Janeiro 2011
MusicBox vai receber o II Festival Terapêutico do Ruído
· POR Nuno Catarino · 31 Jan 2011 · 21:35 ·
De 3 a 5 de Fevereiro o MusicBox vai acolher a segunda edição do Festival Terapeutico do Ruído. Organizado pela Associação Terapeutica do Ruído numa co-produção com o MusicBox, este festival tem como propósito, nas palavras da rganização, "ajudar os presentes a se libertarem do stress através da exposição de doses maciças e condensadas de ruído". Participam no festival nomes como Tigrala, Tiago Sousa, Most People Have Been Trained To Be Bored e Bypass, entre outros. O preço da entrada varia entre 8€ (na quinta e sexta) e 10€ (no sábado) o passe de três dias vale 20€. Aqui fica um teaser de Most People Have Been Trained To Be Bored, projecto de Gustavo Costa que editou um belo disco na BorLand.

É hoje: BODYSPACE AU LAIT estreia-se com concerto do “mais português dos artistas portugueses”, JP Simões
· POR André Gomes · 30 Jan 2011 · 12:00 ·

© Teresa Ribeiro

Ainda que não seja uma promotora, o Bodyspace, de braço dado com o Café au Lait, no Porto, aproveitou as resoluções de ano novo para se lançar aos concertos no papel de programador, de instigador de alguma da música que achamos merecer a atenção. Não só porque gostamos de frequentar esse habitat natural mas porque uma webzine em 2011 deve ser mais do que isso: deve passar da palavra à acção e colocar o carro em frente dos bois. O ciclo que vai de Janeiro a Dezembro (em Agosto estamos de férias, avisamos já), com entrada livre, aposta tanto em nomes que são já conhecidos do público em geral, como naqueles que começam agora a trilhar um caminho de sucesso. É esse o nosso equilíbrio. E que melhor sítio que o Café au Lait, no Porto, onde quase diariamente se pode descobrir alguma da melhor música que a actualidade nos oferece, para o fazer? Foi aí que encontramos o palco perfeito para um conjunto de concertos que em muito reflecte o que se vai passando nas páginas do Bodyspace ao longo do ano. De Janeiro a Dezembro, o Bodyspace substitui-se ao Café e dá o braço ao au Lait: BODYSPACE AU LAIT, uma vez por mês para alegria do freguês.

JP Simões é um daqueles escritores de canções que se não existisse tinha de ser inventado, reinventado e entregue em mãos para consumo da população geral; um daqueles que fazem uma década inteira valer a pena. É, por mérito próprio, voz maior de uma certa “geração”, mestre da palavra, guia e transmissor de fantasias. Depois de liderar os Belle Chase Hotel e o Quinteto Tati, lançou-se num percurso a solo que rendeu para já um disco de originais (carregado de bons motivos para se gostar ainda de canções), um registo ao vivo que é como um boato e um disco que está quase a chegar. Mas enquanto não chega, é impossível recusar o convite para entrar no mundo de JP Simões, o melhor local para se estar neste atribulado 2011 do nosso contentamento.

No dia 30 de Janeiro, a partir das 19h, JP Simões inaugura a coisa chamada BODYSPACE AU LAIT. Com entrada livre.


Estreia dos Om em Portugal quase lotada
· POR Bruno Silva · 29 Jan 2011 · 00:47 ·
As expectativas eram já enormes e quando 2011 ainda nem se instalou definitivamente na mentalidade colectiva, o ano arranca em força com a notícia da vinda dos norte-americanos Om a Portugal para duas datas. Nascidos das cinzas do Sleep e nome maior de toda e qualquer coisa remotamente associada ao "rótulo" de Stoner, o duo de Al Cisneros e Emil Amos (acompanhado por Rob Lowe, mais conhecido por Lichens) tem vindo a pavimentar uma carreira com vista ao riff infinito em discos tão essenciais como Conference of the Birds ou Pilgrimage, ainda a recolher os louros de God Is Good. Avisa-se, desde já, que a data de 31 de Janeiro no Passos Manuel no Porto já está esgotada, mas para os headbangers que ainda pensem nisso, há ainda a hipótese de conseguir bilhetes para o dia 30 na Galeria Zé dos Bois em Lisboa através de reservas@zedosbois.org e pelo número 213430205. O mais certo é que também venha a esgotar, mesmo. Tendo em conta aquilo que se pode ver abaixo não é, de todo, surpreendente:

Wooden Wand em Estarreja e Lisboa
· POR Paulo Cecílio · 29 Jan 2011 · 00:39 ·


Para alguns um nome desconhecido, para outros confundido com outros artistas de fama ligniforme como os Shjips ou os Tops, James Toth / Wooden Wand há muito que por cá anda a escrever canções. A sua presença em Portugal (que é inclusive a estreia) deve-se ao mais recente Death Seat, disco folk/country onde cada dedilhar conta uma história saída do lado que a América bipolar, amante da rebeldia mas detentora da moral, se recusa a mostrar. Não chega? E dizer que Lee Ranaldo já produziu um dos seus discos? Ou que Death Seat foi lançado pela Young God de Gira?

