Dezembro 2011
Mais festas para dizer adeus a 2011
· POR Hugo Rocha Pereira · 29 Dez 2011 · 22:47 ·


Festas de passagem de ano (aka reveillons) há muitas; e como não é possível dar conta de todas, deixam-se aqui mais duas sugestões lisboetas, entre o atrevidote e o bollywoodesco. Quem for ao Clube Ferroviário, em Santa Apolónia, pode entrar a bordo do Bollywood Express – conduzido pelos DJs Jigar e Mayush –, que vai servir um repasto indiano e filmes dessa Meca da Sétima Arte que dá pelo nome de Bollywood. As entradas variam entre os 15 euros (que dão direito a uma bebida) e os 75 – garrafa de champanhe e bar aberto –, com valores intermédios para quem quiser uma garrafa de espumante nacional (25 €) ou de champanhe (40 €) para celebrar a entrada em 2012 enquanto é tempo.

Já o Santiago Alquimista, ao Castelo, junta os Irmãos Catita aos Ena Pá 2000 para um Reveillon Atrevidote, noite de bailarico que terá Eugénio Royale como mestre-de-cerimónias e pela qual passarão Miss Suzie, as coristas Cindy Laroca e Vicky Marota, o MD (Mete-Discos) Gimba e Phill Mendrix. Além de garantirem o sorteio de kits marotos, prometem que este vai ser o derradeiro reveillon antes da queda no abismo, por isso é melhor aproveitar a oportunidade para contar os cêntimos (entradas a 25 € para quem entrar entre as 22 horas e a 1:30 da noite; 25 € para quem só aparecer depois desta hora) e queimar os últimos cartuchos.
Sam Rivers tinha de nos deixar em 2011
· POR Nuno Leal · 29 Dez 2011 · 22:44 ·


A morte não conseguiu esperar pelo ano novo para nos levar mais um excepcional músico de jazz. I Want You Sam terá dito a morte ao mestre do sopro do Oklahoma, sax, trompete e flauta, tenor e soprano, multi-instrumentista, já de 88 anos. Logo uma pneumonia é que cala uma das gargantas e pulmões ícones do jazz, sobretudo do free jazz, post-bop e vanguarda. Reza a história que teve no quinteto de Miles Davis por um breve período, a conselho de Tony Williams, antes de ser substituido pelo depois duradouro Wayne Shorter. Mas a história conta também com o seu primeiro disco na Blue Note, Fuchsia Swing Song, uma obra maravilhosa, que o põe a par de músicos enormes com que começou a colaborar, de Andrew Hill a Archie Shepp e Cecil Taylor. Experimentalista nato, nos anos 70 ficaram lendárias as performances com a sua mulher Beatrice no apartamento do Harlem que partilhavam - Studio Rivbea. Em 1976 vieram as inesquecíveis colaborações com o baixista Dave Holland. Um deles é um dos meus tesouros da caixinha onde guardo jazz: o Vol.1 com "Waterfall" e "Cascade", rios de 17 e 21 minutos do melhor jazz, ámen.

Em 2012 temos uma lista de convidados que é um luxo, celebremos
· POR André Gomes · 29 Dez 2011 · 17:05 ·


Uma vez que em 2012 esta casa celebra a bonita idade de 10 anos, achamos que seria uma boa altura para, apesar da anunciada crise, permitir a nós mesmos alguns luxos. Afinal de contas um site com 10 anos é como um jornal com 100 e não é todos os dias que se sopra dez velas. Vai daí lembramo-nos de convidar 11 pessoas (Agosto é férias) que pensam sobre música em Portugal (críticos, writers, chamem-lhes o que quiserem), pessoas que lemos e aprendemos a admirar, para que, durante um mês, sentissem o pulso desta redacção virtual e pensassem sobre música connosco. A aceitação dos convites honra-nos – e faz-nos corar. E esta é apenas uma de muitas novidades que temos preparadas para 2012. Vai ser um ano incrível, acreditem.

O calendário de colaborações é a seguinte:

Janeiro - João Bonifácio (Ípsilon/Público)
Fevereiro - Jorge Manuel Lopes (Time Out/Expresso)
Março - Rodrigo Amado (Ípsilon/Público)
Abril - Mário Lopes (Ípsilon/Público)
Maio - Ana Patrícia Silva (Time Out Porto/Blitz)
Junho - Luís Filipe Rodrigues (Time Out Lisboa)
Julho - Rui Miguel Abreu (Blitz)
Agosto - Férias
Setembro - Vítor Belanciano (Ípsilon/Público/Fact Magazine)
Outubro - Lia Pereira (Blitz)
Novembro - Rui Eduardo Paes (Jazz.pt)
Dezembro - Luís Guerra (Blitz)
We Love 77: esteve em Londres, foi até Coimbra e agora vai para onde a quiserem. Suiça, talvez?
· POR André Gomes · 28 Dez 2011 · 00:18 ·


Victor Torpedo, Tédio Boys, 77, Parkinsons e Tiguana Bibles, artista plástico. Ao lado do artista suíço Jay Rechsteiner. Neste projecto Victor assina como Sardine, Jay assina como Tobleroni. O que dá, se as contas não nos falham, Sardine & Tobleroni. A exposição que conceberam em conjunto, We love 77, que elogia algumas figuras do punk, esteve em Londres, passou pelo Centro de Artes Plásticas de Coimbra (CAPC) e agora vai para onde a quiserem. Para perceber melhor os propósitos e contexto desta exposição – que é muito mais do que isso – falamos com Victor Torpedo que nos pintou o quadro perfeito de We Love 77.

Tiveste recentemente a exposição We Love 77 no Círculo de Artes Plásticas de Coimbra com a exibição de alguns documentários. Que feedback tiveste desse ciclo e de toda a experiência?

A exposição We Love 77 foi uma experiencia muito bem sucedida… É óptimo ter este feedback positivo depois de todo um grande trabalho na preparação de um evento de tal dimensão. Feedback este que não veio só da parte dos visitantes, mas também, e com grande carinho e apreciação, da parte de alguns membros de bandas envolvidas no movimento punk (alguns deles mesmo retratados em tela), e esse feedback e sem dúvida importante como estimulo a continuação deste projecto.

A pintura e o punk parecem ser, à partida, parentes afastados. Esta é uma exposição de derruba também essa barreira?

Todos os grandes movimentos artísticos pelo contrário estão extremamente relacionados com o mundo da música e restantes planetas artísticos… Vídeo, literatura, etc. É difícil não fazer uma rápida ligação entre Andy Warhol e os Velvet Underground ou entre Patti Smith e Robert Mapplethorpe... No caso do punk essa relação ainda é mais intima, pois neste caso o ente criador da musica e da arte por vezes e a mesma persona... Pois muitas destas personagens icónicas deste movimento punk também mantiveram essa vida de dupla criação, pessoas como Poly Styrene (X Ray Specs), Gay Advert (Adverts), Knox (Vibrators), Adam Ant (Adam and the Ants), Paul Simonon (The Clash), etc. E as escolas de arte em Inglaterra tiveram um papel importante como nicho para a criação de algumas destas bandas e foi sem duvida um ponto de recruta de alguns destes indivíduos, pois muitas destas personalidades entraram para as escolas de arte com a única intenção de criar uma banda (pois qual seria o melhor sitio para encontrar outras pessoas com os mesmos interesses e gostos artísticos?)... Outro exemplo desta ligação tem a ver por exemplo com o uso de algumas venues na altura (como o famoso ICA-Instituto de Artes Contemporâneas) que foi sem duvida uma porta aberta aos novos sons da altura e a este novo movimento cultural... Só esta pergunta daria conversa para mangas… Mas esta ligação e extremamente forte.



