Novembro 2011
XX, Spiritualized, The Dirty Three, Explosions in the Sky, Death Cab for Cutie, Beach House e Siskiyou no Primavera
· POR André Gomes · 30 Nov 2011 · 15:22 ·


Ufa. Hoje o dia não é aconselhável a doentes cardíacos. Doentes cardíacos indie, acrescente-se. Ontem confirmaram para o Optimus Primavera Sound Wilco, The Drums, Washed Out, Veronica Falls e Olivia Tremor Control, hoje é a vez de confirmar XX, Spiritualized, Explosions in the Sky (na foto), Death Cab for Cutie, The Dirty Three, Beach House, Siskiyou. Estes juntam-se a nomes como Shellac, The Walkmen, Björk, Yo La Tengo, Neon Indian, Other Lives, Jeff Mangum, Codeine – entre muitos outros, num festival que só dá para sonhar e continuar a sonhar. Entre os dias entre 7 e 10 de Junho de 2012, toda a gente vai querer estar no Porto.

Para além dos novos nomes haverá um showcase da editora britânica Numbers, que incluirá DJ Sets de Jackmaster, Oneman, Deadboy, Spencer e o concerto ao vivo de Redinho. O passe geral para o festival Optimus Primavera Sound está à venda nas bilheteiras online (Ticketline e Ticketmaster, entre outras) e custa €75,00 (mais gastos). O preço mantém-se inalterável até ao dia 31 de Dezembro.

Mais, avisa a organização: Para além das mais recentes confirmações, o Optimus Primavera Sound terá também uma edição especial de natal limitada a 500 fã box. Compostas por um passe geral e uma t-shirt exclusiva, há ainda 30 bilhetes extra distribuídos aleatoriamente pelos packs. Os packs estarão disponíveis a partir de dia 7 de Dezembro nas lojas Optimus Norteshopping, Casa da Música, Colombo, Vasco da Gama e Av. República.
Radiohead é o primeiro grande nome para o Optimus Alive 2012
· POR André Gomes · 30 Nov 2011 · 12:05 ·


É verdade. Mandem já um calmante, relaxem, procurem ajuda psicológica. Desta vez é mesmo verdade. Os Radiohead são mesmo o primeiro grande nome apontado para o Optimus Alive 2012, o festival que está agendado para o mês de Julho no Passeio Marítimo de Algés, em Oeiras. Actuam no dia 15. É o regresso esperado – tantas vezes anunciado por brincadeira ou por nervos – da banda liderada por Thom Yorke que nos ofereceu ao longo dos últimos anos alguns discos perto – muito perto mesmo - da perfeição (OK Computer, Kid A ou Amnesiac). Desta vez os Radiohead apresentam-se em Portugal para apresentar o mais recente The King of Limbs, editado no início do ano corrente. Haja coração no sítio certo para aguentar tamanha espera.

Suuns, Musicbox, sexta-feira (gotta get down)
· POR Paulo Cecílio · 30 Nov 2011 · 00:37 ·


Estes últimos dias têm sido um gelo, não? E aquele nevoeiro cerrado? Jesus. O que vale é que vêm aí sóis, que na verdade nem são bem sóis, porque Suuns é tradução de Zeroes numa linguagem asiática qualquer, mas deixem-me continuar a piada: vêm aí sóis. Na sexta-feira, dia dois, os Suuns irão estar no Musicbox por volta da 1h para apresentar o melhor disco de 2010 só conhecido em 2011, Zeroes QC. Oportunidade para ouvir cada um destes malhões: "PVC", "Up Past The Nursery", "Pie IX" e, se os moços forem simpáticos, ainda tocam "Disappearance Of The Skyscraper", bomba do EP de estreia. Música Lynchiana para testemunhar naquela que é a estreia dos canadianos por cá. Quem não for vai-se arrepender...
Atenção: Lisboa começa a mexer
· POR Paulo Cecílio · 30 Nov 2011 · 00:34 ·


Contagem decrescente para o festival de inverno: é já na próxima sexta-feira que Lisboa, a mulata, alberga a primeira edição do Mexefest, que veio para substituir o "velhinho" Super Bock Em Stock. Se falta saber se a mobilidade e o espírito se mantêm, para já a qualidade do cartaz é a mesma: James Blake, Handsome Furs, Junior Boys, S.C.U.M., Spank Rock, Toro Y Moi e Blood Red Shoes, para além da armada portuguesa de onde se destacam os Dead Combo e os PAUS, são alguns dos nomes que irão fazer de Lisboa um ponto de encontro para todos, benfiquistas e tudo. As hostilidades começam por volta das 18h de dia dois e durarão até à madrugada de domingo, como qualquer bom festival. Tudo o que precisam de saber mais está aqui. Porque ir é uma forma de poupança: fazem exercício avenida abaixo e aquecem o corpo de borla, escusando gastar electricidade/gás/lenha/mantas. Toca a mexer!
AVISO: headbanging - recomenda-se o uso de capacete
· POR Hugo Rocha Pereira · 30 Nov 2011 · 00:29 ·

Estreia algo fora de prazo, é certo; mas quem já abanou a cabeça ao som de malhas como “Unsung” ou “Give It” e tem uma referência incontornável em Meantime – álbum de 1992 e cujo 20º aniversário vai ser celebrado com uma tour europeia na qual todas as suas faixas serão tocadas concerto após concerto – não vai querer perder pelo menos uma das datas em que os Helmet passam pelo nosso país, onde começam a digressão: 5 de Março, na sala TMN ao Vivo (Lisboa), e Hard Club (Porto) na noite seguinte. “In The Meantime”, fica um cheirinho do poder dos riffs da banda liderada por Page Hamilton.

Girls, girls, girls
· POR Paulo Cecílio · 28 Nov 2011 · 23:54 ·


Amanhã e quarta-feira, Lisboa (Lux) e Porto (CdM) respectivamente. Os Girls vêm esta semana a Portugal para apresentar o mais recente Father, Son, Holy Ghost, álbum que consegue fazer com que a palavra "vómito" passe a ser sinónimo de canção bonita. Não só isso, evidentemente; espera-se que haja espaço para o duo tocar os temas que os tornaram populares em 2009 - como "Hellhole Ratrace", que continua linda linda linda -, originários do primeiro álbum, que tem esse nome, precisamente. Os bilhetes estão à venda por 20€, em ambos os casos. Preparem-se vendo e revendo o vídeo:

O Fado continua a ser nosso, e agora é Património da Humanidade
· POR Hugo Rocha Pereira · 28 Nov 2011 · 00:40 ·


A UNESCO já consagrou o Fado como Património Imaterial da Humanidade, dando assim resposta positiva à respectiva candidatura portuguesa. Pouco antes deste reconhecimento oficial conversámos com Pedro de Castro, guitarrista (que costuma acompanhar nomes como Ana Sofia Varela, Ricardo Ribeiro, Kátia Guerreiro ou João Braga) e proprietário da Mesa de Frades, Casa de Fado de Alfama onde se podem ouvir alguns deste fadistas e ainda vozes do calibre de Celeste Rodrigues, Pedro Moutinho ou Joana Amendoeira.