Ambos os concertos têm a chancela da Filho Único, sendo o primeiro no próximo dia 11, no cine-teatro de Estarreja (bilhetes a 1,5€), e o seguinte um dia depois no espaço Kolovrat 79, em Lisboa (7€), este com a primeira parte a cargo de Filipe Felizardo. Para os mais indecisos deixamos "The Mountain", tema retirado deste último disco: I know a girl who strips and shoots, she sees the world in absolutes...

Preâmbulo de regresso com mixtape gratuita
· POR Bruno Silva · 26 Jan 2011 · 21:39 ·
Uma das princesas do universo teen r'n'b, Keke Palmer parece querer reaparecer depois da ignorância generalizada a So Uncool de 2007, através de uma mixtape para download gratuito. "Remetida" à sua carreira de actriz na série True Jackson, VP da Nickelodeon (onde interpreta também o tema da série), derivado do fracasso comercial de um álbum de estreia óptimo, esta Awaken será, pelo nome, uma necessária (e cada vez mais habitual) operação de marketing para relançar uma carreira que na verdade nunca arrancou, apesar de ter deixado uma malha tão essencial como "Keep It Movin". Não apresentando grandes novidades, serve de modo mais do que digno a sua condição de teaser, encadeando algumas malhas desconhecidas, com proto-clássicos como "Bottom's Up", "The Game Song", "Superjerkin" (inexplicavelmente, "Footworkin" ficou de fora) ou a já referida "Keep It Movin". Nunca é demais recordar essa summer jam perfeita.
PUNK IS NOT DADDY de Edgar Pêra em exibição na Casa da Animação do Porto
· POR André Gomes · 26 Jan 2011 · 21:07 ·
O Clube Português de Cinematografia | Cineclube do Porto apresenta no dia 27 de Janeiro (quinta-feira) às 22h, a sua próxima sessão regular na Casa da Animação o documentário PUNK IS NOT DADDY de Edgar Pêra. O documentário com data de 2010, de acordo com a sinopse, aventura-se assim: "PUNK IS NOT DADDY é uma viagem pelos anos oitenta, testemunhada por um cineasta neófito. São cine-diários inéditos de Edgar Pêra: as Ruínas do Chiado, o quotidiano em Lisboa e Madrid, os Estados Gerais do Cinema Português, e sobretudo intervenções de bandas pop – a principal referência cultural dessa época. PUNK IS NOT DADDY testemunha o crescimento e ocaso dos Heróis do Mar, os bastidores dos GNR num concerto da APU, os concertos abrasadores dos Xutos & Pontapés, a sonoridade céltica dos Sétima Legião, a pop despudorada dos Delfins, a militância dos Clandestinos, a rodagem dos videoclips dos Rádios Macau. E até a polémica da Final do Concurso de Música Moderna do Rock Rendez Vous, os ensaios dos Censurados no apocalíptico quarto de João Ribas ou o derradeiro (anti)concerto do RRV com os Zao Ten de Farinha Master. PUNK IS NOT DADDY retrata, na primeira pessoa, a primeira década descomprometida com o fascismo, já com a revolução em eco. Finalmente, arte em liberdade".

O preço para o público geral é de 3,50€, para sócios CCP e da Casa da Animação é de 1€. O trailer é o que mostramos de seguida.

O finlandês voador aterra em Alcântara
· POR Gustavo Sampaio · 20 Jan 2011 · 14:48 ·
O Space é uma nova referência nocturna em Lisboa, nos meandros de Alcântara, com uma agenda deveras apelativa: desde o início do ano já por lá passou Legowelt e, não tarda, seguem-se Jimi Tenor, Move D, Gonzales, entre diversos outros. Amanhã, 21 de Janeiro, apresenta-se o finlandês voador que, por mais que nos esforcemos, não conseguimos catalogar: do acid jazz à electrónica, do afrobeat ao ambiental, com pózinhos de trip-hop, noise, techno, funk psicadélico, há algum género que ele ainda não tenha explorado, em algum ponto da sua longa discografia, desde a estreia de culto com Sahkomies no longínquo ano de 1994, antes de assinar pela Warp e mudar-se para o clima bem mais afrodisíaco de Barcelona?

Nos últimos tempos virou-se para as bases rítmicas do afrobeat em parcerias com Kabu Kabu e Tony Allen, conjugando tradição e sofisticação (partindo sempre da escola jazz que inspira todos os seus discos, mais ou menos experimentais) mas não sabemos o que esperar de uma noite que se imagina tão surpreendente e transcendental quanto a aura mitológica de Jimi Tenor, sucessor natural do trono alienígena e psicadélico de Sun Ra. Esperemos que esteja à altura do desafio e que não tenha vindo somente apanhar sol entre sessões de psicoterapia.