Que outro género musical valeria a pena ser pintado, se algum?

Acho que todos os géneros musicais teriam o seu distinto direito as pinceladas de qualquer artista… Mas é sem dúvida mais interessante pintar algo com um passado relativamente recente para que haja uma comunicação directa com as pessoas envolvidas nos projectos, pois essa parte é que torna este tipo de projecto interessante e dinâmico, essa participação dos dois lados (do artista plástico para o musico).

O que nos podes contar acerca destes trabalhos?

Estes trabalhos são uma pequena síntese da nossa visão (Sardine e Tobleroni) desse grande mundo que e o punk... Usamos como escudo de protecção a ajuda da Mojo magazine (edicao Punk Smashers de 2005), a partir daí foi mais fácil pois a Mojo já tinha criado essa lista com as bandas que eles consideraram mais importantes deste movimento. Seguindo os passos desta lista deu-nos mais liberdade e ao mesmo tempo mais autoridade para responder a algumas das questões que a gente sabia que nos iriam perguntar, como por exemplo, “Por que é que pintastes esta banda e não esta? E por outro lado tentamos seguir vários parâmetros de imensa importância como a cronologia do movimento, a maior ou menor importância de algumas bandas no que diz respeito ao seu reconhecimento junto do grande público, e também a importância de algumas bandas por terem sido importantes devido à sua influencia na génese deste movimento. Por isso tivemos que ter em conta muitos pormenores mesmo antes de fazer uma colagem ou pintura para este projecto.

Qual é o próximo passo desta exposição?

Tentar levar a mensagem a todos os bons sítios que seja possível, pois o punk é uma linguagem global... Mas o importante é manter este tipo de programa como o que fizemos em Londres e Coimbra, tratar We Love 77 como um grande evento com exposição, passagem de filmes e documentários e concertos como forma de adoçar o evento. Mas tudo isto requer grande trabalho e consome enorme tempo. Mas penso que o próximo local para We Love 77 será Basileia, na Suíça, terra natal de Tobleroni.
Do Minho a Nova Iorque – a vida de António Variações no grande ecrã
· POR Hugo Rocha Pereira · 28 Dez 2011 · 00:03 ·


Parece que é desta que o filme sobre o genial músico português está em vias de avançar, após a respectiva produção ter sido interrompida devido a divergências (que conduziram a um litígio judicial) entre o realizador Rui Maia e a produtora Utopia Filmes. Segundo a Time Out Lisboa, já foi escolhido o protagonista: Sérgio Praia encarnará António Joaquim Rodrigues Ribeiro – nome de baptismo de Variações, cujas canções também interpretará –, num percurso que teve tanto de curto como de brilhante. O filme começará com uma viagem do cantor de “Estou Além” a Nova Iorque, onde terá sido contraído o vírus da SIDA (e em consequência do qual viria a falecer em 1984), para depois revisitar a sua infância na vila de Amares, perto de Braga, e terminar com o mesmo já em estado debilitado mas ainda a «cantar canções para o gravador».

Tendo obtido uma sentença favorável na acção judicial proposta contra a Utopia Filmes, Rui Maia procura agora financiamento para filmar a história de Variações – «musical realista»» e «biografia ficcionada» –, pretendendo iniciar a sua produção já em 2012.

Ano novo, festas do costume
· POR Paulo Cecílio · 27 Dez 2011 · 23:19 ·


2012 está mesmo quase aí à porta. E, como é habitual em qualquer canto do mundo, da ilha de Kiritimati a Niue (que na realidade não distam muito um do outro, mas entre esta e aquela existem 25 horas de diferença no fuso horário, isto é uma mera curiosidade geográfica, estava a tentar fazer uma piada imbecil, por favor não fechem ainda o browser), o ano novo irá celebrar-se com farra até mais não, porque nunca sabemos se este que aí vem será o último ano das nossas vidas, há quem diga que sim, outros respondem que não, no fundo ninguém sabe. E poderia ficar aqui o dia ou a noite toda a falar das festas a que acho que vocês deveriam ir, a não ser que, como este que assina a notícia, não tenham amigos. Nesse caso o ano novo é apenas outra oportunidade de suicídio e uma confirmação do status de forever alone OH MEU DEUS TIREM-ME DESTE BURAComo eu estava a dizer, poderia ficar aqui o dia ou a noite toda, mas vou-me centrar por agora em duas, não porque ache que sejam festas filhadaputa (porque o Vibe não actua nem numa nem noutra), mas porque os trios que vão rodar discaria são meus conhecidos (e assim posso dizer que estou a escrever esta notícia só por interesse).

É óbvio que daquele parágrafo anterior só a questão dos fusos horários é verdade. Mas deixemo-nos de merdas, porque queremos umas Entradas Sem Merdas© em 2012: cá em baixo, na LX Factory, vamos ter os CIMENTO. do nosso amigo Rodrigo Nogueira a botar tudo o que existe de bom na pop, r&b, soul, disco e derivados, juntamente com J. Piret e Señor Pelota (bom nome), numa festa que começa às 21h30 e só acaba quando um homem quiser. Antes disso há jantar e três preços distintos com base nesse facto: 30€ (só em pré-venda) garantem a comezaina e o espumante, 20€ - até à meia-noite - este último mais um copito, e depois das 00h podem pagar 15€ e têm direito a qualquer coisinha tragável e com suficiente teor de álcool. Tudo inserido na festa bonita que dá pelo nome de Please Disturb, e parece-me que tenho de fazer aqui uma referência à Absurdo, porque foi a Sónia que me pediu que noticiasse a festa, e eu faço o que a Sónia me pede. <3

Do outro lado do Mondego, aka na cidade mais bonita do Douro e arredores, num sítio que se chama Lófte, não confundir com o Loft cá de baixo, que é um bocado mau a não ser que gostem de meninas novas, irá decorrer uma festa com o originalíssimo nome de New Year´s Eve e onde irá estar presente o trio DJ da Lovers & Lollypops, aquela tal editora que deu a conhecer os Glockenwise e fez do Parque Fluvial de Barcelos património da UNESCO via Milhões de Festa. Eu nunca os vi e por isso não sei o que raio costumam passar, mas um deles é o meu patrão aqui no Bodyspace, outro o Grande Chefe que controla a label e o terceiro um gajo famoso no Facebook que não pára de me chatear o juízo por causa da minha boina e que me devia mandar mais promos. Anyway, irão lá estar na companhia de Lux Exterior (ok, *melhor* nome), Pedro Santos, Supa e Jam e Albino. A entrada custa 7,5€ e dá direito a uma bebida não branca, que é para meninos, como o B Fachada, mas mama-se à mesma, não como o B Fachada, a não ser que a barba dele vos deixe molhadas. Quer escolham Lisboa, Porto ou algo no meio ou fora dele, o desejo é que tenham um feliz ano novo - não só este como os outros todos.

