Maio 2011
Sufjan Stevens vem ao Porto e Lisboa mandar um pontapé na chuva e nas nuvens
· POR André Gomes · 30 Mai 2011 · 16:13 ·


Sufjan Stevens regressa a Portugal - quem se lembra do concerto no Festival Para Gente Sentada há uma data de anos? - para tirar-nos desta chuva, destas nuvens e deste estado apático e sem espaço para imaginação. Pode não ser D. Sebastião, mas Sufjan Stevens tem o poder de nos tirar a todos deste marasmo com as canções de Age of Adz , carregadinhas de motivos para sorrir. A primeira tentativa é já hoje no Coliseu do Porto; amanhã o norte-americano vai tentar o mesmo no Coliseu de Lisboa. A primeira parte será assegurada por DM Stith. Como recusar um convite destes numa altura destas?
A revolução não parará na procissão
· POR Paulo Cecílio · 28 Mai 2011 · 11:44 ·


É sempre complicado escrever uma elegia sobre alguém que não conhecíamos pessoalmente. Um músico, ou qualquer outro artista que apreciemos, encontra-se na maior parte das vezes no panteão das figuras que nos afligem emocionalmente tal qual como se connosco falassem ou morassem - e isto poderá constituir até uma certa irracionalidade da nossa parte. Porque ou como é que a morte de alguém com quem nunca trocámos uma palavra nos entristece? A resposta não é necessária; acontece, e isso é tudo de que precisamos para nos dignarmos a pelo menos escrever algumas palavras sobre o falecimento do artista em questão.

Não parece ser necessário traçar a biografia de Scott-Heron; ela está bem documentada por esse mundo afora, a sua raiva poética está presente no texto que lhe deu um lugar fixo na cultura pop (mesmo que uma enorme percentagem não saiba nem nunca saberá quem foi o autor da frase célebre), a sua luta foi (é) a nossa luta. Por se tratar de um músico e este ser um magazine sobre música, importa destacar a obra discográfica: principalmente Pieces Of A Man, que sem sombra alguma é dos melhores discos soul alguma vez feitos; igualmente Winter In America, onde as palavras de "Rivers Of My Fathers" troam de dor e ao mesmo tempo de esperança; e, claro está, a "ressurreição" em I'm New Here, que infelizmente não viu o seu autor ficar por cá durante o tempo necessário até ser também ele considerado um clássico. Aos 62 anos, Gil Scott-Heron não sobreviveu à América. Nós que lhe sobrevivemos e que continuamos a nossa revolução diária, seja en masse como se assiste por agora no mundo seja individualmente, não poderemos deixar nunca de o esquecer. Que descanse na paz que poucas vezes teve por cá.

(Uma pequena nota pessoal, que este escriba não pode deixar de referenciar - e que será quiçá uma das razões para se sentir tão afectado; o concerto na Aula Magna e, posteriormente, I'm New Here constituíram as primeiras resenhas que enviei para este espaço. Na altura escrevi que o disco era uma justificação acerca de tudo por que o poeta tinha passado - hoje, e enviando-lhe o meu pedido de desculpas, não acho que Scott-Heron tivesse de justificar porra alguma. Os grandes nunca precisam.)

Serralves em Festa começa hoje, vai até domingo e pelo meio vai fazer do Porto uma cidade melhor para se viver
· POR André Gomes · 27 Mai 2011 · 15:31 ·


Quando ouvimos falar de um evento que mobiliza mais de 100 mil pessoas e apresenta um número tão elevado de eventos, duvidamos. E com razão. Mas o Serralves em Festa tem essa capacidade quase rara de oferecer o que de melhor a arte tem para mostrar e conseguir mover multidões. Serralves em Festa, maravilhosa montra de tantas artes distintas, começa a abrir o livro hoje e só termina de domingo para segunda. Haja fome.

Hoje já há festa. Na baixa, Ritmia Periférica, Sonido Apocalitzin, Huichol Musical e 3Ball MTY. Amanhã a coisa começa mais a sério já em Serralves. Temos um apanhado do que se vai passar em termos de música para vocês - não esquecer os concertos com a mão do Bodyspace nem o final obrigatório com os Gang Gang Dance, entre outras maravilhas. Imprimam direitinho e coloquem o papel no bolso de trás das calças. Mas não o percam quando quiserem tirar moedas para beber ou comer alguma coisa.

Sábado

BLACK BOMBAIM> Local: Prado (E7)> 16h
RAFAEL TORAL> Local: Ténis (D3)> 16h
ENSEMBLE MÚSICA ELECTRÓNICA> Local: Casa de Serralves (F2)> 15h
ARBOREA> Local: Ténis (D3)> 18h
BLACK BOMBAIM> Local: Prado (E7)> 16h
RAFAEL TORAL> Local: Ténis (D3)> 16h
GRUPO DE PERCUSSÃO DA EPME > Local: Pátio do Ulmeiro (B3)> 18h
O CARRO DE FOGO, DE SEI MIGUEL> Local: Ténis (D3)> 20h
VICTOR HERRERO> Local: Casa de Serralves (F2)> 21h
O CARRO DE FOGO, DE SEI MIGUEL> Local: Ténis (D3)> 20h
BLAC KOYOTE +> Local: Casa de Serralves (F2)> 23h
CHICKS ON SPEED> Local: Prado (E7)> 00h
INFINITO + 3> Local: Prado (E7)> 01h

Domingo

DRUMMING - GRUPO DE PERCUSSÃO> Local: Auditório> 14h
SEI MIGUEL> Local: Casa de Serralves (F2)> 15h
PEDRO GOMES > Local: Casa de Serralves (F2)> 15h
RODRIGO AMADO MOTION TRIO COM JEB BISHOP> Local: Ténis (D3)> 16h
ORQUESTRA DE JAZZ DA EPME> Local: Prado (E7)> 16h
RODRIGO AMADO MOTION TRIO COM JEB BISHOP> Local: Ténis (D3)> 16h
ORQUESTRA DE JAZZ DA EPME> Local: Prado (E7)> 16h
MOUNTAINS> Local: Ténis (D3)> 17h
MOON DUO> Local: Ténis (D3)> 19h
EMERALDS> Local: Ténis (D3)> 20h
PERICO SAMBEAT FLAMENCO BIG BAND> Local: Prado (E7)> 19h
DIGITÓPIA COLLECTIVE> Local: Clareira das Bétulas (B2)> 21h
GABRIEL FERNANDINI E PEDRO SOUSA> Local: Casa de Serralves (F2)> 21h
EMERALDS> Local: Ténis (D3)> 20h
GANG GANG DANCE > Local: Prado (E7)> 23h
Love is just a miserable lie
· POR Paulo Cecílio · 26 Mai 2011 · 15:02 ·


O Milhões de Festa é sobrevalorizado. No Milhões de Festa só tocam bandas de merda que quase nunca ninguém ouviu. A piscina do Milhões de Festa está cheia de lixo e as supostas miúdas boazonas que por lá deambulam em fato de banho estão desfiguradas pela celulite e são todas feias. Barcelos é uma cidade nojenta e todas as bandas que de lá saíram não valem um chavo. A comida é horrível e cara. Ir ao Milhões de Festa não contribui em nada para a nossa felicidade. O preço dos bilhetes é uma chulice para aquilo que é. A Lovers & Lollypops não editou um único álbum de jeito desde a sua fundação. Foi fácil dar com o parque de campismo quando chegámos à cidade no ano passado. O cartaz do Delta Tejo é um cartaz em condições.