Qual é o seu sentimento em relação a esta possibilidade de o Fado ser considerado Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO?

É um sentimento estranho. Fico muito feliz se ganhar, por haver um reconhecimento internacional de que o nosso Fado é um património que tem uma cultura própria e muito interessante, não só musical como social; porém, infelizmente nos últimos anos tem havido uma quantidade de influências externas ao Fado que têm deturpado esta realidade cultural. O pastel de bacalhau é uma coisa nossa, mas se lhe misturarmos ovas de esturjão e pusermos um ovo de codorniz por cima já não é a mesma coisa. Por exemplo, fiquei muito desgostoso por saber que vai haver agora um espectáculo em Nova Iorque chamado “Os Embaixadores do Fado” que, se no primeiro dia tem uma quantidade de fadistas, no segundo tem os Deolinda e os OqueStrada ou os Amália Hoje, que não são Fado nem gostam de fados mas estão a viver à conta da palavra Fado. A pergunta fundamental que tem de ser feita sobre esta classificação é «Qual é o Fado agora classificado como Património da Humanidade? A Mísia? A Amália Rodrigues? A Maria Teresa de Noronha? Os Amália Hoje? Referimo-nos a quê». Mas fico muito feliz se o Fado, como eu o conheço, for reconhecido pela UNESCO.

Considera, então, existir algum risco de o Fado ficar "misturado" numa secção muito alargada de world music oriunda de Portugal - ou seja, que, estando o Fado em voga e levando este "carimbo", existe um risco acrescido de projectos musicais que já não são Fado se tentarem colar ao Fado para daí ganharem visibilidade, e essa mistura/confusão ser nociva ao Fado genuíno?

Andam a tentar fazer isso (a tentar matar o Fado como ele é) há muitos anos. O Fado vem de uma origem muito pobre e humilde, muito simples de tocar – com a complexidade da simplicidade que tem, sempre teve virtuosos e pessoas que se profissionalizaram, mas na sua génese é uma canção de amadores –, mas a partir da introdução de elementos eruditos e intelectuais (dando até outro nível poético ao Fado) em algo muito popular e amador houve uma dualidade: começaram a surgir “fusões” ou “influências” para camuflar uma certa vergonha que alguns círculos intelectuais tinham do Fado. E é isso que faz com que se tente acabar com a origem. Mas, por mais que se tente matar ou deturpar, é muito complicado porque isto está muito enraizado e foi muito bem feito.

E que mais-valias pensa que esta nomeação pode trazer ao Fado?

Vai trazer visibilidade, sem dúvida. Se 5% ou 10% da população portuguesa presta atenção ao que realmente é Fado, haverá também alguma percentagem da população de outros países que se vai interessar pelo Fado, o que ajudará o Fado a chegar até mais gente.
Com Truise apresenta-se hoje no Porto em matinée apetecível
· POR André Gomes · 27 Nov 2011 · 12:37 ·


Citamo-nos a nós mesmos por uma questão de publicidade e rapidez: "Nesta terra de sintetizadores e batidas afiadas, há uma complexidade que transcende o chill wave e todas as modas que possam chegar com ele. É verdade que é com “VHS Sex” e “Cathode Girls” que Galactic Melt brilha mais intensamente mas há sempre algo nas restantes nove faixas que prende a atenção. Há nostalgia neste disco, mas há ainda mais vontade de fazer algo minimamente novo a partir dela". Referimo-nos ao disco de estreia de Com Truise que hoje soará - em data única nacional - pelo Maus Hábitos numa rentrée apetecível que inclui ainda The Festmen e Dreams. Começa tudo às 17 horas. Com este dia de sol, levantem esses rabos do sofá.

Like a Boss
· POR Paulo Cecílio · 24 Nov 2011 · 01:10 ·


Já este é dos nomes mais aguardados em Portugal: Bruce Springsteen, o Boss, não tanto como o Hulk mas patrão de qualquer das formas, tem a sua presença confirmada na edição de 2012 do Rock In Rio e espera-se que já com o disco novo na bagagem. Não que o disco novo interesse tanto quando nos lembramos de malhas que se ouviam em cassete na nossa infância como "Born In The U.S.A.", malhas que se ouviam em CD na nossa adolescência como "Jungleland" ou malhas que se ouvem em MP3 na nossa idade adulta como "State Trooper" (tal como todas as outras, mas esta levou a uma descoberta dos Suicide por isso tem um apreço pessoal). Porque é o primeiro concerto em 19 anos - uma vida, quase - os bilhetes para este dia (3 de junho) vão ser colocados à venda já no dia 3 de dezembro e custam 58 euros. Caro, sim, mas para ouvir a voz maior da América pós-beat vale sempre a pena.

Notícia de última hora:
· POR Paulo Cecílio · 24 Nov 2011 · 01:09 ·


Os Shabazz Palaces, que para muito boa gente fizeram o melhor disco hip-hop do ano e cuja capa aqui reproduzimos, irão estar no Musicbox já esta segunda-feira (surpresa, surpresa!) pela mão da Filho Único. É uma salvação que surge à última da hora (um pouco à semelhança do golo do Hulk na Champions) e já há bilhetes: Seis. Míseros. Euros. O concerto começa às 22h30, não faltem, vão lendo o texto do Bodyspace acerca do disco, preparem o corpo para uma noite de farra no meio do frio e apressem-se a arranjar bilhete que tal coisa não voltará a cair assim do céu.
Por falar em rock n´roll
· POR Paulo Cecílio · 24 Nov 2011 · 01:07 ·


A Hey, Pachuco! voltará a trazer ao Barreiro, a dois e três de dezembro, doses colossais de electricidade e de liberdade; é o Barreiro Rocks que regressa à cidade industrial com muito do bom que se faz em garagens espalhadas por esse mundo afora. O cartaz já está fechado e conta com a alegre rebeldia rock/country de nomes como os Pierced Arrows, Jack Oblivian ou Dexter Romweber, para além dos representantes nacionais como os Sonic Reverends (yay!) ou as Pega Monstro (duplo yay!). Os bilhetes já estão à venda - 15€ para um dia e 20€ para os dois - e deixamos aqui tudo o que precisam de saber acerca dos horários. O resto pode ser conferido no website do BR ali em cima. A verdade são três acordes.