BODYSPACE AU LAIT estreia-se com concerto do “mais português dos artistas portugueses”, JP Simões
· POR André Gomes · 20 Jan 2011 · 09:09 ·
© Teresa Ribeiro

Ainda que não seja uma promotora, o Bodyspace, de braço dado com o Café au Lait, no Porto, aproveitou as resoluções de ano novo para se lançar aos concertos no papel de programador, de instigador de alguma da música que achamos merecer a atenção. Não só porque gostamos de frequentar esse habitat natural mas porque uma webzine em 2011 deve ser mais do que isso: deve passar da palavra à acção e colocar o carro em frente dos bois. O ciclo que vai de Janeiro a Dezembro (em Agosto estamos de férias, avisamos já), com entrada livre, aposta tanto em nomes que são já conhecidos do público em geral, como naqueles que começam agora a trilhar um caminho de sucesso. É esse o nosso equilíbrio. E que melhor sítio que o Café au Lait, no Porto, onde quase diariamente se pode descobrir alguma da melhor música que a actualidade nos oferece, para o fazer? Foi aí que encontramos o palco perfeito para um conjunto de concertos que em muito reflecte o que se vai passando nas páginas do Bodyspace ao longo do ano. De Janeiro a Dezembro, o Bodyspace substitui-se ao Café e dá o braço ao au Lait: BODYSPACE AU LAIT, uma vez por mês para alegria do freguês.

JP Simões é um daqueles escritores de canções que se não existisse tinha de ser inventado, reinventado e entregue em mãos para consumo da população geral; um daqueles que fazem uma década inteira valer a pena. É, por mérito próprio, voz maior de uma certa “geração”, mestre da palavra, guia e transmissor de fantasias. Depois de liderar os Belle Chase Hotel e o Quinteto Tati, lançou-se num percurso a solo que rendeu para já um disco de originais (carregado de bons motivos para se gostar ainda de canções), um registo ao vivo que é como um boato e um disco que está quase a chegar. Mas enquanto não chega, é impossível recusar o convite para entrar no mundo de JP Simões, o melhor local para se estar neste atribulado 2011 do nosso contentamento.

No dia 30 de Janeiro, a partir das 19h, JP Simões inaugura a coisa chamada BODYSPACE AU LAIT. Com entrada livre.


Musicalmente o ano começa em adágio
· POR Nuno Leal · 19 Jan 2011 · 21:44 ·
Trish Keenan deixou-nos. Aos 42 anos. Subitamente, estupidamente, com uma pneumonia derivada de uma Gripe A. Os Broadcast perderam a sua vocalista, uma diva pop e psicadélica como restam poucas. Se calhar a sua voz de anjo condenou-a a ir para o céu prematuramente. Para a memória ficam discos brilhantes. Redescobrir é homenagear. Friamente, este inverno parece mesmo que nunca mais acaba e a verdade é que será novamente inverno quando no final do ano surgir o seu nome nos óbitos do ano.

Long Way to Alaska com videoclipe saudosista para "Nandaio"
· POR André Gomes · 19 Jan 2011 · 14:44 ·
É o primeiro videoclipe dos Long Way to Alaska para o recentemente editado Eastriver. O nosso Simão Martins andou por lá e, num texto elogioso, disse, entre outras coisas, que estes "bracarenses mostram, com a sua música, como é fácil viajar daqui até ao Alasca à distância de um par de colunas à nossa frente. Aliás, a movimentação entre diferentes registos confirma o que pensávamos dos Long Way To Alaska: já sabíamos que eram bons, mas não tão duplamente bons." Para conferir a beleza do saudosismo cinematográfico com mão da Bolos Quentes é clicar ali em baixo.

Está aí o Rescaldo 010
· POR Nuno Catarino · 19 Jan 2011 · 11:39 ·
Amanhã, quinta-feira, arranca oficialmente o Rescaldo 010. Revisitando projectos criativos que marcaram o panorama musical luso no ano transacto, o festival Rescaldo vai apresentar concertos no Teatro A Barraca, na loja Trem Azul e no bar Sol e Pesca (Cais do Sodré). Na quinta-feira actuam Subterminal e Máquina Lírica n'A Barraca; na sexta-feira Nuno Torres apresenta um solo de sax alto no bar Sol e Pesca (19h30) e há duas estreias n'A Barraca: o projecto "Pão" (Tiago Sousa, Pedro Sousa e Travassos) e o duo Pedro Gomes & Gabriel Ferrandini; no sábado a loja Trem Azul acolhe David Maranha & Manuel Mota, Filipe Felizardo, Sunflare, unDJ Mmmnnrrrg e Falhumana - está tudo explicadinho ali. Integrada no Rescaldo, é hoje inaugurada uma exposição de Vera Marmelo, que fotografou os intervenientes no festival - estará patente na Trem Azul até 28 de Fevereiro, será inaugurada hoje, pelas 18h30. Aproveitamos para deixar o "teaser" oficial, que revela na banda sonora um pouco de Pão.

Death From Above 1979 reúnem-se em Coachella
· POR Paulo Cecílio · 19 Jan 2011 · 10:58 ·
O mais certo é que o impacto desta notícia maravilhosa não nos afecte a nós, infelizmente portugueses, infelizmente com muitos e bons festivais mas nenhum que se possa equiparar ao mítico Coachella. Mais mítica ainda: a banda que em 2004 lançou o incrível I'm A Woman, You're A Machine e de alguma forma deu azo a tudo o que interessa saber sobre dance-punk vai reunir-se no dia 17 de Abril para um concerto de ocasião ao lado de nomes como Kanye West, PJ Harvey, The Strokes e - lol - Duran Duran. A confirmação é dada no site da organização: nunca um poster tão simples foi tão bonito. Resta-nos aguardar que Jesse Keller e Sebastien Grainger percebam que afinal até gostam muito um do outro e decidam dar umas voltas por aí. Enquanto isso, matem saudades revendo a inesquecível aparição no Late Night With Conan O' Brien. É caso para dizer: vai para o caralho, Primavera.