Claro que tudo isto são mentiras, calúnias, e serve apenas para fazer uma piada parva com o nome dos Liars. Dia 22, em Barcelos.

A vocês também parece que o tempo corre demasiado devagar?
Navegando por um sonho azul, perdão, marítimo
· POR Paulo Cecílio · 26 Mai 2011 · 12:49 ·


Chegamos um bocado tarde para o anunciar (na era da internet, uma semana é sempre muito tarde), mas mais vale assim do que nunca; o novo single de Branches, que é como quem diz o nosso Bodyspacer Pedro Rios, já está disponível para audição e respectivo download num bandcamp de uma belíssima tonalidade azul. Não só; acompanha-o o vídeo que deixamos abaixo, e exemplificativo da sonoridade do projecto - ou, como relaxar nas águas turvas do chillwave. Maio tem estado óptimo para praia, não tem?

Bodyspace marca presença no Serralves em Festa 2011 como parceiro de programação
· POR André Gomes · 25 Mai 2011 · 10:23 ·


A 8ª edição do Serralves em Festa, um dos grandes acontecimentos culturais do Porto, do país (e por aí fora), montra de todas as artes e expressões artísticas, acontece nos próximos dias 28 e 29 de Maio, com entrada livre, na Fundação Serralves. Pela primeira vez, coube ao Bodyspace, muito orgulhoso disso, a programação de quatro desses concertos (todos no dia 28, sábado). São eles: os Arborea (folk das norte-américas, apresentação do novo disco Red Planet), Victor Herrero (o guitarrista madrileno que tem acompanhado Josephine Foster nos últimos anos em numerosos projectos), blac koyote + (o projecto do portuense José Alberto Gomes, dos adormecidos Nimai) e os barcelenses Black Bombaim (que vão tocar no meio do Prado às 4 da tarde de sábado, dia 28, e esperar que façam uma rodinha à volta deles numa festa que se prevê intensa). Mas os motivos para passar o fim-de-semana inteiro em Serralves estão longe de ficar por aqui.

Para mais informação consultar o site oficial.
As Chicks On Speed vêm salvar-nos a todos
· POR Paulo Cecílio · 24 Mai 2011 · 20:03 ·


...já que Jesus Cristo não o fez domingo passado. Como que esse bichinho chamado electroclash não tivesse sido uma mera moda passageira, as alemãs estarão de novo em território nacional para actuar no Musicbox - em formato DJ set - já nesta quinta-feira, juntamente com Tha Bloody Bastards e Fabrizio Reinolds (bilhetes a 8€); e no sábado à 0h00, que é como quem diz domingo, deslocam-se até ao Porto para fazer a festa em Serralves. E, presume-se, para dançar isto outra vez:

blac koyote lança novo single antes do concerto no Serralves em Festa
· POR André Gomes · 24 Mai 2011 · 12:44 ·


Antes do concerto no Serralves em Festa com o dedo do Bodyspace no próximo sábado, dia 28, blac koyote, que é como quem diz José Alberto Gomes, acaba de lançar um novo single, "Polaroid", o primeiro de três singles que anteciparão o lançamento do LP de estreia de Blac Koyote em Outubro pela PAD. O single "Polaroid" inclui a versão original mais remisturas de Magina e Stereoboy. Esta edição, com artwork de Sofia Miranda, está disponível para download gratuito.

Clã em digressão com o novo DISCO VOADOR
· POR André Gomes · 24 Mai 2011 · 11:58 ·
Depois dos concertos no CCB e na Casa da Música, os Clã lançam-se à estrada para promover o disco que fizeram para miúdos e graúdos. Como disse Regina Guimarães, a compositora das letras: “Seguros de que nenhum humano mata totalmente a criança e o adolescente que mora dentro de si, os Clã sabem que este DISCO VOADOR se destina descaradamente a todos os públicos”. DISCO VOADOR vai ganhar vida em palco de norte a sul, em datas que listamos ali em baixo. Não sem antes partilhar o vídeo que fizeram para "Embeiçados", a porta de entrada no novo disco dos portuenses.



03 de Junho | Teatro Municipal de Bragança | 21h30
04 de Junho | Fnac do NorteShopping (showcase)| 18h00
15 de Junho | Auditório de Espinho | 21h30
18 de Junho | CCB, participação no espectáculo Carta Branca a Carlos Tê | 21h00
25 de Junho | Albergaria Com’Vida, Albergaria-a-Velha
30 de Junho | Teatro Campo Alegre, Quintas de Leitura | 22h00
01 de Julho | Feira Mostra de Mação, Mação
02 de Julho | Festival Delta Tejo
05 de Agosto | Festival do Sudoeste
06 de Agosto | Feira de Sant’Iago, Setúbal
Philip Glass apresenta-se na Casa da Música em concerto esgotado
· POR André Gomes · 23 Mai 2011 · 12:41 ·
No ano em que a Casa da Música celebra os Estados Unidos da América como país tema da programação, a presença de Philip Glass no Ciclo de Piano é emblemática e o repertório escolhido oferece um retrato significativo das suas obras mais célebres. É o que promete a Casa da Música que diz ainda que "é nas obras para piano a solo que a corrente minimalista que caracteriza a música de Philip Glass encontra a sua mais pura expressão". O programa: Études (Nos. 1, 2, 3, 6, 9, 10); Mad Rush; Metamorphoses (nº 2, 3, 4); Dreaming Awake (2006); Wichita Vortex Sutra. As expectativas estão em alta.

Recordando: Philip Glass, Ciclo Piano EDP, Quarta, 25 de Maio, 21h00, Sala Suggia, concerto esgotado.

Porto e Lisboa são National por uma noite
· POR Hugo Rocha Pereira · 23 Mai 2011 · 12:13 ·
Os norte-americanos The National estão de regresso a Portugal, e o prato é servido em dose dupla. A banda que no ano passado nos presenteou com High Violet estará esta noite no Coliseu do Porto e amanhã, dia 24, no Campo Pequeno de Lisboa. A primeira parte dos concertos cabe aos Dark Dark Dark.

«Please welcome back to the program: The National!»

