nos dois Bestiários, e já agora no Bala, misturo intencionalmente figuras das mais diversas famílias musicais. E procuro demonstrar que, quando lhes damos um contexto, acabamos por descobrir que ESTÁ TUDO LIGADO. Até a Lady Gaga, que não é apenas uma cantora pop, e por isso surge no meio de personalidades daquilo a que eu chamo música “de arte”, para a distinguir da música da indústria do entretenimento. É uma intelectual, alguém com formação artística que praticou e pratica performance-arte e que quis fazer uma pop que é mais pop até do que a pop, nada inocentemente. Claro que os miúdos que a ouvem não se apercebem disso, o que é precisamente o que ela pretende.

Após uma longa ausência (desde Stravinsky Morreu, de 2003), voltaste a partir de 2012 a editar livros com regularidade e este já é o terceiro editado na Chili Com Carne, uma editora habitualmente associada à banda desenhada. Como surgiu a ligação à editora?

Muito simplesmente, porque o Marcos Farrajota, o responsável da Chili Com Carne, apreciava o meu trabalho. A Chili Com Carne é uma editora dedicada à cultura underground do nosso tempo, ou se quiseres à contracultura (termo que voltou a ter significado e expressão, tal como nos idos anos 1960), e nesta a banda desenhada “alternativa” tem um enorme peso. Embora haja na Chili uma colecção de ensaísmo, na qual os meus livros estão inseridos, e uma de literatura, onde habita um dos meus escritores portugueses favoritos, o João Rafael Dionísio, que é – orgulhosamente o digo – o meu revisor. Não sendo as músicas sobre as quais escrevo (jazz criativo, música livremente improvisada, música experimental, rock avant-garde, etc.) propriamente mainstream, essa identificação da Chili Com Carne comigo e a minha com a Chili Com Carne é muito natural. O universo da Chili é o meu universo e logo no arranque da nossa relação disse ao Farrajota que gostaria que os meus livros tivessem ilustrações dos artistas da editora. No "A" Maiúsculo com Círculo à Volta são 11 a ilustrar, no primeiro volume do Bestiário Ilustríssimo os desenhos são da Joana Pires e neste novo são dela e do David Campos, o mesmo que recebeu agora um prémio pelo seu Kossumai. Estou muito contente com esta associação à Chili com Carne, devo dizer. Nos circuitos dos livros de arte, da banda desenhada e do underground cultural os meus livros foram um sucesso de vendas. No caso do primeiro Bestiário Ilustríssimo a procura foi tanta que houve uma reimpressão e depois, em 2014, uma segunda edição com nova capa. O "A" Maiúsculo com Círculo à Volta está perto de esgotar. Curiosamente, vendem-se mais livros meus neste meio do que pelas vias tradicionais, comerciais, de distribuição. Quebrámos aquele apriorismo que garantia que, em Portugal, livros sobre música só interessam, quanto muito, a uma centena de pessoas.

Quais são os teus planos para os próximos tempos? Vamos poder esperar um Bestiário Ilustríssimo III?

Não haverá um Bestiário Ilustríssimo III, seguramente, mas ainda este ano vai sair outro livro meu. Este terá uma relação indirecta com o "A" Maiúsculo com Círculo à Volta. Como ele trata da temática Anarquia versus Música, só que com um foco muito preciso. Se o outro foi de Frank Zappa a Lê Quan Ninh, de Fela Kuti aos Radiohead e da editora Touch ao noise, cruzando-os com uma observação das tendências actuais do pensamento anarquista, o livro que aí vem fala sobre o movimento anarco-queer e a sua ligação ao queercore, ou seja, ao punk hardcore queer. Neste incluo tanto o hardcore propriamente dito, como as derivações que foi tendo desde a década de 1980 em direcção à pop, à música de dança, ao experimentalismo e a intervenções arty. É um mergulho no fascinante mundo da teoria anarquista queer e numa nebulosa musical que por cá se conhece pouco. Toda a equipa de desenhadores da equipa Chili Com Carne vai participar e a ideia é que o livro se pareça com uma fanzine punk dos velhos tempos, usando uma imagética porno-punk XXX. O título tem forma de slogan: Anarco-Queer? Queercore!. Depois, vou descansar um pouco. Ou melhor, vou deixar que quem me lê tire umas feriazitas, pois sei que, como "workaholic" que sou, não conseguirei deixar de escrever...
Desterro acolhe o Lugar da Desordem
· POR Nuno Catarino · 06 Mar 2015 · 01:36 ·


O Desterro, novo espaço lisboeta, acolhe este sábado, dia 7 de Março, o trio "Lugar da Desordem". O trio reúne Paulo Curado (saxofones, flauta), Hugo Antunes (contrabaixo) e Bruno Pedroso (bateria). O concerto tem hora marcada pelas 21h30 e durante a tarde, pelas 16h, realiza-se um workshop orientado por Hugo Antunes, sobre a abordagem de conceitos de improvisação.