E agora deixo-vos um vídeo com uma canção de um dos grandes.

The Weeknd lança novo disco
· POR Paulo Cecílio · 22 Dez 2011 · 21:55 ·


2011 viu nascer o projecto Weeknd, autor de duas mixtapes soberbas. Depois de House Of Balloons e Thursday, o que os fãs andavam a pedir era Echoes Of Silence, o terceiro tomo desta aventura r&b. O disco já está disponível e pode ser encontrado aqui. The Weeknd é uma música complexa, vai buscar influências ao indie contemporâneo para criar canções r&b e um mundo musical como nenhum outro artista. Abel Tesfaye é o nome por detrás do projecto, que canta e produz os seus próprios discos, não se sabendo ainda se cumprimenta os fãs na primeira fila após os espectáculos ao vivo. É um beat novo, estranho e empolgante. Os graves sentem-se com sentimento e quase que se imaginam as lágrimas de Tesfaye a rolar-lhe pela face enquanto debita versos como os de "The Morning", do primeiro disco. É canadiano e muito bonito. Um homem de confiança para recriar a amargura de se ser famoso e boémio. E é por isto que Weeknd é o projecto que é.

Agora a sério: usem preservativo ao sacarem esta coisa. Nunca se sabe.
Eu gosto é do Verão
· POR Hugo Rocha Pereira · 22 Dez 2011 · 21:53 ·


Entramos no Inverno, a Estação das noites longas e gélidas. Mas, como tudo isto é uma questão de ciclos, a boa notícia é que a partir de agora os dias vão começar a aumentar até chegarmos ao Verão e darmos mergulhos na praia. Faz, por isso, todo o sentido lembrar que por estes dias os míticos Beach Boys anunciaram que estarão de volta em força no já próximo 2012, ano em que se comemora meio século sobre o lançamento do seu primeiro disco, Surfin’ Safari. E como a efeméride justifica um regresso em grande, prometem uma série de reedições, nova colecção de êxitos, um álbum novo de originais (que deverá ser editado em Abril) e ainda uma digressão mundial, que se inicia também em Abril, em New Orleans, e que incluirá 50 datas. O genial fundador Brian Wilson mostra-se muito entusiasmado pela oportunidade: «Tenho saudades dos meus rapazes e vai ser emocionante fazer um disco novo e estar com eles em palco outra vez». Wouldn’t it be nice que viessem cá fazer uma visita?!

Dear Telephone dão prenda de Natal
· POR André Gomes · 22 Dez 2011 · 10:37 ·


Os Dear Telephone, entre as 00.01 do próximo dia 24 e as 23.59 do dia 25, vão deixar uma canção (inédita e para download gratuito) no vosso sapatinho, a desembrulhar no site da banda. Dizem as boas linguas que há um ano atrás, durante as gravações de "Birth of a robot", nasceu do confronto entre vozes ásperas e synths descalibrados uma versão espontânea de "John Riley", uma cantilena medieval. Não se esqueçam: para desembrulhar entre as 00.01 do dia 24 e as 23.59 do dia 25. Perguntamos nós: para quando o disco de estreia, para quando?
Hot Clube está de volta
· POR Nuno Catarino · 19 Dez 2011 · 22:27 ·


Há dois anos atrás o edifício que albergava o Hot Clube de Portugal (HCP) foi vitimado por um incêncio e o clube de jazz lisboeta fechou as portas. Passados dois anos o clube vai reabrir, na mesma Praça da Alegria, apenas uns metros ao lado do edifício original. Para marcar este momento de reabertura estão prometidos três dias de concertos, com a participação de formações com ligação directa ao HCP. No dia 21, quarta-feira, actua o histórico Quarteto Hot Clube de 1963, seguindo-se o actual Septeto do Hot. No dia 22 é a vez de actuar a Big Band HCP, com um concerto dividido em duas partes: repertório de Duke Ellington na primeira parte, compositores portugueses na segunda parte. No dia 23, sexta-feira, há concerto com alunos da escola de jazz Luiz Villas-Boas / HCP, seguindo-se uma jam session aberta a todos os músicos. O jazz português tem razões para sorrir.
O início de Santana
· POR Nuno Catarino · 19 Dez 2011 · 22:25 ·


Natural de Salvador da Bahia, Gileno Santana é um trompetista que tem dado nas vistas na Orquestra Jazz de Matosinhos, já passou pela ESMAE e tem colaborado com projectos como Expensive Soul, Deolinda ou Nu Soul Family. Este jovem trompetista acaba agora de lançar o seu primeiro disco na qualidade de líder, Início, acompanhado por um grupo de músicos do Porto. Ao lado de Santana estão Joaquim Rodrigues (piano), José Carlos (contrabaixo) e Mário Costa (na bateria). Este disco conta com a participação de dois convidados (Hamilton de Holanda no bandolim e Mário Santos no sax tenor) e o grande Hermeto Pascoal que escreveu um tema para o quarteto. O disco está disponível para audição completa ali mesmo.
Primitive Reason ao vivo e com novidades
· POR Hugo Rocha Pereira · 19 Dez 2011 · 22:21 ·


Os Primitive Reason têm andado a trabalhar na composição do sexto álbum da sua discografia, e na próxima quinta-feira, dia 22 – talvez contagiados pelo espírito natalício – vão dar uma prenda antecipada aos fãs: um concerto na sala TMN Ao Vivo, no qual se farão acompanhar de convidados especiais e onde irão apresentar novidades além de temas marcantes. O novo disco de originais, que deverá sair durante Fevereiro de 2012, terá o título de Power To The People, o que faz todo o sentido nos tempos agitados que correm – lembre-se, a propósito, que ainda esta semana a revista Time elegeu como personalidade do presente ano os manifestantes que, um pouco por todo o globo, têm saído à rua para protestar contra a tirania, a corrupção e a crise ou para fazer revoluções. O dia chegará…

Sexta-feira, no Café au Lait, Porto, antevemos a eleição das melhores canções de 2011
· POR André Gomes · 19 Dez 2011 · 22:15 ·


É já uma tradição que se segue a outra tão acarinhada nesta casa. Quando saem os topes anuais, antes ou depois da selecção das canções do ano que acontece lá para Janeiro, abre-se a festa – na verdade “as festas”, plural, porque são duas - para ouvir essas mesmas canções fora de casa, com os DJs Bodyspace, longe do sofá e dos phones, distante do conforto e do calor gerado pelos aquecedores lá de casa. Esta sexta-feira, muito antes de Janeiro, vamos ao Café au Lait, no Porto, para uma noite que promete tanto quanto as canções que fizeram de 2011 um ano melhor onde se viver. Em Janeiro, já depois de feita a escolha propriamente dita, iremos a Lisboa fazer o mesmo. A data de Lisboa revelaremos em breve, a informação da noite no Porto é esta: sexta-feira, 23h, Café au Lait, Porto, entrada livre, malhões.
BODYSPACE AU LAIT: um ano de música no 46 da Rua Galeria de Paris
· POR André Gomes · 19 Dez 2011 · 22:12 ·