A Galiza vai ser invadida por jazz
· POR Nuno Catarino · 23 Mai 2011 · 01:37 ·

Nils-Petter Molvaer © Michael Hoefner

Fica já aqui ao lado, na sempre simpática Galiza, e apresenta um dos melhores cartazes europeus de jazz, o festival ImaxinaSons. De 17 a 25 de Junho realiza-se a sétima edição do ImaxinaSons - Festival de Jazz de Vigo e do programa deste ano destacam-se nomes como Avishai Cohen, Nils-Petter Molvaer, John Taylor, Sidsel Endresen ou Portico Quartet. O programa tem destacado também projectos portugueses (o ano passado passaram por lá o RED Trio e Carlos Zíngaro) e este ano volta a apostar em propostas nacionais, apresentando o LUME - Lisbon Underground Music Ensemble, os Desbundixie e o duo luso-alemão Miguel Mira/Ulrich Mitzlaff. Os concertos distribuem-se entre diversos espaços (Centro Cultural Caixanova, Conservatorio, Auditorio Municipal, MARCO e praça da Constitución), mas para além destes concertos, há ainda exposições, conferências, master-classes e música na rua. O festival mudou este ano de director artístico - essa responsabilidade passou para o músico e compositor galego Nani García - e o cartaz abarca uma larga amplitude estilística, combinando grandes nomes com propostas de vanguarda. A informação está toda ali e justifica bem a viagem de umas dezenas de quilómetros.
Syracuse Ear: Corsano encontra Mota, Maranha e Garcia no Maria Matos
· POR Nuno Catarino · 23 Mai 2011 · 01:35 ·

Chris Corsano & Manuel Mota © Eugénia Azevedo

O genial baterista/percussionista Chris Corsano apresenta-se ao vivo no Teatro Maria Matos, no dia 8 de Junho, integrado no projecto Syracuse Ear. A acompanhar Corsano estará um trio de elite da música nacional: Manuel Mota, David Maranha e Margarida Garcia. Garcia, Maranha e Mota têm trabalhado juntos no quarteto Curia (com Afonso Simões), grupo que já editou dois bons discos (o homónimo numa edição da Fire Museum de 2007 e 15th December 2007, edição Headlights de 2009), e encontram agora em Corsano um parceiro de sonho para um projecto que é um desafio. Para o palco do Maria Matos está prometida uma actuação sob uma “forte atracção pelo rock, mas muitas condições foram deixadas deliberadamente em aberto para que a energia colectiva também produza resultados inesperados”. Vai acabar tudo bem.
Em Junho Lisboa vai ser sinónimo de jazz
· POR Nuno Catarino · 23 Mai 2011 · 01:32 ·

© Cristina Garcia

Durante o mês de Junho a cidade de Lisboa vai andar em festa. Além do calor do verão, da invasão de turistas e do incontrolável Santo António, as Festas de Lisboa '11 promovem uma série de acontecimentos festivos que dinamizam a cidade. Um dos destaques da programação será a iniciativa “Jazz às Onze”, que entre 2 e 8 de Junho, às 11h e às 23h, irá promover concertos nos quatro elevadores históricos da cidade: Ascensor do Lavra, Ascensor da Glória, Ascensor da Bica e Ascensor de Santa Justa. Esta iniciativa surge de uma parceria entre a EGEAC, a Carris e o Hot Clube de Portugal e pelos ascensores irão passar músicos nacionais como Daniel Vieira, André Santos, César Cardoso, André Rosinha, Francisco Brito ou o Ensemble Escola Luiz Villas-Boas. Também programado pela EGEAC, o OutJazz continua em Junho, com concertos jazz às sextas-feiras e domingos, às 17h e 18h, apresentando concertos em sítios inesperados como o Largo do Chafariz de Dentro, Alameda Keil do Amaral, Largo de Santos, Miradouro do Torel ou Jardim do Príncipe Real. Dinamizando a Praça Paiva Couceiro, a EGEAC promove também o ciclo “Jazz na Praça”, apresentando concertos às sextas-feiras, às 19h: a 3 de Junho actua o Nuno Ferreira Quarteto; no dia 17 é a vez dos Mikado Lab de Marco Franco; a 24 de Junho tocam os Triocotomia. A EGEAC promove ainda, nos dias 10 e 11 de Junho, o concerto/performance “Banjazz - Um bichinho esquisito”, um espectáculo de Maria Morbey Henriques que funciona como primeira abordagem ao jazz para as crianças. Estes concertos infantis têm lugar no Jardim do Palácio do Beau Séjour, pelas 21h15. As informações completas sobre todas estas iniciativas podem ser encontradas no site www.egeac.pt.
Duas norte-americanas em Lisboa
· POR Hugo Rocha Pereira · 19 Mai 2011 · 22:19 ·
Amanhã, dia 20, o serão do Musicbox estará por conta de duas senhoras. Glasser estreia-se em Portugal em dose dupla. Sexta-feira estará na sala lisboeta e na noite seguinte apresenta-se no Clubbing da Casa da Música, no Porto. Ring, disco editado no ano passado, será o mote para as actuações. Anunciam-se ecos tribais e explorações pós-punk.

A primeira parte do concerto do Musicbox será assegurada por Drawlings, projecto a solo de Abby Portner, irmã de Avey Tare, dos Animal Collective.

Tripar num carrossel não deve ser muito diferente de assistir ao vídeo de “Mirrorage”.

Relatos de um BODYSPACE AU LAIT com Erica Buettner
· POR André Gomes · 19 Mai 2011 · 00:57 ·



© Angela Costa

“A cidade está deserta, E alguém escreveu o teu nome em toda a parte: Nas casas, nos carros, nas pontes, nas ruas. Em todo o lado essa palavra repetida ao expoente da loucura! Ora amarga! Ora doce! Pra nos lembrar que o amor é uma doença, quando nele julgamos ver a nossa cura”. É um bocado exagero mas a cidade estava meia deserta (os turistas enchem cada vez mais o Porto quando se aproxima o Verão, apesar de tudo), mas é verdade que as canções de Erica Buettner são ora doces, ora amargas - mas sempre belas. A sua voz encheu o Café au Lait que estava para cima de bem composto num domingo em que, mais uma vez, o BODYSPACE AU LAIT desafiou as leis da lógica: ficar em casa com a peida alapada a ver o Hell’s Kitchen. Durante perto de uma hora, as canções da norte-americana Erica Buettner foram escape e motivo para fantasiar um pouco. Em Junho há mais.
Amigas
· POR Bruno Silva · 17 Mai 2011 · 19:41 ·


Após a dissolução das Destiny`s Child, e evidenciado todo o potencial de estrela da Beyoncé, era inevitável que toda a atenção mediática que se abateu sobre esta deixasse para segundo plano a Kelly Rowland (o formalismo gospel da Michelle Williams era, desde logo, um entrave ao stardom), mesmo que Ms. Kelly seja um disco bem mais equilibrado do que qualquer um da sua ex-bandmate. Tomando os dois singles mais recentes como novo paradigma nessa linha de raciocínio estreito, julgá-la a mais talentosa do trio nem é uma afirmação assim tão descabida.