02/12

22h – Pega Monstro
23h – Fabuloso Combo Espectro
00h – Dex Romweber Duo
01h – Pierced Arrows
02h30 – Tracy Lee Summer (after-party)

03/12

22h – Sonic Reverends
23h – Limes
00h – Harlan T. Bobo
01h – Jack Oblivian
02h30 – Greasy & Grizzly (idem)
O que é lógico fica Absurdo
· POR Paulo Cecílio · 24 Nov 2011 · 01:05 ·


Esta é uma história de amor entre um rapaz e uma rapariga. Ele é desleixado, despreocupado, sem merdas. Ela é amalucada, alienada, um absurdo. O que têm em comum? A paixão infinita pelo rock n´roll. E o facto de ainda serem menores, o que faz com que este romance seja não só mais puro mas também um chamariz para ped Não vale a pena falar disso. Falemos antes do primeiro aniversário da Absurdo, a realizar-se no próximo dia 17 (os sagitários são sempre os melhores) e que vai contar com a presença de toda a família: os pós-rockers sem merdas SAUR, o cantautor Azevedo Silva, os galegos Hedonistas ou o trio DJ que espalha amor por onde passa: CIMENTO. E parece que também irá haver bolo. A festa está marcada para o Lounge e começa às 22h, com entrada livre, evidentemente. É para marcar presença e testemunhar que o amor ainda acontece.
"Tomai todos e bebei..."
· POR Bruno Silva · 22 Nov 2011 · 15:48 ·


Numa homenagem a dois esquecidos paraísos estivais da Margem Sul do Tejo, a One Eyed Jacks (pertença dos Photonz) chega à sua terceira edição, com uma muito aguardada colaboração entre estes e o Tiago (Miranda, para quem se interrogar) com o sugestivo nome de Sangue de Cristo. Daquilo que se pode ouvir nos snippets disponíveis, há a identidade dos Photonz na facção mais nostálgica de uma malha como "Xabregas" a elevar a introspecção deep para paisagens eminentemente mais tropicais e psicadélicas, numa via que não será imune à presença do Tiago. "Cova do Vapor" a apanhar os destroços de uma balearic beat que é, afinal, na Trafaria e "Ponta do Mato" em tangentes mais espaciais. Tudo tão brilhante como se poderia esperar desta colaboração, envolto num artwork lindo de Márcio Matos (aka Javenger Dourado), como tem sido norma nas edições da One Eyed Jacks. Obrigatório.

Hoje há guerra e comboios no Porto; amanhã guerra e Maus em Lisboa - é só esquisitices, só modernices
· POR André Gomes · 22 Nov 2011 · 15:47 ·


Parece que já vem de comboio de Lisboa para o Porto mas quando chegar à cidade invicta terá de apanhar outro comboio – um tal de Tren Go! Sound System, que abrirá a noite – antes de mostrar as suas canções. Falamos de Gary War, um gajo que faz umas canções esquisitas que tu talvez gostes. Toca hoje no Passos Manuel. Amanhã o mesmo Sr. Gary War desce até Lisboa para, na Galeria Zé dos Bois, medir forças com outro senhor que faz canções esquisitas, com sede nos anos 80, chamado John Maus – que editou um belo disco em 2011 chamado We Must Become The Pitiless Censors Of Ourselves. Vão, vistam a vossa pior roupa, saiam de casa e vão celebrar a esquisitice.

Ainda vos calha isto:

O BODYSPACE AU LAIT de Novembro com Lac La Belle foi assim
· POR André Gomes · 22 Nov 2011 · 00:45 ·

© Angela Costa

Devagar devagarinho, como acontece sempre, os domingos de BODYSPACE AU LAIT lá para os lados das Galerias de Paris, foram-se enchendo de pessoas e de música. Os norte-americanos Lac La Belle de Nick Schillace e Jennie Knaggs trouxeram ao Porto, em data única e estreia absoluta, a ruralidade norte-americana em toda a sua pureza e beleza arrastando curiosos e habituées. Devagar devagarinho foi pairando no ar uma certa magia, um ambiente de enorme confidência e calor, no banjo, nas guitarras e na força-da-natureza que é a voz de Jennie Knaggs. No penúltimo BODYSPACE AU LAIT de 2011, mais uma casa cheia e mais uma tarde irrepetível de música e partilha. Até Dezembro, sim?


© Angela Costa
Estreia: Memória de Peixe tem videoclipe para “Fish&Chick (feat. Da Chick)”
· POR André Gomes · 21 Nov 2011 · 15:41 ·


O que ouvimos dele nos youtubes e nos palcos deixaram-nos muito curiosos. Loops de guitarra que nos fazem sonhar com dias melhores, um espaço enorme para fantasiar livremente, sem regras, sem livro de estilo. Memória de Peixe é Miguel Nicolau e agora também é Nuno Oliveira na bateria e, de quando em vez, a contagiante Da Chick; e há um novo single desta gente toda antes do primeiro EP que terá selo da Lovers & Lollypops. Chama-se “Fish&Chick”. Acontece que temos a estreia exclusiva do single e do videoclipe (realizado pelo próprio Miguel Nicolau). Podem ouvi-lo e vê-lo ali em baixo.

Fomos falar com o Miguel que nos disse: “a “Fish&Chick” é especial. É uma música com uma colaboração, há uma adaptação mútua e é assumidamente diferente das outras. Gostamos muito do resultado, está cool, descontraída, e ao longo do tempo vamos poder demonstrar toda a variedade de peixe que acreditamos haver neste projecto. Quanto ao vídeo, a ideia é a mesma, é um ponto de partida para uma história que evolui para outra seguinte. Neste "episódio" será a miúda a tentar perceber se o peixe tem memória, e no próximo, gostaríamos que fosse o peixe a lembrar-se de tudo o que viu. E provar que o peixe se lembra de tudo, à maneira dele. Tal e qual como nós. Mas qual era a pergunta mesmo?”. É por aqui:

Hoje: BODYSPACE AU LAIT de Novembro apresenta a estreia absoluta em Portugal da dupla norte-americana Lac La Belle
· POR André Gomes · 20 Nov 2011 · 02:02 ·