JP Simões, blac koyote, Jesse Sparhawk & Eric Carbonara, Rui Lima & Sérgio Martins, Erica Buettner, Filho da Mãe, Nuno Prata, Old Jerusalem, Lac La Belle, Horselaughter e Memória de Peixe. Em 2011 invadimos o Café au Lait e levamos música que levou gente – muita – ao número 46 da Rua Galeria de Paris. Sempre ao domingo (bem, com a excepção de Fevereiro – foi num sábado por causa daquela coisa da excepção à regra), sempre com entrada livre, sempre transformando os finais de tarde em momentos singulares de cumplicidade e desfrute musical. Nem sempre com biscoitos em forma de peixe como ontem, claro está, mas com a mesma vontade de levar mais música a quem dedica tempo a estas páginas – e a quem, quis a sorte deles e nossa, passou por acaso no Café au Lait em dia de reunião. O nosso obrigado a todos os artistas que se juntaram a nós e a todos aqueles que encheram muitas vezes a sala até à porta nos dias em que a decidimos abrir.
É hoje: NATAL BODYSPACE tem Teams, Ay Gee Tee, Sensible Soccers e TEMPELHOF no Maus Hábitos
· POR André Gomes · 19 Dez 2011 · 11:54 ·


Sim, estão mesmo a ler bem: NATAL BODYSPACE. Sim, continuam a ler bem: no Maus Hábitos (Porto) numa segunda-feira. E porque não? Tendo em conta que esta é uma época de partilha, acolhemos no próximo dia 19 de Dezembro um Winter Showcase da editora Amdiscs (entre Praga e Londres) que inclui concertos de Teams, Ay Gee Tee, os nossos portugueses Sensible Soccers e TEMPELHOF. Os motivos para sair de casa são muitos e variados: as explorações espectrais e psicóticas do álbum de estreia do projecto norte-americano Teams (de seu nome Dxys Xff), as paisagens tingidas de krautrock dos Sensible Soccers, as ondas tropicais seguras de Ay Gee Tee e o witch house existencial de TEMPELHOF. A viagem tem hora marcada para as 22H30 e a entrada tem o custo quase simbólico de cinco euros. Não precisam de trazer nada, nós é que damos as prendas.
EXTRA! EXTRA! EXTRA! Memória de Peixe no BODYSPACE AU LAIT
· POR André Gomes · 18 Dez 2011 · 13:05 ·


MEMÓRIA DE PEIXE
18 DE DEZEMBRO, DOMINGO
19H


Café au Lait, Porto
Entrada livre

Primeiro vieram as guitarras, depois as melodias, depois os loops às centenas – talvez milhares? Tudo belissimamente articulado e argumentado. Depois chegou uma espécie de rapper-mulher cheia de atitude chamada Da Chick. Depois uma bateria – já pedia. Aos poucos, a Memória de Peixe foi ganhando mais RAM e mais complexidade, foi acumulando mais e mais motivos de interesse, foi-se construindo como aquário e como ponto de partida para grandes viagens – e algum groove. Agora já é conhecido o single e o desejo de ouvir esse anunciado EP – a chegar em 2012 - vai ganhando forma. Miguel Nicolau é o homem por detrás desta aventura com poucos capítulos mas com os argumentos necessários para que se comece a escrever mais uma bela página da nova música portuguesa. E porque somos uns mãos-largas, nesta época de dar e partilhar, abrimos espaço para um BODYSPACE AU LAIT extra que promete convidar a um pezinho de dança – ou a divagações da mente.
Justice são o novo nome para o Optimus Alive´12
· POR André Gomes · 16 Dez 2011 · 21:09 ·


Os franceses Justice são o mais recente nome apontado para o Optimus Alive´12, onde actuam dia 13 de Julho no Palco Optimus. Gaspard Augé e Xavier de Rosnay apresentam o novo disco, Audio, Video, Disco, e ao vivo a coisa deve prometer. Os Justice juntam-se a um cartaz onde já estão confirmado Caribou, Florence + The Machine, Justice, Mazzy Star, Metronomy, Radiohead e The Stone Roses. Os bilhetes já estão à venda e têm o preço de 50 euros (diário) e 99 euros (para os três dias). Aguardam-se mais nomes a qualquer momento.
Teatro Maria Matos diz sim a 2012
· POR André Gomes · 16 Dez 2011 · 12:25 ·


A programação musical do Teatro Maria Matos para 2012 acabou de ser anunciada e promete coisas boas. Assim de repente: fim-de-semana especial dedicado à editora Touch com Jana Wideren, CM von Hausswolff, Leslie Winer e Bruce Gilbert & Mika Vainio a 27 e 28 de Janeiro; Sei Miguel apresenta Prelúdio e Cruz de Sala no dia 7 de Fevereiro, Norberto Lobo apresenta o seu novo disco com João Lobo no dia 15 de Fevereiro; nos dias 8 e 9 de Março há SuperStereo DEMOnstration com Manuel Mota, Fennesz, Rafael Toral, Chris & Cosey (Throbbing Gristle) e a estreia de um instrumento chamado Protótipo [432] construído a partir da partitura numérica do concerto 42 de Schoenberg; a apresentação do disco do RED trio com Nate Wooley no dia 29 de Março; e, finalmente, os Magnetic Fields que, como anunciamos já, apresentam em Portugal o novo disco Love at the Bottom of the Sea. Um luxo.
Plano B celebra 5º aniversário em Dezembro com uma enchente de música
· POR André Gomes · 16 Dez 2011 · 00:53 ·


Durante todo o mês de Dezembro o Plano B, um dos sítios que mais contribuiu para o renascer da baixa portuense, celebra uns meritórios cinco anos de existência. E estão a dar prendas como gente grande. Já houve Lobster, Nisennenmodai, Sensible Soccers, The StepKids, Black Strobe, Dam Mantle, entre outros. Esta sexta-feira há Peaches em formato DJ Set, Discotexas band (com uma perninha da Peaches, diz-se), Xinobi, Moulinnex e Blacksugu. Para fazermos o balanço dos cinco anos de actividade, fomos falar com Filipe Teixeira, um dos responsáveis pelo projecto.

Como foi abrir o Plano B numa altura em que só se fechavam coisas?

Quando decidimos meter mãos à obra, em 2006, sentimos um misto de entusiasmo e de receio. Ou seja, estávamos extremamente empenhados no projecto, e tínhamos a convicção que na cidade do Porto faltava qualquer coisa. Ao mesmo tempo, muito devido à falta de experiência empresarial e sobretudo capital, tínhamos bastantes dúvidas e receios, pois quando arrancamos a 100%, investimos todo o dinheiro que tínhamos, e não tínhamos, assim com deixamos os nossos empregos. Acima de tudo foi a realização de um sonho muito antigo, já que desde os 15 anos organizávamos festas e concertos na antiga adega da nossa avó!

Que balanço fazes destes cinco anos?

O balanço é bastante positivo. Cumprimos os objectivos a que nos propusemos. Trouxemos várias bandas, artistas e DJs internacionais ao Porto, o que ajudou a colocar a cidade no roteiro internacional. Também fizemos muitas iniciativas exteriores, como festivais, ciclos de concertos, Mercadinhos, Churrascos, etc. Conseguimos criar oportunidades para novas bandas e DJs nacionais. Contudo, as coisas nem sempre correm bem. Por vezes sentimos que o público não reage a determinados artistas ou novas sonoridades. Mas a vontade de explorar novos territórios permanece!