"Motivation" não faz esquecer os mishaps com a Eurodance no rescaldo do sucesso da "When Love Takes Over", mas sempre deixa algum tipo de expectativas para que Here I Am não se restrinja à sofrível realidade do R`n`B pós-David Guetta ou ao simulacro genérico dos Stargate de "Grown Woman". "Motivation" nem está dependente de uma prestação imaculada por parte da Kelly que cimente uma personalidade assim tão vincada, antes no acerto harmónico das suas partes. A rarefacção instrumental que faz daquelas gotas gélidas de sintetizador algo tão sensual no seu detachment a la "Me & U", tem réplica com um fraseado controlado que, sem chegar ao sincretismo que uma Cassie poderia atingir, consegue ter na voz da Kelly um fio condutor mais do que digno. E sem que o Lil Wayne estrague o brilhantismo da canção. Kudos pelo bom senso.



O direito de um videoclip ao seu próprio teaser é uma ideia ridícula (e cada vez mais habitual) que acaba por ser fidedigna do poder comercial de alguém como Beyoncé. Paradoxalmente, "Who Runs the World (Girls)" não terá, per se esse mesmo potencial, a não ser que a "Pon Di Floor" se tenha tornado num novo paradigma. O que, depois da versão da Princess Nyah e da "Ass on the Floor", seria algo inútil pela massificação abusiva de um beat sem grande interesse. Um filão gasto, com a Beyoncé em modo forceful a exaltar o girl power sem grande esforço consciente de fazer disto uma canção. Veículo para exageros vocais sem um único gancho que prenda no meio de tanto shout-out inconsequente, numa tentativa inusitada de fazer uma "Independent Woman pt. 3" que não chega sequer a levantar o rabo do chão.
A realidade nebulosa dos Hype Williams
· POR Bruno Silva · 17 Mai 2011 · 19:38 ·


Depois de uma passagem na alvorada do reconhecimento via Untitled e uma campanha viral no Youtube dominada por um imaginário quase intangível no seu hedonismo drogado e pejado de referências indecifráveis, os londrinos Hype Williams regressam a Portugal para duas datas, com One Nation a fazer de banda sonora inspirada para estes dias tropicais. No dia 20 de Maio estarão a espalhar a sua brisa pela Culturgest do Porto, seguindo-se um dia bem fresh no espaço lindo do Kolovrat 79 em Lisboa com a companhia dos Niagara (cujo EP de estreia é coisa para fazer mossa bem veraneante). Os concertos terão início às 22 horas e os preços são de 5€ no Porto e 8€ em Lisboa.

O estranho amor de Genesis P-Orridge ganhou o IndieLisboa
· POR Nuno Catarino · 16 Mai 2011 · 01:06 ·
O filme The Ballad of Genesis and Lady Jaye, documentário de Marie Loisier sobre a estranha história de amor de Genesis P-Orridge (dos Throbbing Gristle e Psychic TV) e da sua Lady Jaye, foi o vencedor do Grande Prémio "Cidade de Lisboa", na oitava edição do IndieLisboa. O festival de cinema independente lisboeta, que terminou este domingo, manteve este ano a atenção especial à música e pela secção "IndieMusic" passaram ainda documentários sobre Neil Young, Lemmy, John Lennon, Phil Spector, Broken Social Scene, Dead Combo, Diabo na Cruz, DJ Ride, Linda Martini, Pop Dell'Arte e Terrakota. Aqui fica uma amostra do filme vencedor, também polvilhado por muita música.

Death From Above, 2011
· POR Paulo Cecílio · 13 Mai 2011 · 21:08 ·


Lembram-se de quando há uns tempos se anunciou a reunião dos Death From Above 1979 e de imediato se começou a pedir, assim como quem não quer a coisa, uma data em Portugal? E de como os dias iam passando, as unhas iam ficando cada vez mais curtas e ensanguentadas, e um par de lágrimas nervosas escorria rosto abaixo antes de irmos para a cama sem novas notícias? Esses tempos já lá vão. Hoje mesmo, que é como quem diz há meia hora atrás, no indispensável devorador de almas a que chamam Facebook, a organização do festival de Paredes de Coura anunciou o duo Canadiano para o último dia, juntando-se assim aos Mogwai e aos No Age. Não sabem como reagir a isto? Nós ajudamos: AAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHH FODA-SE

Mount Kimbie em curta entrevista antes do concerto no Musixbox, este sábado
· POR Gustavo Sampaio · 12 Mai 2011 · 22:26 ·


A escassos dias da estreia absoluta em palcos portugueses da dupla britânica Mount Kimbie (Dominic Maker e Kai Campos), com concerto agendado para o próximo sábado no Musicbox, em Lisboa, apresentamos uma curta entrevista (Dominic Maker respondeu) em jeito de antecipação para o que se espera ser uma grande noite, não sem algumas revelações surpreendentes: afinal, Crooks & Lovers (Hotflush, 2010), aclamado como um dos melhores discos do ano passado, não é lá muito apreciado pelos próprios criadores. Aproveitamos e mostramos um vídeo bem esgalhado, gravado em São Francisco, e que terá passado pelos olhos de poucos. É o seguinte.



Contavam com tamanha aclamação, de público e crítica, aquando do lançamento do álbum de estreia Crooks & Lovers?

Curta e incisivamente, não. Nenhum de nós ama o disco, por isso foi surpreendente. Queremos lançar um álbum que seja verdadeiramente amado por ambos.

Gostam de ser associados à fundação do denominado "pós-dubstep"? Como é que podemos definir este género?

Esperamos não vir a ser lembrados como fundadores do "pós-dubstep", na medida em que não tivemos nada que ver com a sua criação. Tanto quanto sabemos, o "pós-dubstep" não carece de uma qualquer explicação.

O que é que podemos esperar do concerto agendado para o próximo sábado em Lisboa? Material novo, reformulações ao vivo ou Crooks & Lovers de fio a pavio?

Estamos realmente entusiasmados com a primeira actuação em Portugal, temos ouvido coisas interessantes sobre Lisboa em particular. O concerto terá algumas novidades que ainda não foram gravadas. E todas as faixas do disco são adaptadas para a actuação em palco, pelo que haverá muita reformulação.

Que discos é que têm escutado nos últimos tempos?

The Fall, Wild Beasts, Addison Groove e Kev Brown.
Sabiam que Zu rima com Milhões de Festa? Agora já sabem.
· POR André Gomes · 12 Mai 2011 · 13:12 ·
Não é uma rima gramaticalmente perfeita, entenda-se. Só que os italianos Zu, confirmaram-nos agora, são o nome mais recente a ser adicionado ao cartaz sempre crescente (em número e em interesse) do Milhões de Festa 2011, que acontece entre os dias 22 e 24 de Julho em Barcelos. A destruição dos Zu - quem os viu sabe do que falo - está marcada para o dia 23 de Julho, sábado. Quem diria que alguma vez os Zu poderiam ser confirmados para um festival de Verão? Só mesmo no Milhões de Festa.

