Novembro 2008
Mogwai e Tindersticks passam por cá em Fevereiro
· POR · 28 Nov 2008 · 18:41 ·
Ao que parece, o Pai Natal, com vista a sofisticar o seu trabalho na temporada deste ano, acedeu a satisfazer pedidos de concertos, além dos habituais discos (a lista de solicitações vai de Last Shadow Puppets a antologias de Willie Nelson). Um bem haja para quem teve a boa ideia de convencer o Pai Natal a trazer até cá os Mogwai para concerto na Aula Magna de Lisboa, a 5 de Fevereiro, e os Tindersticks para noites boémias no Teatro Micaelense, em Ponta Delgada, a 12 de Fevereiro, Coliseu de Lisboa, a 13 de Fevereiro, e na Casa da Música do Porto, numa data ainda por determinar.

Importa relembrar que os Mogwai, apesar da morna recepção ao último The Hawk is Howling, continuam a ser nome sonante entre os sobreviventes da escola pós-rock de fim-de-século. A passagem pela Aula Magna representa mais uma oportunidade de ser abençoado por temas tão marcantes como “X-mas Steps” ou “Like Herod” (digna do seu próprio estatuto quase lendário). Os Tindersticks, por sua vez, dispensam já apresentações, tal é o culto de que gozam por cá, mas a escuta do recente The Hungry Saw, conjunto de lamentos de um coração-faquir, reforça a ideia de que os britânicos sabem ainda como variar a fórmula de rock manso que normalmente acompanha a desgraça na voz de Stuart Staples.
Fanfarra Recreativa e Improvisada Colher de Sopa convida José Cid
· POR · 26 Nov 2008 · 15:11 ·
No próximo dia 3 de Dezembro acontece no Passos Manuel, no Porto, um bizarro e emocionante encontro. A/os F.R.I.C.S. - Fanfarra Recreativa e Improvisada Colher de Sopa convida José Cid, o senhor que assinou o mítico 10000 mil anos depois entre Vénus e Marte para um concerto. A F.R.I.C.S. é uma estrutura que agrega músicos oriundos de diversas áreas estéticas numa "mini-big band" de jazz e improvisação; José Cid é um afamado compositor e intérprete cuja obra, diz o press release e bem, "se estende bem para lá dos trabalhos que o celebrizaram, englobando importantes viagens pelo rock psicadélico e progressivo de temática apocalíptica, bem como pequenos retratos do surrealismo da vida quotidiana". A não perder, portanto.

O regresso dos Fat Boys
· POR · 26 Nov 2008 · 09:16 ·
Tempos houve em que bandas e artistas dentro do hip-hop se mantinham à margem da cisão consciente/gangsta. Nos anos 80, em Brooklyn, três rapazes com excesso de peso juntaram-se para criar História. O interesse primário deles não era rimar sobre os ténis (aquelas coisas a que alguns chamam sapatilhas) que envergavam nos pés, nem tão pouco sobre os colares de ouro que usavam ao pescoço. Não, era comida. Canções como "All you can eat" eram uma delícia, bem como os seus vídeos (e eles apareceram em 1985 no filme Krush Groove, dos Run DMC) e as colaborações com gente como Chubby Checker (uma versão óptima de "The Twist") ou os Beach Boys (mais ou menos a encarnação de Beach Boys que gravou "Kokomo", da banda sonora de Cocktail, esse clássico esquecido). Faziam-no divertindo-se à brava e dando sempre espaço, lá no meio, para as habilidades rudimentares de beatbox de Buff Love, também conhecido como The Human Beat Box. Acontece que os Fat Boys acabaram em 1991 (o que inspirou, anos depois, rimas de gente como Jay-Z e Nas, cuja música pouco deve ao hip-hop lúdico dos Fat Boys como "First the Fat Boys break up" em "Ain't no love (in the heart of the city)" de The Blueprint e "Fat Boys broke up, rap hasn't been the same since" em "Can't forget about you" de Hip-hop is Dead, respectivamente) e Buff Love morreu em 1995. Para agravar a situação, os dois membros restantes, Prince Markie D e Kool Rock Ski, são agora magros (vivemos num mundo em que até o Seth Rogen, que ajudou nos últimos anos a popularizar a gordura, está magro, é só traidores da causa). Nada que muita comida, como a deste vídeo, não resolva. Quanto ao membro perdido, a ideia é fazer um reality-show, humilhar umas quantas pessoas (os participantes), não entreter uma cambada de outras (os espectadores) e acabar com alguém sem metade do carisma do membro original (o membro novo).
Rosie Thomas lança disco de Natal
· POR · 25 Nov 2008 · 22:18 ·
A Very Rosie Christmas é o objecto que concretiza a paixão de Rosie Thomas pela época natalicia. Com o seu marido Jeff Shoop e o produtor de longa data Josh Myers, Rosie Thomas chamou amigos (Damien Jurado), a família (o irmão da cantautora, Brian Thomas) e até mesmo os alter egos (a senhora do stand up comedy Sheila Saputo) para assim capturar o calor, a magia e a luminosidade da época. É uma prenda para os fãs - especialmente para os mais devotos ao Natal.