Quando voltará o festival Se esta Rua fosse minha?

O festival Se esta Rua fosse minha tinha objectivos bem específicos, um dos mais importantes era dinamizar e revitalizar uma rua esquecida, despertar nas pessoas uma vontade de viver a cidade de dia. Neste momento, a Rua Cândido dos Reis, e a zona dos Clérigos, estão completamente revitalizadas e cheias de pessoas, pelo que não faz sentido continuar com o festival. Pelo menos nestes moldes. Temos projectos para fazer o festival, mas noutra parte da cidade, esquecida e abandonada.

Que destacarias musicalmente deste programa que apresentam para festejar o aniversário do espaço?

Destaco para o aniversário os concertos de The DiscoTexas Band, The Dixie Boys. Na música electrónica, Peaches, Moullinex, Xinobi, Eric D. Clark e Stereossauro.

Qual era o Plano A?

O Plano A já estava em andamento. Ter um emprego com estabilidade, contracto de trabalho, subsídio de férias, etc. Mas não nos sentimos realizados, por isso passamos ao plano B!
Saitam, da cidade do Porto para o mundo?
· POR André Gomes · 15 Dez 2011 · 01:10 ·


As internetes revelaram um novo nome a ter em conta. Chama-se Saitam, é o projecto de Ricardo Matias e vem do Porto. Para além do tema que mostramos ali em baixo Saitam prepara-se para lançar, muito em breve, um original e uma remistura. Informações sobre ele já temos e são frescas: “gosto de ir para a cidade fotografar estranhos com uma lente de 50mm, tendo que estar a poucos metros dos ditos cujos. Tendo em conta que há mais de 2000 deuses conhecidos pela história do mundo, eu afirmo que um deles chama-se Apparat. Vejo-o como influência máxima a diversos níveis, pelo qual a música dele interage comigo. Aventuro-me com a voz, guitarra e bateria a nível de instrumentos. Comecei o meu percurso na música a nível de produção este ano”. E agora as intenções: “tenciono seguir um percurso musical, abraçado à máxima, less is more, pelo qual neste ano, James Blake ficou reconhecido. Foi este jovem, da mesma idade que eu, que me fez ver a importância e valor do silêncio. Este é o meu objectivo, atingir o equilíbrio perfeito entre o silêncio e a música, conseguindo criar as paisagens atmosféricas que visiono na minha mente, paisagens estas que não são constantes e também possuem silêncios e também descansam. Acredito que à medida que forem ouvindo os meus trabalhos, irão conseguir avaliar melhor quem sou eu, pelo que este fala de quem sou eu”. Que venha rapidamente o próximo capítulo.

Saitam - Union by Saitam
Stereoboy lança M
· POR André Gomes · 15 Dez 2011 · 00:53 ·


“Ziliões de citações, milhares de excertos e de obras inteiras, testemunhos e redacções menores para a posteridade. Toda a gente fala de amor, sente amor, faz amor. Se não, toda a gente devia”. É assim que começa o press release do EP de Stereoboy intitulado M. M de Música aparentemente. Electrónica, diga-se. Desde o dia 10 de Dezembro, a edição está disponível para todos, numa edição da Cãoceito - suportes gráficos para projectos musicais com artwork dos próprios e ilustrações no CD de Marta Pois. A edição, limitada a 150 exemplares numerados, só pode ser adquirida através do mail da própria Cãoceito. Que é este: caoceito.ed@gmail.com.

O EP, recentemente apresentado na cidade do Porto, sede actual do projecto, contou com uma série de convidado: Sofia Arriscado, JPCoimbra, Helena Veludo e Birds Are Indie na voz e as participações instrumentais de Rui Maia e Daily Misconceptions.
Guimarães 2012 anuncia programação para um ano de Capital Europeia da Cultura
· POR André Gomes · 15 Dez 2011 · 00:15 ·


Foi já anunciada parte da programação da Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012. Entre arquitectura, património, cidade, teatro, exposições, existe também música: concertos ao domicílio na rubrica Mi Casa es Tu Casa; os Buraka Som Sistema apresentam Komba no Pavilhão Multiusos da cidade no dia 28 de Janeiro; no dia 7 de Março Wim Mertens apresenta-se ao vivo com a Fundação Orquestra Estúdio, uma estrutura orquestral criada propositadamente para a Capital Europeia, no Grande Auditório do Centro Cultural Vila Flor; no dia 28 de Abril a mesma orquestra vai interagir com os Expensive Soul na Symphonic Experience; entre Março e Abril, no CAAA estará patente uma exposição sobre John Cage com o título The Anarchy of Silence; e, em Novembro, o Guimarães Jazz, ainda sem se saber quais os nomes escolhidos para esta edição especial. Mais notícias dentro de momentos.
Barcelos fica mais pobre: o Subscuta termina por falta de apoio da autarquia
· POR André Gomes · 15 Dez 2011 · 00:05 ·


Somam-se as más notícias por todo o país acerca dos equipamentos culturais com orçamentos deficitários que são obrigados, por isso, a encerrar ou a encurtar decisivamente a sua actividade. Há um novo casa na berlinda: chega-nos a notícia (na verdade há quase uma semana) que o Subscuta, que nos últimos anos levou à cidade do galo nomes como You Can't Win Charlie Brown, Rodrigo Leão, Old Jerusalem, Mazgani, Lula Pena, Camané, Norberto Lobo, Foge Foge Bandido, JP Simões, Nuno Prata, Mão Morta, entre tantos outros, chega ao fim. Dias difíceis estes para quem quer partilhar cultura. E este é apenas um de muitos casos. Barcelenses e portugueses no geral, unam-se, escrevam para a CM de Barcelos, digam-lhes que o Subscuta é importante para que a cidade tenha uma oferta cultural regular. Está nas vossas mãos: mais do que pensam.
Amélia Muge tem novo espectáculo e disco com o músico grego Michales Loukovikas
· POR André Gomes · 14 Dez 2011 · 11:04 ·


Amélia Muge, um dos nomes maiores da canção em Portugal, tem um novo projecto: Periplus é o resultado de um diálogo estabelecido com o artista grego Michales Loukovikas. Juntos os dois músicos criaram uma “rede de histórias, cumplicidades e música, gravando um trabalho em conjunto e levando essa experiência para o palco, com músicos portugueses e gregos, atravessando o Mediterrâneo numa viagem que junta a cultura dos dois países”.

O primeiro encontro entre os compositores e intérpretes deu-se há mais de um ano e desde então não param de conversar trazendo e levando ideias e músicas. Tudo para construir uma “mediterraniedade comum”. Com a memória ainda fresca do seu último e belíssimo álbum Não sou daqui, não nos resta senão salivar até à chegada deste novo registo.