E quem diz Zu diz boa parte dos nomes já confirmados: Electrelane (UK), Kim Ki O (TR), Foot Village (USA), Dj Fitz (UK), The Glockenwise, Long Way To Alaska, Lobster, Bob Log III, Veados com Fome, Comanechi (Uk), Shit and Shine (Uk), If Lucy Fell, Radio Moscow (USA), Matanza (CL), Graveyard (Sue), Æthenor, Green Machine, Mr Miyagi, Vivian Girls, Dirty Beaches e Papa Topo. E, diz-nos a organização, ainda falta tanta coisa.

Preparem-se para ficar com os ouvidos em sangue:

Norberto Lobo deve estar a subir ao palco do Teatro da Trindade; sábado vai fazer o mesmo no Passos Manuel
· POR André Gomes · 11 Mai 2011 · 20:32 ·


"Um dos mais talentosos músicos portugueses da actualidade". Check. O novo disco de Norberto Lobo chama-se Fala Mansa, é o terceiro disco do músico, e sai hoje mesmo para as lojas com selo da Mbari. Hoje também, Norberto apresenta-se no Teatro da Trindade em Lisboa para um concerto muito especial. No sábado, o guitarrista repete a dose no Passos Manuel, no Porto a partir das 22:30. Só para que fiquem com a informação toda: Fala Mansa foi gravado por Eduardo Vinhas e por Pedro Magalhães, em Mértola, pleno Alentejo. E tem uma grande novidade: em alguns temas, será possível ouvir a voz de Norberto.
...e já agora, também os Papa Topo, que o Verão está a chegar
· POR Nuno Catarino · 11 Mai 2011 · 08:57 ·
Pois é, as confirmações no Milhões de Festa vão-se sucedendo, mas faltava "aquela". Já está, o duo mais indie-fofo da Península Ibérica vai marcar presença no melhor festival de Portugal. Se ainda faltava motivo para irem até Barcelos, já lá está. O duo de Adrià e Paulita toca no dia 23 de Julho e, mesmo sem ainda ter editado um disco a sério (só dois pequenos EPs), vai apresentar clássicos imediatos como "Oso Panda" ou "Lo que me gusta del verano es poder tomar helado". Portanto: piscina, bikinis e Papa Topo. O que nós mais gostamos no Verão é de poder comer gelados. E de ir ao Milhões.

Vivian Girls no Milhões para partilhar alegria
· POR Paulo Cecílio · 11 Mai 2011 · 08:56 ·


Uma vez sonhei com a Kickball Katy. Não vou entrar em detalhes, mas envolvia uma cadeira reclinável, uma piscina sob um calor insuportável e uma taça com fruta fresca e saudável. Porque, sejamos objectivos, todos os homens gostam das ruivas. Se as ruivas em questão falarem a linguagem das guitarras, todos os homens amam as ruivas. Se as ruivas em questão tiverem a sorte (nossa) de figurar entre as escolhas de Bob Log III durante a sua prestação de "Boob Scotch", todos os homens quererão desposar, criar filhos, amadurecer junto das ruivas. No segundo dia do Milhões de Festa, Kickball Katy e as duas outras Vivian Girls - que não são ruivas e por conseguinte não despertam tantas erecções tanto interesse subirão ao palco para apresentar Share The Joy, o mais recente disco do trio riot grrrl Nova-Iorquino. Caso Katy seja vista na piscina, trajada a rigor, tenho apenas uma palavra a deixar-vos. E essa palavra é "dibs".
Silence is sexy, ou, a poesia no Musicbox e no São Jorge
· POR Paulo Cecílio · 10 Mai 2011 · 21:07 ·


Atenção, amantes da poesia, boémios iluminando a noite de bar em bar, ou malta que ainda está para escrever um ensaio literário de dez páginas para entregar na semana que vem: o Festival Silêncio!, evento que dá destaque à spoken word e à alma poética de músicos de todos os quadrantes, anunciou hoje alguns dos nomes que vão estar presentes em Lisboa, de 15 a 25 de Junho, no Musicbox e no São Jorge, para leituras indispensáveis. Destaque natural: Linton Kwesi Johnson, considerado por muitos como o pai fundador da dub poetry (que é precisamente o tema do ensaio, e por isso podiam ter feito isto em Abril) e co-autor de um dos melhores discos reggae de sempre, o essencial Dread Beat An' Blood. Mas não só. Também Lee Ranaldo cá virá novamente a solo, desta feita para apresentar o projecto Notebook, poesia acompanhada por imagens. E ainda, porque "FMI" roda incessantemente nas nossas cabeças há já algum tempo, José Mário Branco subirá ao(s) palco(s) acompanhado por pessoas como Camané, Carlos Bica e José Peixoto. Isto para não falar de Arnaldo Antunes, do projecto Moradas do Silêncio (poesia de Al Berto por Sérgio Godinho, JP Simões, João Peste, Rui Reininho e Noiserv), e das oportunidades que alguns terão, se entrarem nos concursos em questão, para ler a sua própria poesia. Porque a música também se faz de palavras.

O Indie vai ser mais indie com os Tindersticks
· POR Nuno Catarino · 10 Mai 2011 · 21:06 ·


O IndieLisboa já arrancou e, saltando de cinema em cinema, nos últimos dias tivemos oportunidade de assistir a alguns dos destaque da secção IndieMusic. Love is all you need confirmou-se um documentário banal sobre Lennon, Yoko e etc; The ballad of Genesis and Lady Jaye revelou-se uma boa surpresa, retratando a particular história de amor de Genesis P.Orridge e da sua Jaye. Há ainda muitos filmes para ver até domingo e, se tiverem juízo, espreitem coisas como Lemmy, Neil Young Trunk Show, The Agony and Ecstasy of Phil Spector e This Movie Is Broken. Contudo, o grande momento do IndieLisboa não vai ter lugar numa sala de cinema, vai acontecer na Aula Magna. E vai contar com os Tindersticks. Antes que alguém diga "a década de 90 ligou e pediu-os de volta", lembramos que nos últimos anos os Tindersticks têm estado bastante activos. Além disso, esta actuação é especial, uma vez que se trata de uma apresentação ao vivo das suas bandas sonoras para filmes da realizadora Claire Denis, acontecimento raro. É já esta quarta-feira, dia 11. Indie mais indie não há.
O X marca o caminho
· POR Hugo Rocha Pereira · 10 Mai 2011 · 21:02 ·


Ray Cappo passou por Lisboa na 6ª-Feira, dia 6. O palco do Santiago Alquimista, em Lisboa, foi partilhado pelo público de duas bandas fundamentais no movimento Straight-Edge: os X-Acto estiveram bem presentes, num tributo intenso à formação que marcou os anos 90 portugueses, e os míticos Youth Of Today provaram que os bons velhos tempos são agora. Após um longo interregno – depois de abraçar o Movimento Hare Krishna, Cappo fundou bandas como os Shelter e Better Than a Thousand –, o ícone do Hardcore positivo nova-iorquino fez-se novamente à estrada com os YOT. Na curta conversa que se segue mostra que os valores que o guiaram desde o início da caminhada continuam bem vivos.