O disco mistura alegremente canções de sempre como "Christmastime Is Here", "O Come Emmanuel" e "Winter Wonderland", ao lado de canções originais de Rosie Thomas: "Why Can’t It Be Christmastime All Year?" e “Sheila’s Christmas Miracle”. A Very Rosie Christmas será com certeza para muitos uma boa forma de aguardar - à lareira e pacientemente - por um novo disco de Rosie Thomas, o sucessor de These Friends of Mine.

O alinhamento do disco é o seguinte:

1 - Christmastime Is Here
2 - Why Can't It Be Christmastime All Year?
3 - River
4 - Winter Wonderland
5 - Silent Night
6 - O Come O Come Emmanuel
7 - Snow Day
8 - Alone At Christmastime
9 - Christmas Don't Be Late
10 - Let It Snow
11 - Shiela's Christmas Miracle
12 - Rosie's Christmas Wish
Alfred Harth na Trem azul
· POR · 25 Nov 2008 · 18:21 ·
O multi-instrumentista Alfred Harth actua amanhã na Trem Azul, em Lisboa. O concerto começará às 19:30 e tem 3 euros como a módica quantia necessária para a entrada. Harth colabora activamente com grandes nomes mundiais do jazz e da música improvisada como são Chris Cutler, John Zorn, Fred Frith, Peter Brötzmann, David Murray, entre outros. É desde 2004 membro regular do Otomo Yoshihide New Jazz Ensemble" mas nesta apresentação em Lisboa Harth vai tocar com músicos portugueses.

A formação é a seguinte:

Alfred Harth saxofones, electrónicas
Paulo Curado saxofone e flauta
Luís Lopes guitarra
Gabriel Ferrandini bateria
Ashlee Simpson e Pete Wentz são pais
· POR · 21 Nov 2008 · 18:00 ·
Ashlee Simpson, a rainha do playback em directo na televisão, rainha das danças idiotas a tentar disfarçar e irmã de Jessica Simpson, deu à luz um pequeno rebento fruto da sua relação com Pete Wentz, o baixista e letrista dos Fall Out Boy. Ambos têm um bom pedigree indie: os Fall Out Boy são uma banda de singles óptimos e merecem todo o respeito indie do mundo por terem uma balada nova com o Elvis Costello e terem chamado "The takeover, the break's over" a uma canção, homenageando Jay-Z (toda a gente sabe que o hip-hop mainstream que vende milhões é indie); Ashlee Simpson tem trabalhado com Santogold (cuja parte indie é a parte menos interessante da música dela). A notícia é que o miúdo se chama Bronx Mowgli Wentz. Bronx. Mowgli. Wentz. BMW. Vai ser muito, muito feliz no futuro, certamente, com esse nome. Uma parte de Nova Iorque, a personagem do Livro da Selva e o apelido do rei do emo. Se houvesse uma fórmula matemática para criar o melhor nome do mundo, seria esta. E chamar isso a um puto é do mais punk rock que duas estrelas pop podem fazer no mundo, especialmente estas duas, que tentam sempre puxar para esse mundo.
David Maranha, Manuel Mota apresentam novo grupo a 10 de Dezembro no Maxime
· POR · 21 Nov 2008 · 16:10 ·
O Cabaret Maxime, em Lisboa, volta no próximo dia 10 de Dezembro a oferecer programa de peso, ao receber a estreia dos Dru, o novo grupo de David Maranha (Osso Exótico), Manuel Mota e Ricardo Dillon Wanke. Sabe-se por agora que o som dos Dru trabalha alguns aspectos do jazz e baladas da west coast de Stan Getz e Chet Baker, sem sacrifício das linguagens habitualmente exploradas pelos próprios. A data do concerto coincide com a do lançamento do álbum na Headlights Recordings de Manuel Mota. As primeiras gravações dos Dru podem já ser escutadas no MySpace do trio. Antes dos Dru, actuam na mesma sala os Frango (o que normalmente equivale a delírio irrepetível) e de seguida será projectado Gigante, filme de 16 milímetros assinado por Francisco Tropa. O flyer que anuncia a noite conhece o sempre distinto traço de Margarida Garcia.
Festival Para Gente Sentada a 13 e 14 de Fevereiro
· POR · 18 Nov 2008 · 21:29 ·
O Festival para Gente Sentada já tem datas. Será a 13 e 14 de Feveiro de 2009 que o Teatro António Lamoso em Santa Maria da Feira acolherá, uma vez mais, um festival que se tornou querido nas nossas agendas e corações. A primeira confirmação foi a dos Giant Sand, do carismático Howe Gelb, que regressam em 2008 com um novo álbum de originais, proVISIONS. O segundo foi o de Chuck Prophet, que actua, à semelhança dos Giant Sand, no primeiro dia do festival.