Bernardo Devlin estreia-se no Porto a solo e inicia mensalidade do MANA n´O meu Mercedes
· POR André Gomes · 14 Dez 2011 · 10:50 ·


Bernardo Devlin, mais conhecido pelo trabalho em Osso Exótico, actua no mítico O Meu Mercedes É Maior Que O Teu no próximo dia 6 de Janeiro (sexta-feira) às 23h30. Neste concerto, que marca a estreia absoluta de Bernardo Devlin a solo na cidade do Porto, será apresentado um conjunto de canções “assentes em bases electrónicas/electroacústicas sem recurso a instrumentação”. Entre elas incluem-se inéditos em inglês que poderão fazer parte de um futuro álbum de título Chroma Key, que deverá ser gravado algures em 2012.

O concerto inaugura a mensalidade do Mana que em 2012 levará ao Mercedes todos os nomes apresentados anteriormente no podcast. Sendo apenas interrompida em período estival - de Junho a Setembro - esta mensalidade realiza-se sempre na primeira sexta-feira do mês. Os bilhetes encontram-se disponíveis em venda antecipada na Matéria Prima (Porto).
A Jo-Jo´s Music celebra o seu 33º aniversário e oferece as prendas.
· POR André Gomes · 13 Dez 2011 · 22:36 ·


Amanhã, dia 14 de Dezembro, aquela que é a mais antiga loja de discos portuguesa celebra o seu 33º aniversário. Mas são os próprios que oferecem as prendas. A começar: 20% DESCONTO. Em vinil, CDs, DVDs, merchandising e livros. Eles avisam: a campanha do 33º Aniversário da Jo-Jo´s Music é válida para a loja e para o site e limitada a artigos em stock, excepto reservas.

Mas há mais, a partir das 21:30, e com entrada livre, a loja recebe os Dear Telephone para um concerto em que apresentarão certamente o seu EP de estreia. Pela loja passaram já nomes como Calexico, Damon & Naomi, Foge Foge Bandido, Jeffrey Lewis, Judy Collins, Mark Eitzel, Matt Elliott, Neil Leyton, Rickie Lee Jones, Swell, The Sea & Cake, entre muitos outros.

Magnetic Fields têm novo disco – e concertos em Portugal em 2012
· POR André Gomes · 13 Dez 2011 · 22:31 ·


Como novo disco a ser editado a 6 de Março pela Merge Records, intitulado Love at the Bottom of the Sea (a capa está aqui em cima), os Magnetic Fields de Stephin Merritt marcaram duas datas em Portugal no mês de Maio.

A banda que assinou o inesquecível 69 Love Songs actua no Porto, na Casa da Música, no dia 1 de Maio e no dia seguinte em Lisboa, no Teatro Maria Matos. Enquanto não chegam as datas, que tal recordar?

Novo disco de Andrew Bird chega em Março
· POR André Gomes · 13 Dez 2011 · 22:28 ·


O novo disco do homem-pássaro favorito de todos nós chega às lojas a 5 de Março pela Bella Union. O sucessor de Noble Beast chama-se Break It Yourself e até tem uma canção chamada “Lusitania” (em dupla com Annie Clark, que é como quem diz St Vincent). Ora aí está um disco que promete aquecer Março dentro de casa. Será que Andrew Bird tem assobio, violino e voz para mais uma dose?

Ena Pá 2000 e o Álbum Bronco em estreia no Music Box
· POR Hugo Rocha Pereira · 12 Dez 2011 · 22:24 ·

© Sofia Quintas

Os Ena Pá 2000, instituição maior do deboche musical liderada pelo bigger than life Manuel João Vieira, têm um disco novo, intitulado Álbum Bronco. Dizem que levou esse selo porque já existia um Álbum Branco. Dizem também que o novo álbum demorou apenas dois dias a gravar – o resto do tempo foi dividido entre a produção dum novo alfabeto que se encontra no libretto, a elaboração da capa, sandes de courato, bagaceira e confraternização com senhoras respeitáveis…

Apenas parte de tudo isto será verdade; mas como entre a lenda e a verdade deve sempre prevalecer a lenda (adjectivo que, de resto, assenta que nem uma luva aos autores de clássicos absolutos como “Sexo na Banheira”, “Alice” ou “És Cruel”), levamos tudo isto em mente quando amanhã, dia 13, formos até ao Music Box, no lisboeta Cais do Sodré, presenciar a apresentação do Álbum Bronco, que em canções como “Lulu” ou “Mulher Portuguesa” capta o Zeitgeist desta época. O concerto/showcase especial, que é de entrada livre, começa às 22 horas e diz que termina às 23:30 – mas com esta malta, nunca é de fiar…

Loosers no Lounge, 4ª
· POR Paulo Cecílio · 12 Dez 2011 · 22:21 ·


O trio Loosers foi durante alguns anos fundamental na cena exploratória/psicadélica/mindfuck nacional. Agora são um duo. Terão perdido qualidades? Nós somos suspeitos e por isso dizemos logo que não, mas confiram-no na quarta-feira, quando regressarem à capital para um concerto gratuito inserido na mensalidade da Filho Único no Lounge. As hostilidades começam às 22h30 e prolongar-se-ão ao longo da noite com um set do não menos porreiro DJ Fitz. O nosso sentido de humor parvo leva-nos a dizer que quem não for é um loser. A nossa melomania também.
Anoushka Shankar viaja até à Gulbenkian
· POR Hugo Rocha Pereira · 12 Dez 2011 · 22:20 ·


É já esta segunda-feira, 12/12, que a filha do guru Ravi Shankar (e meia-irmã de Norah Jones) se apresenta no Grande Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian. Inserido no Festival de Inverno, o espectáculo que a sitarista indiana traz até nós serve de promoção ao seu mais recente álbum, Traveller, editado este ano e que cruza a tradição musical indiana com as sonoridades gitanas espanholas. Anoushka Shankar será acompanhada por músicos indianos e de flamenco, de forma a reflectir a jornada cigana. Com ponto de partida em Rajasthan – Índia –, a viagem passará por outros territórios antes da chegada a Espanha. Em Portugal, o concerto começa às 21 horas e os bilhetes variam entre os 15 e os 20 euros.

O Semibreve já passou, agora Murcof vai ao Maria Matos
· POR Nuno Catarino · 12 Dez 2011 · 17:11 ·
Há cerca de um mês o mexicano Murcof esteve no nosso país, para um actuação no festival bracarense Semibreve. O repórter Bodyspace não poupou nas palavras: "a música de Murcof - aqui com a presença essencial do projecto visual Anti VJ - é dada a mudanças bruscas de temperatura, cor e pluviosidade. Apesar de ter fugido bastante aos seus discos (sobretudo aos primeiros), a viagem que Fernando Corona reuniu as condições suficientes para ser uma interessante degustação de batidas e ambiências. A música que o mexicano produz, inconfundível, é fruto de um apuramento estético tal que se tornou quase imagem marca." Depois desta actuação no norte, Murcof irá viajar até Lisboa, para um concerto no Teatro Maria Matos. Este espectáculo, onde também estará acompanhado por Anti VJ, terá lugar no dia 21, quarta-feira.