Durante o concerto disseste que estiveste em Lisboa há cerca de dez anos (com Shelter, no Paradise Garage, em 2001), mas sentiste que apenas se tinha passado um dia. Quando estás ligado às pessoas não importa quanto tempo passou desde a última vez, é isso?

Nem mais. Eu e o Purcell (guitarrista de YOT) somos amigos há muitos anos, e em todos os sítios a que regressamos encontramos pessoas que não vemos há que tempos. Mesmo em Nova Iorque, quando encontramos malta que já não víamos há séculos, é como se estalasse os dedos e não tivesse havido esse hiato. Como se tivéssemos estado juntos na véspera. Isso mostra quão forte e profunda é a ligação que se estabeleceu. É agradável que isso se verifique. E acontece-nos um pouco por todo o mundo.

Foi isso que se passou com a reunião dos Youth Of Today?

Youth Of Today é uma extensão e semente do que sou hoje. As letras fizeram de mim o que sou actualmente. Canto estas canções e, embora elas não sejam 100% representativas da minha vida actual, continuo a ser straight-edge, vegetariano e a ter uma atitude positiva. E estou cada vez mais imbuído desses valores do que nunca.

A propósito desse estilo de vida positivo e saudável, continuas a fazer surf?

Não tanto nos últimos anos. Havia um sítio na Costa Rica em que estava sempre a surfar. Mas desde que voltei a viver em Nova Iorque, há cerca de quatro anos, que os meus dias de surf têm sido muito limitados (risos). A última vez que fui para dentro de água foi com uma paddle board.

Hoje também disseste que não sabes cantar lá muito bem. O Hardcore também passa por mostrar que qualquer um pode fazer música, não é?

Sim, foi isso mesmo que me inspirou a fazer música. Não foi atingir a perfeição em termos musicais, mas tocar com o coração. E consegues perceber quando isso acontece. Eu sei quais são as pessoas que sabem cantar, e eu não sou uma delas. As pessoas que sabem cantar adoram ir para estúdio gravar. Eu odeio. Fico sem voz, mesmo nas tournées. É por isso que estou aqui a chupar estes Halls (risos).

As letras do Hardcore remetem muitas vezes para valores como a Justiça. Como concilias isso com a tua evolução ao nível espiritual?

Acredito que a Justiça acaba sempre por ser feita. Há sempre um equilíbrio de poderes. Quando há ganhos também existe sofrimento. Quando alguém ataca provoca uma reacção. Pode não parecer, no curto prazo, mas o Universo encontra-se sempre num equilíbrio perfeito. Sempre.

Alfacinha Panda Bear dará concerto em Julho, com convidados especiais
· POR Paulo Cecílio · 09 Mai 2011 · 20:46 ·


Por outras palavras: os Animal Collective vão estar em Lisboa. Lembram-se da última vez que os Animal Collective vieram cá tocar? É que eu não, mas foi aparentemente há seis anos (vá lá, foi há menos, foi em 2008). Depois da trip que foi Oddsac e de alguns rumores sobre o fim do grupo, os quatro irão estar no CCB a 25 de Julho, que é uma data incrível porque é precisamente no dia a seguir à peregrinação anual até Barcelos. Bilhetes já à venda: custam entre 12€ e 30€. Não adianta estar com rodriguinhos sobre se tocarão material novo ou as faixas que lançaram este ano juntamente com a sua fabulástica linha de calçado; são os Animal Collective, foda-se!

Norberto Lobo apresenta disco novo já na quarta
· POR Paulo Cecílio · 09 Mai 2011 · 20:42 ·


Tínhamo-lo anunciado há uns tempos, mas convém lembrar: é já nesta quarta que Norberto Lobo e a sua belíssima guitarra sobem ao palco do Teatro da Trindade, em Lisboa, naquele que é o concerto de apresentação do (salivem) seu novo trabalho, Fala Mansa. Não tendo ainda nas mãos o disco, podem por agora picar "Chuva Ácida", um dos temas que lá irão estar, no Soundcloud, gentilmente cedido pela Filho Único. O concerto inicia-se às 22h, os bilhetes custam entre 10€ e 12,5€.

Musicbox recebe as estreias em Portugal de Mount Kimbie e Glasser
· POR André Gomes · 09 Mai 2011 · 12:29 ·


No próximo sábado dia 14 de Maio o Musicbox, em Lisboa, recebe a estreia do duo britânico Mount Kimbie, que trará a Portugal o celebrado Crooks and Lovers. Neste concerto, que tem início à 00h00, a primeira parte está reservada aos nortenhos Aquaparque que apresentam o mais recente disco Pintura Moderna, disco que apresenta uns novos Aquaparque.

No fim-de-semana seguinte, na sexta-feira dia 20 de Maio, a norte-americana Glasser actua também pela primeira vez em Lisboa na apresentação do disco Ring editado o ano passado. No dia seguinte Glasser apresenta-se no Porto, no âmbito do Clubbing da Casa da Música. Promete.
Paredes de Coura marca pontos; Blonde Redhead juntam-se ao cartaz
· POR André Gomes · 09 Mai 2011 · 12:05 ·


Paredes de Coura começou tarde e anunciar os nomes do cartaz deste ano, mas agora tem sido sempre a dar-lhe. Os nomes não são gigantes - não há cabeças de cartaz colossais - mas há uma programação bastante interessante, a mais indie dos festivais tradicionais de Verão. O mais recente, avança a Blitz, é o dos Blonde Redhead que virão ao festival minhoto apresentar o mais recente álbum intitulado Penny Sparkle.