O Homem Tigre leva uma selva de convidados aos Coliseus
· POR Hugo Rocha Pereira · 17 Jan 2011 · 18:12 ·
Não foi só no aclamado Femina (2009) que Paulo Furtado colaborou com outros músicos, nacionais e estrangeiros, mais ou menos conhecidos. Quem for aos Coliseus, para a semana (dia 21 no Porto, no dia seguinte em Lisboa), terá o privilégio de passar em revista algumas dessas parcerias, numa noite que se adivinha única e recheada de surpresas. Dead Combo, Nell Assassin, DJ Ride, Rita Redshoes, Lisa Kekaula, Mick Collins e Jim Diamond são alguns dos convidados.

Mick (que produziu os dois primeiros álbuns dos White Stripes) e Jim – vocalista dos Dirtbombs e dos Gories – participaram no disco Black Rusty Pussyboat, cujas músicas foram feitas 10 minutos antes da entrada em estúdio, inspiradas por uma garrafa de Macieira. Todo o relato deste feliz encontro, pela voz do Legendary Tigerman, no vídeo abaixo.

Buraka Som Sistema: gravações em Monchique resultam em vídeo “medronho”
· POR Hugo Rocha Pereira · 17 Jan 2011 · 18:03 ·
Um estúdio algures em Monchique; gravações para o sucessor de Black Diamond, com lançamento previsto para depois do próximo Verão. Uma câmara desvenda o patchwork criativo da banda de J-Wow, Riot, Conductor e Kalaf. Igor Cavalera e Stereotyp («Peço desculpa...») são os convidados de honra. Além do enigmático Buda da bigodaça…

Maioritariamente as outras pessoas farão a matança em Portalegre: é o regresso do Jazzfest
· POR Nuno Catarino · 14 Jan 2011 · 15:01 ·
Está quase aí mais uma edição do Portalegre Jazzfest. O festival de jazz do Alto Alentejo vai acontecer em dois fins-de-semana consecutivos no Centro de Artes e Espectáculos, entre 18 e 26 de Fevereiro, com dois concertos por noite. No dia 18 o Jazzfest arranca com os portugueses Bernardo Sassetti Trio e Mikado Lab. No dia seguinte actuam os enormes Mostly Other People Do the Killing, fascinante quarteto praticante de “bop terrorista” que reúne Peter Evans (génio), Jon Irabagon, Moppa Elliott e Kevin Shea. Na mesma noite actuam os bravos lusos AJM Collective. O segundo fim-de-semana de concertos abre, no dia 25, com o Daniel Levin Quartet e os dinamarqueses NHN Trio (discos fresquinhos na Clean Feed). O Jazzfest alentejano encerra com as actuações do sueco Jonas Kullhammar e da actual formação de Sei Miguel, quarteto “featuring” Pedro Gomes. Há muitos motivos para ir, como por exemplo este vídeo aqui em baixo.

Programa de fim de semana: Ninja Tune, hoje em Lisboa e Jazzanova, amanhã no Porto
· POR Rafael Santos · 14 Jan 2011 · 08:57 ·


Grandes noites para este fim de semana. Para quem ainda está indeciso sobre o que fazer com estas duas próximas noites frias, o Bodyspace deixa aqui duas propostas irrecusáveis. De sul para norte, e começando por hoje, propomos para quem mora na grande Lisboa uma visita ao Music Box onde decorrerá o live act de King Cannibal, representante especial em Lisboa da grande Ninja Tune. Todo este luxo não é casual, este evento está enquadrado nas festividades do vigésimo aniversario da mítica editora britânica que comemorou mundialmente em 2010 a efeméride com a edição de duas singulares colectâneas: The Way of the Ninja (com 250 temas misturados por King Cannibal) e Ninja Tune XX (box set luxuoso repleto de novidades e antiguidades). O concerto está previsto para as 2 da manhã... de Sábado.

Para quem mora no grande Porto, uma passagem pela Casa da Música para ver o colectivo alemão Jazzanova é também uma proposta perfeitamente irresistível. Recordamos que o último álbum de originais do sexteto de Berlim, o excelente Of All The Things, foi editado há 2 anos e que o mesmo tem servido de pretexto para uma série de digressões pelo mundo. No Porto, amanhã (Sábado), além dos 6 elementos base do projecto estará também, como convidado, o cantor norte-americano Paul Randolph. No mesmo dia, e também na Casa da Música, há outras presenças garantidas no cartaz como Balla, Lindstrom, The Glockenwise e Black Bombaim. Mais info aqui.