O preço para o workshop e concerto é 9€, o workshop custa 6€, o concerto fica por 3€. A entrada no Desterro é exclusiva a sócios, para os não sócios acresce 3€ de quota anual.

Nunca mais chega Maio: vem aí novo disco dos Thee Oh Sees
· POR André Gomes · 06 Mar 2015 · 00:57 ·


Bem sabemos que é algo que acontece quase todos os anos mas mesmo assim é sempre motivo de efusiva celebração para quem, como este que assina, acha que os Thee Oh Sees são a melhor banda de rock 'n' roll do mundo. Então é assim: a banda do mais do que carismático John Dwyer lança um novo disco em Maio.

O novo rebento, o sucessor de Drop, chama-se Mutilator Defeated At Last, chega até nós no dia 18 de Maio e terá o selo da Castle Face. O incrível single de avanço deste novo disco chama-se "Web" e pode ser ouvido aqui. Ali em baixo podem consultar o alinhamento de Mutilator Defeated At Last. A capa é aquela que podem ver ali em cima. E é assim, nunca mais chega Maio.



01 Web
02 Withered Hand
03 Poor Queen
04 Turned Out Light
05 Lupine Ossuary
06 Sticky Hulks
07 Holy Smoke
08 Rogue Planet
09 Palace Doctor
The Weather Station: novo disco chega este ano
· POR André Gomes · 05 Mar 2015 · 15:36 ·


The Weather Station, que é como quem diz a canadiana Tamara Lindeman, que esteve recentemente em Portugal para três concertos, lança este ano um novo disco, o seu terceiro. Terá o selo da Paradise Of Bachelors, a casa de artistas como Hiss Golden Messenger, Steve Gunn ou Lavender Country. O disco, que se chama Loyalty, foi gravado nos arredores de Paris, no La Frette Studios, no passado Inverno.

Aqui em baixo podem ouvir a maravilhosa "Way It Is, Way It Could Be", a primeira canção a ser conhecida deste Loyalty. É coisa para garantidamente abrir o vosso apetite para o que aí vem. Não falta muito tempo para desvendar o resto. O novo disco de The Weather Station chega no dia 12 de Maio. 

Microwolf ou a magia da vida doméstica
· POR André Gomes · 05 Mar 2015 · 12:01 ·


Saiu muito recentemente com o selo da Esc.rec. Um disco chamado You Better Go Now, com a assinatura de Microwolf. Foi gravado em casa durante um período de cinco anos com uma guitarra acústica, um teclado da Casio, uma banjitar, alguma percussão (mais ou menos convencional), um sintetizador e mais algumas coisas não creditadas. É a magia da vida doméstica.

O disco foi gravado ao longo de anos conturbados na vida do seu protagonista. E é isso que Benjamin van Vliet espera que consigamos ouvir neste registo. A edição limitada do registo foi lançada a 28 de Fevereiro (numa tiragem de apenas 50 cópias). Podem ouvir as oito faixas do disco aqui em baixo.

Mahogany: quem quer ter uma casa na Islândia?
· POR André Gomes · 05 Mar 2015 · 11:38 ·


É o próximo lançamento da editora nortenha ZigurArtists: Mahogany (não, não falamos da banda nascida nos anos 90) é um projecto de Duarte Ferreira, que tem vindo a ser feito (isto é, escrito, gravado e produzido) ao longo dos últimos 2/3 anos. É um projecto solitário: uma guitarra e um micro, gravado no quarto - com alguns pozinhos extra aplicados posteriormente. E agora vem aí o primeiro LP, A house in Iceland.

A pergunta "Quem quer ter uma casa na Islândia" vai continuar sem ter uma resposta. Mas Duarte Ferreira dá algumas pistas para quem possa estar interessado em adquirir uma. Nomeadamente no single de avanço deste registo, o tema "A house in Iceland". Podem ouvir o tema aqui em baixo. Promete.