O festival Paredes de Coura acontece entre os dias 17 e 20 de Agosto e os bilhetes custam €40,00 para um dia e €65 para todo o festival. A partir de 15 de Maio terão de desembolsar €75,00. O cartaz por ora é o seguinte:

17 de Agosto
Crystal Castles
Omar Souleyman

18 de Agosto
Pulp
Blonde Redhead
Twin Shadow
Warpaint
Esben & The Witch
Pnau
Here We Go Magic
Crystal Stilts

19 de Agosto
Deerhunter
Metronomy
Marina and the Diamonds
Jamaica
Le Butcherettes

20 de Agosto
Mogwai
Two Door Cinema Club
Brother
No Age
Foster the People
Próximo BODYSPACE AU LAIT com a norte-americana Erica Buettner, dia 15 de Maio, 19h, entrada livre
· POR André Gomes · 07 Mai 2011 · 18:26 ·


Erica Buettner nasceu nos Estados Unidos, mudou-se para a cidade das luzes, Paris, e agora assentou arraiais em Coimbra, Portugal. Não há muitas histórias que começam e acabam assim mas a ideia que fica a pairar no ar é que o percurso de Erica Buettner ainda agora começou. Nos últimos tempos tem mostrado as suas canções pela Europa fora, lançou em Abril o seu disco de estreia, True Love and Water, mas Erica Buettner é ainda uma espécie de segredo bem guardado em território nacional. Até um certo dia. No mundo onde vive, Joni Mitchell, Nick Drake e Judy Collins são figuras principais e inspiradoras, mas as canções que escreve, apesar de devedoras a esses mesmos escritores de canções, versam sobre o dia-a-dia, o presente, e são detentoras de uma consciência social. Com uma guitarra ou com um banjo nas mãos, a voz de Erica Buettner destaca-se pela sua beleza e pureza; neste querido mês de Maio, é nela que depositamos todas as nossas esperanças em mais um BODYSPACE AU LAIT, para um domingo diferente.
Menu de electrónicas várias hoje no Passos Manuel
· POR André Gomes · 05 Mai 2011 · 17:13 ·


O polaco Jacaszek (Miasmah / Gusstaff Records / PL) regressa a Portugal para um concerto hoje no Passos Manuel, no Porto. Citando, "a sua música é um projecto ambicioso através do qual pretende criar uma linguagem musical única, pessoal e reconhecível na qual a manipulação electrónica dos sons gravados enriquecerá os instrumentos acústicos tradicionais". Jacaszek terá a preciosa colaboração nos visuais de p.ma, que é como quem diz, Pedro Maia, que colaborou já com músicos como Panda Bear, Lee Ranaldo, Thomas Brinkmann, Phoebus, Evols, Labrador, entre outros.

Mas a noite reserva ainda uma actuação do regressado Luís Dourado a.k.a. PURPLE, on and off entre Porto, Berlim e Barcelona, que editou o seu primeiro registo esta Primavera pela etiqueta portuguesa Terrain Ahead, PURPLE debruça-se em "composições negras e rituais melancólicos. Temas lentos e hipnóticos que "falam" de aparições e revelações num espaço sem tempo". A noite termina com um DJ Set de TIAGO (Terrain Ahead / PT). Começa às 22 e a entrada vale cinco euros.
O rock também existe na capital
· POR Paulo Cecílio · 04 Mai 2011 · 22:38 ·


...porque não poderiam ser só os Portuenses a ter coisas boas, certo? Amanhã, na imprescindível ZdB, os Abe Vigoda irão actuar pela segunda vez no nosso país na apresentação ao vivo de Crush, o mais recente disco dos Californianos (aqui entre nós, esperemos que toquem mais malhas do Skeleton). Igualmente imprescindíveis: os Glockenwise, que fazem a primeira parte. Se ainda não aderiram ao clube de fãs, é mais do que hora para o fazerem. Os bilhetes estão à venda, custam só oito euros, e vocês devem aparecer porque a troika ainda não nos cortou no rock n´roll. Ao menos isso.
Serralves em Festa anuncia todos os nomes para os dias 28 e 29 de Maio – e quatro deles são em parceria com o Bodyspace
· POR André Gomes · 04 Mai 2011 · 15:31 ·


Foi apresentada há um par de horas a programação para a 8ª edição do Serralves em Festa, um dos grandes acontecimentos culturais do Porto, do país (e por aí fora), montra de todas as artes e expressões artísticas que acontece nos próximos dias 28 e 29 de Maio, com entrada livre, na Fundação Serralves. O que nos cabe a nós reportar são os nomes da música e a novidade é que, pela primeira vez, coube ao Bodyspace, muito orgulhoso disso, a programação de quatro desses concertos (todos no dia 28, sábado). São eles: os Arborea (folk das norte-américas, apresentação do novo disco Red Planet), Victor Herrero (o guitarrista madrileno que tem acompanhado Josephine Foster nos últimos anos em numerosos projectos), blac koyote + (o projecto de José Alberto Gomes dos adormecidos Nimai) e os barcelenses Black Bombaim (que vão tocar no meio do Prado às 4 da tarde de sábado, dia 28, e esperar que façam uma rodinha à volta deles numa festa que se prevê intensa).

Mas há, claro, muito mais. Há as Chicks on Speed e Infinito + 3 (J-WOW dos Buraka Som Sistema, Kafal e amigos) na Festa no Prado, há Perico Sambeat Flamenco Big Band (cumprindo a promessa anual da presença de uma formação alargada de jazz) também no Prado, há os maravilhosos Gang Gang Dance (que apresentam o novo e excitante Eye Contact na festa de encerramento), há Mountains (duo constituído por Brendon Anderegg e Koen Holtkamp com casa na Thrill Jockey), os Moon Duo (com dedo da Filho Único) e um rock experimental de maravilhosas influências (Silver Apples, Royal Trux, Suicide e Cluster, só para citar alguns), há até os entusiasmantes Emeralds (apontados pela portuense Amplificasom), um trio que promete, loop atrás de loop, camada atrás de camada, levar toda a gente para um local idílico onde o som dita todas as leis. Vai saber bem em finais de Maio quase Junho.

Mas há muito mais: há Alexandre Soares e Ana Deus, Rodrigo Amado Motion Trio com o trombonista norte-americano Joe Bishop, há Sei Miguel, Pedro Gomes (CAVEIRA), Rafael Toral, César Burago, entre outros. Uma vitrina interminável de sons (e dança, e teatro, e novo circo, e outras expressões artísticas) para descobrir. No ano passado estiveram mais de 100 mil pessoas; e tu, sim tu, pá, vais querer ficar de fora este ano?
Apresentação da FACT traz Jamie XX (e não só) ao LUX
· POR Hugo Rocha Pereira · 04 Mai 2011 · 00:53 ·
A FACT, revista digital dedicada ao que de melhor se faz na música actual, é um projecto iniciado em 2003 no Reino Unido. E a sua chegada a Portugal vai ser marcada por uma festa que promete fazer tremer as fundações do LUX-Frágil.

Jamie XX (sim, o produtor e DJ que ficou conhecido do grande público como membro dos britânicos The xx), Lil Silva e Gala Drop serão alguns dos nomes presentes na FACT NIGHT, que terá lugar amanhã, quinta-feira (dia 5), na carismática discoteca de Santa Apolónia. O comboio parte às 23 horas e o bilhete custa 12 euros, dando direito a viajar pelos dois pisos até de madrugada.