LAC LA BELLE
20 DE NOVEMBRO, DOMINGO
19H


Café au Lait, Porto
Entrada livre

O BODYSPACE AU LAIT de Novembro apresenta, numa estreia absoluta em Portugal e em data única, a dupla norte-americana Lac La Belle, a união criativa entre Nick Schillace e Jennie Knaggs. O primeiro, considerado uma verdadeira autoridade do fingerpicking, colaborou e partilhou palcos com nomes como Bert Jansch, Peter Lang, Jack Rose, Keenan Lawler, Eric Carbonara ou Glenn Jones. A segunda, conhecida pela intensidade das suas capacidades vocais, colheu ensinamentos folk directamente dos músicos da região sul dos Montes Apalaches e voltou a plantá-los em Lac La Belle. Juntos, exploram a memória das primeiras décadas da música rural americana e trazem-na para o presente com o respeito que esta merece, contando o conto sem receio de lhe acrescentar um ponto. Lançado recentemente, o EP Bring on the Light impressiona pela beleza e pureza das canções desta dupla que, neste domingo à tarde tão apetecível, vão segurar o leme de uma recompensadora viagem até território norte-americano.
ZDB, ftw (parte não sei quantas...)
· POR Bruno Silva · 18 Nov 2011 · 16:07 ·


Num happening tão discreto quanto obrigatório, C. Spencer Yeh junta-se esta noite a Margarida Garcia para um daqueles encontros ad hoc que poderão deixar marca. Reconhecido pelo seu trabalho como Burning Star Core (discos como Operator Dead...Post Abandoned ou The Vey Heart of the World são pérolas) e colaborador habitual daquele meio mundo com interesse (de John Wiese a Chris Corsano), Yeh regressa à ZDB para encontrar o contrabaixo eléctrico de Margarida Garcia. Senhora de valor incomensurável que ainda recentemente brilhou nesse mesmo espaço na companhia de Marcia Bassett. Na primeira parte, o grande Manuel Mota regressa para um concerto a solo, com < href="http://bodyspace.net/album.php?album_id=2189">Untitled e Dias das Cinzas acabadinhos de sair pela Headlights. Pode-se pensar numa festa de lançamento, mas qualquer aparição do músico é uma celebração em si mesma. Noite mágica com início marcado para as 23 horas e bilhetes a seis euros.

C. Spencer Yeh - The Void Skateshop - Lexington, KY from console on Vimeo.

O psicadelismo que há no Porto
· POR André Gomes · 18 Nov 2011 · 00:03 ·


Demoraram algum tempo a mostrar a cara mas agora os Unzen Pilot, quarteto portuense, dedicado aos prazeres carnais do psicadelismo, tem vindo a atacar os palcos e prepara-se para lançar o EP de estreia pela Lovers & Lollypops. O EP, que estará disponível na próxima segunda-feira no site da editora, tem dois temas. Nós oferecemos em exclusivo a audição de um deles, "Turtle", a primeira, um admirável estardalhaço psicadélico para entrar no fim-de-semana na melhor das maneiras possíveis. A propósito de tudo isto fomos falar com o Leonel Sousa que nos contou coisas boas: “Estes temas, gravados live em 2009, foram o resultado de múltiplas sessões de improvisação, que gradualmente foram tomando forma. Em 2012 preparamos o lançamento de um disco ainda em fase de composição”. Por enquanto levem já com isto.

Unzen Pilot - Turtle

Senhoras – e senhores –, as canções estão a chegar
· POR Hugo Rocha Pereira · 15 Nov 2011 · 21:11 ·


O disco de estreia de Diego Armés (dos Feromona) chega às lojas na próxima segunda-feira, dia 21. Já disponível no Itunes, Canções Para Senhoras poderá ser adquirido em qualquer loja Fnac ou na loja online da editora Chifre. Melhor do que voltar a insistir no carácter sentimental das canções deste disco – entre o desejo apaixonado e uma certa amargura com pós de nostalgia – será partilhar um excerto do texto que Lourenço Bray (escritor inédito e amigo de Diego Armés) escreveu a propósito do mesmo: «Às vezes as senhoras apaixonam-se por uma canção do “Canções Para Senhoras” mas a canção não retribui. Tentam agarrá-la mas esta foge-lhes e volta para Diego Armés. As canções deste disco são-lhe extremamente fiéis e íntimas e encaram outras companhias com reserva porque quando se entregam, a entrega é total, sem artifícios, joguinhos ou meias medidas.»

Entretanto, na loja online da Chifre já é possível adquirir elegante merchandise alusivo, «num design que funde a classe do que é clássico com a modernidade do que é moderno».
Bernardo Devlin, esta quarta no Lounge
· POR Paulo Cecílio · 15 Nov 2011 · 21:10 ·


Em mais um concerto organizado pela Filho Único, Bernardo Devlin estará no Lounge por volta das 22h30 (com entrada livre, como costumeiro). O músico, que produziu recentemente LPs de novos valores como Rita Braga ou os Calhau! (de quem falámos na semana passada, apresenta-se a solo com canções que, segundo o próprio, assentam em "bases electrónicas/electroacústicas" e que estão incluídas ou no seu mais recente trabalho (Sic Transit, com edição para breve) ou que poderão vir a estar presentes em Croma Key, álbum perspectivado para sair no próximo ano. Temas novos que poderão ser escutados naquele que é o seu regresso a Lisboa no que toca a espectáculos ao vivo.
Ornatos Violeta: é tempo de espreitar pela fechadura
· POR Hugo Rocha Pereira · 15 Nov 2011 · 00:22 ·


Este ano cumprem-se vinte anos sobre a fundação da banda de Manel Cruz e Nuno Prata. Separados desde 2002, os Ornatos Violeta editaram apenas um par de álbuns (Cão!, de 1997, e O Monstro Precisa de Amigos, de 1999) durante os anos de actividade, mas deixaram uma forte marca na música portuguesa. E, como forma de celebrar o 20º aniversário da criação da banda e o respectivo impacto, a Universal tem no sapatinho do Pai Natal uma prenda muito especial, com tudo para agradar quer ao caloiro como ao fã mais acérrimo: uma caixa que reúne (quase) todo o material gravado pela banda. Entre a reedição dos dois álbuns acima referidos existe, ainda, lugar para um terceiro tomo composto por inéditos e raridades. Da parte dos temas nunca editados estão canções como “Há-de Encarnar”, “Devagar”, “Como Afundar” e “Rio de Raiva” – das sessões de gravação de O Monstro Precisa de Amigos – e “Pára-me Agora”, extraída das sessões de Monte Elvis (2001), potencial terceiro álbum da banda que nunca chegou a ser editado. Entre as raridades, antes dispersas por compilações, destacam-se “Dez Lamúrias por Gole” – o primeiro registo dos Ornatos, de 1995 –; “Circo de Feras” (versão do tema dos Xutos & Pontapés para o álbum-tributo XX Anos XX Bandas) e “Marta”, lado B do CD-single Ouvi Dizer. Diz que a caixa chega às loja no dia 5 de Dezembro deste ano e que, em Fevereiro de 2012, Cão! e O Monstro Precisa de Amigos vão ser editados, pela primeira vez, em vinil, com edições numeradas e limitadas, de 300 exemplares cada.