A Blitz diz no seu site que no dia seguinte o senhor Manel Cruz sobe ao palco habitualmente fofinho dos Sentados para apresentar O Amor Dá-me Tesão/Não Fui Eu que Estraguei, o duplo álbum-livro editado este ano.
Nova malha de Animal Collective na FADER
· POR · 18 Nov 2008 · 14:46 ·
A malha de afro-pop-digital dos Animal Collective, "Brothersport", que tanto sucesso tem feito ao vivo, apareceu na sua versão de estúdio, a ser editada em Merriweather Post Pavilion, que chega em Janeiro (dia 5 chega a Portugal a edição especial, segundo a distribuidora, a Edel), num podcast da revista francesa Les Inrockuptibles. A FADER cortou-a e disponibilizou-a no seu site. Está aqui. Depois do jogo de vozes a cappella de Panda Bear e Avey Tare, segue-se uma secção hipnótica de samples, percussões e sirenes muito próximas de rave. Como seria de esperar dos Animal Collective, não tem nada a ver com o que veio antes (nem como o que virá depois) e é uma das canções mais africanas da banda. É aproveitar enquanto dura, que não deve durar sempre.
Cristina Branco com novo disco em 2009
· POR · 18 Nov 2008 · 11:49 ·
Chama-se Kronos e é o novo disco de canções de Cristina Branco, depois do fabuloso Ulisses, com data de 2005. Composto por canções inéditas, este novo conjunto de temas será lançado no 1º trimestre de 2009. Em Março, Cristina Branco dará a conhecer KRONOS, um disco que terá como tema unificador o tempo e será constituído por canções inéditas compostas por uma dezena de criadores distintos, unidos por um traço comum: todos têm percursos importantes na afirmação de um cancioneiro português de qualidade. José Mário Branco, Sérgio Godinho, Amélia Muge, Rui Veloso/Carlos Tê, Vitorino, Janita Salomé, Victorino d’Almeida, Mário Laginha, Carlos Bica, João Paulo Esteves da Silva e Ricardo Dias compõem o lote de temas inéditos de Kronos.