Hoje: BODYSPACE AU LAIT com Horselaughter
· POR André Gomes · 11 Dez 2011 · 13:16 ·


HORSELAUGHTER
11 DE DEZEMBRO, DOMINGO
19H


Café au Lait, Porto
Entrada livre

Devagar, devagarinho, como as suas canções, sem esta pressa pós-moderna de mostrar tudo e depressa, Filipe Ferreira foi encontrando a paz de espírito e o conforto para deitar cá para fora um corpo de trabalho que impressiona pela maturidade com que caiu da árvore depois de dar tão belos frutos. O seu disco de estreia enquanto Horselaughter, intitulado I Was a Ghost, Then e gravado na aldeia dos seus avós, desvendou influências assumidas dos Sparklehorse do desaparecido Mark Linkous e de outros veículos de canções movidos a sentimentos (geração slowcore ao poder), e uma veia treinada para desenhar canções dotadas de um intimismo inquebrável – e uma beleza facilmente apreciável. No último BODYSPACE AU LAIT de 2011, as canções de Horselaughter vão ser como um longo manto para proteger todos deste frio que já não engana ninguém – e que chegou para ficar. Venham aquecer-se.
Revelação Joana Guerra actua no espaço Work In Progress no Chiado em Lisboa
· POR André Gomes · 07 Dez 2011 · 16:20 ·


Em Dezembro o Espaço APAV & Cultura muda-se temporariamente para o Chiado e é aí que apresentará, no próximo dia 16 de Dezembro, pelas 18h30, um concerto com a revelação Joana Guerra (voz e violoncelo). O concerto acontece no espaço Work In Progress, sito na Rua Garrett nº 60, ao Chiado, em Lisboa, e tem entrada livre. Pelo press release sabemos a música de Joana Guerra se anuncia “minimal, despida, doce, crua”. Sabemos também que se acompanhada unicamente do violoncelo, fiel companheiro desde a adolescência, e que nele “apoia a sua voz e as suas despojadas melodias, num harmonioso equilíbrio com a cadência do instrumento”. Joana Guerra tem actuado a solo para apresentar as composições que em tem vindo a trabalhar e que muito em breve levará para estúdio. Promete.
NATAL BODYSPACE tem Teams, Ay Gee Tee, Sensible Soccers e TEMPELHOF no Maus Hábitos
· POR André Gomes · 06 Dez 2011 · 01:16 ·


Sim, estão mesmo a ler bem: NATAL BODYSPACE. Sim, continuam a ler bem: no Maus Hábitos (Porto) numa segunda-feira. E porque não? Tendo em conta que esta é uma época de partilha, acolhemos no próximo dia 19 de Dezembro um Winter Showcase da editora Amdiscs (entre Praga e Londres) que inclui concertos de Teams, Ay Gee Tee, os nossos portugueses Sensible Soccers e TEMPELHOF. Os motivos para sair de casa são muitos e variados: as explorações espectrais e psicóticas do álbum de estreia do projecto norte-americano Teams (de seu nome Dxys Xff), as paisagens tingidas de krautrock dos Sensible Soccers, as ondas tropicais seguras de Ay Gee Tee e o witch house existencial de TEMPELHOF. A viagem tem hora marcada para as 22H30 e a entrada tem o custo quase simbólico de cinco euros. Não precisam de trazer nada, nós é que damos as prendas.
Dois duos em estreia na Trem Azul
· POR Nuno Catarino · 06 Dez 2011 · 01:10 ·

© Vera Marmelo

No próximo 7 de Dezembro, esta quarta-feira, a Trem Azul apresenta dois duos ao vivo em estreia absoluta. De um lado, a guitarra eléctrica de Manuel Mota vai confrontar o saxofone barítono de Pedro Sousa. Do outro lado, o contrabaixo eléctrico de Margarida Garcia vai enfrentar a guitarra eléctrica do nosso Bruno Silva. Já conhecemos bem as características que determinam a individualidade de cada um destes músicos, vamos agora descobrir como as aplicarão nestas sessões de interacção improvisada a dois. A Trem Azul fica pelos lados do Cais do Sodré (Rua do Alecrim 21-A, Lisboa), a música começa pelas 21h30 e a entrada vale (só) 5 euros. É o programa ideal para uma véspera de feriado.
BODYSPACE AU LAIT extra: Memória de Peixe no dia 18 de Dezembro, não se esqueçam
· POR André Gomes · 06 Dez 2011 · 00:21 ·
© Márcio Laranjeira

MEMÓRIA DE PEIXE
18 DE DEZEMBRO, DOMINGO
19H


Café au Lait, Porto
Entrada livre

Primeiro vieram as guitarras, depois as melodias, depois os loops às centenas – talvez milhares? Tudo belissimamente articulado e argumentado. Depois chegou uma espécie de rapper-mulher cheia de atitude chamada Da Chick. Depois uma bateria – já pedia. Aos poucos, a Memória de Peixe foi ganhando mais RAM e mais complexidade, foi acumulando mais e mais motivos de interesse, foi-se construindo como aquário e como ponto de partida para grandes viagens – e algum groove. Agora já é conhecido o single e o desejo de ouvir esse anunciado EP – a chegar em 2012 - vai ganhando forma. Miguel Nicolau é o homem por detrás desta aventura com poucos capítulos mas com os argumentos necessários para que se comece a escrever mais uma bela página da nova música portuguesa. E porque somos uns mãos-largas, nesta época de dar e partilhar, abrimos espaço para um BODYSPACE AU LAIT extra que promete convidar a um pezinho de dança – ou a divagações da mente.
Beatbombers são os novos campeões mundiais de Scratch/Turntablism
· POR Hugo Rocha Pereira · 06 Dez 2011 · 00:15 ·


No próximo Verão, as melhores selecções europeias de futebol vão andar pela Polónia (e Ucrânia – dois países frios mas com mulheres bem quentes) a disputar o Euro 2012. No passado fim-de-semana, os portugueses Beatbombers – dupla dinâmica composta por DJ Ride e Stereossauro e que há meses editou Tuga Breakz – mostraram como é que se faz: trouxeram de Cracóvia (Polónia) para casa, pela primeira vez, o título de Campeões do Mundo de DJs IDA (International DJ Association) 2011, na categoria “show”.

Depois de se terem tornado vice-campeões mundiais, no ano passado, e de nos últimos meses terem acumulado títulos – primeiros lugares na categoria “Team/Equipas”, do campeonato nacional DMC Portugal, em Setembro, e na categoria “Show” do campeonato nacional IDA Portugal, em Novembro – os Beatbombers viram, assim, no último Sábado «Um sonho antigo tornado realidade. Virámos uma página no turntablism nacional e escrevemos os nossos nomes e o de Portugal no scratch internacional». Mas não pretendem ficar por aqui: «Queremos continuar a competir como equipa e a subir a fasquia, até porque este é apenas o terceiro campeonato em que participámos», afirmam, revelando ambição para o futuro.
Party like it´s 1999
· POR Paulo Cecílio · 05 Dez 2011 · 13:52 ·


Os Nisennenmondai, ou, melhor, as Nisennenmondai são um trio de ladras: vão buscar o som ao pós-punk, ao krautrock, à no wave e a tudo o que seja completamente fora, vão buscar a fofice àquela qualidade-desenho-animado que todas as raparigas japonesas parecem ter, e vão buscar o nome ao momento na cultura pop do milénio passado em que íamos todos morrer e ficar sem computadores (lista organizada do menos relevante para o mais). E irão estar na ZdB esta quarta-feira para ser todas estas coisas: barulhentas, fofas e aterradoras. Os bilhetes estão à venda por 8€ e o concerto começa às 23h. E, porque tudo é melhor no Porto, irão estar a 6 no Plano B (10€, 22h).