Patrick Watson e as suas canções de amor para robôs
· POR João Morais · 05 Mar 2015 · 11:04 ·


A ideia de juntar o amor e as máquinas não é nova (basta pensar no grande Her do igualmente grande Spike Jonze), mas parece que Patrick Watson é o mais recente artista a tentar fazer a ponte entre a emoção e a máquina. Love Songs for Robots, quinto longa-duração do canadiano, tem data de lançamento marcada para o dia 11 de Maio, via Domino, e será o sucessor do imensamente aclamada Adventures in Your Own Backyard (2012). As datas da tournée de Watson também já foram anunciadas e, infelizmente, Portugal não aparece na lista, mas mais abaixo podem encontrar o alinhamento deste registo, bem como o primeiro single, “Love Songs for Robots”, para vos consolar desta desfeita.



1. Love Songs for Robots
2. Good Morning Mr. Wolf 
3. Bollywood
4. Hearts
5. Grace
6. In Circles
7. Turn Into The Noise
8. Alone In This World
9. Know That You Know
10. Places You Will Go
Porta-Jazz inaugura novo espaço
· POR Nuno Catarino · 05 Mar 2015 · 00:23 ·
© Vera Marmelo

A Porta-Jazz, associação de músicos de jazz no Porto, prepara-se para inaugurar um novo espaço, que vai acolher as suas actividades e concertos. A novíssima Sala Porta-Jazz irá ficar localizada no primeiro andar do Edifício AXA, na Avenida dos Aliados. O espaço irá ser inaugurado esta quinta-feira, dia 5 de Março, com uma jam session, pelas 22h00.

Na sexta-feira, dia 6, a dupla de históricos Carlos Bica (contrabaixo) & João Paulo Esteves da Siva (piano, acordeão) irá orientar um workshop (17h00), seguido de um concerto (22h). No sábado, dia 7, o saxofonista João Guimarães apresenta o disco Zero, um dos grandes discos do jazz nacional dos (concerto às 19h). E no domingo, pelas 18h, actua o SMaLL trio com o convidado Kiko. Aqui fica, resumido, o plano de festas.

5 de Março, 22h00 - Jam Session
6 de Março, 17h00 - Oficina Carlos Bica / João Paulo Esteves da Siva
6 de Março, 22h00 - Concerto Carlos Bica / João Paulo Esteves da Siva
7 de Março, 19h00 - João Guimarães ZERO
8 de Março, 18h00 - SMaLL trio + Kiko
 
Nosaj Thing anuncia novo disco
· POR Paulo Cecílio · 04 Mar 2015 · 22:29 ·


O beatmaker já está a preparar o sucessor de Home, editado em 2013. O terceiro disco de Nosaj Thing intitula-se Fated e será lançado pela Innovative Leisure no próximo dia 5 de Maio, havendo desde já single para ouvir: trata-se de "Cold Stares", canção de soul electrónica que conta com a participação de Chance The Rapper, com quem o produtor norte-americano já havia colaborado por altura de Acid Rap, mixtape do primeiro. A canção pode ser escutada no Soundcloud, aqui em baixo.~

Novos nomes para o NOS Alive
· POR Paulo Cecílio · 04 Mar 2015 · 22:25 ·


Todos eles para o Palco Clubbing, todos eles para dia 9 de Julho. O NOS Alive acolherá, na sua próxima edição, nomes que farão mexer os corpos como Tiga, Ten Walls (é dele o tema que podem ouvir ali em baixo), Julio Bashmore, Breach, Benji B e Eclair Fifi, que se juntam assim aos previamente confirmados para outros palcos. A edição de 2015 do maior festival de Oeiras decorre entre 9 e 11 de Julho, com o preço dos bilhetes a partir de 55€, que é quanto vale o diário.

Enablers em Portugal
· POR Paulo Cecílio · 04 Mar 2015 · 22:17 ·


A banda californiana virá até nós nos dias 11 e 12 de Março para apresentar The Rightful Pivot, disco que marca o seu regresso ao estúdio após terem editado Blown Realms And Stalled Explosions no ido ano de 2011 - e que podem ouvir ali em baixo. Regresso também o da própria banda a Portugal, após duas passagens pelo Porto, ambas em eventos Amplificasom: 2006 e 2011 (no Amplifest).