Diz Cristina Branco que estes dois últimos discos foram trabalhos “de reflexão, de ponderação sobre tudo o que aconteceu” até agora. Com Kronos a cantora propõe-se “reflectir sobre o agora, o que passou e o que virá (…), para fazer o futuro”. Será de esperar que Kronos saia do CD e seja apresentado pelas salas portuguesas em 2009.
Roots reformam-se para ser banda de talk show
· POR · 18 Nov 2008 · 01:42 ·
Os Roots anunciaram que vão deixar os concertos e as digressões para se transformarem a banda do Late Night with Jimmy Fallon. Se o nome do programa parece o nome do programa de Conan O'Brien, é porque é mesmo. Conan O'Brien vai para a Califórnia apresentar o Tonight Show em substituição de Jay Leno. Começa dia 1 de Maio. Logo a seguir Jimmy Fallon, que ficou famoso no programa Saturday Night Live, entra para apresentar Late Night. Um dos produtores de Late Night é Lorne Michaels, o criador de Saturday Night Live e um dos empregos de O'Brien pré-Late Night era como argumentista desse programa. E os Roots vão estar lá, provavelmente com ?uestlove a fazer o papel de Max Weinberg.

Ainda não se sabe, contudo, como é que vai ser resolvido o problema de ser bastante possível e até muito provável o facto de Jimmy Fallon se rir sempre das suas próprias piadas e estes risos serem mais altos que a música que os Roots tocam. Hoje em dia tudo é possível e talvez se arranje um silenciador ou algo parecido.
Concerto de Lightning Bolt em Lisboa transferido para parque de estacionamento
· POR · 17 Nov 2008 · 18:39 ·
O concerto dos norte-americanos Lightning Bolt do próximo domingo (23 de Novembro, às 22h00, com Stellar OM Source na primeira parte) já não vai acontecer na ZDB, como estava inicialmente previsto. A galeria alterou o local do concerto para o parque de estacionamento subterrâneo do Largo de Camões (piso -5). As reservas podem ser levantadas na ZDB na quarta, quinta e sexta (depois das 19h00) e sábado (depois das 14h00).
Três álbuns de OutKast para o ano
· POR · 13 Nov 2008 · 19:11 ·
O melhor que os OutKast têm feito recentemente não está nem perto de discos dos OutKast. Está em colaborações com outras pessoas. "Int'l Players Anthem", dos UGK, "Royal Flush", do Raekwon e a participação de Andre 3000 em "What a Job", do Devin the Dude, são provavelmente as três melhores contribuições de Andre 3000 e Big Boi para o mundo em tempos recentes. Depois de algo tão banal quanto Idlewild, foi bom ver que esta gente ainda estava em grande. Acontece que, para o ano, há um disco a solo de Andre 3000, um disco a solo de Big Boi e um disco dos OutKast juntos.

Em 2003, recorde-se, houve The Love Below e a fixação de Andre Benjamin pelos standards e pelo Prince, e Speakerboxxx, com as rimas e os ritmos rápidos ajudados por sintetizadores de Big Boi. Estes dois não são para sair juntos e eram ambos para chegar este ano. O de Big Boi chama-se Sir Luscious Left Foot… Son of Chico Dusty e, segundo o próprio disse à MTV, chega em Janeiro ou Fevereiro. 2009, o ano do regresso dos OutKast em grande?
Rui Reininho lança primeiro disco a solo
· POR · 13 Nov 2008 · 17:28 ·
O Sr. GNR está aí e com novo disco. Companhia das Índias conta com colaborações de artistas como Rodrigo Leão, Paulo Furtado (The Legendarry Tigerman), Armando Teixeira (produção), Slimmy, JP Coimbra (Mesa), Alexandre Soares, Margarida Pinto (Coldfinger) e New Max (Expensive Soul). Se aqui clicarem poderão ouvir o novo tema de Rui Reininho, intitulado "Bem Bom".

O alinhamento é o seguinte:

