Vodafone Paredes de Coura
Praia Fluvial do Taboão
13-17 Ago 2013
Bebendo Por Você

Encontrem-me alguém que diga amar o campismo e eu mostrar-vos-ei um mentiroso, um ser infame, uma abécula invertebrada, um pusilânime maldito; encontrem-me alguém que do alto da sua cegueira ou insolação ou palidez provocada pelo consumo desenfreado de drogas diga amar os Michael Phelps das seis da manhã, os gritos marciais de ALVORADAAAAAAAAAAAAAAA, o loop manhoso de megafones sem o swag limiano necessário ao seu bom uso, as filas para os shuttles e, não os havendo, as centenas de metros que se tem de percorrer do campismo à vila na subida mais íngreme que se possa imaginar, derrota da saúde à espera de acontecer; encontrem-me alguém que diga amar Paredes de Coura apesar de tudo isto e eu mostrar-vos-ei, infelizmente, infelizmente por não querer dar o braço a torcer, alguém que sabe o que é viver Paredes de Coura, esquecer as adversidades e divertir-se como pode. Ao longo dos últimos três dias Paredes revelou-se uma excelente surpresa e fez-me constatar que este festival não é para experienciar sozinho como o fiz há cinco anos; é preciso um grupo enorme de amigos (sejam os do Rui Coelho ou os da Internet), o mínimo de disposição e paciência reveladas pela água gelada e plena de salmonelas do Tabuão e sítios onde comer bom e barato. Paredes tem isso tudo. E isso tudo raras vezes tem comparação.

Falar dos concertos quando ainda pouco se viu por se estar a gozar em pleno o que a pequena vila minhota tem para nos oferecer não faria sentido, mas esta webzine é sobre música e não sobre gastronomia ou turismo (mas podia); assim sendo, falemos dos Quelle Dead Gazelle, a dar um óptimo concerto tendo vindos do nada, riffs cristalinos batendo na brita, falemos de DJ Nuno Lopes a colocar criançada muita em êxtase e a desejar acaloradamente aparecer na televisão, falemos dos concertos a sério - com O Bisonte a ser O Bisonte para o bem e para o mal, com os Sensible Soccers a darem um concerto monstro, impelindo o título destes primeiros parágrafos e tocando a "Fernanda" para regozijo de muitos quantos estavam presentes, tendo inclusive a presença do seu Bez pessoal quando entra "Sofrendo Por Você", Roberto Carlos em modo pós-rock e primeiro single do futuro disco, falemos do toque francês de Moullinex ou do abandono prematuro do recinto porque Neil Young não bate às duas e meia da manhã. Para já estamos bem safados em relação à música. Mas para todos os efeitos nem precisaríamos.
· 25 Ago 2013 · 10:21 ·
Paulo Cecílio
pauloandrececilio@gmail.com

Parceiros