Desta feita os Enablers apresentar-se-ão por Vila Real, para um concerto no Club (no dia 11, 5€), e por Lisboa, subindo ao palco do Musicbox (6€).

c
Bons Sons: os primeiros nomes
· POR André Gomes · 04 Mar 2015 · 16:55 ·
© Alice Lua

O festival Bons Sons acaba de dar a conhecer os primeiros quatro nomes para a sua edição de 2015. Ficam já a saber: Tó Trips, Nice Weather For Ducks, Trêsporcento e Retimbrar. O festival que é uma espécie de montra da música portuguesa acontece na aldeia de Cem Soldos entre os dias 13 e 16 de Agosto.

O que mais precisam de saber nesta altura? Que os passes para o festival já estão à venda nos locais habituais e custam 25 euros. A partir de Maio, pumba, mais cinco euros. A partir de Julho mais cinco. Não deixem para amanhã aquilo que podem resolver desde hoje.

Kelela lança EP em Maio
· POR André Gomes · 04 Mar 2015 · 15:44 ·


Kelela anunciou recentemente o lançamento de um EP, intitulado Hallucinogen. Terá seis temas e será uma espécie de antecipação do seu disco de estreia, que deverá ser lançado ainda este ano. O EP propriamente dito será lançado no próximo dia 5 de Maio.

Enquanto essa data não chega podem ouvir desde já um primeiro tema desse registo. E que belíssimo tema. Chama-se "A Message", foi escrito a meias com o badalado Arca. Para além de escutar a canção ainda podem ver o belíssimo vídeo, realizado por Daniel Sannwald. O alinhamento do EP é aquele que podem ver ali em baixo.



01 A Message
02 Gomenasai
03 Swoop
04 All The Way Down
05 Hallucinogen
06 The High
SBTRKT apontado para o Super Bock Super Rock
· POR André Gomes · 04 Mar 2015 · 11:13 ·


O Super Bock Super Rock 2015 contará com a presença SBTRKT. O britânico Aaron Jerome apresenta o seu segundo disco de originais no dia 16 de Julho, no Palco EDP. Wonder Where We Land, lançado em 2014, sucedeu ao fabuloso SBTRKT, editado em 2011. Parece-nos legítimo acreditar que ambos os discos estarão em palco neste concerto.

Este ano o festival acontece no Parque das Nações entre os dias 16 e 18 de Julho Os bilhetes estão à venda nos locais habituais e custam 95 euros (passe geral) e 50 euros (bilhetepara um dia. Este nomes junta-se a um cartaz onde constam já Sinkane, Toro Y Moi, Gramatik, Sting, Milky Chance, Noel Gallagher's High Flying Birds, The Vaccines, Perfume Genius, Little Dragon, Kate Tempest, dEUS, Kindness, Florence + The Machine, Crystal Fighters, Banda do Mar e Modernos.

Capri: do México para a Gomma
· POR André Gomes · 04 Mar 2015 · 01:23 ·


O mais recente lançamento da Gomma chega da Cidade do México. Ariel Aguisky, que é como quem diz Capri, nasceu na Argentina mas é por estes dias DJ residente em alguns dos mais conceituados clubes do Méximo, como M. N. Roy, Mono ou Rhodesia. Trabalhou com músicos como Gustavo Cerati, Gus Gus, Zoe, Kinky, Babasonicos, Bajofondo, entre outros.

E agora chegou a altura de lançar o seu primeiro EP com o selo da alemã Gomma. Chama-se Moon Magic, tem aquela capa que podem ver ali em cima e tem três faixas. Uma delas é "Earth Wind & Magic" e pode ser ouvida ali em baixo. Vai um pézinho de dança como quem não quer a coisa?

Inc.: novo tema para ouvir agora
· POR André Gomes · 04 Mar 2015 · 00:10 ·


Depois de um muito cativante disco de estreia e uma colaboração com FKA Twigs, em 2015 voltamos a ter novidades de inc. com o single "A teardrop from Below". E isso são muito boas notícias. Sem mais demoras, podem ouvir a canção ali em baixo. Os irmãos Andrew e Daniel Aged voltam à carga com mais R&B minimal digital. Gélido por fora, muito quente por dentro.

A canção foi escrita por Andrew e Daniel Aged e gravada ao vivo no Verão passado com Sam Gendel (teclados) e Kevin Yokota (bateria). Parte do tema foi terminado no Hawaii, imagine-se. Será que há novo disco à vista? Esperamos que sim. Até lá é deixar que esta "A teadrop from Below" se entranhe. Vai uma aposta?