1. El Al (1:17) (Armando Teixeira)
2. Morremos a Rir (3:24) (Slimmy/Rui Reininho)
3. O Estranho Caso do Amante Preguiçoso (3:53) (Armando Teixeira/ Rui Reininho)
4. Bem Bom (3:00) (António Pinho/Pedro Brito/Tozé Brito)
5. Lados B (3:33) (J. P. Coimbra/Rui Reininho)
6. Faz Parte do Meu Show (3:08) (Cazuza/Renato Ladeiras)
7. Dr. Optimista (3:21) (Armando Teixeira/Rui Reininho)
8. Triste S (1857) (5:13) (Margarida Pinto/Rui Reininho)
9. Yoko Mono (3:09) (Paulo Furtado/Rui Reininho)
10. Turbina & Moça (4:22) (New Max/Rui Reininho)
11. Al Faquir (4:13) (Armando Teixeira/Rui Reininho)
12. Laika Virgem (3:42) (Alexandre Soares/Rui Reininho)
13. Morgana Penélope (3:02) (Rodrigo Leão/Rui Reininho)
Cintura dos Clã é Disco de Ouro
· POR · 13 Nov 2008 · 16:03 ·
É um bonito feito para os Clã. O último álbum de originais da banda, Cintura, atingiu esta semana o galardão de Disco de Ouro, por vendas superiores a 10 mil unidades. Em digressão com o quinto registo, o sexteto nortenho continua a apresentar, entre outros, os temas que serviram de single ao sucessor de Rosa Carne: a enérgica - e porque não, energética - "Tira a Teima", a belíssima "Sexto Andar" e ainda "Vamos esta Noite".

Para breve está prevista a apresentação do novo site dos Clã, em www.cla.pt, onde os fãs terão acesso a material exclusivo e inédito da banda.
Mais uma mixtape Buraka
· POR · 12 Nov 2008 · 18:26 ·
Depois da mixtape da Pitchfork, é a vez da Fader disponibilizar uma mixtape exclusiva dos Buraka Som Sistema. Completamente diferente da outra, menos abrasiva e, provavelmente, como a própria malta da Fader diz, melhor que a da Pitchfork. De qualquer maneira, é mais uma desculpa para abanar o rabo e uma prova do fascínio imenso que os estrangeiros têm pela banda, que é do melhor que se faz por cá, apesar de não dançarem nos concertos deles (por cá não temos esse problema, Buraka manda, público faz). Um orgulho. O alinhamento é o seguinte:

The Roots, "Din Da Da"
MixHell, "Highly Explicit (Brodinski Remix)" Dj Mujava, "Township Funk (Ashley Beedle's Edit)"
Dj du Marcel, "Soweto das Raves"
Buraka Som Sistema, "Luanda/Lisboa"
Radioclit, "Secousse"
Buraka Som Sistema, "General"
Kaysha, "The Dollar" feat Dj Bula
Dj Znobia vs BSS, "Me Bate"
Buraka Som Sistema em destaque na Pitchfork
· POR · 11 Nov 2008 · 23:37 ·
Os Buraka Som Sistema continuam a sua cruzada internacional e parece que não há semana em que não recebemos notícia de mais um elogio, de mais gente rendida ao cruzamento de kuduro com outras linguagens de pista. Não foi sem pinga de orgulho que recebemos a notícia de que os Buraka assinam uma mixtape na poderosa Pitchfork (vale a pena ouvir).

Nos últimos tempos, para além de apreciarmos mixtape, lemos elogios no New York Times e no Guardian, deliciámo-nos com a participação de Kano na edição europeia de Black Diamond e com participação do grupo no Hollertronix #9.

O alinhamento da mixtape:

1. Buraka Som Sistema: "Intro"
2. DJ Malvado: "Puto Mekie"
3. Radioclit: "Secousse (Crookers remix)"
4. Buraka Som Sistema: "Skank & Move" [ft. Kano]
5. DJ Znobia: "Patchy Luanda"
6. Debonair Samir: "Samir's Theme"
7. Buraka Som Sistema: "Kalemba (Wegue Wegue)"
8. DJ Furioso: "Activate"
9. Buraka Som Sistema: "Sound of Kuduro (Drop the Lime remix)"
10. Reso: "If U Can't Beat Them"
Novo presidente dos Estados Unidos é fã de Wilco e Jay-Z
· POR · 05 Nov 2008 · 09:36 ·
"Bitch may be the new black, but black is the new president, bitch", dizia, há quase um ano, Tracy Morgan no Saturday Night Live, a referir-se à frase de Tina Fey, "bitch is the new black", que dava uma vitória a Hilary Clinton. Fey, lembre-se, ficou ainda mais famosa a fazer de Sarah Palin no programa, apesar de ter saído do seu elenco há alguns anos. E hoje é verdade que "black is the new president, bitch." Barack Obama foi eleito presidente e artistas tão díspares como Jay-Z e Wilco constam do seu IPod. Estes últimos, especialmente, são de Chicago, a cidade que acolheu o novo presidente nos últimos anos, e tocaram em dezenas de concertos para beneficiar o homem. Na semana passada, Jeff Tweedy e o resto dos Wilco foram ao Colbert Report. Tweedy disse que em 2005 tinha perguntado a Barack Obama se os Wilco podiam tocar na inauguração do presidente. Obama respondeu: "Sim, se a Hilary deixar."