Ah, e parece que também há uma certa banda que desperta orgasmos em críticos da internet. Havendo a possibilidade de, é marcar presença.
Porta-Jazz vai para a segunda edição
· POR Nuno Catarino · 05 Dez 2011 · 12:37 ·
A segunda edição do Festival Porta-Jazz está a chegar. Organizado pela Associação com o mesmo nome, dedicada à divulgação e promoção do jazz no Porto, este festival vai reunir um conjunto de músicos oriundos da cidade. O encontro terá lugar no Passos Manuel nos das 7 e 8 de Dezembro (no dia 7 há concertos das 18h às 24h, no dia 8 os concertos têm lugar entre as 15h e as 20h). Este festival terá entrada livre e vai apresentar concertos das seguintes formações: João Motágua J4nela, Zé Pedro Coelho Quinteto, Jilaba, Orquestra Jazz de Matosinhos, Quarteto de Jazz do Porto, GÊ.PS, Rui Teixeira Group, Coreto Porta-Jazz e Pedro Neves Trio. O jazz do Porto está a crescer.

MusicBox celebra quinto aniversário em grande
· POR Nuno Catarino · 05 Dez 2011 · 12:37 ·
O MusicBox vai celebrar o seu quinto aniversário e planeia uma festa em grande. Durante quatro dias - 7, 8, 9 e 10 de Dezembro - o bar do Cais do Sodré vai fazer a festa com vários concertos e DJ sets. No primeiro dia de festa, 7 de Dezembro, o MusicBox acolhe o grande Gilles Peterson e Zara Macfarlane - esta cantora é considerada uma das grandes revelações da cena jazz britânica. No dia 8 é a vez do MusicBox receber a actuação de The Stepkids, uma das grandes apostas da Stones Throw. Já no dia 9 é a vez de Totally Enormous Extinct Dinosaurs. A fecha encerra na noite de sábado, dia 10, com concertos de Rita Braga e Sean Riley. E, naturalmente, além dos concertos há animação com DJs pela noite fora - é só consultar a agenda completa ali no site oficial. Aqui fica o vídeo de "Under the Moon" de Rita Braga, uma amostra daquilo que vai passar na festa do Cais do Sodré.

O Vodafone Mexefest já tem nomes para o Porto: St. Vincent e Hanni El Khatib à cabeça
· POR André Gomes · 05 Dez 2011 · 10:50 ·


Ainda agora acabou o Vodafone Mexefest em Lisboa e já sabemos alguns dos nomes para o certame portuense. São eles St. Vincent, Hanni El Khatib, Ladrões do Tempo e Foals (em formato DJ set). Quem o disse foi a Antena 3. Ainda não sabemos as datas de cada um dos concertos respectivamente mas o Vodafone Mexefest Porto acontece nos dias 2 e 3 de Março de 2012. Também já são conhecidos os espaços do festival que acontecerá na Rua Passos Manuel e proximidades: o Coliseu do Porto, o Passos Manuel, o Maus Hábitos, a Garagem Passos Manuel, o Pitch, o Teatro Sá da Bandeira, o belíssimo Ateneu Comercial e a FNAC de Santa Catarina. Aguardam-se mais nomes.

O passe, único, custa 40 euros. Os bilhetes podem ser comprados em www.ticketline.sapo.pt , Fnac, Worten, El Corte Inglês (Lisboa e Gaia), Centros Comerciais Dolce Vita (Amadora, Porto, Vila Real, Ovar, Coimbra e Funchal), Casino de Lisboa, Galerias Campo Pequeno, Abep, Estações de Correios e em www.ctt.pt.
Braga vai explodir dias 9 e 10
· POR Paulo Cecílio · 05 Dez 2011 · 00:06 ·


...que é a data marcada para o Bracara Extreme Fest, festival de peso que vai contar com alguns dos nomes indispensáveis do metal do passado e, vá, de hoje, porque ainda é relevante ouvir Scum em 2011: os míticos e grandes Napalm Death irão estar presentes no Minho no dia nove, numa altura em que se espera já disco novo após o lançamento de Time Waits For No Slave em 2009. A acompanhá-los estarão, entre outros, os Enslaved, míticos do Black Metal norueguês, os Altar Of Plagues, cujo Mammal é um dos bons discos do género a ter surgido este ano, e os polacos Decapitated, para além da armada nacional composta pelos Holocausto Canibal, Deskarga Etilika e Process Of Guilt. Os bilhetes custam entre 20€ e 55€ - dependendo dos dias e palcos a que se queiram assistir - e estão à venda nas lojas do costume. Para mais informações é só dar um pulo ao site da SWR, os organizadores por detrás deste evento que promete abalar a cidade idolátrica.
Estreia: novo tema de Palmer Eldritch e nova edição da PAD
· POR André Gomes · 02 Dez 2011 · 17:50 ·


A PAD tem um novo lançamento no horizonte. Trata-se de um novo EP de Palmer Eldritch, intitulado Five Easy Pieces, e sairá no dia 12 de Dezembro numa edição limitada de 100 CDs. Já se pode encomendar a coisa no bandcamp da PAD ao preço de 5 euros. O primeiro tema foi lançado na última compilação Wire Tapper e pode ser escutado aqui.

Fomos falar com os Palmer Eldricht que não quiserem dizer o nome. Mas um dos seus membros disse-nos isto:"esta colaboração iniciou-se pela vontade mútua de desenvolver um projeto que permitisse aliar uma deliberada reciclagem de correntes datadas da música eletrónica a metodologias e sonoridades mais atuais. Na procura dessa fórmula acabamos por criar um conjunto de temas que achamos adequados para formarem um EP de estreia. Este EP chama-se Five Easy Pieces e é o primeiro de uma sequência de 3 que planeamos editar até ao final de 2012. O segundo tema deste primeiro EP pode ser ouvido aqui em rigorosa estreia. Chama-se "Neutrino on acid".

Palmer Eldritch - Neutrino on acid [mp3]

E o nome para o último BODYSPACE AU LAIT de 2011 é... Horselaughter
· POR André Gomes · 01 Dez 2011 · 18:06 ·


HORSELAUGHTER
11 DE DEZEMBRO, DOMINGO
19H


Café au Lait, Porto
Entrada livre

Devagar, devagarinho, como as suas canções, sem esta pressa pós-moderna de mostrar tudo e depressa, Filipe Ferreira foi encontrando a paz de espírito e o conforto para deitar cá para fora um corpo de trabalho que impressiona pela maturidade com que caiu da árvore depois de dar tão belos frutos. O seu disco de estreia enquanto Horselaughter, intitulado I Was a Ghost, Then e gravado na aldeia dos seus avós, desvendou influências assumidas dos Sparklehorse do desaparecido Mark Linkous e de outros veículos de canções movidos a sentimentos (geração slowcore ao poder), e uma veia treinada para desenhar canções dotadas de um intimismo inquebrável – e uma beleza facilmente apreciável. No último BODYSPACE AU LAIT de 2011, as canções de Horselaughter vão ser como um longo manto para proteger todos deste frio que já não engana ninguém – e que chegou para ficar. Venham aquecer-se.

Parceiros