Novo disco de Mazgani chega em Abril
· POR André Gomes · 04 Mar 2015 · 00:01 ·


O novo disco de Mazgani chama-se Lifeboat e chega no dia 13 de Abril. O disco inclui reinterpretações de temas de PJ Harvey, Elvis Presley, Cole Portes, Bee Gees, Lee Hazelwood, entre outros. A ideia deste disco era, de acordo com o próprio Mazgani, a de “apoderar-se das canções”: "queria com a minha voz contar a minha história através destas canções e, ao mesmo tempo, encontrar uma estética que ligasse este corpo de obra tão díspar".

Este novo disco foi gravado com Sérgio Mendes (guitarra), Victor Coimbra (baixo e contra-baixo), Paulo Cavaco (teclado, piano e acordeão) e Fernando Távares (bateria). Podem ouvir e ver um teaser deste novo disco aqui em baixo.

Capicua: ainda ontem era sereia e agora já é medusa
· POR André Gomes · 03 Mar 2015 · 23:02 ·
© Pedro Geraldes

Um ano depois de Sereia Louca, Capicua já tem um novo disco nas lojas. Chama-se Medusa e está à venda nas lojas habituais e em formato digital nas seguintes plataformas: iTunes, Spotify, MEO Music, Xbox Music, Rdio, Tidal Este novo registo é sobretudo um disco de reinterpretações dos seus temas. As remisturas são assinadas por Sam The Kid, Virtus, D-One, Octa Push, Roger Pléxio, Expeão, DJ Ride, Lewis M, DJ Marfox, Puto Anderson, White Haus, Stereossauro & Razat e Ninja Kore.

Mas há mais em Medusa: dois temas originais, um com M7, a companheira de sempre de Capicua, e outro com Valete, uma canção que dá nome ao álbum. Podem ouvir "Medusa" aqui em baixo. Para fechar, há dois concertos anunciados hoje mesmo: no dia 11 de Abril na Casa da Música, no Porto, e no dia 16 de Abril no Lux, em Lisboa. Coloquem as datas nas vossas agendas.

My Morning Jacket com novo disco
· POR Paulo Cecílio · 03 Mar 2015 · 19:01 ·


A banda de Jim James está de regresso com o sétimo disco da sua discografia. Waterfalls tem o selo da ATO/Capital Records e sairá no próximo dia 4 de Maio, sucedendo assim a Circuital, editado em 2011. O primeiro single, intitulado "Big Decisions", está já disponível para escuta, e a tracklist também já se conhece: é só fazerem scroll down.



- Believe (Nobody Knows)
- Compound Fracture
- Like A River
- In Its Infancy (The Waterfall)
- Get The Point
- Spring (Among the Living)
- Big Decisions
- Tropics (Erase Traces)
- Only Memories Remain
- Thin Line
Lisbon Psych Fest, em Abril
· POR Paulo Cecílio · 03 Mar 2015 · 18:06 ·


Já tínhamos dado a dica há alguns meses, agora anunciamos o cartaz completo: o Lisbon Psych Fest, dedicado exactamente ao género que está ali no título, realiza-se a 10 e 11 de Abril no Teatro do Bairro e contará com concertos de Keep Razors Sharp, PAUW, Tess Parks, The Vacant Lots e Dreamweapon, entre outros. Para além dos concertos haverá igualmente DJ sets para animar o resto das noites. Os bilhetes estão já à venda, indo pelo preço de 12€ (único) e 20€ (passe para os dois dias) até ao dia 7 de Abril.

PZ Apresenta novo single
· POR Paulo Cecílio · 03 Mar 2015 · 18:03 ·


"Dinheiro" é a nova canção do músico portuense, que serve também de entrada para Mensagens da Nave Mãe, álbum que sairá em Abril pela editora Meifumado. O single, bem como o videoclip, realizado por Alexandre Azinheira (igualmente responsável por "Croquetes" e "Sem Ponta Por Onde Se Lhe Pegue") pode ser ouvido, visto e ouvisto no Youtube. Link aí em baixo.