Já sem Hilary, Obama é o novo presidente, um homem que pode ir no Air Force 1 para Chicago a ouvir "Via Chicago" dos Wilco, como deve ser qualquer viagem, com uns ténis Nike Air Force 1, símbolos do hip-hop, nos pés. É o primeiro presidente afro-americano dos Estados Unidos (segundo, se contarmos com Bill Clinton). Outros artistas da preferência do homem: Stevie Wonder (de quem é um grande, grande fã), Earth, Wind and Fire, Elton John, Bruce Springsteen (foi, aliás, com "The Rising" que Obama saiu de palco depois do seu discurso de vitória), Rolling Stones e Bob Dylan.
Excepter vão tocar até que se conheça o nome do novo Presidente
· POR · 04 Nov 2008 · 23:09 ·
Adensam-se os sinais que os Excepter são os mais fri-tados dos fri-tados (trocadilho free/fri com cérebro "fritado", desarranjado). Quando abriram as urnas das eleições presidenciais norte-americana a banda de Brooklyn começou um concerto em Monkeytown, Williamsburg. O objectivo é tocar até que se conheça o nome do substituto de Bush - sim, isso mesmo, horas e horas de improvisação. "Os Excepter vão tocar todo o dia numa tentativa de afectar as eleições ATRAVÉS DO SOM", anunciou a banda e nós só podemos acreditar. Podem acompanhar tudo no site do grupo.
Of Montreal, Deerhoof e vários produtores de hip-hop e música de dança remisturam Maroon 5
· POR · 04 Nov 2008 · 22:26 ·
O indie rock está de luto. Não só os Of Montreal e os Deerhoof aparecem num disco a remisturar canções dos Maroon 5 – "Little Of Your Time" e "Goodnight Goodnight", respectivamente (os Of Montreal ficam com uma faixa também remisturada pela dupla Bloodshy and Avant, responsáveis pelo épico pop "Toxic" de Britney Spears, uma das canções da década) –, mas também aparecem num disco com Paul Oakenfold e DJ Tiësto. Sim, DJ Tiësto. Sim, não há nenhum erro aqui. Sim, o artista mais tocado em carros sem peças de origem guiados por indivíduos de patilha à mitra (um fiozinho de patilha). E uma batelada de gente porreira: Mark Ronson, ?uestlove dos Roots, Just Blaze, Pharrell Williams, Cool Kids, Ali Shaheed Muhammad dos A Tribe Called Quest, DJ Premier dos Gang Starr e os Cut Copy. Entre os nomes também estão DJ Quik, Swizz Beats e Sam Farrar dos Phantom Planet. Tudo gente que ninguém associaria, nem num milhão de anos, aos Maroon 5. Terá algum deles o toque de Midas para transformar a música da banda em ouro?

Lembre-se que Adam Levine, vocalista dos Maroon 5, participou em "Heard'em Say", canção de Late Registration de Kanye West onde se saiu maravihosamente bem. Também participou em "I Ran", uma canção cómica feita por Andy Samberg para o Saturday Night Live que tinha um sample de piano de Aphex Twin e seria um dos melhores singles de hip-hop da década se não fosse a gozar (e mesmo assim continua a ser). Cantar por cima de Aphex Twin, mesmo em 2007, aumenta, como se sabe, a credibilidade indie de alguém.
Rodrigo Leão e Durutti Column juntos em Londres
· POR · 04 Nov 2008 · 18:26 ·
Rodrigo Leão sobe ao palco daquela que é reconhecidamente uma das mais carismáticas salas do Reino Unido - o Barbican Hall - para apresentar O Mundo, um espectáculo onde faz uma retrospectiva da sua carreira. A acompanhar o Cinema Ensemble ao Theremin, estará Lydia Kavina, neta de León Theremin.