Akron/Family no Porto e em Lisboa para alegria de muitos
· POR André Gomes · 14 Nov 2011 · 22:39 ·


De regresso a palcos nacionais, num modelo mais amadurecido do que em 2007, os norte-americanos Akron/Family vão atuar no próximo sábado, dia 19 de Novembro, na Zé dos Bois, em Lisboa, e no dia seguinte no Hard Club, no Porto, naquilo que vai ser a primeira vez que a banda toca na cidade. Lançados por Michael Gira em 2003, com álbum homónimo, a edição que se seguiu foi precisamente um ´split'´com os Angels of Light. Quem for adepto de Swans também pode agradecer aos Akron/Family pelo regresso da banda de Gira, dado ter sido durante um concerto partilhado com eles que o fundador de Swans se questionou sobre o por que não ressuscitar a banda. Já longe da Young God Records, os Akron/Family apresentam-se em Lisboa e no Porto como parte da digressão “Destroy Refinement”, que começa terça-feira, em Barcelona, com o álbum "The Cosmic Birth and Journey of Shinju TNT" na mala. A abrir, no Porto, vai estar The Partisan Seed. Os bilhetes custam 12 euros, quer para Lisboa quer para o Porto.

BODYSPACE AU LAIT de Novembro apresenta a estreia absoluta em Portugal da dupla norte-americana Lac La Belle
· POR André Gomes · 12 Nov 2011 · 13:15 ·


LAC LA BELLE
20 DE NOVEMBRO, DOMINGO
19H


Café au Lait, Porto
Entrada livre

O BODYSPACE AU LAIT de Novembro apresenta, numa estreia absoluta em Portugal e em data única, a dupla norte-americana Lac La Belle, a união criativa entre Nick Schillace e Jennie Knaggs. O primeiro, considerado uma verdadeira autoridade do fingerpicking, colaborou e partilhou palcos com nomes como Bert Jansch, Peter Lang, Jack Rose, Keenan Lawler, Eric Carbonara ou Glenn Jones. A segunda, conhecida pela intensidade das suas capacidades vocais, colheu ensinamentos folk directamente dos músicos da região sul dos Montes Apalaches e voltou a plantá-los em Lac La Belle. Juntos, exploram a memória das primeiras décadas da música rural americana e trazem-na para o presente com o respeito que esta merece, contando o conto sem receio de lhe acrescentar um ponto. Lançado recentemente, o EP Bring on the Light impressiona pela beleza e pureza das canções desta dupla que, neste domingo à tarde tão apetecível, vão segurar o leme de uma recompensadora viagem até território norte-americano.
B Fachada volta à carga
· POR Paulo Cecílio · 11 Nov 2011 · 14:31 ·


Após o "FMI" v3.0 que deu a conhecer ao mundo no verão passado, sob o título de Deus, Pátria e Família, B Fachada, ou Deus Fachada, artista que tem trazido uma nova identidade e uma rajada de ar fresco à música popular portuguesa, coisa que nos últimos trinta anos nunca existiu, está de volta. Ok, estas últimas afirmações podem não ser inteiramente verdade, tal como aquelas que dizem que Ele leva no pacote. Mas, não é Ele das melhores coisas deste rectângulo? Sim, é. Mesmo. Por isso há que falar d´Ele, e constatar que é uma Pessoa que cumpre as suas promessas: dois discos por ano, o segundo a sair já em dezembro, tal como no ano passado aconteceu com É Para Meninos. Para já só se podem ouvir duas faixas no Bandcamp, mas que serão indicativas do que aí vem. O concerto de apresentação deste novo trabalho está marcado para 21 do mesmo mês, no CCB, a cargo da Filho Único, mas antes disso haverá também espectáculo duplo na Culturgest, a 6 e 7. Os preços para o de Lisboa variam entre os 7,5€ e os 15€. Siga!
Primavera do nosso contentamento
· POR Paulo Cecílio · 11 Nov 2011 · 14:30 ·


Não obstante ser Björk um nome incrivelmente sonante, tanto no que toca a pronunciá-lo - Byóóóóóó... - como às canções que lhe estão associadas, as restantes confirmações hoje anunciadas para a estreia do Optimus Primavera Sound, na melhor cidade, quase que a relegam para segundo plano. Quase, até nos lembrarmos que na adolescência tínhamos um fetiche um bocado estranho pela senhora e um amigo que chorou a ver o Dancer In The Dark, que foi motivo de piadas durante algum tempo. Hoje esse fetiche existe em menor dimensão e o amigo prefere chatear-nos no Facebook por não irmos a uma festa de anos, e por isso há que centrar atenções no que mais aí vem: nomeadamente Jeff Mangum, Deus Supremo para uma fatia razoável da internet, autor de pelo menos um disco seminal (In The Aeroplane Over The Sea) e cantautor que recentemente saiu da toca a que se tinha confinado desde o fim dos Neutral Milk Hotel. Todo o nosso amor vai evidentemente para ele. E para Jesus Cristo, claro. Outro dos destaques vai para os Codeine, objecto de culto slowcore dos anos 90 que se reformou e regressa aos palcos este ano, a pedido dos caríssimos Mogwai. Para ajudar a esse revivalismo - que começa a entrar em força nas nossas vidas - estão os Yo La Tengo, de regresso ao país após varrerem tudo na Aula Magna, no ano passado. Também de regresso, Neon Indian, para voltar a apresentar as canções do óptimo Era Extraña. E finalmente, uma banda que parece-que-anda-a-abrir-concertos-dos-Radiohead-e-só-isso-deixa-muita-gente-de-pito-aos-saltos, os Other Lives vêm ao Porto com Tamer Animals na calha. Prendas de Natal antecipadas para quem já anda a sonhar com o verão.
Este SEMIBREVE é um luxo
· POR André Gomes · 11 Nov 2011 · 11:26 ·


Começou ontem no Mosteiro de Tibães com a presença de Hans-Joachim Roedelius, Taylor Deupree, Stephan Mathieu e Vitor Joaquim. Mas só hoje é que começam os concertos – vejam o programa inteiro ali em baixo e deliciem-se. O SEMIBREVE que hoje arranca nos palcos do Theatro Circo é um festival de luxo, que reúne uma boa parte da melhor electrónica feita nos dias que correm. Ainda existem bilhetes para os 3 ou 1 dias para a sala principal (só já não dá para andar a saltar entre sala principal e sala 2). Corram, não deixem perder esta oportunidade. Nós vamos. Vemo-nos por lá?