Se não tiverem nada que fazer agora, tratem já de comprar bilhetes, assegurando assim o soprar de velas à Ninja Tune em Lisboa ou mais uma noite Clubbing repleta de música ecléctica com os Jazzanova e companhia, no Porto. Um fim de semana em cheio, no mínimo.
Phill Niblock, mestre minimal, ao vivo em Lisboa e Porto
· POR Nuno Catarino · 13 Jan 2011 · 21:33 ·


O americano Phill Niblock, ícone do microtonalismo, apresenta-se em Portugal para dois concertos, no Porto e em Lisboa. Além de pioneiro no desenvolvimento de uma música quase-estática, feita de contenção e subtileza, Niblock é director da Intermedia Foundation desde 1985, trabalhando nos cruzamentos entre imagem e som. Esta sexta-feira, dia 14, a Culturgest Porto acolhe Niblock, num concerto comissariado pela Filho Único. No sábado, dia 15, o americano apresenta-se na Galeria ZDB, na companhia de Gerd Stern e Katherine Liberovskaya. No domingo o espaço Oporto promove uma sessão de projecção do seu filme Dog Track, que contará com presença do próprio, disponível para conversar com os presentes.
Falty DL edita novo disco em Março
· POR Rafael Santos · 13 Jan 2011 · 21:32 ·


Mais um motivo de jubilo em 2011. Volvidos dois anos sobre o excelente Love Is a Liability, o produtor Falty DL prepara-se para editar mais um disco de originais. Conotado de forma simplista com o UK garage ou com o 2step, a música do norte-americano Drew Lustman é bem mais abrangente do que se julga à primeira vista, encontrando-se numa daquelas franjas da nova música urbana de difícil catalogação. Englobando elementos do IDM da década de 1990 para edificar um som enviesado, sensual e inteligente, Falty DL, à semelhança de Burial, também não se faz de rogado na hora de integrar de forma dissimulada o espírito das velhas raves na matriz da sua música. O novo disco, a ser editado em Março uma vez mais pela Planet Mu, chama-se You Stand Uncertain e segundo se pode ouvir no site da Planet Mu não deverá romper com os propósitos que ergueram os trabalhos anteriores, apesar desta vez contar com a presença de vocalistas (na certa uma tentativa de refinar o formato canção).
Burzum com novo álbum em Março
· POR Paulo Cecílio · 13 Jan 2011 · 21:29 ·

© Ester Segarra

A prisão faz maravilhas a um gajo. Ainda mal se sentiu o regresso com Belus (sejamos francos, regresso esse um pouco desapontante) e já Varg Vikernes prepara um novo disco a sair em Março deste ano, sem que haja desde já polémica em relação ao nome: The Fallen será então o oitavo longa-duração do aclamado rei do Black Metal norueguês, e, segundo o próprio, mais experimental do que o seu predecessor. A mitologia Odinista mantém-se, como é óbvio - e nem nós esperaríamos outra coisa. Já há inclusive tracklist, para confirmar aí em baixo juntamente com o vídeo de "Glemselens Elv", épico retirado de Belus. A ver vamos se o próximo inverno será melhor do que este.

1. Fra Verdenstreet
2. Jeg faller
3. Valen
4. Vanvidd
5. Enhver til Sitt
6. Budstikken
7. Til Hel og tilbake igjen

Maio mês do coração, mês de Aloe Blacc
· POR Rafael Santos · 11 Jan 2011 · 12:34 ·
Aloe Blacc é um dos nomes incontornáveis da soul actual. Já se sabia. E Good Things, o mais recente álbum de originais (editado nos últimos meses de 2010 pela Stones Throw) confirma-o inequivocamente. A nossa própria lista dos 10 melhores do ano do Bodyspace também não deixa qualquer margem de dúvida em relação ao excelente segundo disco de Aloe. E será esse mesmo álbum que o jovem cantor de 31 anos irá apresentar em Portugal já no próximo mês de Maio. Inserido na digressão que levará o norte-americano a percorrer o velho continente já a partir de 15 de Março, Portugal será apenas mais um ponto de passagem no mapa europeu. Uma oportunidade única de descobrir a voz de Aloe Blacc ao vivo, sem dúvidas. Para que não haja lapsos de memória, convém marcar desde já na agenda esta info simples: Aloe em Lisboa para um concerto único na Aula Magna no dia 4 de Maio. Apontado? Depois digam que não foram informados. Os bilhetes já estão à venda. E, meninos e meninas, agradeçam quanto antes à promotora oficial do evento, a Música no Coração, por esta bela iniciativa. 2011 começa, definitivamente, muito bem.

O jazz tem uma nova casa no Porto; e tem cheiro a Nova Iorque
· POR André Gomes · 10 Jan 2011 · 22:53 ·


O número 147 da Rua 31 de Janeiro, no Porto, tem as portas abertas ao jazz desde o dia 10 de Dezembro. E lá dentro, de todo o edifício, tem um cheiro de Nova Iorque; de um bairro em especial, Tribeca. Paulo Rocha e Alfredo Pontes são apaixonados pela cidade que nunca dorme e quiseram transportar para o Porto, em perfeita explosão cultural e de animação (que se misturam muitas vezes com sucesso), esse mesmo espírito. Apresentado como o maior bar de jazz do país, o Tribeca, assim se chama o novo espaço jazzístico, terá programação regular no bar, um café e um restaurante. Cinco andares de jazz e algum soul e blues. Fomos falar com Alfredo Pontes que, numa pequena entrevista, nos contou o que quer e pode ser o Tribeca para a cidade do Porto.