Os Cochaise & Amigos vão ao Fontória
· POR Paulo Cecílio · 03 Mar 2015 · 17:49 ·


Os Cochaise irão passar pelo Fontória, em Lisboa, no próximo sábado, num concerto que servirá de fundraising para que a banda consiga colocar o disco cá fora. E não irão estar sós: a eles juntar-se-ão os Flamingos (leram a entrevista? Não? Falha vossa), Sallim, Alek Rein, Vaiapraia e as Rainhas do Baile e ainda DJ sets de Van Ayres e Buri Buri, «para se dançar com que mais se quiser». Tudo isto tem início pelas 23h e a entrada para tanta coisa boa junta vale uns míseros 5€. A sério que não querem ouvir isto aqui em baixo num CD em condições?

Scorpions na Feira das Almas
· POR Paulo Cecílio · 03 Mar 2015 · 17:44 ·


O duo de Jaime Norberto (saxofone tenor) e Vítor Lopes (bateria), que provavelmente nunca conseguirá impedir idiotas como nós de fazer piadas com os outros Scorpions, dará um concerto na próxima Feira das Almas, em Lisboa, a realizar-se dia 8 de Março a partir das 16h. A sua música é auto-caracterizada como "jazz vadio" e há um Soundcloud onde podem ir picando "Casa Amarela", que também não deve ter nada a ver com os miúdos do noise. Para ouvir e degustar aí em baixo. A entrada para o concerto é livre.

Começa a tornar-se estranho, na verdade
· POR Paulo Cecílio · 03 Mar 2015 · 17:19 ·


Os Weird. são uma banda romana, e como todos os romanos, são loucos - tal qual diz Astérix, o Gaulês. Fazendo do shoegaze polvilhado de outros docinhos bons o seu modus operandi, o quarteto chegou até nós porque ao que parece o Bodyspace granjeou uma enorme popularidade em terras de Pirlo (pessoal, safem-nos umas férias na Toscânia. A sério.), mesmo que tenhamos quase a certeza absoluta que, bem, eles não percebem puto do que estamos para aqui a escrever. Ou talvez sim.

Podem escutar A Long Period of Blindness, novo álbum dos Weird., no Bandcamp da banda, com destaque para "Swans", não só porque quem nos dera estar em casa a mas também porque aquele som arraçado de metal nos faz delícias aos ouvidos.

Portico mostram mais um pedaço do novo disco
· POR André Gomes · 03 Mar 2015 · 11:40 ·
© Phil Sharp

Já tinham lido por aqui que os Portico Quartet eram agora um trio e que por isso se chamavam agora apenas Portico. Também terão lido aqui que este agora trio é agora mais electrónico; que o jazz parece ser agora coisa do passado. Pois então temos mais novidades para vocês.

"Memory Of Newness" é o mais recente tema a ser conhecido de Living Fields, um novo disco que será lançado no dia 30 de Março - também já por cá tínhamos dado conta disto - e que conta com três vozes: Jamie Woon, Jono McCleery e Joe Newman (alt-J). Podem ouvir este novíssimo tema aqui. Living Fields será editado então no dia 30 de Março com selo da Ninja Tune. Podem ainda ver o vídeo do primeiro tema conhecido deste novo disco aqui em baixo.

Azealia Banks vem ao Alive 2015
· POR André Gomes · 03 Mar 2015 · 11:02 ·


Azealia Banks é mais recente confirmação do NOS Alive’15. A norte-americana apresenta o seu novo disco - Broke With Expensive Taste - no festival no dia 11 de Julho. O NOS Alive'15 acontece no Passeio Marítimo de Algés nos dias 9, 10 e 11 de Julho. Os bilhetes do festival encontram-se já à venda nos locais habituais.

Azealia Banks junta-se aos já confirmados alt-J, Ben Harper & The Innocent Criminals, Bleachers, Dead Combo, Flume, Future Islands, James Bay, James Blake, Jessie Ware, Kodaline, Metronomy, Muse, Mumford & Sons Róisín Murphy, The Ting Tings, The Wombats, The Jesus & The Mary Chain, Young Fathers, Sheppard e Stroemae.

Já conhecem os Spökraket?
· POR Paulo Cecílio · 02 Mar 2015 · 14:55 ·


Nós também não conhecíamos, mas eles fizeram questão de se apresentar. Os Spökraket são uma banda dinamarquesa virada para o psych que acabam de editar aquele que é o seu terceiro álbum de estúdio, In A Witch Forest, título que faria muito mais sentido se se tratasse de black metal. Mas é bom à mesma. Podem escutá-lo no Bandcamp da banda, aí em baixo. O disco tem o selo da Cable Hell Studio.

Parceiros