11/11

21:30 Qluster (sala principal)
22:40 Taylor Deupree + Stephan Mathieu (sala 2)
23:50 Jon Hopkins (sala principal)

12/11

21:30 Fennesz + p.ma (sala principal)
22:40 Blac Koyote (sala 2)
23:50 Alva Noto (sala principal)

13/11

17:00 Vitor Joaquim + Hugo Olim (Sala 2)
18:00 Murcof + Anti VJ (sala principal)
Novo duo em estreia: Mota & Reis
· POR Nuno Catarino · 10 Nov 2011 · 23:16 ·


Está quase aí a nascer um novo duo, com duas guitarras em confronto: Manuel Mota e Marcelo dos Reis. Duo idealizado em 2010, o duo promete a exploração de duas guitarras acústicas como mote para o desenvolvimento de uma linguagem afastada das convenções do instrumento. Mota é um dos mais importantes e influentes improvisadores nacionais, tendo acabado de editar dois belíssimos novos LPs: Dias das Cinzas e Untitled. Reis é um jovem músico que se tem vindo a afirmar ao longo dos últimos anos, com especial visibilidade nos grupos AJM Collective e Open Field String Trio. Juntos, Marcelo e Manuel prometem magia. No dia 25, sexta-feira, o duo toca no Arte à Parte, em Coimbra; no dia seguinte, 26 sábado, Mota e Reis tocam no Passos Manuel, no Porto.
Boas CaUsas
· POR Hugo Rocha Pereira · 09 Nov 2011 · 23:42 ·


Os tempos não estão fáceis para ninguém; muito menos para os mais carenciados, em especial quem passa os dias na rua e enfrenta as noites ao relento. Por isso, são de louvar todas as iniciativas que pretendam de alguma forma ajudar quem menos tem. E amanhã, dia 10, no Cinema São Jorge, em Lisboa, vai realizar-se um concerto solidário, de ajuda à C.A.S.A. - Centro de Apoio ao Sem-abrigo. Esta associação sem fins lucrativos, pela força do voluntariado, leva a cabo acções de solidariedade social, em particular dar apoio, alimentação e alojamento a favor de sem-abrigo, crianças, adolescentes e idosos socialmente desfavorecidos, vítimas de violência ou maus-tratos. O concerto, que conta com a presença de Jorge Palma, Dead Combo, Pedro Abrunhosa, The Legendary Tiger Man e Pinto Ferreira, começa às 21:30. Os bilhetes custam 15€, encontram-se à venda no Cinema S. Jorge e na Ticket Line e revertem na totalidade a favor dos projectos da instituição.
Crónica apresenta o 7º Natal dos Experimentais
· POR André Gomes · 09 Nov 2011 · 23:28 ·


No dia 16 de Dezembro acontece no Passos Manuel, no Porto, a 7ª edição do Natal dos Experimentais, continuando aquilo que já pode ser considerada uma tradição sazonal. A culpa é toda da editora Crónica que porá de pé um evento que é, dizem, “simultaneamente uma celebração anual da actividade da Crónica, uma reunião de amigos e amantes da música experimental, e uma oferta à cidade do Porto”. As festividades decorrerão no Passos Manuel, no dia 16 de Dezembro, com performances de: Manuel Mota (na foto), Carlos Santos, @c, Marc Behrens, Ana Carvalho e paL & Carl Minnemann. Após os concertos, e pela noite dentro, os DJ da Crónica tomarão as rédeas de ambos os espaços do Passos Manuel. A editora avisa ainda que a entrada é gratuita e serão distribuídas ofertas da Crónica aos visitantes.
Don´t go killin´ the vibe
· POR Nuno Catarino · 08 Nov 2011 · 00:08 ·


Numa iniciativa da associação juvenil Núcleo de apoio às Artes Musicais, a cidade de Viana do Castelo vai acolher concertos nos próximos sábados 12 e 26 de Novembro. No âmbito do Vibe 2011, ciclo de concertos de "música moderna" que tem ocupado vários espaços da cidade, apresentam-se ao vivo Hipnótica e Aquaparque (dia 12) e Old Jerusalem e Gobi Bear (26). Estes concertos, que marcam o arranque da programação de Outono do ciclo, têm lugar na AISCA - Rua dos Manjovos 40 - e os bilhetes custam oito euros. Será uma boa oportunidade para os minhotos verem ao vivo o projecto de Francisco Silva, que acaba de editar um novo disco homónimo, onde se encontram pedaços de melancolia folk como esta aqui em baixo.

As águas de Março trazem Feist aos Coliseus
· POR Hugo Rocha Pereira · 07 Nov 2011 · 21:14 ·


A Canadiana Leslie Feist, ou apenas Feist, voltou a lançar um disco em nome próprio no passado mês de Outubro, o que não acontecia desde 2007, quando editou The Reminder. E será com Metals que se apresentará em Portugal, quando as temperaturas começarem a subir e as flores a desabrochar, como que anunciando a Primavera com a sua voz melíflua. Dias 18 (Coliseu de Lisboa) e 19 (também no Coliseu, mas da Invicta) de Março – são estas as datas a marcar na agenda. Por agora pode-se ir ouvindo o novo álbum, que abre com “The Bad In Each Other” e tem algumas faixas disponíveis em streaming exclusivo aqui. Com notícias destas, o Inverno vai passar num instante.

Bodyspace estreia programa na TV em colaboração com o Canal 180
· POR André Gomes · 07 Nov 2011 · 21:09 ·


É verdade, já estamos na televisão e não queremos sair de lá tão cedo. Arrancou na semana passada a colaboração do Bodyspace com o cada vez mais inevitável Canal 180 - na Zon com o mesmo número - que levará aos ecrãs, todas as semanas, um programa carregado de música até aos dentes. Vai haver de tudo um pouco: críticas a discos, episódios da Videoteca Bodyspace, entrevistas com gente de talento reconhecido ou por reconhecer e até gravações exclusivas captadas em palco e ao vivo. E tudo mais que se venha a proporcionar num breve futuro. O programa irá para o ar às terças, quintas e sábados, depois do magazine das 21h. Podendo, é carregar 180 nesse comando lá de casa. Não se vão arrepender.