Nos últimos tempos o Porto tem criado alguns locais na cidade onde se pode ouvir jazz. Lembro-me do Hot Five, do Breyner, e até no Galeria de Paris e na Casa do Livro. Como é que assistem este crescimento do jazz na cidade?

Fico bastante satisfeito, pois é necessário que cada vez mais casas, apostem na música ao vivo de qualidade e neste sentido promover a música jazz e os nossos músicos em detrimento de música gravada.

Nesse sentido, como é que o Tribeca se posiciona entre esses novos locais e até outros locais como a Casa da Música?

O Tribeca diferencia-se dos outros bares por proporcionar quer aos músicos quer aos ouvintes, um local bastante agradável e confortável com um serviço de qualidade. A nossa programação musical é alvo de análise cuidada, para que a musica vá de encontro aos nossos clientes tipo, o nosso targett. Face á casa da Musica, a diferença é enorme pois nós somos um clube de Jazz e eles são uma sala de espectáculos que cobram bilhetes e têm apoio do estado, no Tribeca é tudo custeado por nós.

Qual acham que será o lugar do jazz no porto daqui a uma década? Acham que o público tem tendência a crescer, até com o aparecimento destes novos espaços?

Sim, o que é necessário é divulgar o Jazz, não como um estilo de música intelectual, mas popular como o Jazz é nas suas raízes.

O que quiseram transportar de Nova Iorque para o Porto para além do sentido de estética do “bar”?

O Jazz está umbilicalmente ligado com a vida nocturna dos anos 20 de Nova Iorque e Tribeca é um bairro onde existem bastantes clubes de Jazz, um Jazz mais swingado, tal como o que pretendemos para o Tribeca, e não um jazz experimental ou free jazz, como se ouve por vezes em alguns bares.

Na balança o que é que pesa mais, o investimento monetário ou o sentimental?

O prazer e o gosto pela musica, nomeadamente o jazz, aliado a uma forma de investimento, fazem do Tribeca uma empresa que tal como qualquer outra empresa terá que ser rentável.
M.I.A. recupera a persona em mixtape gratuita
· POR Bruno Silva · 10 Jan 2011 · 21:20 ·


Com a prisão de Julian Assange a fazer incidir os maiores focos de atenção sobre o Wikileaks, seria uma questão de tempo curta até que o whistleblower mais mediático da Web 2.0 servisse de inspiração para alguma coisa. Preferencialmente, para um freebie vindo de alguém que glorifique, de modo mais ou menos fidedigno, esta mesma actualidade. Disco mal amado que se atirava a todo o lado, / / / Y / tinha todo o ar de "capítulo final" numa ascensão, até ao momento, incontestável da M.I.A., pelo que não deixa de fazer todo o sentido fechar um 2010 desastroso do mesmo modo que Piracy Funds Terrorism, Vol. 1 serviu como primeiro salto para o estrelato. Ou seja, uma mixtape onde ela está, de facto, a divertir-se mais do que tudo o resto, ao mesmo tempo que revela toda a sua esperteza sem a forçar de um modo alienante.

Disponível para download gratuito na noite de revelhão (como que a simbolizar um "ritual de passagem"?), Vicki Leekx assume a forma de uma faixa de 36 minutos que celebra o seu lado mais festivo, encadeando malhas de gente como Danja, Blaqstarr, Rusko ou Diplo. Tudo feito sem grandes atropelos, num plano de coabitação saudável de géneros transversais e com a displicência necessária para um objecto despretensioso, mas cujos objectivos estão claramente definidos de raiz. Sem grandes preocupações ideológicas/sabotadoras. Acabando por revelar aquilo que mais falta fez no álbum precedente : Identidade. Está disponível em : http://vickileekx.com.
Quanto Cash haverá na arca?
· POR Hugo Rocha Pereira · 10 Jan 2011 · 10:09 ·
The Man in Black faleceu em 2003; no ano passado foi lançado postumamente o álbum American VI: Ain't No Grave (resultado da sua última colaboração com o produtor Rick Rubin), mas o legado da sua carreira ímpar continua a dar frutos. Uma nova compilação de Johnny Cash chegará às lojas em Fevereiro deste ano. O álbum Bootlegs 2: From Memphis to Hollywood conta com demos inéditas e faixas que não entraram nos discos lançados no início de carreira do autor.

A tracklist definitiva ainda não foi revelada, mas já se sabe que o disco-duplo contará com 11 demos e 7 músicas não incluídas nos álbuns lançados enquanto Cash era artista da Sun Records. Também estarão incluídos singles não lançados em álbuns, lados B e extras elaborados durante o tempo em que integrou a Columbia Records - de 1958 a 1969.

