La La La Ressonance + The Astroboy
Passos Manuel, Porto
05 Mai 2012
Não é segredo para ninguém: o Porto vive neste momento sob o domínio do álcool. É motor de turismo, de criação de emprego, da animação e até da reabilitação urbana. Mas infelizmente a tirania do álcool parece, cada vez mais, tirar público às salas de concertos. Só assim, a juntar à diminuição do poder de compra, se explica que o concerto de estreia do novo disco de La La La Ressonance no Porto não consiga convencer sequer quarenta pessoas num sábado à noite a juntar-se à causa.

© Angela Costa

Com 40 ou 400, o concerto arrancou com o guitarrista de La La La Ressonance e Luís Fernandes (The Astroboy) num interessante exercício de influência erudita (na guitarra) mas de resultado "digital" e experimental. A texturização da guitarra acústica cumpriu muito bem a função de preparar o terreno para o que viria a seguir. E o que veio a seguir foi o abrir do enorme caldeirão dos La La La Ressonance, onde cabe o krautrock (veio à memória muitas vezes a precisão rítmica de uns Can), o jazz, o pós-rock e até o "rock matemático".

© Angela Costa

A entrega do último disco dos La La La Ressonance, Faust fez de forma quase sempre adequada. Tanto melhores quanto mais dedicados à exploração rítmica e à tensão das guitarras, os La La La Ressonance mostraram (ou confirmaram) créditos como "texturalistas" e construtores de paisagens complexas. Não esperem coisas fáceis dos La La La Ressonance; esperem desafios. Foi assim no concerto no Passos Manuel e vai ser assim para o resto dos nossos/vossos dias. Ou deles.
· 06 Mai 2012 · 18:02 ·
André Gomes
andregomes@bodyspace.net

Parceiros