Mark Lanegan lança novo disco e vem até Portugal
· POR André Gomes · 07 Nov 2011 · 14:14 ·


Blues Funeral é o novo disco de Mark Lanegan e da sua banda e o primeiro desde Bubblegum, editado em 2004. Este novo disco, disponível a 6 de Fevereiro de 2012, com o selo da 4AD, foi gravado em Hollywood, Califórnia por Alain Johannes, nos estúdios 11ad e conta conta com a participação de Jack Irons, Greg Dulli e Josh Homme. Mark Lanegan apresentará o seu novo disco em Portugal no dia 30 de Março de 2012 no Hard Club, no Porto, e no dia seguinte na sala TMN ao Vivo, em Lisboa.
El Fad vencem prémio Carlos Paredes
· POR Nuno Catarino · 06 Nov 2011 · 13:21 ·


O projecto El Fad, liderado pelo guitarrista José Peixoto, foi premiado com o Prémio Carlos Paredes 2011. O motivo do prémio foi o álbum Lunar, que correspondeu à primeira edição da editora JACC Records. O Prémio Carlos Paredes foi instituído com o intuito de promover e incentivar os trabalhos de música de intérpretes portugueses e simultaneamente homenagear o grande criador e intérprete que lhe concede o nome: Carlos Paredes. O o vencedor do prémio foi anunciado no passado dia 28 de Outubro, numa cerimónia pública que teve lugar no Museu do Neo-Realismo.
Inscrições abertas para o Termómetro
· POR Nuno Catarino · 06 Nov 2011 · 13:20 ·


Já estão abertas as inscrições para o festival Termómetro, o já histórico festival de revelação de bandas. A edição deste ano vai seleccionar 25 novos projectos que vão passar por 5 eliminatórias com 5 bandas cada, que acontecem em Lisboa e no Porto. A final do festival vai regressar ao Porto e decorre no Teatro Sá da Bandeira, no dia 4 Fevereiro. Para concorrer os interessados devem enviar um endereço online (site oficial, Myspace, Facebook, etc) onde as suas músicas estejam disponíveis para audição para: festivaltermometro@gmail.com. As inscrições decorrem até ao dia 22 de Dezembro. Lembramos que pelo Termómetro já passaram projectos como Ornatos Violeta, Mazgani, Noiserv, Terrakota e Silence 4, entre outros.
Também há Eternal Tapestry no Porto; amanhã o Plano B é a Meca do psicadelismo
· POR André Gomes · 04 Nov 2011 · 22:31 ·


O Porto também merece aventurar-se nas viagens psicadélicas dos Eternal Tapestry. Eles dizem que é uma paisagem invisível, nós dizemos que é uma viagem do caralho. Amanhã, no Plano B (Porto), os Portlandenses apresentam Beyond the 4th Door, editado em 2011 com selo da Thrill Jockey, um tratado psicadélico que mostra afinidades estéticas com nomes como Bardo Pond, The Grateful Dead, Popol Vuhl, Spacemen 3 ou Les Rallizes Dénudés. Se em Lisboa são acompanhados por Pedro Gomes (guitarra eléctrica) e Gabriel Ferrandini (bateria), no Porto a cereja em cima do bolo chega com os concertos dos Unzen Pilot e dos Surya Exp Duo. A não perder.

Fausto Bordalo Dias edita Em Busca das Montanhas Azuis a 21 de Novembro
· POR André Gomes · 04 Nov 2011 · 22:22 ·


Em Busca das Montanhas Azuis, o terceiro capítulo da trilogia iniciada em 1982 com o clássico Por Este Rio Acima seguida pela edição em 1994 de Crónicas da Terra Ardente, é o título do novo disco de Fausto Bordalo Dias. O disco-duplo chega no próximo dia 21 de Novembro. O disco, diz-se, é indicativo da visão da entrada em terra pelo continente africano. O texto de apresentação diz o seguinte: “as músicas sucedem-se numa viagem sem roteiro contínuo. Os textos identificam várias regiões do continente africano em detalhes e comentários que jogam entre a história passada pelos portugueses no continente africano mas também remete à actualidade”. Resta acreditar.

Em exclusivo nacional, a rádio Antena 1 está a rodar o tema single «Velas e Navios Sobre as Águas» (até 6 de Novembro). Mas podem ouvir aqui um outro tema. Agora é esperar.
Max Richter, 5 de Novembro 2011, Teatro Maria Matos, Lisboa
· POR André Gomes · 04 Nov 2011 · 14:53 ·


O compositor e instrumentista Max Richter parte de um paradigma clássico e vai beber inspiração ao minimalismo de Terry Riley, Steve Reich ou Philip Glass, com uma forte componente visual (entre diversas bandas sonoras de filmes, destaque para "Waltz With Bashir", 2008, de Ari Folman) e experimental. Depois de se formar na Academia Real de Música de Edimburgo, seguindo-se uma temporada em Florença sob a batuta de Luciano Berio, Richter deu os primeiros passos criativos em formações como o colectivo Piano Circus (juntamente com outros cinco pianistas) ou em colaborações com The Future Sound of London ou Roni Size. Ou seja, com um pé na música clássica e outro nas linguagens electrónicas contemporâneas. A carreira a solo, em nome próprio, teve início em 2002, a partir de "Memoryhouse". O mais recente capítulo, "Infra", editado em 2010, é o pretexto que o traz até ao Teatro Maria Matos, em Lisboa, para um concerto desde há muito aguardado.

Vítor Rua lança Heavy Mental
· POR André Gomes · 04 Nov 2011 · 11:44 ·


Vítor Rua, fundador dos GNR e dos Telectu, gravou um disco com uma nova guitarra electro-acústica de dezoito cordas construída por si. Este instrumento (com seis cordas de nylon e doze de metal com dois equalizadores independentes) foi criada "de forma a trabalhar a espacialidade do som em estéreo". Foi com esta guitarra que Vítor Rua gravou a improvisação Heavy Mental, o disco que sai a 14 de Novembro com selo da Orfeu. Diz-se que a “guitarra de dezoito cordas estava ligada por linha e por dois microfones Roda a uma mesa de mistura Mackie e daí directamente para o gravador digital de CDs. Além dos dedos e unhas da mão direita, Vítor Rua recorreu ao plectrum e ao lirismo”. A propósito, Vítor Rua actua ao vivo no "Open Day/ Evento Orfeu" do LX Factory, na Sala das Colunas, na noite do dia 11/11/2011 (6ª Feira).
O continuum do psicadelismo na ZDB
· POR Bruno Silva · 03 Nov 2011 · 23:37 ·


Ainda a recuperar o cérebro da trip de Sábado passado protagonizada pelos Bardo Pond, e já amanhã a Galeria Zé dos Bois volta a encher o Aquário com os fumos, os ecos e a refracção do psicadelismo. Cheaper drugs now! nas palavras de Frank Gallagher. Desta feita serão os Eternal Tapestry a levantar voo num tapete já pilotado por gente como Hawkwind, Popol Vuh, Spacemen 3 ou pelos magos de Filadélfia acima citados. Quinteto de Portland que teve este ano pela Thrill Jockey Beyond the 4th Door como álbum de cerimónia e o EP Night Gallery em colaboração com Sun Araw como um Twins onde a empatia é imediata. Na primeira parte, acompanha-se o desenvolvimento do duo de Pedro Gomes (guitarra eléctrica) e Gabriel Ferrandini (bateria). Dois dos grandes que, depois de deixarem óptimas impressões no Festival Rescaldo e na Casa da Comédia, voltam a tocar na capital com um "som cada vez mais doente e estranho", nas palavras de Ferrandini. Música incendiária e de elevação a começar pelas 23 horas e com o custo de 8 euros.

