bodyspace.net


Six Organs of Admittance Shelter from the Ash

2007
Drag City / AnAnAnA


Com School of the Flower Ben Chasny avisou que nunca mais seria o mesmo – deu a sua palavra e cumpriu. Desde aí, o senhor Six Organs fez dos seus discos espaço para uma electricidade mais pronunciada do que nunca (talvez inspirado pela acção nos Comets on Fire), para convidados, para alterações estéticas e avanços, para poucos ou nenhuns recuos. Numa década de produção elevada (em número e em qualidade), Ben Chasny foi calmamente vincando a sua forma própria de fazer música (e de abordar a guitarra), e foi trabalhando visivelmente na arte de escrever canções (ele que foi timidamente entrando nesse mundo de forma mais assumida).

A sapiência deu ao norte-americano o poder de escrever uma canção como “Strangled Road”, terno dueto com Elisa Ambroglio; apesar de terminar com um solo de guitarra (eléctrica) que não imaginávamos por estas paragens (não tão rockeiras assim) é imagem de marca da boa canção escrita por Chasny. “Alone with the Alone”, a abrir, lembra School of the Flower na percussão (com menos brilhantismo que a aparição de Chris Corsano) e no explorar da guitarra de horizontes abertos. As vozes conferem-lhe um tom de misticismo que Ben Chasny aprecia inculcar nos seus discos; não é algo que se force, mas algo que se persegue e que transparece mais uma vez neste disco. Com o seu desenvolvimento natural, “Alone with the Alone” caminha lenta e naturalmente para um desfecho caótico e conturbado, pleno de intensidade.

Enquanto que “Jade Like Wine” confia essencialmente nas potencialidades acústicas (abrindo apenas a janela para a entrada de alguma – pouca - electricidade) e na técnica de Chasny, “Coming to get You” é uma tensa exploração ruidosa decorada aqui e ali de elementos acústicos. Ben Chasny não é mais prisioneiro da guitarra acústica e das comparações a John Fahey e Robbie Basho. Conseguiu a liberdade, e tem orgulho em mostrá-lo. Basta ouvir o resto de Shelter from the Ash para o perceber (atenção para o belíssimo exercício de independência conseguido em “Shelter from the Ash”). E não sendo este um disco memorável na carreira de Ben Chasny (é apenas um bom disco), Shelter from the Ash é mais uma demonstração de vitalidade do músico norte-americano.


André Gomes
andregomes@bodyspace.net
11/03/2008