A herança deixada pelo cantor norte-americano é tão rica que entre as nomeações para o Grammy de Melhor Vídeo do ano surge o projecto que deu vida à música "Ain't no Grave". The Jonhny Cash Project produziu um vídeo com o contributo de 250 mil fãs de Cash - cada um responsável por desenhar um frame. O realizador Chris Milk teve a ideia durante uma conferência em Portugal. A escolha da música veio depois: «Quando deixei Portugal, o meu objectivo era encontrar um artista, sem ter certezas sobre qual poderia ser», explicou. Acabou por encontrá-lo numa conversa com o produtor Rick Rubin - a trabalhar na edição de American VI mas sem ideias sobre como tratar a componente visual. «Quando ouvi a música soube que era perfeita», afirmou Chris Milk. O resultado da mega-colaboração é este patchwork digital.

Fabric 56: Derrick Carter é o senhor que se segue
· POR Rafael Santos · 07 Jan 2011 · 19:15 ·


A Fabric soma e segue. Depois do sempre proficiente Shackleton fazer desfilar o seu dubstep soturno e promíscuo, vez agora de uma lenda viva do house de Chicago preparar o alinhamento do próximo volume da consagrada antologia Fabric. Falamos, pois, do Sr. Derrick Carter, veterano de longo currículo que desde o ido início da década de 1990 tem sido uma constante tanto na produção de alguns dos mais memoráveis clássicos do som de Chicago, como na nobre arte do DJing. Individuo de múltiplos talentos, Carter é também um homem de negócios sendo, por exemplo, um dos responsáveis, juntamente com Luke Solomon, pela londrina Classic Records, editora de nome firmado que nesta última década acolheu no seu catálogo nomes como Stefan Goldmann, Roy Davis Jr., Tiefschwarz, Isolée, Metro Area, DJ Sneak ou Blaze.

O novo volume do Fabric terá a numeração 56 e será editado em Março próximo. Este será o seu alinhamento:
01. Jody Fingers Finch - Jack Your Big Booty (Derricks BHQ Acid Vocal / BHQ Bonus Of Beats) Green Velvet - La La Land (Derrick Carter Ds BHQ Business Remix)/ Dennis Ferrer - Church Lady (Tommy Davis & DJ Spen Bom Bom Bom Tool)
02. Almost September - Love (Derricks BHQ Remix)
03. DJ Sneak - Respect Bonito (Justin Long Remix)
04. Nick Garcia - Playin Tricks (Hector Moralez Remix)
05. Scope - 8 Track
06. Cricco Castelli - First Love
07. Osunlade pres. Nadirah Shakoor - Pride (Johnny D Remix)
08. Iz & Diz - Cosmid
09. Roger Sanchez - My Organ
10. Scrubfish - Testify To The Soul Provider
11. Olene Kadar feat. D-Low - Baby Keep It Up
12. Cajmere - Percolator (Derrick Carter Bonus Mix)
13. 1200 Warriors - HardDrum (B-Boy Mix)
14. Tripmastaz - Back on My BS
15. Piek meets Stan Garac - La Gondola
16. Lego - Bang Bang
17. Abraham Inc. - Moskowitz Remix (Ds BHQ Re-edit)
Novo disco dos Buraka continua a germinar na Serra de Monchique
· POR Rafael Santos · 07 Jan 2011 · 19:14 ·


Estávamos a ver que a coisa nunca mais andava para a frente. Sim, porque depois de um primeiro, e muitíssimo bom, disco de estreia, a ansiedade em torno de um segundo disco de originais tem vindo a crescer lentamente. É assim com os nossos Buraka Som Sistema que continuam em Monchique a preparar o sucessor de Black Diamond que, segundo informações bem recentes, deverá ser editado depois deste Verão. A info ainda é escassa mas sabe-se que pelo estúdio, actualmente ocupado por João Barbosa e companhia, situado naquela bela vila algarvia, têm passado nomes como Stereotyp e o brasileiro, ex-Sepultura, Igor Cavalera. Antes do lançamento do novo disco, estão previstas duas edições no formato de single. Aperitivos na certa. O resto, meus amigos, é aguardar pacientemente por algo palpável.
Joan As Police Woman regressa a Portugal para uma mão cheia de concertos
· POR André Gomes · 06 Jan 2011 · 18:04 ·


Joan As Police Woman, que é como quem diz Joan Wasser, a última namorada de Jeff Buckley, tem vindo a cimentar uma relação saudável com o público português e regressa agora em Março para cinco concertos que acontecem depois de uma muito aplaudida actuação no Festival Sintra Misty em Outubro do ano passado e de uma extensa digressão europeia. Joan As Police Woman regressa a Portugal para apresentar o novo disco The Deep Field que será editado em breve pela Edel e não vem sozinha: terá a companhia de Parker Kindred (bateria) e Tyler Wood (baixo e teclados).

As datas são as seguintes:

Dia 17 - Estarreja - Cine Teatro
Dia 16 - Guimarães, CAE São Mamede
Dia 15 - Porto, Hard Club
Dia 13 - Lisboa, Auditório dos Oceanos, Casino Lisboa
Dia 12 - Tróia, Centro de Espectáculos
Dave Sitek junta-se aos Jane’s Addiction
· POR Hugo Rocha Pereira · 06 Jan 2011 · 17:15 ·
O produtor e guitarrista Dave Sitek, de Tv on the Radio, substituiu Duff McKagan (que ganhou notoriedade nos Guns n’ Roses) como baixista de Jane´s Addiction.