A banda sonora do Lisbon & Estoril Film Festival’11
· POR Hugo Rocha Pereira · 03 Nov 2011 · 23:34 ·


Nesta quinta edição, a decorrer entre os dias 4 e 13 de Novembro, o festival de cinema dirigido por Paulo Branco alarga horizontes para Lisboa; e fá-lo ao mesmo tempo que celebra a transversalidade com as outras formas de criação artística e se afirma como um espaço de reflexão e debate dos temas que definem a agenda cultural contemporânea. A música estará, assim, presente no LEFFEST sob várias formas. No Simpósio Internacional “Os direitos de autor na era da Internet: que futuro para as indústrias culturais? (a decorrer nos dias 11 e 12 de Novembro no Centro de Congressos do Estoril) uma das mesas-redondas ser-lhe-á dedicada, contando-se com as presenças de músicos como Adolfo Luxúria Canibal, Sophie Auster ou Paulo Furtado aka Legendary Tiger Man. Haverá, também, lugar para concertos e dj sets, diversificados nas sonoridades e nos espaços em que vão decorrer.

Dia 5: DJ Set de Randal Poster (supervisor musical de filmes como Zodiac, Velvet Goldmine ou Kids) no Lux, pelas 24:30;

Dia 7: Concerto do violinista Gidon Kremer e do violoncelista Giedre Dirvanauskaite, apresentando obras de Poleva, Kancheli, Bach e Gubaidulina, no Centro Cultural de Belém, pelas 21 horas;

Dia 10: Concerto de Sophie Auster (filha de Paul Auster, escritor e realizador presente no Simpósio Internacional do LEFFEST, do qual integrará também o júri) no Lux, pelas 22 horas;

Dia 11: Concerto de Para One (o francês Jean-Baptiste de Laubier, realizador e produtor de música electrónica, que já remisturou Daft Punk, Justice ou Boys Noize) + Logo – dupla parisiense de electro, composta por Hugues Tonnet de Parrel e Thomas Desnoyers, apresentada como um dos mais promissores projectos da editora Kitsuné – no Lux, pelas 23 horas.

Para quem quiser perder-se e encontrar-se entre antestreias, homenagens e retrospectivas, fica o site do Lisbon & Estoril Film Festival´11.
20 anos de jazz em Guimarães
· POR Nuno Catarino · 03 Nov 2011 · 23:30 ·

McCoy Tyner (c) William Ellis


Arranca já na próxima semana a edição 2011 do Guimarães Jazz. E esta edição é especial, uma vez que o festival vimaranense celebra o seu vigésimo aniversário. Como habitualmente, o palco é o Centro Cultural Vila Flor; e, também como habitualmente, a programação é de luxo. O festival arranca no dia 10, com o histórico baterista Roy Haynes e o seu grupo Fountain of Youth; no dia 11 actua o Steve Swallow Quintet, com a participação da grande Carla Bley; no dia 12 é a vez do trio de Cedar Walton; e a primeira semana de concertos fecha com a sexta edição do Projecto TOAP/Guimarães Jazz. A segunda semana do festival arranca no dia 16 com o projecto This Against That do trompetista Ralph Alessi (grupo que editou este ano um novo disco na Clean Feed); no dia 17 o pianista McCoy Tyner apresenta uma recriação da parceria de John Coltrane e Johnny Hartman, acompanhado por José James e Chris Potter; a 18 haverá espaço para uma música mais aberta e criativa, com o veterano Henry Threadgill e o projecto Zooid; no sábado, dia 19, há concerto ao final da tarde com a Big Band da ESMAE dirigida por Ralph Alessi; e o festival encerra com o projecto Essence of Ellington do incansável contrabaixista William Parker. A oferta é muita e boa, para quem estiver nas redondezas é obrigatório.
blac koyote lança LP de estreia no Passos Manuel
· POR André Gomes · 02 Nov 2011 · 16:42 ·


É já amanhã, quinta-feira, dia 3 de Novembro, que blac koyote, o projecto do portuense e ex-Nimai José Alberto Gomes, lança o seu LP de estreia com o selo da bracarense PAD. O álbum chega até nós numa edição especial de vinil de 12" limitada a 250 unidades. Todos os discos são numerados e existem em 7 versões/capas diferentes. Para além disso são acompanhados por um código para download da versão mp3 de alta qualidade.

Para trás ficaram 3 singles disponibilizados online e que tiveram remisturas de artistas como Octa Push, Daily Misconceptions, Magina, Stereoboy, Labrador e Ghuna X. na primeira parte da noite, que tem inicio às 22 horas, estará também outro artista da casa, The Astroboy. O preço do bilhete é de 4 euros ou 10 euros com vinil incluído.

A música de Aguardela na apresentação da biografia Esta Vida de Marinheiro
· POR Hugo Rocha Pereira · 01 Nov 2011 · 21:59 ·


A biografia oficial de João Aguardela foi lançada no passado mês de Setembro, e desde então tem sido apresentada em vários pontos do país. Sessões que, de acordo com o jornalista Ricardo Alexandre, autor da obra, «Correram muito bem. Tivemos casa cheia em Lisboa e no Porto e também uma sessão bastante especial em Tires, no Desportivo Monte Real, que era o clube do João».

Chega agora aquela que será, em princípio, a última apresentação do livro, a ter lugar no Cine-Teatro Avenida de Castelo Branco, no próximo dia 5 de Novembro. Nessa data e local, Ricardo Alexandre irá passar música dos diversos projectos em que o músico falecido em 2009 esteve envolvido, como Sitiados, Megafone ou A Naifa.

Sobre ”João Aguardela – Esta Vida de Marinheiro", editado pela QuidNovi, Ricardo Alexandre adianta ser «Um livro sobre um amigo que foi um músico excepcional e que traz o testemunho daqueles que com ele se cruzaram».

“Como um raio a rasgar a vida / Como uma flor a florir desmedida / Como uma cidade secreta a levantar-se do chão / Como água, como pão / Como um instante único na vida / Como uma flor a florir desmedida / Como uma pétala dessa flor a levantar-se do chão / Como água, como pão / Assim nasceste no meu olhar, assim te vi / Flor a florir desmedida / Assim te vi, a rasgar a vida”

Parceiros