Xiu Xiu
Sala Nasti, Madrid
29 Mai 2006

Esteve até à última hora para ser no Café La Palma (tal como estava anunciado há bastante tempo), mas a actuação dos Xiu Xiu mudou-se aparentemente no próprio dia, mas não para muito longe: para a Sala Nasti, no mesmo afamado bairro de Malasaña onde se situa igualmente o Cafe La Palma. O concerto de Madrid era apenas um dos oito a terem lugar na península ibérica (em Portugal apenas Leiria os recebem), numa larga gira que prova uma coisa: os espanhóis gostam dos Xiu Xiu. À entrada da sala era possível avistar-se camisolas de Coil e dos Smiths naqueles que se preparavam para entrar – faz alguma sentido, não faz? E mais sentido fez quando antes da actuação começar se passava The Cure nas colunas que traziam o som ao ambiente pré-concerto. Era uma gira de apresentação do último disco, La Foret, (com o selo da madrilena Acuarela, responsável também pela organização deste concerto) mas também uma de antecipação do próximo disco, The Air Force (com saída para finais de Setembro, produzido por Greg Saunier, dos Deerhoof, o que desencadeia a prova número dois: Jamie Stewart é um frutífero compositor. Mas por vezes nem o mais produtivo autor nega a si mesmo a ‘ajuda’ de outros; Jamie Stewart subiu a palco com Caralee McElroy, o par já habitual nos concertos de Xiu Xiu, para levar a cabo a tarefa.

Xiu Xiu © Angela Costa

Depois de alguns arranjos iniciais e preparação habituais, arrancou-se com “Bog People” trazida pela autoharp nas mãos de Jamie Stewart e depois é assistir ao desenvolver da electrónica que já começa alienada e que depois se transforma maquinalmente perturbadora; é assistir ao evoluir da voz de Jamie Stewart que pode muito bem receber o epíteto de esquizofrénica sem que ninguém fique chocado. Quem conhece Xiu Xiu sabe muito bem aquilo que pode esperar. “Muppet Face” é um misto de uma certa serenidade com o caos, uma certa infantilidade com o dramatismo que é conhecido a Jamie Stewart. E se prova era necessária do gosto de Jamie Stewart pelo choque súbito entre dois estados, “Brian the Vampire” (Fabulous Muscles, 2004) surgiu para ser muito bem recebida por quem ouvia do outro lado. Do mesmo Fabulous Muscles Jamie Stewart havia ainda de pegar na própria “Fabulous Muscles”, para se poder ouvir uma das frases mais fortes que alguma vez ousou dizer enquanto vocalista dos Xiu Xiu: “Cremate me after you cum on my lips”, “Honey boy place my ashes in a vase / Beneath your work out bench”. Aparentemente os Xiu Xiu cumpriram mesmo a promessa de apresentar temas do próximo disco, The Air Force, algo que deixou no ar a impressão de algumas mudanças de estratégia para breve – e talvez algumas surpresas.

Foram bastantes as vezes que se ouviram os maravilhosos sons provenientes do harmónio cuidado pelas mãos de Caralee McElroy. Os dois serviram-se muitas vezes dos pratos e das campainhas que se amontoavam no palco para produzir mais caos e para consubstanciar a sensação de calma, respectivamente. Os teclados não faltaram obviamente. A surpresa terá vindo mesmo com o par de vezes que Caralee McElroy emprestou a sua voz durante o concerto; uma voz dócil, por vezes sereníssima, inesperada mas eficaz. Feitas as contas, foi um concerto relativamente curto (deve ter andado à volta de uma hora), onde faltaram alguns temas que à partida seriam de esperar: não houve Hives Hives, não houve “I Luv The Valley, Oh!”, entre outras; não houve “Suha” mas aparentemente esse é um daqueles temas que Jamie Stewart, infelizmente, se ‘recusa’ a apresentar. Talvez tenha faltado algo a um concerto onde até se cantou os parabéns ao tour manager da banda. Terá faltado além de alguns temas uma certa emotividade que se sente em cada canto dos discos com assinatura Xiu Xiu. Para ser amigo da verdade, convém dizer que não tiveram muita sorte – até o feedback os prejudicou. Mas sendo igualmente aliado da realidade, é quase certo que muitos poderiam dizer que “já lhes vimos fazer melhor”.

· 29 Mai 2006 · 08:00 ·
André Gomes
andregomes@bodyspace.net

Parceiros