Convidada especial de Rodrigo Leão será a banda de Manchester The Durutti Column, de Vini Reilly, numa rara apresentação que marca o lançamento para breve da caixa 30 Years of Factory Records.
Gang Gang Dance e Wu-Tang Clan: colaboração à vista
· POR · 04 Nov 2008 · 16:31 ·
Bem, não é mesmo o Wu-Tang Clan todo, que, na tensão pós-8 Diagrams, pode ser que nunca mais se venha a reunir (mesmo dando o desconto da morte de Ol' Dirty Bastard). Segundo a Spin Magazine, GZA, um dos MCs do Clan, não pára de ligar aos Gang Gang Dance para colaborar. Num mundo em que a malta fri consome cada vez mais rap, são poucos os bons cruzamentos recentes entre as duas realidades. Aliás, contam-se pelos dedos, já que muitas vezes o gosto musical dos rappers e produtores em termos de rock recai sempre sobre escolhas dúbias (relembre-se o disco de Jay-Z com os Linkin Park, cujo MC, Mike Shiinoda, já colaborou com demasiada gente do hip-hop para sair impune).

Houve aquela vez em que Timbaland, ao passar por uma discoteca de Nova Iorque, ouviu "Cone Toaster" dos Black Dice e adorou (e muitos pontos para a discoteca: passar Black Dice é nível), o sample de "Sing Swan Song" dos Can em "Drunk and Hot Girls" de Graduation, a remistura de "Leyendecker" dos Battles com Joell Ortiz (um clássico subvalorizado, e é só do ano passado) e "Princes", a sublime faixa de St. Dymphna, o último álbum de Gang Gang Dance, com o MC de grime Tinchy Stryder. Até em Portugal, Norberto Lobo, o guitarrista que cruza Fahey e Paredes, toca com o MC Chullage. No seguimento disso que GZA (que actuou no ano passado no festival da Pitchfork, um dos nomes-chave para a junção destes dois mundos) vê ali ouro bom para lançar umas rimas por cima.

Há outros factores a ter em conta: historicamente, não é assim tão estranho um cruzamento entre dois mundos. Pode argumentar-se que os Gang Gang Dance fazem música de dança de vanguarda. Nos anos 80, os nova-iorquinos Liquid Liquid faziam música de dança de vanguarda e foi por isso que "Cavern", uma das suas faixas, foi samplada (ilegalmente, e nem bem samplada, foi tocada outra vez, nunca creditando o original) na faixa "White Lines (Don't do It)", creditada a Grandmaster Flash & The Furious Five. Os punks elécticos dos Clash punham, aliás, o Grandmaster Flash, entre outros, a abrir para eles quando iam a Nova Iorque (uma muito má ideia: os fãs deles eram racistas e conservadores e apupavam-no). E RZA, a cabeça do Wu-Tang Clan e primo de GZA, já samplou "Venus in Furs" dos Velvet Underground numa faixa. Os resultados não foram os melhores. Será que desta vez vai resultar?
Super Bock em Stock em Dezembro
· POR · 04 Nov 2008 · 16:08 ·
A Música no Coração promete "duas grandes noites e mais de 20 dos mais estimulantes projectos musicais da actualidade marcam o último mês de 2008". O certame acontece nos dias 3 e 4 de Dezembro em salas lisboetas como o São Jorge (salas 1 e 2), Teatro Tivoli, Teatro Variedades e Cabaret Maxime. Os nomes são muitos: Caravan Palace, doismileoito, Deolinda, El Perro del Mar, Jack Rose, José James, Ladyhawke, Lykke Li, Marcelo Camelo, Norberto Lobo, peixe:avião, Phoebe, Rui Reininho, Santogold, Tanya Stephens, The Guys from the Caravan, The Profilers, The Walkmen, X-Wife, Zita Swoon, Pontos Negros, João Coração e A Fine Frenzy.