JACC celebrou o aniversário e anunciou o programa do Jazz Ao Centro 2011
· POR Nuno Catarino · 04 Mai 2011 · 00:51 ·

Ken Vandermark © Nikita

No passado fim-de-semana, nos dias 29 e 30 de Abril, o JACC - Jazz Ao Centro Clube celebrou o seu oitavo aniversário. Na altura o clube de Coimbra promoveu concertos com Elliott Sharp, Open Field String Trio e Guitolão (António Eustáquio e Carlos Barretto) - tivemos oportunidade de assistir ao último, onde a música de Carlos Paredes foi homenageada com criatividade. Além dos concertos, foi apresentada na ocasião a programação da edição 2011 do festival Jazz Ao Centro 2011. Os Encontros Internacionais de Jazz de Coimbra irão decorrer entre 26 de Maio e 4 de Junho e vão apresentar em diversas salas da cidade projectos musicais de diversas correntes estéticas: Pão, Ken Vandermark (solo), Motion Trio feat. Jeb Bishop, Rodrigo Amado (solo), Daniel Levin (solo) e Motif. No Salão Brazil actuará durante as três noites do primeiro fim-de-semana - 26, 27 e 28 de Maio - o quinteto Platform 1 (de Vandermark); nas noites do segundo fim-de-semana - 2, 3 e 4 de Junho - actuará o quinteto Ogre (liderado pela cantora Maria João). Durante estes dias todos os caminhos irão dar ao centro.
O 4º BODYSPACE AU LAIT foi assim
· POR André Gomes · 03 Mai 2011 · 20:44 ·
Foi há quase uma semana mas ainda é uma boa altura para lembrar o que foi feito em dia de estar em casa com a família; no Café au Lait, no passado domingo, aconteceu a 4ª sessão do BODYSPACE AU LAIT, com Rui Lima & Sérgio Martins, que desenharam paisagens experimentais onde a pop espreitou de quando em vez. E foi um belíssimo serão de copo de vinho na mão, a desafiar as leis da lógica imposta pelos domingos, de nada fazer, de queixume pelo tédio que o dito cujo instala. E para continuar nessa toada, avisamos desde já que no próximo domingo, dia 15 de Maio, é de novo dia de rumar ao Café au Lait para mais um concerto Bodyspace. O nome, esse, será anunciado muito em breve. Entretanto, apontem já nas vossas agendas o dia; nós tratamos do resto.



© João Marçal
Além dos filmes, a música (indie e não só)
· POR Nuno Catarino · 03 Mai 2011 · 01:29 ·
Está quase aí a chegar o IndieLisboa. O Festival Internacional de Cinema Independente de Lisboa arranca já esta quinta-feira, dia 5 de Maio, e vai acontecer entre o Cinema São Jorge, a Culturgest, a Cinemateca e o novo Teatro do Bairro. Nesta oitava edição do festival mais indie não vai faltar, como é hábito, a secção de música, "IndieMusic", que este ano vai contar com documentários sobre alguns dos grandes: Neil Young, Lemmy Kilmister, John Lennon e Phil Spector. Além destes, a secção musical inclui ainda vários documentários da série MusicBox ClubDocs, sobre projectos nacionais: DJ Ride, Linda Martini, Diabo Na Cruz, Pop Dell'Arte e Dead Combo. O ponto alto musical da programação do IndieLisboa 2011 será, contudo, o filme-concerto de dia 11, em que os Tindersticks (eles vivem!) vão apresentar na Aula Magna as suas bandas-sonoras para os filmes da realizadora Claire Denis. Será tempo de lembrar, por exemplo, esta aqui em baixo, "Trouble every day".

Buraka com novo single que nos faz questionar tudo
· POR Rodrigo Nogueira · 02 Mai 2011 · 23:11 ·
Volta e meia aparece algo que estilhaça uma convicção que tínhamos e que parecia ser inabalável. Passamos a questionar algo que, enquanto crescíamos, parecia uma certeza. Não é fácil, mas faz parte da condição humana. Já nos aconteceu a todos (até a ti, pequenote), e há-de continuar a ser assim. Toda a minha vida me foi dito que uma ressaca era algo muito mau, até antes de começar a beber – e até antes de começar a ter ressacas, que é algo bastante recente ao qual ainda não me habituei. Mas, em 2009, a minha fé no facto de as ressacas serem más foi abalada pelo estreia d'A Ressaca (dos poucos nomes de filmes no mundo desde sempre que não custa dizer em português). Quão incrível foi aquilo? Transformou o Zach Galifianakis numa estrela, por amor de qualquer coisa, ou seja, foi muito incrível. Agora, dois anos depois, volta a acontecer o mesmo. Até quem não gostou d'A Ressaca (é estranho um nome soar bem português, mas este soa) pode gostar de "Hangover", o novo single dos Buraka Som Sistema, que antecipa Komba, o segundo (ou terceiro, se contarmos com o primeiro EP) disco deles. Só chega depois do Verão, mas já podemos ver o vídeo de "Hangover", que sai pela Enchufada dia 6 de Junho. Malha monstra, com uma batida que não perdoa, com sintetizadores trêmulos e Nacobeta, um MC angolano, a dizer "tu tu tu", "pa pa pa", "ba ba ba", "nhé nhé nhé" nos versos e o Conductor (acho eu, que posso estar enganado) a cantar "é dor de cabeça, 'tou ressacado" no refrão (e o vídeo, filmado nas ruas de São Vicente, em Cabo Verde, e realizado por João Pedro Moreira e Carlos Afonso – ou Bondage –, também é maravilhoso). Acima de tudo, tem um ensinamento muito bonito para todos nós: nunca podemos ter certezas de nada na vida (a não ser o facto de que os Linkin Park nunca farão nada que seja sequer remotamente tolerável na vida).


Hoje no Canal 180 temos os Filhos do Tédio
· POR André Gomes · 02 Mai 2011 · 15:45 ·


No número 180 da Zon mora desde a semana passada um canal de televisão que é, para além de refrescante, uma chapada nas trombas da televisão que é igual a si mesma há décadas. Chama-se Canal 180 e é dedicado à cultura, à música e tem uma Sra. Dona programação de qualidade. Hoje, pelas 22 horas, exibem o documentário Os Filhos do Tédio, de Rita Alcaire e Rodrigo Lacerda, que conta a maravilhosa história dos Tédio Boys, que um dia decidiram abanar com Coimbra para sempre. A sinopse da coisa ilustra tudo um pouco melhor: “a história de uma das exportações mais famosas de Coimbra, os Tédio Boys. Banda mítica do rock português, de atitude singular, os Tédio Boys mudaram a paisagem de Coimbra desde a sua aparição. Mais, foram os primeiros a exigir o seu lugar numa cidade dominada pela Universidade e por adultos. Por isso, foram sujeitos a reacções que vale a pena analisar e que estão presentes neste documentário assinado por Rita Alcaire e Rodrigo Lacerda”. Absolutamente a não perder.

Parceiros