A seminal banda californiana de Perry Farrell e Dave Navarro, que em meados dos anos 80 começou a destacar-se por misturar metal com funk, folk e punk, prepara o sucessor de Strays, lançado já em 2003. Prevê-se que o novo álbum (a ser produzido por Rich Costey – Muse; Interpol) seja lançado durante o próximo Verão.

Perry Farrell, vocalista do grupo, mostra-se entusiasmado com a actual equipa criativa que integra: "Nós estamos totalmente imersos no processo de fazer música moderna... Tem sido uma grande experiência e os resultados têm muito potencial. "

Fiquem com o vídeo de "Stop", uma das grandes músicas de Jane's Addiction.

Toro Y Moi com novo disco para 2011
· POR André Gomes · 05 Jan 2011 · 12:12 ·


Toro Y Moi, que é como quem diz Chazwick Bundick, que é como quem diz figura de proa da chillwave, prepara-se para lançar novo disco em 2011, de novo na Carpark. O disco, que sairá no dia 21 de Fevereiro, chama-se Underneath The Pine e é o sucessor do algo aclamado Causers of This. Diz-se que Chaz explora neste disco um som mais orgânico ao mesmo tempo que mantém aquela assinatura de funk penetrante do primeiro disco. Mas isto pode ser só conversa. A redacção do Bodyspace promete deitar os ouvidos a este Underneath The Pine, cuja curiosa capa mostramos acima, assim que possível.

O alinhamento é o seguinte:

1. Intro/Chi Chi
2. New Beat
3. Go with You
4. Divina
5. Before I'm Done
6. Got Blinded
7. How I Know
8. Light Black
9. Still Sound
10. Good Hold
11. Elise
PAUS entram em 2011 em alta rotação
· POR Hugo Rocha Pereira · 05 Jan 2011 · 10:17 ·
Prestes a rumar ao estúdio para gravar o seu primeiro longa duração (sucessor do aclamado EP É Uma Àgua), a banda da bateria siamesa (Hélio Morais e Joaquim Albergaria), Makoto Yagyu (baixo) e João “Shela” Pereira (teclados) vai também estrear-se em palcos internacionais, mais concretamente na pátria de Samantha Fox.

Após terem dado concertos pelo circuito interno e criado o conceito “Só Desta Vez” – três espectáculos únicos com special guests mais ou menos improváveis – os PAUS vão tocar, no próximo dia 29, no clube XOYO, em Londres. A programação dessa noite no clube britânico estará a cargo dos Buraka Som Sistema, presentes na capital inglesa para trabalhar no novo disco de originais, a ser editado também este ano, juntando-se, assim, aos PAUS os Buraka Dj’s e ainda o projecto luso Diamond Bass.

Fiquem, como teaser, com o mais recente vídeo dos PAUS para “Lupiter Deacon”.

LebensStrasse arranca com Noiserv e The Babies
· POR Paulo Cecílio · 03 Jan 2011 · 20:02 ·


2011 inicia-se com a entrada em actividade de uma nova editora no panorama indie nacional; falamos da LebensStrasse Records, projecto nascido a partir de um passeio em Berlim cujos dois primeiros lançamentos prometem desde já. O primeiro é do muy português e aclamado Noiserv, que dá pelo nome de Mr. Carousel e é um EP de duas faixas, que até estão disponíveis para escuta no próprio MySpace da editora. O destaque vai para a interpretação, ou remix, de Julianna Barwick ao tema "Melody Pops"; não contaremos, incitamos a irem ouvir. O segundo é de um mini-super-grupo - os The Babies, que é como quem diz Cassie Ramone das Vivian Girls, Kevin Morby dos Woods e Justin Sullivan dos Bossy, que se dão a conhecer com o 7'' The Wilds, dois temas pop barulhentos para ouvir ou agora (sabe bem) ou no verão (sabe melhor). Se algo há a dizer deste novo grupo é isto: acautela-te, Cosentino.
Festival Rescaldo: o ano 2010 luso em revista
· POR Nuno Catarino · 03 Jan 2011 · 19:58 ·


O festival Rescaldo está de regresso e no início de 2011 apresenta um conjunto de nomes da música nacional que estiveram em destaque durante o ano de 2010. O Rescaldo 010 acontece entre os dias 20 e 22 de Janeiro e vai realizar-se entre o Teatro A Barraca, a loja Trem Azul e o bar Sol e Pesca (Cais do Sodré). O festival arranca no dia 20, quinta-feira, com as actuações de Subterminal (projecto de Leonardo Rosado) e Máquina Lírica (Joana Sá e Marco Franco). No dia seguinte actua Nuno Torres actua no bar Sol e Pesca (solo de saxofone alto, às 19h30) e há duas estreias n'A Barraca: o projecto "Pão" (Tiago Sousa, Pedro Sousa e Travassos) e a dupla Pedro Gomes & Gabriel Ferrandini (guitarra eléctrica e bateria em luta de nervos). No sábado o festival muda-se para a Trem Azul e a loja de jazz acolhe uma imparável sequência de concertos: duo David Maranha & Manuel Mota, Filipe Felizardo, Sunflare, unDJ Mmmnnrrrg e Falhumana. A revisão de tudo o que interessa está a passar por ali.

Parceiros