O público poderá comprar um passe único, com o custo de 40 euros, que deverá ser trocado por pulseira no Cinema São Jorge a partir de dia 2 de Dezembro, e que dará acesso a todos os concertos em todas as salas, sempre de acordo com a lotação de cada uma.
Joan As Police Woman em Guimarães
· POR · 04 Nov 2008 · 15:12 ·
Joan As Police Woman sobe ao palco do Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães, este sábado, dia 8 de Novembro, para apresentar o segundo álbum editado em nome próprio, To Survive, lançado no passado mês de Junho. Joan traz ainda na bagagem o mais recente single “To America”, que conta com a participação especial de Rufus Wainwright.
Ana Moura lança DVD
· POR · 03 Nov 2008 · 15:58 ·
‘Coliseu, o primeiro DVD da fadista Ana Moura, chega às lojas a
24 de Novembro. Este foi o seguimento lógico depois dos três trabalhos editados: Guarda-me a vida na mão (2004), Aconteceu (2005) e Para além da saudade (2007). O último rendeu-lhe finalmente um lugar de destaque no fado.

Pisou o palco dos Coliseus de Lisboa e do Porto e foi a partir de um destes concertos, à data esgotado, que foram registados e poderão agora ser revividos em DVD. Coliseu é, então, o primeiro DVD de Ana Moura. A fadista percorreu as canções maiores da sua carreira e contou também com a presença de nomes como Maria da Fé e Beatriz da Conceição, o guitarrista e produtor de sempre Jorge Fernando. Como naipe de músicos, Ana Moura contou com a participação de José Manuel Neto (guitarra portuguesa), José Elmiro Nunes (viola) e Filipe Larsen (viola baixo).

O alinhamento do DVD é o seguinte:

1. Lavava no rio lavava (Amália Rodrigues / Fontes Rocha)
2. Os Meus Olhos São Dois Círios (João Linhares Barbosa / José Alfredo dos Santos Moreira (Fado Menor))
3. Ó meu amigo João (Jorge Fernando / Fado Corrido)
4. Sou do fado, sou fadista (Jorge Fernando)
5. Fado das horas incertas (Jorge Fernando)
6. O Que Foi Que Aconteceu (Tozé Brito)
7. Venho falar dos meus medos (António Laranjeira / Acácio Gomes da Silva (Fado Acácio))
8. Porque teimas nesta dor (José Luis Gordo / José Carlos Gomes (Fado Magala))
9. Divino Fado (José Luís Gordo / Fado Corrido) por Maria da Fé
10. Meditando / Variações em Lá (Armando Freire)
11. Creio (Natália Correia / Jorge Fernando)
12. Boa noite solidão (Jorge Fernando) por Jorge Fernando
13. O meu corpo (Ary dos Santos / Fernando Tordo) por Beatriz da Conceição
14. Fado da procura (Amélia Muge)
15. Primeira Vez (Mário Raínho / Joaquim Frederico de Brito (Fado da Azenha))
16. E viemos nascidos do mar (Fausto Bordalo Dias)
17. Mapa do Coração (Nuno Miguel Guedes / José Blanc (Fado Blanc))
18. Até ao fim do fim (Tozé Brito)
19. Rosa Cor de Rosa (Jorge Fernando / Custódio Castelo)
20. Os búzios (Jorge Fernando)
O regresso dos Pop Up Videos
· POR · 03 Nov 2008 · 00:55 ·
Para uma pessoa em qualquer etapa de crescimento no final dos anos 90, o programa Pop Up Videos do VH1 há-de ter deixado muita saudade. Muito melhores que os Info Videos da MTV, eram um chorrilho de informações quase sempre irrelevantes sobre os telediscos que passavam e os artistas envolvidos. Sempre com muita piada e um barulho cada vez que apareciam as informações no ecrã que conseguia a proeza de nunca se tornar irritante. Desde saber à custa do vídeo de "Glory Days" que Little Steven Van Zandt, o guitarrista da E Street Band de Bruce Springsteen, foi uma vez expulso da Disneylândia e nunca mais lá voltou a saber, à custa de "You Can Call Me Al", que Chevy Chase é mais alto que a média americana e Paul Simon não, aprendia-se de tudo lá. E agora, com a magia do site MTV Music, 89 vídeos. Para recordar os clássicos. Aviso: é preciso muito tempo livre.

Parceiros